Pular para o conteúdo principal

Hitchens praticava a insubmissão a qualquer poder autoritário

por João Pereira Coutinho para Folha

Hitchens juntava inteligência, 
elegância estilística, polêmica e humor
Christopher Hitchens (1949-2011) [na foto] esteve em Lisboa dois anos atrás para uma palestra na Casa Fernando Pessoa. Um amigo que trabalha na instituição lançou-me o desafio: viajar com Hitchens até Évora e escrever a respeito.

Infelizmente, compromissos acadêmicos impediram-me de fazer a entrevista-reportagem nessa cidade alentejana que lhe deixara gratas memórias do tempo da Revolução dos Cravos (1974). "Fica para uma próxima", disse eu.

Não haverá próxima: chego a Londres, e as notícias estão por todo lado. Hitchens morreu.

A doença grave do colunista, um câncer no esôfago, não era surpresa para ninguém: o próprio, em textos magistrais para a "Vanity Fair", foi desenhando essa cartografia da morte. Mas toda gente está surpresa na mesma.

Hitchens tinha aquela qualidade bigger than life que não se ajusta à mera mortalidade humana. Uma qualidade que foi crescendo na medida dos seus objetos de desafeto: a princesa Diana; madre Teresa de Calcutá; Henry Kissinger; o encantador casal Clinton. Era inevitável que Deus fosse o último da fila.

Na hora da morte, os comentários batem todos no mesmo ponto: apesar de não se concordar com tudo, Hitchens vai fazer falta.

Eu, pelo contrário, concordava com tudo, mesmo quando não concordava com nada. Hitchens, que Gore Vidal designou como seu herdeiro (para se arrepender depois, com o apoio de Hitchens à Guerra do Iraque), tinha a qualidade raríssima em qualquer colunista de juntar inteligência, elegância estilística, gosto pela polêmica e humor.

No mundo anglo-saxônico, conheço poucos: Vidal, sim; H.L. Mencken (1880-1956), certamente; Auberon Waugh (1939-2001), sem dúvida alguma. Mas Mencken e Waugh estão mortos; Vidal, quase.

Livros? Em todas as livrarias está a sua última coleção de jornalismo, "Arguably", onde encontramos o Hitchens refinado dos ensaios "literários" sobre Evelyn Waugh (1903-66), P.G. Wodehouse (1881-1975) e, em parricídio freudiano, Vidal.

Mas, olhando para a obra completa, o meu Hitchens preferido continua a ser um pequeno tratado sobre George Orwell ("A Vitória de Orwell"). Não necessariamente por oferecer grandes revelações sobre o escritor; mas porque é a autobiografia intelectual de Hitchens, bastante superior à autobiografia propriamente dita.

Hitchens encontrou em Orwell as qualidades que admirava e praticava: bravura moral e insubmissão a qualquer poder autoritário.

Uma combinação que, repito, transcende as divisões clássicas entre esquerda e direita, recentrando o debate na única questão que interessa: a defesa da liberdade individual face aos seus inimigos.

Um brinde a ele -com Johnnie Walker (o Black Label, claro).

Morre Christopher Hitchens, o escritor de 'Deus não é Grande'.
dezembro de 2011

Mais sobre Christopher Hitchens.      Ateísmo.

Comentários

Anônimo disse…
Hitchens fará muita falta ... Era, juntamente com Dawkings, meu cavaleiro favorito. =(
Senhora Crente disse…
Textos magistrais, ensaios refinados, objetos de desafeto, Johnnie Walker Black Label...

O que se pode construir, vivendo ao sabor das dissenções, da crítica às boas ações e do apoio aos atos duvidosos e desastrosos do poder?
Certamente o sabor é importante, mas conta também a substância, mais diretamente os efeitos dessa sobre nós. Mas, se cada coisa tem um sabor e nos leva a condutas diferentes em situações parecidas, isso nos torna incoerentes.
Criticar quem alimenta os pobres e dar apoio a ações de guerra contra povos subdesenvolvidos é coisa de gente incoerente, gente bêbada!
Dar apoio, aceite e garantia às idéias de Magog(nome de Bush na Skull and Bones) e atacar Diana e Madre Tereza! É isso que se espera de um ateu.
Madre Tereza, durante suas peregrinações em busca de doações para seus hospitais, tinha de carregar mais um peso, além de seu corpo dolorido, as críticas de um bêbado refinado. Diana, confusa com todas as mudanças em sua frágil vida, certa de que o poder ao qual se aliára era também a fonte dos males do mundo, tinha mais um obstáculo pela frente, os textos magistrais de um ébrio.
Hitchens só fez chamar a atenção para si mesmo, usando todo seu estilo e refinamento textual para por-se no caminho de outros que construíam algo real, bom e fraterno. Ele era apenas um bandido literário. Suas obras serão confinadas às gavetas e aos armários para todo o sempre. Essa é sua sentença de morte!
Anônimo disse…
Dawkins não tem g. :P
Pedro Lobo disse…
Hitchens atacou Diana e Madre Tereza não com ódio, mas com racionalidade.

