‘Minha aluna TJ morreu por recusar transfusão de sangue’



"Na última hora, ela
 decidiu aceitar a
transfusão,

 mas já era tarde"

por Jerry Guimarães

Ainda estou... Nem sei dizer como estou me sentindo.

Na semana retrasada morreu uma aluna minha do 2º ano do ensino médio, em Maracás [Bahia], cidade de meus vivos e meus mortos, onde fui TJ e onde atualmente sou professor da rede estadual de ensino. Eu não havia ido trabalhar, pois estava de atestado médico. Minha otite periódica, para variar.

Só quando voltei ao trabalho, na semana passada, fiquei sabendo do ocorrido. Como tenho cerca de quinhentos alunos, não pude me lembrar de cara de quem se tratava. Fui até a secretaria consultar os documentos dos alunos, para ver uma foto sua, mas a responsável não estava. Voltei então para a cidade onde moro, Vitória da Conquista, onde estou agora.

Marcaram-me numa foto no Facebook. Fui verificar o que era, e lá estava a foto que procurei e não encontrei. Não entendi quando vi a foto da aluna que, enfim, reconheci. Mas eu não havia ainda ligado a foto ao fato.

Cristãos da cidade estão indignados pelo fato de ela ter morrido por haver se recusado a receber transfusão de sangue. Foi um golpe seco no meu estômago. Ali estava, enfim, a foto da aluna. Lembrei-me de como ela era participativa. Tinha alguma dificuldade de aprendizagem, mas se esforçava muito. Batíamos papo antes e após as aulas.

Certamente ela deveria saber que eu sou ex-TJ. Quando fui dar aula lá, pela primeira vez, anos atrás, os alunos TJs da escola se reuniram com o corpo de anciãos para discutir como deveriam se portar na aula de um apóstata. Mas, apesar disso, ela nunca deixou de ser simpática comigo.

Para me deixar ainda mais tonto, soube que ela, na última hora, decidiu aceitar a transfusão de sangue. Mas já era tarde. Ela morreu. Do ponto-de-vista legalista e hipócrita da Torre, morreu fraquejando na fé. Dissociando-se. O pior de tudo é saber que, se ela fosse búlgara, não haveria problema nenhum. Não precisaria ter protelado tanto a transfusão.

Imagino toda a aflição mental, além da física, pela qual ela passou. Ela tinha uma esperança. Mas a última esperança foi a de viver. Aqui e agora. Ela quis viver. Ela disse não à Torre. Mas já era tarde.

Eu queria que minha aluna fosse búlgara.

[Nota do blog: As Testemunhas de Jeová da Bulgária permitem que os fiéis recebam a transfusão.]

Este texto foi publicado originalmente no fórum Ex-Testemunhas de Jeová.



Vídeo flagra TJs pregando repúdio entre pais e filhos

Comentários

Mordredis disse…
Que história triste... Apesar de liberal, acho que a vida é um bem maior que a liberdade religiosa.

O MP deveria responsabilizar os pais dela por isso, responsáveis legais que certamente influenciaram o impedimento da transfusão.
Stéphano disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Yuri Paes disse…
Realmente muito triste e um exemplo de como a religião pode prejudicar a vida do cidadão, mas não acho que ninguem deva ser responsabilizado pois foi escolha livre dela e liberdade individual é algo muito importante, infelizmente ela mudou de ideia tarde de mais e é a unica culpada de sua propria morte.
Mordredis disse…
Mas se "liberdade individual é algo muito importante", então a eutanásia tinha que ser liberada.

O que estou querendo dizer com minha comparação é que o Estado Brasileiro protege o bem "Vida" [por isso o impedimento da prática de eutanásia]. Porém, a ortotanásia está sendo liberada aos poucos no país. Acho que esse caso bizarramente a meu ver fica entre os dois.

Eu não sou a favor de pais decidindo a vida ou morte da filha [outro ser humano que não eles] com base em valores religiosos e morais. Como eu disse, é um duelo de prícipios constitucionais - de um lado a defesa da vida; do outro a liberdade religiosa.

