Pular para o conteúdo principal

Deuteronômio inspira filme de terror que aborda o canibalismo

Curta-metragem teve como base um trecho da Bíblia


Diz Deuteronômio 28:53: “E comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der o Senhor teu Deus, no cerco e no aperto com que os teus inimigos te apertarão”.

Com base nesse trecho da Bíblia e em alucinações causadas por uma pneumonia, Luciano de Azevedo escreveu o roteiro do filme de curta metragem de terror “Cabrito”. Ele também o dirigiu.[trailer abaixo]

O filme aborda o canibalismo e fanatismo religioso no meio rural.

Ele conta a história de um vendedor de algodão-doce que vive com a mãe, uma fanática religiosa, em uma pequena cidade.

Coisas estranhas começam a ocorrer depois que o homem se envolve com uma prostituta grávida.

As imagens do filme são sombrias e delas correm muito sangue. No elenco estão Samir Hauaji, Sandra Emília Costa, Pri Helena e Nino de Barros.

As cenas foram gravadas em um final de semana em uma fazenda de Minas Gerais. Os gastos com a filmagem foram de R$ 1.700.

“Cabrito” será exibido em vários festivais.


"E comerás o fruto do teu ventre..."


> Com informação da produção do filme. 

Alcoólatra age como fanático religioso, dizem psicanalistas

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios