Lei do pai-nosso foi ditada pelo fanatismo, diz antropólogo

Albergaria: há uma tentativa de  
'resagralização' da sociedade
O antropólogo Roberto Albergaria (foto), professor aposentado da Universidade Federal da Bahia, disse que a lei que impõe o pai-nosso nas escolas públicas de Ilhéus (BA) é a expressão do fanatismo religioso que está se consolidando no país.

Ele entende que a aprovação da lei é mais uma tentativa de grupos religiosos de “resagralizar” a sociedade.

Afirmou que a sociedade está cada vez mais secular e, em consequência, o sagrado mais difuso. Segundo ele, os religiosos estão tentando mudar esse quadro com medidas como a dessa lei e a criminalização do aborto e a satanização da homossexualidade.

A lei é de autoria do vereador evangélico Alzimário Belmonte Vieira (PP) e foi aprovada sem dificuldade pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Newton Lima (PT).

Lima afirmou que a lei não impõe a prática diária da oração, mas o texto não faz nenhuma referência a isso.

O prefeito disse que os professores que não tiverem crença não precisam orar. Mas os professores foram submetidos a um constrangimento pelas declarações de Lidiany Campos, secretária de Educação, de que a crença religiosa é importante porque atua no sentido de reduzir a violência nas escolas.

Para Albergaria, a lei, além de ser um sintoma do fanatismo religioso, é uma afronta à democracia e à liberdade individual.





Com informação das agências.

Comentários

  1. Governantes sérios e competentes tem que por de uma vez por todas na cabeça que tudo que vem de religiosos é fanatismo religioso é puramente fanatismo religioso. Quer orar vai orar dentro da igreja existe milhares dela.

    Igual eu escrevi ali em outra matéria que estão orando para um tal pastor não ser morto no irã, mais lá é a regra ,e se o livro sagrado e dogmas deles diz que deve ser assim por mais absurdo que seja eles vão matar o tal pastor.

    Da mesma maneira que aqui os religiosos perseguem os homossexuais e acha eles uma raça inferiora e que não deve ter seus direito garantido porque seus livro religiosos e dogmas também os condena.

    Então quando um fanático religioso chegar com uma lei pega e engaveta na hora, ou diz pega tuas leis religiosas e volta pra dentro da sua igreja e submeta teus fiéis a ela e não queira submeter toda a humanidade a elas, esta lei para orar nas escolas é criminosa desrespeitosa e coagitiva e pretenciosa. Dizer que pessoas só podem se tornar bons cidadãos se forem lobotomizados por alguma crença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a lei não obriga ninguém a rezar o pai-nosso, então ela não tem nada demais. Aliás, nem precisava existir.

      Mais descartável do que uma lei dessas, só mesmo o achismo insignificante de um antropólogo, como o que coça a careca na foto do post acima.

      Excluir
  2. Parabéns Roberto Albergaria. Profissionais e especialistas devem manifestar sua posição. Pq se depender dos ignorantes que são eleitos o país vai para vala.

    Uma pena que poucos se manifestam.
    Artistas, intelectuais, profissionais da área, jornalistas e etc, tem uma forte influência, mas infelizmente a maioria só olha para próprio umbigo.

    Pq pelo visto só o STF salva o Brasil dos fanáticos. Por sorte o pessoal do STF é obrigado a ter conhecimento filosófico, oq quase sempre livra as pessoas do fanatismo.
    Rodrigo*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um STF que, para fazer média, rasga e estupra a Constituição (como no caso da "união homoafetiva") é uma das grandes vergonhas deste país.

      Excluir
  3. certeza que quem criou essa lei tambem deveria estar na escola... só um burro pra criar uma lei dessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não ofenda os animais! Burros não frequentam igrejas!! São mais inteligentes ou menos interesseiros.

