Miguel Nicolelis afirma que Deus não crê nele e nem ele em Deus


'Deus foi inventado
por uma necessidade
do cérebro'

Miguel Nicolelis afirmou em uma entrevista estar em pé de igualdade com o divino: Deus não acredita nele e ele muito menos em Deus.

O neurocientista disse que a criação de Deus pelo cérebro é uma necessidade intrínseca do processo evolutivo da humanidade. Para ele, o cérebro, que é, em resumo, um poderoso simulador de realidade, conta uma história, e ela precisa ter um começo para fazer sentido, daí a invenção de Deus, o criador de tudo.


“O cérebro tem de dar uma explicação lógica de onde viemos”, disse ele em uma entrevista à TV Bandeirantes.

O palmeirense fanático Miguel Angelo Laporta Nicolelis nasceu na cidade de São Paulo no dia 7 de março de 1961. Ele é um dos 20 maiores cientistas do mundo desta década, de acordo com a Scientific American.

Nicolelis foi o único brasileiro a ser tema de capa de outra revista científica de prestígio, a Science, que existe há mais de 100 anos.

Ele se formou em medicina na USP (Universidade de São Paulo). Entre outros cursos, fez pós-doutorado no Hospital Universitário Hahnemann, na Filadélfia (EUA). É professor titular de Neurobiologia e Engenharia em Duke University.

Nicolelis lidera um grupo de cientistas que desenvolve uma interface entre a máquina e o cérebro humano. Já fez experiências bem sucedidas com ratos e macacos.

Ele e sua equipe também estão desenvolvendo uma técnica de tratamento do mal de Parkinson. Trata-se de uma abordagem inovadora, feita a partir de estímulos cerebrais com o uso de eletricidade no sistema nervoso, via medula. O cérebro, nesse caso, é considerado como um todo, e não só algumas de suas partes onde supostamente a doença tem origem.

Por esses e outros trabalhos, Nicolelis tem sido cogitado para ganhar o Prêmio Nobel.


O cientista costuma dizer que o homem é uma expressão da poeira das estrelas, e não de algo divino. “Já estive a 30.000 pés de altura e lá não encontrei ninguém”, disse ele referindo-se a Deus.

Nicolelis afirmou não ser um militante do ateísmo, mas respeita quem se decidiu por essa atuação, como Richard Dawkins, o qual admira. Mas ele tem raciocínio afinado para questionar as religiões tanto quanto o biólogo britânico.

Em uma entrevista à revista Planeta, edição de agosto de 2011, afirmou que Jesus, Maomé e Abraão eram esquizofrênicos porque ouviam vozes do céu, tinham delírios. “Muito provavelmente eles precisavam de haldol (um medicamento).” E lamentou o fato de os três serem os donos do mundo.

Com informação da Folha, Band, Wikipédia, entre outras fontes.




Não há como conciliar ciência com religião, afirma Hawking

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Igreja de 221 anos fecha nos EUA por falta de fiéis; avanço da secularização