Como são os pais os reponsáveis, utilizando a liberdade religiosa para "matar a filha" - sim, eu acho que eles são responsáveis pela morte dela, sendo uma omissão deles em protegê-la, mesmo que a norma brasileira dê esse direito a eles - eu acredito que o Estado deveria interferir nessa liberdade em virtude desse conflito de princípios, para proteger o bem que é mais importante: a vida.
mais uma das maravilhas que a religião provoca. Sou ateu agnóstico. Não me importa o credo de qualquer pessoa. O que me chateia é ver isso acontecer. Uma pessoa morrer pois um dogma imbecil tirou uma possibilidade de viver.

O estado deveria sim limitar a liberdade religiosa para este tipo de dogma q mata uma pessoa por se recusar a fazer um bem cientifico q poderia salvar-lhe a vida!

Refletindo sempre nestes temas! saúde e paz a todos!
Anônimo disse…
Olha, não tem muito o que dizer. Ela não quis fazer transfusão, depois quis... mas já era tarde!
Triste, sem dúvida, mas não dá pra condenar ninguém nessa história.

Winston Smith
Anônimo disse…
Os colegas comentaristas que são contra liberdade religiosa nesses casos por violar o direito a vida, também devem ser contra a legalização do aborto em casos de estupro ou no caso do feto ser anencéfalo. Ou não?
Vejam que não quero provocar ninguém, apenas mostrar o quão complexo este tema "direito a vida" é.

Winston Smith
Regis disse…
Somente uma correção no texto de meu amigo Jerry que é ex TJ como eu. É sobre as TJs da Bulgária. Lá nada é diferente do que acontece no resto do mundo com os membros da seita que aceitam algum componente não permitido do sangue (alguns são) O que aconteceu na Bulgária foi um acordo com o qual a seita se comprometia a não mais impor algum tipo de punição a membro da seita por questão das transfusões de sangue, era um requisito humanitário que a Bulgária exigia para a seita ser reconhecida oficialmente no país. A TJs aceitaram o acordo de não punir e assinaram documento da comissão Européia dos direitos Humanos para isso, mas nos bastidores da seita bolaram uma forma cruel de driblar isso. Simples, a organização não punia mais as pessoas pois ação delas indicava que elas deixaram de ser TJs. Então as TJs no mundo inteiro pararam de ter comissões judicativas (julgamentos em tribunais inquisitórios) em caso de aceitarem transfusões, para serem consideradas "dissociadas" (nenhum parente ou amigo pode ter contato com quem deixa a seita por conta própria a mesma punição de quem é expulso), pois pela sua ação a pessoa "demonstra" que quis deixar as testemunhas de Jeová. É um truque de punir mas culpar a própria pessoa e não a organização. Esta nova orientação veio na carta especial para membros da COLIH ("Comissão de ligação com hospitais" formada apenas por alguns anciãos especiais) de 16 de Junho de 2000. Na Bulgária e no resto do mundo as TJs que aceitam transfusão de algum componente proibido do sangue é considerada então fora das TJs por opção, ou seja aparentemente sem sanção da organização religiosa como se comprometeram com o órgão da ONU no caso Bulgária.

Ps: Os componentes atualmente proibidos do sangue são: Hemácias (a hemoglobina pode), plaquetas, leucócitos, o plasma completo (separado pode os muitos componentes).
As TJs também não podem doar sangue embora possam receber componentes do sangue permitidos dos quais requerem muitas doações como fatores de coagulação, albumina (antes não podia ela), soros antiofídicos, antitoxinas e outras proteínas diversas do sangue.

Lhe parece incoerente?
Para as testemunhas de Jeová nem um pouco.
Kelly Nogueira disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse…
O cara que escreveu isso exagerou no drama eim.....
Anônimo disse…
essa questão de direito a vida vai de cada um. agora pessoas que saíram de um religiao e ficar criticando depois ja acho demais. apenas saia e fique calado assim como muitos que nao querem mais e saem e continuam a vida sem ter que menosprezar os outros. logo alguem que sabe a base biblica para tudo isso, mas se vc nao tinha fé nas promessas e não soube ser leal, nao critique quem ainda consegue manter a lealdade a cada dia.
Regis disse…
Anônimo18 de outubro de 2012 23:45 Ou talvez essa realidade seja muito distante da tua para sentir empatia. Ou pior, você poderia ser uma testemunha de Jeová fria, fanática e achar que isso é um drama exagerado visto que depois deus vai recompensar ela com o paraíso. De qualquer forma a dor da perda não pode ser divida ou até verdadeiramente expressada.
Regis disse…
Não é que era a segunda opção mesmo. O que todo TJ fanático deseja em sua cegueira é que ex testemunhas de Jeová se calem. Não, meu caro censurador, não mesmo.
Anônimo disse…
Que comparação non sense!

