Filme faz proselitismo cristão adulterando ataque a Columbine

O filme I’m Not Ashamed (“Eu Não Me Envergonho”), que diz ser baseado em fatos reais do massacre de Columbine, mostra um dos dois jovens assassinos perguntando a uma estudante cristã, Rachel Scott, se ela, diante de uma arma, ainda acredita em Deus. Ela responde que sim e então é assassinada. Foi a primeira vítima fatal do massacre.

Militante cristã
Sadie interpretou
a protagonista
O filme está sendo acusado por ateus e críticos de cinema de usar o sangue derramado naquela ocasião para fazer proselitismo cristão, porque tal diálogo nunca ocorreu.

O próprio pai da moça, Darrell Scott, duvida do que seriam as últimas palavras de sua filha, mas confirma que ela era muito religiosa.

O filme tenta passar a mensagem de que ninguém deve se envergonhar de acreditar em Deus, mesmo em situações extremas.

Quem interpreta a moça é a atriz e militante cristã Sadie Robertson (foto).

O ataque à Columbine Highshool, no Colorado (EUA), ocorreu em 20 de abril de 1999.

Eric Harris e Dylan Klebold, antes de se suicidarem, mataram 12 alunos e um professor.

Produtores do filme sustentam sua versão com o argumento de que o questionamento foi testemunhado por um policial que estava próximo dos jovens. Mas eles não apresentaram provas que pudessem pôr fim à polêmica.

Do lado dos produtores, está Beth Nimmo, mãe de Rachel, que tem ganhado dinheiro com o seu livro “Lágrimas de Rachel”.

Depois de ter sido bloqueado no Youtube por internautas, supostamente ateus, o trailer do filme voltou a estar disponível [ver abaixo].

O filme será exibido no Brasil nos próximos meses.


       

Com informação das agências

Filme do Super-Homem faz referência ao cristianismo


Comentários

  1. O filme não trata do atentado em si mas dos dilemas vividos por uma pessoa a partir do descoberta da sua fé e da vivência dela em um ambiente secular e até hostil. O ateísmo é um proselitismo em si mesmo, tentando fazer as pessoas acreditarem que não há nenhum ser superior e para isso usam de tudo, inclusive desclassificar por meios sórdidos qualquer tipo de exposição que contrariem a sua crença... desrespeitam a mãe da menina e tudo mais... Para cada caberia uma história, inclusive aos atiradores... a partir do filme fiquei curioso e pesquisei um pouco da história... e há muitas coisas envolvida... o bulling... suscita reflexões embora seja a um filme "gospel" ... não há distorção... há uma leitura... embora haja conflitos nas falas... pois a frase também é relatada por uma vitima na biblioteca e também há que negue e afirme que a vitima apenas orava...

    ResponderExcluir

Postar um comentário