Já o ataque acima a Senhora Crente a Hitchens – medíocre, sem nenhum refinamento -- é puro ódio. O que só confirma muita coisa que Hitchens escreveu sobre a religião.
Giovani Bernardino disse…
Não vi nenhum ódio no texto da Senhora Crente...e pra que refinamento numa escrita que se pretende apenas um contraponto? O texto é bem escrito (sem erros ortográficos e de concordância).
Já o julgamento de que é "puro ódio", acho curioso, porque, embora os ataques de Hitchens aos que tentavam de alguma forma fazer algo de real e concreto por outros que, por razões múltiplas, não poderiam fazer por si mesmos, fossem sempre racionais; os que o aplaudem, geralmente com comportamento de rebanho tanto quanto os crentes mais cegos, sentenciam o alvo destes baluartes da racionalidade a retardados mentais, que creem por absoluta incapacidade de realizar a vida apenas sob a ótica materialista.
Lamento, caríssimos, mas Hitchens será esquecido mais rapidamente do que derrubava uma garrafa de Johnnie Walker!
Anônimo disse…
Hoje as pessoas estão percebendo que deus nenhum existe, os ateus militantes tem sido de muita importancia para muita gente nestes tempos, eles tem feito as pessoas pensarem a raciocinarem, é provável que hoje muitos se envergonham de suas crenças .

Não ter crenças o que é a verdade de todo ser humano visto que as crenças são de aspectos meramente ilusorios é muito mais saudável que qualquer crença, não viver apoiado em mentiras e enganos faz bem.

O mundo vem apoiado em religiões e não houve nem um avanço de grande valia para a humanidade, mesmo porque quando as religiões detinham um maior poder as coisas não foram muito boa, a historia mostra um retrospecto bastante negativo.

Outros costumam desmistificar o que pra eles é deus criam suas fantasias anulam o deus abraãmico, inventam novas vertentes ,novas ilusões ,mais não deixam de ser cretinos em seus raciocinios estupidos.

Pode se dizer que esta lenda esta ilusão faz mal as pessoas ,deixam elas escravizadas religião deus é um peso morto que hipocritamente muitos gostam de levar em suas costas , e a imbecibilidade domina a mente destes pobres perturbados fazendo eles gemerem de dor e angustias na expectativa de seu deus se mostrar ,fazendo com que pelo menos uma vez eles tenham razão, mais esta manifestação nunca vai se dar e deus vai continuar sendo o que é, um palhaço de papel um amontoado de metaforas uma ilusão.
Anônimo disse…
Não adianta os crente atormentado ficarem relinchando em todos os cantos ,eles crente pelo menos podiam se preocupar em trazer alguma coisa mais concreta de seu deus além de falacias metaforas ilusões etc , porque me parece que isto é tudo que o eles tem, então deviam ir relinchar em seus canteiros porque lá é o unico lugar que relincho faz sentido.
Livio Luna disse…
É uma pena a morte de uma mente como a dele. Mais pena ainda era vê-lo em seus últimos anos na militância republicana. Tenho um sentimento ambiguo sobre ele. No que tange ao ateísmo concordo com cada vírgula escrita ou falada por ele, no que tange à política discordo com cada vírgula escrita ou falada por ele. Li um artigo na Época sobre a "guerra ao terror" na era Bush que me enojou muito, nunca imaginei que uma mente tão sagaz quanto a de Hitchens pudesse coadunar com a forma BUSH de ver o mundo. Uma pena, mas pena maior ainda é uma mente tão brilhante ter se calado para sempre.
Giovani Bernardino disse…
Anônimo que disse:

"Não adianta os crente atormentado ficarem relinchando em todos os cantos ,eles crente pelo menos podiam se preocupar em trazer alguma coisa mais concreta de seu deus além de falacias metaforas ilusões etc , porque me parece que isto é tudo que o eles tem, então deviam ir relinchar em seus canteiros porque lá é o unico lugar que relincho faz sentido."

Engraçado...os únicos relinchos que "ouvi" neste post foram os seus; não percebi nenhum crente, nem outro ateu relinchando aqui...apenas vc; que aliás, nem coragem de se identificar tem.

Amigo...leia Platão, Aristóteles, Kant e outros que, embora não tratassem propriamente de religião em suas obras, compreenderam que a razão é limitada...que abarcamos apenas uma parcela da realidade. Se vc conseguir entender, (o que honestamente, eu duvido) terá feito um grande avanço na compreensão filosófica da nascente do sentimento religioso. Isso o ajudará a ser mais respeitoso e não tropeçar nas próprias pernas, ao aniquilar tudo o que diz pela grosseria das palavras.
Senhora crente disse…
Eu sou linda, inteligente e de deus. Você são feios e vão para o inferno!
Anônimo disse…
Hitchens era rabo-preso dos EUA e da OTAN... fala serio
Anônimo disse…
"Eu sou linda, inteligente e de deus. Você são feios e vão para o inferno! "

Posta uma foto ai para a gente ver :)

Mas eu acho que é uma baranguinha hihihihi
Mordredis disse…
Giovani Bernardino disse...