Sou a favor da regulamentação do aborto fetal.
Sou contra a regulamentação do suicídio induzido pela religião a uma pessoa socialmente concebida.
Anônimo disse…
Claro, transfusão de sangue é uma coisa abominável não é?, é melhor morrer do que ficar mal aos olhos de deus.

Tenho um amigo TJ e ele já me disse que se precisasse de transfusão faria sim, pois como ele me falou " A vida é mais importante".



Anônimo disse…
Fanáticos chegando em peso por aqui.

Se a pessoa deve ficar calada após sair, logo, então que os atuais seguidores fiquem calados e jamais abram a boca para atrair quem quer que seja para participar de sua religião.

Justiça é bom e eu gosto!
Anônimo disse…
Regis, pior é ver que falam de um jeito como se a menina fosse certa por escolher morrer, claro que a vida era dela, mas morrer por causa de um dogma religioso é algo revoltante, pior é saber que no fim ela escolheu viver mas já era tarde demais.
Anônimo disse…
Eu estou feliz um crente a menos no mundo , podiam todos ter uma doença que fizessem eles precisar de transfusão de sangue pra morrer tudo. Pensem bem está moça morreu e não vai passar a doença religiosa dela pra ninguém , ele nunca vai ter um filho uma filha pra criar como um alienigena proibindo o coitadinho de ter uma vida social normal ou uma inofensiva festinha de aniversario pois quem não é testemunha de jeova é mundano e testemunha de jeova não mistura com mundanos, Bem feito já foi tarde..
Anônimo disse…
Se os que saem devem ficar calados, então os que ficam também devem se calar, inclusive no sentindo de fazer novos convertidos!

Não precisa ser um gênio para concordar com um senso de justiça tão simples como esse.
Anônimo disse…
Não se pode ficar feliz com uma morte só por causa da religião da pessoa, se ela tivesse sobrevivido como dito no texto do Regis, ela seria considerada como se expulsa, com isso ela podia até abrir os olhos e se desligar de vez disso tudo, mas nem essa chance ela teve.
Anônimo disse…
Na bulgaria as testemunha de jeova podem fazer transfusão por causa de um acordão que eles fizeram com as políticas daquele país.
Anônimo disse…
Além de fanática é covarde demais para manter a palavra. Provavelmente ela tem vergonha dos ensinamentos do "Jeová", por isso apagou o comentário arrogante que defendia o dogma do "Deus" dela.
Anônimo disse…
Falam isso por que não aconteceu com eles, se fosse um deles ou um familiar ai eu queria ver.
Anônimo disse…
Feliz se ela sobrevive ela iria fazer mais um monte de vítimas durante a vida dela, então antes ela morrer agora do que levar mais um monte com ela e outra morrer todo mundo vai morrer , então pessoas propensas a causar desgraças na vida dos outros é melhor que morram cedo mesmo.
Anônimo disse…
Se o governo brasileiro proibisse esse tipo de indução religiosa ao suicídio, muitas crianças que são REFÉNS de suas famílias fanáticas teriam sua vidas poupadas, além de não sofrerem condenação e exclusão por parte dos outros fanáticos, já que ela estaria apenas cumprindo a lei do estado.
Anônimo disse…
Tudo vale em nome dos valores religiosos, mesmo que um jovem esteja sofrendo forte pressão psicológica por parte de todo o seu círculo social e familiar para renunciar a própria vida, não é?

Por acaso, tu é parente do Willian Papp, é?
Regis disse…
A loucura é que o fanático jamais se acha fanático, eu era assim também. Vemos tantas noticias de radicais muçulmanos tentando calar pessoas até sob ameaças de morte e mesmo assim uma TJ que fala isso não percebe o claro paralelo.
Um se explode com uma bomba, outro sangra até morrer, todos em nome de seu deus. E ainda nos querem calar.
Claro, no fundo sabem que são ridículos.
Regis disse…
Exatamente. O medo de perder os pais, os amigos, ficar isolado de seu grupo quando é o único que tem por conta de ser TJ e não poder ter muito contato com quem é de fora, força a morte.
E não somente isso, tem a lavagem cerebral de anos, que inculca que a pessoa que recebe certos componentes do sangue é rejeitada por Jeová o "misericordioso". Isso também é devastador para quem acredita. Muitos que saem das TJs acabam cometendo suicídio por conta da opressão mental que sofrem e o abandono.
Fui criada na tj e nao gostei ,eles pregavao um Deus tao ditador que eu tinha pavor de Deus. So eles vao para o ceu, nao podemos comemora nemhum tipo de festas mas eles podem beber bebida alcolica. Pena dessa moça que nao soube questiona e ter opiniao propria igual a mim.
Izael Nascimento disse…
Mordredis.

