Paquistanês dará US$ 100 mil pela morte do diretor do filme anti-islã

Nakoula Basseley Nakouda
O cineasta Nakouda seria egípcio
cristão copta residente nos EUA 
com atualização

Ghulam Ahmed Bilour, ministro das Ferrovias do Paquistão, anunciou hoje (22) que pagará US$ 100 mil (equivalente a R$ 200 mil) pela morte do diretor do filme anti-islã Innocence of Muslims ("A Inocência dos Muçulmanos").

Agências internacionais, como a Dow Jones, noticiaram que a recompensa estava sendo feita pelo governo. Mas depois Shafqat Khalil, porta-voz do primeiro-ministro Raja Pervez Ashraf, disse que Bilour fez a proposta em seu próprio nome, desvinculando o governo da iniciativa.

Antes, Bilour tinha justificado a recompensa com o argumento de que a “santidade do profeta foi violada” pelo diretor do filme. Ele convidou os integrantes do Taleban e Al-Qaeda a participarem dessa “ação nobre”.

O diretor do Innocence of Muslims é Nakoula Basseley Nakouda (foto), 55, que se apresentou à polícia americana no dia 15 e desapareceu. Ele seria um egípcio cristão copta radicado nos Estados Unidos. No início do levante de muçulmanos contra o filme, divulgou-se que o cineasta seria um americano de origem judaica, o que não se confirmou.

O Paquistão tem mais de 170 milhões de habitantes — a maioria (96%) é muçulmana. É uma república islâmica cujo lema é "Fé, Unidade, Disciplina".

Com informação da Dow Jones, entre outras agências.

Harris critica a covardia moral diante da fúria de muçulmanos.
setembro de 2012

Fanatismo islâmico.

Comentários

  1. O problema vai ser que quem receber a recompensa não poderá mais sair de lá.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa gravissima um governo dando recompensa pra matar um homem e ainda convocando grupos terroristas para dar cabo ao serviço. Eu falo essa gente é perigosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses são os efeitos da religião.
      o mundo seria um lugar melhor se TODAS fossem extintas.

      Excluir
    2. O EUA oferecia quanto por informações ou pela morte de Osama Bin Laden?

      Excluir
    3. Osama bin laden não era o chefe do bando que degolava pessoas fazia vídeos e colocava na internet ??

      Excluir
  3. Eles convocaram a Al-Qaeda. O governo dos EUA viu isso??

    Apoiando desde já a continuação do Afeganistão em terras paquistanesas... Podem devolver pra Índia depois.

    ResponderExcluir
  4. Vi um vídeo do Yuri Grecco (dono do canal EuAteu no Youtube), apesar de não concorda em alguns vídeos dele, ele deu uma opinião que eu de certa forma concordo no ultimo vídeo dele. Já esta mais do que na hora de algum País ou qualquer outra entidade "invadir" aquele País e colocar um pouco de juízo na cabeça desses Muçulmanos, como o Yuri disse, entre por petróleo ou qualquer outra coisa, mas entre. Não me importo da religião continuar existindo, mas essa cultura e essa revolta que esta acontecendo hoje nesses países é inadmissível em pleno século XXI. Onde já se viu condenar uma pessoa a morte apenas porque fez um vídeo expressando sua opinião, pra um bando de fanáticos queimarem embaixadas, matarem pessoas inocentes....enfim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente você, assim como o Paulo Lopes, não concorda com posicionamentos do Yuri como a questão da relação sexual entre adultos e adolescentes, não é mesmo? Afinal, diferente do Paulo Lopes e da Marisa Lobo, o Yuri demonstrou saber a diferença entre infância e adolescência, sabendo o que é um indivíduo pré-púbere e o que é um indivíduo púbere. Sabendo que no Brasil a adolescência só assim é oficialmente classificada dois anos após a classificação da Organização Mundial da Saúde, ou seja, no Brasil só se considera como adolescente a pessoa a partir dos 12 anos de idade, e portanto, não há motivação científica racionalmente secular para proibir o envolvimento afetivo/sexual entre adolescentes e adultos que o queiram mutuamente. É por isso que está em trâmite a correção da atual idade do consentimento, que ainda é 14 anos, para os 12 anos de idade.