"Amigo...leia Platão, Aristóteles, Kant e outros que, embora não tratassem propriamente de religião em suas obras, compreenderam que a razão é limitada...que abarcamos apenas uma parcela da realidade."

A maneira como esses citados filósofos tratavam a "razão" é diferente da forma que você abordou. Kant atacava o ceticismo na mesma linha em que atacava o dogmatismo. Mas todos estes autores são entendidos por suas épocas. Se quer abordar filosofia da razão humana, não pode citar estes únicos autores, vez que Karl Popper, Bertrand Russell e muitos outros, apesar de considerarem a ciência moderna como em constante evolução e porvisória, entenderam que o metafísico é fruto da mente humana na busca de respostas. Mas eu concordo com sua crítica ao anônimo que apelou aos insultos.


Senhora Crente, se existir céu e você for p'ra lá, eu mesmo peço ao seu deus p'ra me mandar p'ro inferno. Não quero passar a eternidade com quem não foi capaz em vida de ser humilde o suficiente para entender que o questionamento é o único meio de buscar resposta, pois certezas absolutas são as preces da ignorância.

"Cético não significa aquele que duvida, mas aquele que investiga ou pesquisa, oposto àquele que afirma e pensa que descobriu"
- Miguel de Unamuno y Jugo -

"Onde há dúvida, há liberdade"
- Provérbio Latino -
Senhora crente disse…
Sinto pena de vocês ateus e pessoas de outros credos por não terem ainda acordado para o verdadeiro e único Deus: Jesus Cristo!
Adolfo disse…
o que mais me chamou a atenção foi perceber, através deste texto, o quanto a erudição do autor evidencia o abismo que há entre os intelectuais brasileiros e os europeus... rsrsrs
E eu sinto pena de você, Senhora Crente, por ter um cérebro e ainda não saber usar, insistindo em viver no obscurantismo.

Realidade triste.
Senhora Crente disse…
Até agora, meu único post foi o das 07:51 horas.
Vejam que o imbecil escreveu "Senhora crente", com "c" minúsculo; eu, por outro lado, me identifico como "Senhora Crente" com "C" maiúsculo.

Esses crentes na inexistência de Deus não medem esforços para lançar mão da fraude. Mas são tão incompetentes!

Tentem de novo, nefelibatas!
Anônimo disse…
@Senhora crente
"Eu sou linda, inteligente e de deus. Você são feios e vão para o inferno!"

Inferno é para onde os covardes enviam os corajosos.
Vc é apenas uma escrava do medo. Coitada deve ter sido doutrinada desde muito cedo através da culpa e do medo.
Rodrigo*


Rodrigo*
Anônimo disse…
Senhora Crente,sabes quem és tu?Um velha de 75 anos!
Senhora Crente disse…
Eu sou velha, sim, mas quando morrer vou para céu. Estarei do lado do Nosso Senhor, amém. E vocês um dia estarão no inferno, sendo cutucado pelo tridente do Satanás. E eu, ao lado do meu bom Deus, estarei gargalhando do drama eterno eterno de vocês. Aliás, vou começar a gargalhar desde já: Ah, ah, ah.
Senhora Crente disse…
O Rebanho de Hitchens não consegue ver contradições na vida e nas idéias de seu mestre. Essas ovelhas foram adestradas para acreditar cegamente nele, seu Senhor Bêbado.

Antes, com quatro cavaleiros, cada um cercava o rebanho de um lado. Agora que um deles morreu, a bicharada vai fugir do controle?
Anônimo disse…
Aff, ainda tem gente que alimenta essa senhora troll. Gente, com criança não se discute, ignorem e pronto.
Filha da Senhora Crente disse…
Mamãe tá certa. Vocês vão arder no fogo eterno porque Jesus - que é muito bom - assim falou. Eu, ela, meu pai (o Senhor Crente), meu filho (o Neto Crente) e meu marido (o Sogro da Senhora Crente) estamos todos rindo de vocês! hahahahahhhahahahahahahahahaha
Izaque Bastos disse…
quero ver se ele tivesse nascido na Coreia do Norte, se ele ia ser contra poder autoritario, mas como ele nasceu em um país protestante aí fica facil ser contra tudo.
Izaque Bastos disse…
essa senhora crente é algum ateu idiota se passando por outra pessoa.
Anônimo disse…
Izaque Bastos disse...

quero ver se ele tivesse nascido na Coreia do Norte, se ele ia ser contra poder autoritario, mas como ele nasceu em um país protestante aí fica facil ser contra tudo.

E se fosse no Brasil? Algum problema?

Posts + acessados hoje

Igreja do 'santo' Maradona tem altar, cultos e mandamentos

Para não pagar imposto, TJs alegam que máquina de passar roupa é essencial à religião

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade