Pular para o conteúdo principal

Professora pune aluno que usou recortes da Bíblia em trabalho

Professora afastou
aluno de atividades
com os colegas
Uma professora de artes de uma escola laica de Brasília pediu a estudantes de 9 anos que recortassem figuras para contar a história de um santo católico.

Um dos estudantes decidiu caprichar e recorreu direto à melhor fonte de imagens para esse caso: uma Bíblia ilustrada que tinha ganhado de presente.

O menino apresentou o trabalho à professora e levou a Bíblia para mostrar de onde tinha tirado as ilustrações.

Apesar da boa apresentação do trabalho, a professora deu uma bronca no menino por ter tido retalhado a Bíblia, o livro sagrado da religião dela.

Como castigo, a professora puniu o estudante excluindo-o de atividades de seus colegas.

Essa história é contada pela estudante Gabriela Rondon, em um vídeo [ver abaixo] do gravado pelo coletivo Vozes da Igualdade, ligado ao Anis (Instituto de Biotécnica).

A intolerância da professora é comparável àquela em que muçulmanos ficam furiosos com quem desrespeite o Corão, exigindo até pena de morte ao infiel.

É a professora de artes que deveria ser punida pela direção da escola por fazer proselitismo católico. Ela deveria ser obrigada a escrever na lousa mil vezes: "O Estado é laico".

No vídeo, tendo em conta o absurdo do caso, Gabriela garantiu que não se trata de uma invenção.

"Esta é uma história verdadeira"



Com informação do site da Vozes da Igualdade. A foto é meramente ilustrativa.





Professores impõem suas crenças em escolas laicas

Comentários

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Romualdo Panceiro cria a Igreja das Nações para concorrer com a Universal

Pastor diz que máscara é ‘frescurite’; fiel idosa e marido morrem de Covid-19

Maitê recupera pensão de solteira apesar de união com empresário







EDITOR DESTE SITE
Paulo Lopes é jornalista.Trabalhou
no jornal abolicionista Diario Popular,
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e outras publicações.

Contato