      Excluir
    2. Qual a relevância do relacionamento entre adultos e adolescentes e a questão da intervenção no Paquistão?

      Excluir
  5. Um país oferecer recompensa pela morte de um indivíduo que não se encontra em seu território nem é da mesma nacionalidade... não seria um ato de guerra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entao, o governo do Paquistão disse que o tal ministro estava agindo poir conta propria, nao em nome do Paquistão. Acredite se quiser

      Excluir
    2. Tá, então esse ministro foi cassado e preso né?

      Excluir
  6. Lógica muçulmana: alguém os apresenta como sendo violentos e eles tentam matá-lo.

    ResponderExcluir
  7. Notícia errada, quem ofereceu foi um dos ministros do país e o governo já disse que não tem relação com essa oferta. Totalmente mal intencionado esse site hein... ¬¬

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixa de ser alguém do governo. E lá não se precisa de muito pretexto pra sair matando, o fanatismo religioso muçulmano está sempre inflamado e pronto para retaliações que acha necessárias, por mais absurdas e estúpidas que sejam as razões.

      Excluir
    2. Bem intencionado são esse bando de assassinos, né bonequinha Gabriel?

      Excluir
    3. Sinceramente: Essa notícia foi adulterada.

      Porque o dono do blog às vezes manipula as informações eu não sei; mas não é a primeira vez que percebo uma manipulação aqui. Site/blog mal intencionado não merece crédito...

      Parte da notícia real:

      Título: Paquistanês oferece recompensa pela cabeça de produtor de filme anti-Islã

      Por Jibran Ahmad

      PESHAWAR, 22 Set (Reuters) - Um ministro paquistanês ofereceu 100 mil dólares no sábado para qualquer um que matar a pessoa que fez o vídeo online que insulta o Islã, enquanto protestos esporádicos ecoavam por todo o mundo muçulmano.
      "Eu anuncio hoje que vou recompensar com 100 mil dólares qualquer um que matar este blasfemo, este pecador, que disse bobagens sobre o profeta sagrado", disse o ministro das Ferrovias, Ghulam Ahmad Bilour, sob aplausos, em uma entrevista coletiva.
      "Convido os irmãos Talibans e os irmãos da al-Qaeda a se juntarem a mim, nessa missão abençoada."
      Um porta-voz do primeiro-ministro do Paquistão disse que o governo não tinha ligação com a declaração do ministro.

      O resto da matéria está em:

      http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI6173472-EI294,00-Paquistanes+oferece+recompensa+pela+cabeca+de+produtor+de+filme+antiIsla.html

      Paulo Lopes, muitas pessoas aqui leem as informações que você posta, porque confiam no seu blog como fonte de informação verídica. Por favor, não as desaponte...

      Excluir
    4. De acordo com o Estadão, a agência Dow Jones assim noticiou: "Paquistão oferece prêmio pela morte de diretor de filme. Governo do país pagará US$ 100 mil para quem matar o responsável pelo filme considerado anti-islamita." LINK

      Excluir
    5. Obrigado pelo esclarecimento, Paulo Lopes. Vejo que vc reproduziu fielmente a informação.

      Realmente o Estadão afirmou que foi o PAQUISTÃO (o país) que ofereceu esse dinheiro pela cabeça do diretor do filme. Mas é engraçado o fato de que em outra notícia o mesmo Jornal declarou o seguinte:

      "Um porta-voz do primeiro-ministro do Paquistão disse que o governo não tinha ligação com a declaração do ministro."

      Ou seja, o Estadão informa que um porta-voz do primeiro-ministro disse que o GOVERNO nada tem a ver com essa oferta.

      Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,paquistanes-oferece-recompensa-pela-cabeca-de-produtor-de-filme-anti-isla,934377,0.htm

      Agora a pergunta que não quer calar? Afinal de contas, Estadão, foi o governo ou foi apenas um Ministro que ofereceu esse bendito dinheiro? Porque isso faz uma grande diferença...

