Pular para o conteúdo principal

Cidade de MT libera R$ 76 mil para eventos festivos religiosos

Os vereadores de Sorriso (MT) aprovaram por unanimidade na segunda-feira (14) a liberação de R$ 38 mil para a Pastoral Familiar, da Igreja Católica, e de R$ 38 mil para o Conselho Evangélico da cidade. Sorriso tem cerca de 66 mil habitantes e fica a 420 km de Cuiabá.

A entidade católica vai usar o dinheiro para contratar uma banda — provavelmente a Cantores de Cristo — para o encerramento da Semana da Família, em agosto. Os evangélicos destinarão a verba à  Marcha de Jesus deste ano, em data ainda não marcada.

Essa liberação de recursos é ilegal porque, pela laicidade do Estado brasileiro, nenhuma instância de governo pode financiar atividades religiosas.

Em algumas cidades, a Justiça, acionada pelo Ministério Público, tem proibido repasse de verbas para a Marcha de Jesus, como ocorreu recentemente em Santa Bárbara d’Oeste (SP).

Os vereadores de Sorriso, contudo, não se preocuparam com essa questão, mas somente com a possibilidade de o repasse ferir a lei eleitoral, considerando que haverá eleições municipais este ano.

Um escritório jurídico contratado pela Câmara Municipal deu parecer contrário à liberação da verba, mas, mesmo assim, os vereadores resolveram mantê-la.

Com o propósito de se livraram da mira da Justiça Eleitoral, eles aprovaram duas emendas atribuindo à prefeitura a responsabilidade de verificar se não haverá desvio de destinação dos recursos.

Além disso, os vereadores pediram à pastoral e ao conselho a apresentação do pedido do dinheiro com “mais embasamento”, de acordo com o serviço de imprensa da Câmara.





Fonte: Câmara Municipal.


Comentários

Igor disse…
Mais uma violação à laicidade do Estado!
E o pior. Vocês sabiam que em 2013, quando o Rio sediará a Jornada Mundial da Juventude com o papa Bento XVI, serão usados 5 milhões de reais dos cofres públicos? Esse dinheiro foi colocado no orçamento do governo do Rio de Janeiro.
Quem perde é o Estado Laico!

Abraço.
Anônimo disse…
Quem é o Estado?
Igor disse…
Acho que teve um artigo aqui no Paulo Lopes sobre isso. O caso do Papa é pior porque estão financiando sua vinda como chefe de Estado, quando na verdade ele vem para fazer proselitismo.
Anônimo disse…
Eles? Eles é um termo genérico.
Unknown disse…
O Estado somos nós.
Baphomet disse…
Pra que estado laico, não é mesmo?!
Anônimo disse…
E as alveres somos nozes.
Anônimo disse…
A experiência da lente de aumento concentrando raios solares numa folha de papel, furando o papel, demonstra que raios genéricos não furam o papel, mas raios específicos sim.
Desculpem desviar um pouquinho do foco da notícia, mas com isso fica nítido o nível de hipocrisia que esses religiosos tem. Vivem jogando pedra nos gays porque a Parada Gay é financiada pelo Governo (ainda tenho dúvidas quanto a isso), mas isso aí é o quê? Querem lavar as mãos agora?

Claro, só presta se for pro evento deles, que é "justo", mas marchas pedindo igualdade de direitos aí NÃO! Não pode! É imoralidade, vivem se pegando na rua e ofendendo nossos santinhos de cara afeminada!

Ah, vá!
LEGIÃO disse…
Como controlar as Massas?

Soldados devem ser treinados a seguir as bandeiras, os apitos e os toques de tambor; os operários são guiados pelas sirenes, que marcam o início e fim do serviço, bem como a hora do almoço; a Opinião Pública é manobrada através das notícias e pelos comentários de peritos.

Embora composta de muitos indivíduos, a Massa é uma pessoa com características e desejos próprios. Ressalta-se nela o desejo de comunhão, a qual pode ser definida como a CONCENTRAÇÃO de seus componentes em um evento ou elemento focal. Ou seja, as Massas funcionam sob um estado de transe.

Então, a bandeira, o apito e os toques de tambor são os elementos focais que permitem ao Comandante manobras seus Soldados; a sirene das fábricas são o elemento focal que permite ao Patrão controlar seus empregados; as notícias e os comentários de peritos são os elementos focais que permitem à Elite manobrar a Opinião Pública.

Políticos não se importam em pisar sobre as leis ou sobre o Estado Laico porque desejam manobrar a Massa a seu favor. Então, usam o dinheiro de crentes e não crentes para financiar eventos em que a maioria esteja inclinada a se CONCENTRAR. E como a Massa é viciada em se CONCENTRAR, ela paga o que for necessário e elege quem puder para garantir futuros estados de CONCENTRAÇÃO. Assim é no futebol, na explosão neopentecostal e em todas as religiões de adoração do Sol.
Igor disse…
Na verdade não é hipocrisia: é ideologia com má-fé mesmo!

E mesmo que as paradas gays fossem financiadas pelo governo, não haveria comparação com as marchas religiosa, pois estas possuem vedação constitucional para a sua subvenção – porquanto as paradas gays não (ao contrário, pode até haver motivos para se financiar).
Anônimo disse…
Apesar de ser bi, sou contra a parada gay. Aquilo não tem nada a ver com afirmação e luta por direitos, brasileiros não tão nem aí pra nada e gays não são nada diferentes. Aquilo que se vê na parada gay é só libertinagem, sexo livre ao ar livre. Não há reinvindicação de direito algum. Além do mais, os gays estão esquecendo que cidadania não se limita às questões de sexualidade. Cidadania é muito mais do que isso.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Terraplanista vai a Noruega, vê o sol da meia-noite e admite que a Terra é redonda

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Bíblia tem mais de 2,5 milhões de mortes em nome de Deus

Darwin teve a melhor ideia de todas porque liga vida, física e cosmologia, diz Dennett

A beleza ilusória do mundo da nuvem digital tem impacto na saúde mental

Não acreditar em Deus é atalho para a felicidade, afirma Sam Harris

Evangélicos acham que o dízimo é investimento financeiro, afirma estudo