Pressionado pela Atea, colégio libera ateu do curso de religião

Caso de Esteio, de imposição do ensino
religioso, se repete em todo o país
O Colégio Estadual Augusto Meyer, de Esteio (RS), permitiu que um aluno ateu do 1º grau se ‘desmatriculasse’ das aulas de religião.

O estabelecimento tomou essa decisão após ter recebido da Atea (Associação de Ateus e Agnósticos do Brasil) um ofício comunicando que o ensino religioso é facultativo e que o aluno estava sofrendo bullying por parte de seus colegas e da professora de religião. Riram do jovem na sala de aula por ele não acreditar em Deus.

Esteio tem uma população de aproximadamente 80.000 pessoas e fica a 19,7 km de Porto Alegre.

Este site enviou por e-mail para o colégio pedido de maiores informações e que também apresentasse a sua versão do caso. Até agora não houve resposta. A diretora do estabelecimento é Nara Machado.

A Atea tinha avisado o colégio de que, se o ateu continuasse a ser obrigado a ter aulas de ensino religioso, ela ia tomar as medidas administrativas e judiciais cabíveis.

O que ocorreu em Esteio não é caso isolado. Muitas outras escolas impõem o ensino religioso (que geralmente não passa de proselitismo católico) a estudantes ateus, que preferem suportá-lo a ter de enfrentar toda uma cadeia administrativa escolar que acredita que a religião é essencial para a formação do caráter dos jovens.





Com informação da Atea.

Atea pede a colégio de Esteio que impeça bullying a aluno ateu
18 março de 2013

Comentários

  1. É isso ai. Quer ter religião, tenha, mas não venha impor aos outros.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns à ATEA.

    O encerramento da matéria é matador, lembrando que é mais fácil fingir ter fé do que manifestar a verdade.

    É justamente por isto alguns fazem paralelo entre ser gay e ser ateu: É mais fácil fingir que não se é do que enfrentar a intolerância - ou no caso supracitado, ainda mais a burocracia escolar.

    ResponderExcluir
  3. Isso nem deveria ser necessário, já que em escolas públicas o ensino religioso é de matrícula e frequência facultativas, não tem como a escola obrigar e,se fizer, está sujeita a responder judicialmente inclusive. Minhas filhas sempre estudaram em escolas públicas e jamais frequentaram aulas de ensino religioso. Além disso, exigi que a escola oferecesse outra atividade educativa em substituição e, não havendo possibilidade, que elas fossem dispensadas. Por isso, inclusive, informei que iria procurar o Ministério Público, caso as aulas fossem programadas fora do primeiro o último horário, pois se elas não tivessem atividade alternativa, teriam que poder entrar mais tarde ou sair mais cedo no respectivo dia. Não se pode deixar passar, de forma nenhuma esse tipo de arbitrariedade e ilegalidade.

    ResponderExcluir
  4. Quando eu frenquenta primeiro grau havia aula de ensino religioso (leia-se proselitismo católico) eu era católico mas me encomodava o fato de toda vez que a professora ia rezar a Ave Maria ela pedia os evangélicos para fazer suas proprias orações.
    Eu seria a favor de ensino religioso na escola se fosse para ensinar ou demonstrar que no mundo não existe um único pensamento, que existe o islã por exemplo e até sobre ateus. Talvez diminuísse o preconceito entre religiões.

    ResponderExcluir
  5. Olha aí a importância da ATEA. E tem gente que só reclama...
    Parabéns à ATEA pela ação e que isso fique de exemplo pra todas as escolas do Brasil e a qualquer aluno que não queira ter essas aulas: que saibam que eles não são obrigados e lutem por seus direitos.