      O Terra TB disse que o Governo não tem nada a ver com isso... acho que algum funcionário do Estadão confundiu as coisas quando escreveu essa matéria rsrsrsrs

      Excluir
    6. Mais uma:

      "Premiê paquistanês desvincula seu Governo de recompensa de ministro".

      Fonte: http://noticias.terra.com.br/noticias/0,,OI6173694-EI188,00-Premie+paquistanes+desvincula+seu+Governo+de+recompensa+de+ministro.html

      Excluir
    7. Atualizei as informações. Parece ter havido o seguinte: algumas agências acharam que se tratava de uma proposta do governo por ter sido feita por um ministro, o tal de Bilour, que, aliás, malandramente não falou aos jornalistas que era uma iniciativa de cunho pessoal. Com a repercussão da notícia, o governo se manifestou contra o seu ministro. De qualquer forma, na minha avaliação, o episódio reflete a ambiguidade do governo (de coalização) do Paquistão, que tem flertado com os fanáticos muçulmanos.

      Excluir
    8. Huuuuuuum! Bem logo vi que tinha alguma coisa errada. Pesquisei no Google Notícias e de cara apareceram notícias falando que foi uma oferta de um ministro apenas e tal. Por isso achei estranho o título inicial do post e mais estranho ainda o Estadão dizer que foi o governo.

      É, eu sinceramente tb acho que o governo tá gostando dessa história toda... MAS... a gente tem que se basear nos "fatos" né... e por enquanto o "fato" é que foi uma oferta pessoal rsrsrsrsrs

      Excluir
  8. Se alguem do governo chega a esse ponto só mostra a selvageria difundida por esses tipos de religiosos.
    Eu respeito religiões e crenças, mas acima de tudo para mim, está o respeito a cada individuo, a pessoa humana em si.
    No meu ponto de vista o islã é um retrocesso a toda luta feita em prol da republica e da chance de dar o minimo de poder e escolha ao povo.
    A maneira CEGA como parte desses religiosos vem a agir, e isso não é só a respeito dos islamicos, só demonstra o que a falta de discernimento pode ocasionar. Revoltas sem sentido, morte, perseguição (que o diga os catalicos) e até mesmo cabeças sendo postas a premio.
    Não assisti o "filme", irei procurar para assistir, mas acredito que, jamais seria justificavel a morte de uma pessoa, por motivos religiosos. Isso só demonstra algo pior, que já observamos tantas vezes na historia: o como uma população que segue cegamente palavras consideradas divinas podem ignorar tão cruelmente a importancia da vida humana.
    Fato é que, para os Islamicos radicais, todos nós estamos errados e se eles pudessem eles ENFIARIAM goela abaixo, suas regras, ignorando fatos historicos, argumentos, bom senso, liberdade e respeito a vida. Isso é certo? Discutivel, todos tem seu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  9. Os caras colocam a cabeça do diretor de um filme a premio e seguem um homem que casou que uma menina de seis anos e a estupou no meio de suas bonecas aos nove.

    Quantos prédios eles precisam derrubar para os governos dos países desenvolvidos se unirem e erradicarem essa "raça" de uma vez.

    Não falo sobre matar todos os que seguem essa religião, falo sobre a proibição dessa seita macabra em países que fazem parte da ONU, além de sanções por partes das mesma.

    Não faz sentido um ministro colocar uma cabeça a premio, uma mulher ser morta apedrejada, uma mulher ser presa por dirigir... E essas são só alguns exemplos de notícias que eu li, fora que se qualquer pessoa quiser ler a respeito do islã basta ler seus livros de "verdades".

    Para mim cada pessoa que segue esses ensinamentos é uma vergonha como ser humano.

    T. F

    ResponderExcluir
  10. É uma república islâmica cujo lema é "Fé, Unidade, Disciplina"

    Cara, dá até medo de entrar num país cujo lema é esse.

    O pior que o filme faz uma sátira de Maomé como um cara violento e o temos um estardalhaço e uma violência generalizada causados pelos seguidores do profeta.