      Excluir
  4. Pergunta pra um parlamentar que cria uma lei IMBECIL dessas cadê a lei que obriga filhos de deputados a se matricularem em escolas públicas...
    Bando de ignorante fanático querendo que uma sociedade como a nossa, no tempo em que estamos HOJE, volte a ser CEGA como era no tempo em que a única lei era uma porra dum livro que nunca provou nada a ninguem.

    ResponderExcluir
  5. Agremiações tem suas leis, que são aplicadas a seus membros.
    Por este motivo não se canta o Hino do Corintians na quadra do Palmeiras.
    A religião e seus dogmas, não podem ser impostos a todos, somente a seus membros que nela devem ingressar de livre e expontanea vontade, nunca coagidos como pretendem esses ditadores da fé. Quem quiser se submeter a essas sandices que ingresse na religião que atender seus interesses e que va barganhar com seus Deuses, ate que o sofrimento lhe mostre a verdade.

    ResponderExcluir
  6. O fanatismo já deixou de ser só religioso, virou secular também.

    ResponderExcluir
  7. Antropologia deveria ser uma matéria obrigatória em nossas escolas.

    ResponderExcluir
  8. Eles querem impor a fé cristã na base da porrada, na marra. Com isso só vão criar mais ateus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não é novidade. Foi impondo a fé cristã na base da porrada que o cristianismo chegou onde chegou. Eles só têm estado menos violentos recentemente, pararam de queimar e apedrejar pessoas, mas no geral, as atitudes continuam praticamente as mesmas.

      Excluir
  9. Você deve estar falando do ateísmo da URSS e da china,
    que faziam e ainda fazem uso da força para calar as pessoas.
    Ateu que renegas este fato, é o mesmo que um cristão que renega as cruzadas.
    Quanto á violência, não se pode dizer o mesmo da china.
    Até o google se curvou diante do PCC.
    Isso que é poder secular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado que a algumas décadas quem havia matado na União Soviética e na China tinham sido os comunistas.

      Confundir regimes políticos com um posicionamento de descrença em relação a divindades está se tornando frequente nos dias de hoje, não por ignorância, mas, sim, por má fé.

      Excluir
    2. Sim, eles deturpam a realidade por conveniência.
      Mas mesmo que as falácias que sempre usam fossem verdadeiras, ainda assim eles seriam hipócritas.
      Se os comunistas tivessem matado em nome da descrença, acabaria por aí.
      Mas como fica a religião, que diz que mata em nome do amor, da comapaixão, da compreensão, etc? Não tem algo muito errado nessa lógica?
      Me parece muito pior.

      Excluir
    3. Mais uma vez esse a porto fazendo papel de idiota...
      Matar e silenciar em nome do comunismo não é matar e silenciar em nome do ateismo ou secularismo. Ta dificil entender? Quer que desenhe?

      Excluir
  10. o estado brasileiro não pode se curvar diante desse fanatismo crescente. é preciso dar um basta nisso!!! ou então nos tornaremos em breve uma teocracia fundamentalista evangélica, o que seria danoso e desastroso para toda nossa cultura.

    ResponderExcluir
  11. Infelizmente a tentativa de se criar um Estado Laico vai por terra...
    Estado Laico não é um Estado Ateu...É um Estado Neutro e insento para os cidadões de todos os tipos de credos, ideologias e modo de viver. A Constituição do país garante Liberdade de ser e de Credo...então a crença é uma escolha individual. Jamais o Estado pode impor uma determinada crença, pois há cidadãos de outros credos. Então instituições PÚBLICAS do ESTADO não podem ostentar imagens de Santos, Crucifixos...As Forças Armadas não podem realizar eventos na igreja católica. O Estado não deve ter religião para que o cidadão comum tenha confiança em se sentir contemplado por um Estado Insento, seja qual for a crença e modo de viver desse cidadão.

    ResponderExcluir
  12. È o cumulo da etupidez, o Vereador, o Prefeito e a Secretaria de Educaçao. Claro que isso tudo é pelo voto dos eleitores.

    ResponderExcluir

Postar um comentário