    ResponderExcluir
  6. Estudei em colégio católico..sei bem o que é isso

    ResponderExcluir
  7. É como o criminoso perdir perdão a familia da vítima, né?
    Fizeram o mal.
    Por que não cumpriram a Lei?
    Punição.
    Afinal, cristãos dizem que você precisa necessariamente pedir perdão a Deus antes de morrer, se você morrer e aí ver que existe Deus não poderá mais pedir perdão.
    O Ser chamado Deus, todo poderoso e puro amor, te enfiará no inferno, te punirá eternamente, e não te perdoará jamais.
    Tem que ser em vida e ponto final.
    Então basta desmatricular e fica tudo na boa?
    Depois do bullying feito?
    Tem um palestrante na internet que diz que não existe ateu, que quer desligar as turbinas de um avião cheio de ateu e ver se não chamaremos por Deus.
    Quando a água chega na bunda, tentam voltar atrás.
    Então agora é Ministério Público neles e pedir que rezem.
    Quem sabem escapam da punição pela humilhação a criança.
    Facistas!
    Junior

    ResponderExcluir
  8. A ATEA precisa sim do nosso apoio, para continuar com ações como essa.
    Divulguem, associem-se!
    E se puderem doar dinheiro, façam isso!
    Não é errado uma associação organizada ser financiada por seus apoiadores... A ATEA não vende milagres, ilusões; essa é a diferença.

    ResponderExcluir
  9. No meu tempo aula de religião era nota 10 garantida.. vc podia escreve QUALQUER asneira q o professor era obrigado a te dar 10.. perda de tempo mas deixava o boletim bonito.

    ResponderExcluir
  10. Que lei o que. Aqui no Rio d Janeiro o governo esta fazendo concurso pra contratacao de professores d religiao. fiquei pensando q tipo d religiao q vao ensinar e abri o edital. o professor deve ter: * Credenciamento emitido pela Autoridade Religiosa competente dos Credos credenciados na Secretaria Estadual de Educação até a publicação deste edital: Católico, Evangélico, Judaico, Espírita, Umbandista, Messiânico, Mórmon e Islâmico. Dai o professor vai dar aula so de uma religiao, provavelmente, porque vai muito provavelmente ser certificado so por uma igreja. E isso quem vai pagar sou eu e você. sai do nosso bolso porque e pra escolas publicas. aqui vai o link

    http://concursos.smartwaydev.com.br/Concurso/DadosConcurso?id=2

    ResponderExcluir
  11. Quanta frescura! Vai doer o dedinho se ele assistir 50 minutos de aula de religião. E o que ele vai fazer durante esse tempo? Ficar no facebook?
    Cada uma que aparece!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São 50 minutos por semana, junta isso num perído de um ano letivo e terá um tempão perdido escutando e tendo que fazer tarefas que a ele serão inúteis. E francamente não tem a ver só com o tempo, trata-se de fazer valer a Constituição que determinada o ensino facultativo desse ensino.

      Pessoas como voc~e são do tipo conformista que não fazem nada para melhorar. Se todos fossem como tu, deixando esses "detalhes" bobos de lado, ainda estaríamos com o pensamento da Idade Média, se liga cara.

      Excluir
    2. Me diga meu caro crentelho, se te colocassem para assistir aulas sobre as religiões afro, você iria ficar quietinho ou iria espernear como seus iguais fazem?

      No mais escola não deve ter aula de religião e se tiver que tenha sobre todas.

      Excluir
    3. Anônimo20 de março de 2013 07:23
      ( Quanta frescura! Vai doer o dedinho se ele assistir 50 minutos de aula de religião. E o que ele vai fazer durante esse tempo? Ficar no facebook?
      Cada uma que aparece!!! ) vc aceitaria participar de uma aula de religião que , ensinasse sobre a kimbanda negra ? poq só o cristianismo ( protestante e católico ) tem vez ?

      Excluir
    4. O dedinho não vai doer. Já o cérebro vai ficar com danos irreparáveis. Você que o diga.

      Excluir
    5. 50 minutos de ensino religioso são 50 minutos perdidos na vida. Poder-se-ia usar este tempo para aprender Matemática, História, Química, Biologia etc. Até dormir por 50 minutos é mais produtivo para o ser humano do que ouvir ladainhas bíblicas.