Concordo plenamente, o Ministerio Publico precisa fazer alguma coisa. existem situação em que a religiosidade no brasil, não fica muito longe da religião idolatriaa religiosa, em que vivem os seguidores do Islã. O fuxico gospel
Anônimo disse…
Não só os pais, mas essa igreja devia ser responsabilizada. Até quando veremos essa complacência para com as religiões e suas sandices?
Anônimo disse…
Acho ótimo. Um TJ a menos e um mundo um pouquinho mais melhorado.
Regis Olivetti disse…
Fico muito feliz de você ser um ex TJ. Está caminhando para a razão - agnosticismo ou ateísmo. Parabéns.
Anônimo disse…
Para esse caso não poderia ser usado um tratamento alternativo à transfusão? Ou há casos em que somente a transfusão é viável?
Anônimo disse…
A religião ainda continua ceifando vidas gratuitamente e precocemente, através da fé cega.A vida é muito mais importante do que qualquer coisa,não tem preço,além disso, é única,morreu já era.
Warner disse…
Sim a defesa da vida em primeiro lugar, impedimento a esta providencia, deveria ser crime.
Preceitos mofados de tão antiquados ainda fazendo vitimas.
Anônimo disse…
História super tendenciosa e enganosa.

Não havia e não há nenhuma garantia que se ela tivesse tomado a transfusão estivesse viva. E também não há provas de que foi a falta da transfusão que causou a morte.

Milhares de pessoas morrem todos os anos mesmo depois de tomar a transfusão e há estatísticas que demonstram que na verdade é a transfusão de sangue que causa muitas mortes além de causar muitas doenças.


Anônimo disse…
Garantia de deus para salvá-la é que não houve mesmo, não é? A transfusão seria uma chance real, lógica e indicada.
Francisco Neto disse…
Se você perde muito sangue, qual seria a outra opção ????
Anônimo disse…
Foi bom mesmo ela ter morrido ,se ela sobrevive aceitando a transfusão ela iria ser repudiada pela propria familia, e a dor e o sofrimento dela seria pior, as tjs causam a morte social de seus ex adeptos, maldito deus que não existe, malditos filhos da put*, que causam até hoje sofrimento as pessoas por causa de um deus sadico de um povo primitivo.
Fabiano disse…
Não era uma notícia, mas um relato. Ele escreve como quiser, oras. Era uma pessoa e ele teve empatia com ela. Ponto.
Anônimo disse…
Comer muita beterraba?
Anônimo disse…
Esse winston parece um crentola. Totalmente incoerente o comentario.
Willian Papp disse…
A lei garante a liberdade de crença e consciência. Não são coisas iguais. A liberdade de consciência precede à de crença, afinal, cada qual escolhe a sua crença de acordo com sua consciência. A consciência é o filtro pelo qual vemos o mundo. É ela quem nos guia pela vida. É através dela que fazemos os nossos julgamentos e tomamos as nossas decisões.

No presente caso, temos o conflito entre as consciências do médico e da paciente. Ao médico, somem-se, ainda, as obrigações pertinentes ao seu ofício.

Penso que a função do médico é a de salvar vidas. Penso que a vida é mais importante que a consciência. Mortos não têm consciência.