    Muitos desses muçulmanos (e religiosos em geral) são psicopatas. Alguns anos atrás discuti com alguns muçulmanos sobre a questão de Maomé ter casado com uma menina ainda e alguns caras lá postaram que as meninas dessa idade se oferecem para os homens, que já são maduras para tal. Coisa de dar inveja a muitos padres católicos e pastores, pelo visto.

    ResponderExcluir
  11. Minha primeira reação foi de incredulidade. Essa notícia parece uma panfletagem daquelas que surgem das mentes tão reacionárias quanto as idéias que atacam. Resolvi checar e vejam o que temos publicado no site da BBC Asia há exatos 60 minutos:

    Railways Minister Ghulam Ahmad Bilour said he would pay the reward for the "sacred duty" out of his own pocket. A government spokesman condemned the remarks and said it was considering taking action against Mr Bilour. The comments came a day after at least 20 people died in clashes between anti-film protesters and Pakistani police.

    Minha tradução livre: "O ministro das ferrovias Ghulam Ahmad Bilour disse que pagaria de seu próprio bolso uma recompensa pelo cumprimento do 'dever sagrado'. Um porta-voz do governo condenou o comentário informal e disse que isso era considerado uma ação contra o ministro. Os comentários vieram um dia após aproximadamente 20 pessoas terem morrido em choques entre manifestantes contrários ao filme a polícia paquistanesa".

    Ditas como foram no blog paulopes.com.br , estas coisas provocam a ira de quem as lê. Basta ver a reação à notícia pelos comentadores naquele blog. Não acredito que os autores do blog ajam por má fé. A motivação deve ser, como se vê pelos assuntos tratados no blog referido, a crítica aos fanatismos religiosos de toda espécie. Mas, tais idéias difundidas como são fazem despertar os preconceitos de toda sorte que se escondem nos que se imaginam revolucionários.

    Fiquei feliz, no final das contas, em descobrir que o governo do Paquistão não se comporta de maneira irresponsável embora tenha diante de si o desafio de administrar hordas de fanáticos. Note-se que a polícia, sob o comando deste governo, matou 20 "fanáticos" ontem. O governo do Paquistão precisa da nossa ajuda. Este país é composto de uma sociedade teológica, mas o secularismo tem pautado a política de Estado por lá. As alianças com os Estados Unidos para combater o Taleban são um prova disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se um dos integrantes do governo declara aliança com grupos terroristas e o governo não toma nenhuma medida para afastar este MEMBRO DO GOVERNO, então não importa o quanto o governo solte notas dizendo não aprovar a atitude de seu membro, pois na prática está havendo - no mínimo - cumplicidade com esse ministro.

      Só não vê isso quem realmente não quer!

      Excluir
    2. "Pakistan's government spokesman denounced Bilour's comments, and said it was considering taking legal action against him, according to BBC."

      O porta-voz do governo do Paquistão denunciou os comentários de Bilour, e disse que estava considerando tomar medidas legais contra ele, segundo a BBC.

      http://www.globalpost.com/dispatch/news/regions/asia-pacific/pakistan/120922/ghulam-ahmed-bilour-pakistan-minister-offers-bounty-anti-islam-filmmaker

      Excluir
  12. "Ele (o diretor do filme) seria um egípcio cristão copta radicado nos Estados Unidos."

    Agora é que os cristãos coptas vão sofrer mais e mais no Egito.

    ResponderExcluir
  13. Quando alguém ofende a "santidade" de algum "santo", o tal santo nunca toma atitude nenhuma (ou porque não existe ou porque não está nem aí). São sempre os seguidores (jagunços) dele que tem que fazer alguma coisa.

    ResponderExcluir
  14. Um cidadão, querendo contratar assassinos, é crime e deveria ser preso por tentativa de homicidio imediatamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você conhece o Código Penal daquele país?

      Excluir
  15. "Um ministro paquistanês ofereceu 100 mil dólares". Se esse ministro não foi demitido ou punido "i m e d i a t a m e n t e" por ter feito essa oferta a nível mundial, significa dizer que o País, assina embaixo tudo que ele disse. Ou estou enganada? Fatima

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site