      Excluir
    6. Num país com o atraso científico e tecnológico do Brasil, 50 minutos é tempo DEMAIS! Sem falar que o estado é laico.

      Excluir
  12. Atitude completamente aprovada, afinal..., cada um com suas limitações e incapacidades!!! kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você como sempre defendendo a obrigatoriedade da sociedade a se curvar diante de uma religião, àquela que você diz crer. Insiste em não entender o estado laico e a opção das pessoas a não quererem ser iguais, até porquê não são, nem mesmo no que tange os genes.

      Você defende a ferro e fogo sua igreja e crença a ponto de tapar os olhos para qualquer aspecto ou situação que esteja contra ela(s), simplesmente sem saber a real causa disso. Mas não me surprende, pois pelos seus comentários que li só mostra o quão prepotente é. Um dia sua crença ainda trará lhe algum problema, aí eu quero ver você defendê-la.

      Excluir
    2. Pois... ninguém sabe melhor do que você sobre limitações e incapacidades, não, Salamandra? Você é o que chamamos em Engenharia de protótipo.

      Excluir
    3. "Atitude completamente aprovada, afinal..., cada um com suas limitações e incapacidades!!! kkkkkkkk"

      Principalmente a sua, né? É bem grave...

      Excluir
    4. E esse estrupício da Salamandra se diz pedagoga. Francamente!

      Com essa linha de pensamento intolerante e retrógrada, ela é uma vergonha para a pedagogia.

      Excluir
    5. Ela é uma vergonha pra especie humana, michelle

      Excluir
    6. Anônimo (21 de março de 2013 09:00)

      Com certeza! É numa hora dessas que eu gostaria que o arrebatamento fosse verdade. Aí ela seria arrebatada de corpo e alma, sem roupas para bem longe daqui...lá no paraíso. lol

      Excluir
  13. Eu estudei 4 anos em colégio CATÓLICO e tinhamos apenas uma aula por semana de 50 minutos chamada Conselho, nela a coordenadora da turma fazia reunião para ver como a turma estava, dava espaço para quem quisesse pegar livros na biblioteca, conversávamos sobre temas de cidadania e bem de vez enquando espiritualidade. Teve um ano que essa aula passou a ser chamada de religião, porém na prática não ficávamos expostos a puro proselitismo católico, tinhamos uma visão bem maior em relação a espirutualidade em geral, falávamos de emoções e falávamos também sobre várias crenças...quase nunca nada de dogmas ou coisas de bíblia. Para se ver, e agora justo o contrário sendo feito em colégio público (nem sabia que ofereciam religião neles), dá para entender?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. _Estudei em Colégio da Rede Particular de Ensino(Católico) e a prática que vivíamos nestas aulas, condiz com a prática vivida pelo Caio. Nem eu nem ele, morremos por conta disso!
      _O que vejo é que nos dias atuais, as pessoas são individualistas e soberbas ao extremo; isso faz de muitas..., geladas e voltadas para seus interesses, colocando-se acima do que é capaz de fazer a diferença para si. Ao invés disso, preocupam-se com mesquinharias, com o que outros fizeram ou deixaram de fazer.

      Excluir
    2. Salamandra,

      >> "O que vejo é que nos dias atuais, as pessoas são individualistas e soberbas ao extremo; isso faz de muitas..., geladas e voltadas para seus interesses, colocando-se acima do que é capaz de fazer a diferença para si. Ao invés disso, preocupam-se com mesquinharias, com o que outros fizeram ou deixaram de fazer."

      E a hipocrisia de novo! Leia isso de novo e dessa vez se olhando no espelho, querida Lagartixa.

      Excluir


  14. A Escola viram antros de evangélicos, ou seja, estão transformando as escolas em igrejas. O Brasil tá louco?

    ResponderExcluir
  15. Como já falei aqui muiats vezes: a casa dos crentes está caindo.

    É só uma questão de tempo.

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site