Para haver consciência é necessário haver vida.
Andre Delai disse…
"...é a transfusão de sangue que causa muitas mortes além de causar muitas doenças." Só podia ser anônimo pra postar uma bosta dessas. Infelizmente acefalia não possui cura conhecida.
Anônimo disse…
Nenhuma religião tem o direito de impor obrigação de nada a ninguém. quem quer seguir que o faca de livre e espontânea vontade.
Nika Pinika disse…
Uai, gente. Se o anonimo acima acha que a transfusão mais atrapalha do que ajuda, ótimo. Sobra mais pra quem precisa e não acha isso. Agora, vamos torcer para que ele mantenha sua opinião até o final.
Nika Pinika disse…
Não sabia que não pode mais haver contato de um TJ com alguem que abandonou a religião...
Ou seja: não existe a tentativa de trazer de volta a ovelha desgarrada. Pelo menos, não perturbam mais a pessoa tentando reconverte-la, né?
satanás disse…
quem manda ser retardado. doou os órgãos?
Anônimo disse…
Eu fui T.J por 8 ou mais anos. Eles conseguem realizar esta doutrina por meio do mesmo compêndio de livros biblicos que as trocentas religiões da cristandade utiliza, baseia-se. Mostram o quanto o Deus criador primazia tal lei em forma de doutrina, regra de que o ser humano -universalmente- tenha de ter em mente e obedecer. Logo que Noé e sua família haviam saído daquela Arca, a dar continuedade de suas vidas pós dilùvio, receberam a ordem divina de que não deveriam ingerir alimento algum com seu sangue, o tal, deveria ser descartado. Este comando de Deus dera-se antes das leis mosaicas, ok. Durante as leis mosaicas, sim, tal mando foi incluido sem sombra de dúvidas. Nos dias dos 'escritos' do livro de Atos temos uns 2 textos bíblicos que ressaltam de que esta proibição -não aceitação de Deus- mantinha-se válida. Conclusão: os T.J não têm culpa de serem mais fidedignos e corretamente a 'dançar a música' que propriamente vem por som da mesmíssima literatura Sagrada que a dos demais.
Anônimo disse…
DIAXO, se eu fosse médico não interessaria o diabo da religião, eu enfiava sangue na veia da criatura se fosse necessário inclusive prendendo na cama e afastando os parentes crentes malucos e que se lasquem as consequências, pois meu papel como médico acima de tudo seria preservar vidas!
CAMARGO disse…
Ateu Agnóstico???? kkkkk
Acho que o Sr: está equivocado...
Ou se é Ateu (não existe) ou se é Agnóstico (nem sim, nem não), mas os 2 juntos NUNCA...
..................
CAMARGO

Curitibanos - SC
CAMARGO disse…
Sou a favor da ciência, vocês crentes em geral criticam sempre a ciência, mas quando estão e apuros, recorrem a ela sem remorsos...(medicina principalmente)...
..............................................
Tenho um vizinho Jeová, que reza, faz aquelas visitas enfadonhas, etc, mas que trata mal os animais, sua mãe, e que recentemente teve que fazer uma cirurgia cardíaca e "graças" a ciência e não a deuses fajutos, está vivo e recuperado, mas que por crendice, se recusou a receber transfusão de sangue porque sua bíblia proíbe...quanta ignorância, pois recebeu uma válvula de "bicho" inferior (porco) e para não morrer, os médicos tiveram que entrar na justiça contra a família para poder fazer as transfusões porque somente o plasma e outros componentes não seriam sufucientes para a sua recuperação cirúrgica....
................................................
Essa crendice vem dos judeus que não aceitavam sangue, frutos do mar e suínos....kkkk
..............................
Só falta agora ele comer ums camarões para festejar sua vida....que absurdo...mas se fosse seguir sua fé, estaria morto, ou como diz: "do pó viestes e ao pó voltarás"....
...................................
Não queremos saber suas opiniões e argumentos contra os ateus, só queremos ter nosso espaço de questionar e conversar...
è por causa dessas religiões, que muitas guerras aconteceram e acontecem, muitas mortes e muita dor é causada em nome de deus e das religiões...
....................................
CAMARGO

Curitibanos - SC
CAMARGO disse…
Crentelho DETECTED!!!
.............................................
Sou a favor da ciência, vocês crentes em geral criticam sempre a ciência, mas quando estão e apuros, recorrem a ela sem remorsos...(medicina principalmente)...
..............................................
Tenho um vizinho Jeová, que reza, faz aquelas visitas enfadonhas, etc, mas que trata mal os animais, sua mãe, e que recentemente teve que fazer uma cirurgia cardíaca e "graças" a ciência e não a deuses fajutos, está vivo e recuperado, mas que por crendice, se recusou a receber transfusão de sangue porque sua bíblia proíbe...quanta ignorância, pois recebeu uma válvula de "bicho" inferior (porco) e para não morrer, os médicos tiveram que entrar na justiça contra a família para poder fazer as transfusões porque somente o plasma e outros componentes não seriam sufucientes para a sua recuperação cirúrgica....
................................................
Essa crendice vem dos judeus que não aceitavam sangue, frutos do mar e suínos....kkkk
..............................
Só falta agora ele comer ums camarões para festejar sua vida....que absurdo...mas se fosse seguir sua fé, estaria morto, ou como diz: "do pó viestes e ao pó voltarás"....
...................................
Não queremos saber suas opiniões e argumentos contra os ateus, só queremos ter nosso espaço de questionar e conversar...
è por causa dessas religiões, que muitas guerras aconteceram e acontecem, muitas mortes e muita dor é causada em nome de deus e das religiões...
....................................
CAMARGO

