Pular para o conteúdo principal

Deputados vão reavaliar as isenções tributárias das igrejas

Privilégio tributário tem permitido
a construção de templos luxuosos
Com o apoio e incentivo do Governo Temer, os deputados federais vão reavaliar as isenções tributárias às igrejas e de outros setores, as quais vão representar em 2017 um terço do rombo do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

A bancada de parlamentares evangélicas já está reagindo com a ameaça de deixar a base de apoio ao governo.

O deputado João Campos (PRB-GO), líder dessa bancada, disse que a isenção não é um benefício, “mas uma contrapartida por aquilo que as entidades filantrópicas realizam no lugar do Estado”.

O argumento de Campos se torna indefensável diante dos templos luxuosos que a Universal, por exemplo, vem construindo e dos milhões de reais que as igrejas neopentecostais gastam com aluguel de horário de TVs.

A Igreja Católica também tem vários negócios, mas sua contabilidade é um segredo.

Leonardo Rolim, consultor de Orçamento da Câmara, lembrou que há escolas religiosas, incluindo universidades, que cobram elevadas mensalidades, embora desfrutem de isenções tributárias.

Com informação da Folha de S.Paulo.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Isenção de IPTU às igrejas custa a São Paulo 22 creches por ano


Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

13 teorias da conspiração sobre o coronavírus. Ou: a bolsa ou a vida?

Saiba por que a seita Testemunhas de Jeová é um paraíso para pedófilos