Curitibanos - SC
Anônimo disse…
Andre Delai e Nika Pinika:

Médicos questionam benefícios da transfusão de sangue
Link abaixo:
http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=medicos-questionam-beneficios-da-transfusao-de-sangue&id=3242

E há centenas de artigos como esse em inglês na Internet é só procurar.

Agora Andre Delai, quem sofre de acefalia mesmo?
Anônimo disse…
Francisco Neto, como sabe que ela perdeu MUITO sangue? Onde diz isso?
Existem tratamentos alternativos à tranfusão, mas não sei até que ponto são viáveis ou eficazes em x ou y casos e a isso se referiu a pergunta.
Ao que parece, alguns TJs que a acompanhavam no hospital certificaram-se até o final de que ela não receberia sangue, mas não certificaram-se de um tratamento alternativo, por que?
Ela ainda não era batizada, era apenas uma publicadora não-batizada e aparentemente foi convencida por sua instrutora de estudo a não receber sangue e a interromper as transfusões que já vinha fazendo. Enfim, não sei de detalhes da história, mas queria ter maiores esclarecimentos em relação à postura covarde adotada pelos TJs que sabiam do caso.
Anônimo disse…
Pior é que provavelmente seria isso que iria acontecer. Ainda bem que me afastei da Torre, mesmo depois de batizado.
Anônimo disse…
Sou da cidade desta menina. Algumas informações sobre o caso para derrubar argumentos de TJs pseudosábias:
1. Não era uma TJ batizada, mas uma estudante havia 4 meses. Ela era uma jovem adulta, de vinte e poucos anos;
2. Ela tinha um problema de saúde e precisava de transfusão de sangue regular havia anos;
3. A instrutora bíblica das TJs convenceu-a de que deveria descontinuar o tratamento, por ser pecado;
4. A instrutora ajudou-a a redigir um documento (porque as TJs batizadas têm um documento próprio) recusando transfusões, mesmo que ela estivesse inconsciente, impossibilitando a intervenção de familiares;
5. Depois de muita conversa, os médicos a convenceram. Ela voltou atrás, mas já era tarde.
Anônimo disse…
Agora sobre a questão de a transfusão salvar ou não a vida é muito difícil responder. Só sei que a moça viveu muitos anos com o tratamento a base de transfusões. No momento que descontinuou em virtude da porca lavagem cerebral que fizeram nela e em você também, ela morreu. Mas já que você está aqui defendendo a Torre por que não comenta o fato de que, na Bulgária, a transfusão de sangue é aceita pelas TJs? Ou é mentira? Por que não pesquisa? Ah! Esqueci, o Porco Governante diz para você não ficar pesquisando sites que falem contra a doutrina. Espertinho: você nunca se perguntou o que eles estão escondendo de você?
Anônimo disse…
Resposta ao Anônimo23 de outubro de 2012 11:44

A VERDADE é que há muita evidência que as transfusões de sangue matam mais do que salvam, pois podem causar centenas de doenças.

Se é verdade que essa moça dependia de um tratamento que envolvia transfusões regulares, então é obvio que já estava perto da morte mesmo, pois pessoas que dependem desse tipo de tratamento tem a expectativa de vida curtíssima, e se ela não morresse por complicações de sua doença, certamente morreria em breve por causa do excesso de transfusões.

Baseado no acima posso afirmar que:
NÃO PODE SER PROVADO que a falta de transfusão de sangue matou essa moça.


Anônimo disse…
Resposta ao Anônimo23 de outubro de 2012 18:21

Você está treinado para dar a mesma resposta sempre. Preste bastante atenção, amigo: ela viveu "anos", "anos".... "anos" tomando transfusões.
Morreu ao recusar "uma só", "uma só", "uma só" transfusão. Você ainda acha que ela não sobreviveria se tomasse a transfusão que vinha tomando a "anos"?
Por quando tempo ela iria sobreviver ao tratamento?! Isso importa? Se os médicos simplesmente conseguem aumentar a sobre-vida de alguém, se conseguem adiar, um dia, uma semana, um mês ou 20 anos a morte de alguém (com qualidade de vida) isso já não é alguma coisa?
Ah, não!
O importante é morrer logo para garantir o seu espaço no novo mundo de Deus, Jeová, onde todos serão felizes e não haverá morte, doenças e nenhum tipo de sofrimento.
Um lugar onde até animais carnívoros se tornarão herbívoros para que nenhum mal seja feito!!
Essa pessoa morreu por isso. E você acha legal.
Eu NÃO gosto da morte, por idealismo nenhum, muito menos por uma fantasia criada por um monte de insanos (moradores de Nova York) que ficam ditando interpretações bíblicas equivocadas numa revistinha pé-de-chinelo.
E você se acha intelectual.
Você acha que os médicos pensam isso? Por que você não faz uma pesquisa de campo? Vá a todos os hospitais que você conhece e pergunte a todos os médicos o que eles acham de sua explicação esdrúxula para o fato que você aceita transfusões de derivados de sangue, mas não de sangue total (isso é bíblico? onde na bíblia fala de frações de sangue?), e que apesar de você aceitar derivados de sangue, você não doa sangue, porque é pecado. Mas não é pecado se aproveitar da doação de alguém, aceitando a fração? Ou você acha que a fração de sangue não vem de sangue, vem do espaço sideral? Cai do céu, como maná? E outra: explique o fato de TJ em alguns países aceitarem transfusão de sangue e no Brasil não! ou é mentira minha?
lenon disse…
eu acho que indenpedente das opinioes acima ela morreu pelo que acreditava em jeova muitos morrem por uso de drogas e bebidas e inprudencia nas estradas e nao vejo vcs que não tem conhecimento nenhum do nosso deus jeova e no que ele guarda para os que se esforçan para conhecelo la postando e comentando asssuntos que desconhecen
Anônimo disse…
não ! sua aluna morreu por problemaas de saúde é por isso que as pessoas morrem problemas de saúde. por que não deixamos de preconceito e falamos de muitos casos (fulano morreu por que tomou sangue.. até contaminado )tenha certeza que a medicina não está na idade da pedra para estar atrasa tendo sangue como ultima saida . informe-se ta !
Anônimo disse…
Boa tarde a todos, sou médico cirurgião vascular. Quando ainda estava na residência de cirurgia geral, recebi na UTI uma paciente de 19 anos com quadro de choque hemorrágico desencadeado após o parto devido a "placenta Acreta" situação em que a placenta não se descola causando hemorragia maciça. Ela chegou acompanhada da mãe TJ que trazia consigo um documento proibindo a transfusão de sangue. Discuti muito com esta mãe tentando convencê-la de que o quadro era muito grave e se ela recebesse sangue talvez tivesse uma chance de sobreviver. Veja bem Anonimo TJ, não tem como haver garantia de que ela sobreviveria com a transfusão mas posso afirmar que era a sua ÚNICA chance. Como era apenas residente entrei em contato com meus superiores e com a direção do hospital para que me autorizasem a transfundir mesmo contra a vontade da família mas eles foram unânimes em me desaconcelhar a fazer isto e ser processado (junto com o hospital) pela família e pela paciente.
A paciente morreu deixando uma filha recem nascida.
Hoje afirmo que nunca mais permitirei que isto aconteça. Pode trazer papel assinado por Jesus Cristo que eu transfundo mesmo. Nunca mais aconteceu. Meu único encontro com esta seita de malucos se deu numa outra situação. Fazia ambulatório de cirurgia vascular pelo SUS e uma paciente que já estava com todos os exames prontos para marcar a cirurgia me trouxe um papel para que eu assinasse garantindo que não faria transfusão de sangue. Como era uma cirurgia eletiva, me recusei a assinar e ainda garanti que se precisasse de sangue eu transfundiria. Foi um rolo danado na cidade mas eu afirmei que estava num direito meu e que ela não era obrigada a operar. Acabou não operando mesmo.