Padre impede que evangélico seja enterrado em cemitério católico



por Luane Magalhães, do Zero Hora

Por um impasse religioso, o evangélico luterano Irineu Wasen, 60 anos, teve de ser enterrado fora do cemitério católico do município de Poço das Antas, RS, onde a mulher, Eunice Teresinha Ely, 58 anos, e a sogra Carmelita Maria Ely, 78 anos, foram sepultadas. Os três morreram em um acidente de trânsito na rodovia Tabaí-Lajeado (BR-386) no feriado de Finados, na quarta-feira.

Abalada pela perda trágica de três pessoas da família, a filha de Irineu, Paola Wasen, queria que todos fossem sepultados no Cemitério Católico em Poço das Antas, cidade de origem das mulheres. Porém, só elas puderam ser enterradas no local, na manhã de ontem.

De acordo com o padre João Paulo Schäfer, responsável pela paróquia e pelo cemitério católico, Irineu era evangélico e, portanto, não poderia ser enterrado junto à mulher.

"É uma norma da igreja que não podemos quebrar. Só podemos sepultar em nosso cemitério pessoas católicas que contribuem e estejam em dia com a taxa anual. Expliquei isso para a família, e eles entenderam", disse o padre, que ainda afirmou não poder abrir exceções.

Evangélico foi enterrado em Teutônia com os avós.

A negativa e a busca por outro local para sepultar Irineu abalou ainda mais a família.

"Foi uma espera angustiante. A filha queria muito que os pais fossem enterrados no mesmo local", disse Cleris Elizabete Flach, parente das vítimas.

"Com uma tristeza dessas, três pessoas da mesma família perdem a vida, e não há quem se sensibilize por isso", afirmou Marlise Meyer, amiga da família.

Sem poder ser sepultado junto à mulher, o corpo de Irineu foi levado para a cidade natal do empresário, Teutônia, no Vale do Taquari. Na tarde de ontem, a família acompanhou a cerimônia fúnebre no Cemitério da Comunidade de Linha Clara, interior do município, mesmo local em que os avós de Irineu já estão sepultados.

Irineu, Eunice e Carmelita moravam na capital e passaram o feriado de Finados em Poço das Antas para visitar a família e também prestar homenagens a parentes já falecidos. Retornavam para Porto Alegre quando o carro em que estavam bateu em uma caminhonete no km 377 da rodovia Lajeado-Tabaí, perto do trevo de acesso ao município de Paverama.



Prefeito evangélico é suspeito de ameaçar de morte padre.


Comentários

  1. .

    Ah! O amor cristão!

    Sempre me comove.

    De boa, esses comédias não se entendem nem entre eles, como esperar tolerância para os que professam outros credos não cristãos e os que não tem credo algum?

    .

    ResponderExcluir
  2. Nuss...E eu que sou ateu qdo. morrer vou ser enterrado aonde no fundo do quintal?

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que já disse aos familiares que não quero ser enterrado e sim cremado, assim não estarei ocupando o espaço dos vivos quando meus despojos mortais forem ter um fim mais higiênico. Além de não ocupar espaço, é mais higiênico cremar.

    Vou saber se tem como determinar judicialmente que eu não seja enterrado e sim cremado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostaria de virar adubo, plantar uns alfaces em cima, acho que tenho muita energia a devolver. Cremar é desperdício de energia e não é divertido.

      Excluir
  4. Nossa, cremado, enterrado...
    Bem...pra mim não faz diferença o que vai acontecer depois que morrer, eu estarei morta!

    ResponderExcluir
  5. Também já avisei em casa que quero ser cremado (depois de doados meus órgãos, se servirem...),não sei se vão acatar meu desejo.

    ResponderExcluir
  6. Cristãos discriminando cristãos, que coisa mais bonitinha! Não quero nem pensar o que esse padre faria se fosse um ateu.

    Por isso prefiro ser cremado e minhas cinzas jogadas no Encontro das Águas, depois dos meus orgãos e cada gota do meu sangue serem doados para salvarem vidas. Exagerei? ;)

    ResponderExcluir
  7. Se ele pagasse à igreja, não teria tido problema, de acordo com a lógica do padre. Amor pode não ser comprado, mas o amor cristão, sim.

    ResponderExcluir
  8. É uma vergonha isso, é uma pena, perdeu a chanse de realmente provar que era filho de Deus....pelo menos é o que pregam nas missas. Não somos todos ilhso de Deus?????

    ResponderExcluir
  9. É numa hora dessas que um ESTADO LAICO se mostra simplesmente ideal. Em um ESTADO LAICO os cemitérios são locais públicos onde as pessoas são enterradas livremente.

    Nesse caso específico a família havia escolhido um cemitério confessional, particular (coisa que eu nem sabia que ainda existia nesse país). Mas imagine se TODOS os cemitérios do país fossem religiosos?

    Até os religiosos (quando sensatos) entendem e preferem um estado laico. Só o rejeitam aqueles que são fundamentalista.

    ResponderExcluir
  10. Palhaçada desta igreja romana, se é meus pais não enterrava ninguém.

    PUNK

    ResponderExcluir
  11. Para Luan Cunha:
    nem exagerou!...sabia que pode se doar pele,ossos e corneas?

    ResponderExcluir
  12. É a religião separando as pessoas até mesmo na morte. Puxa...

    É por essas e outras que prefiro que meu corpo seja cremado ou então doado para a ciência (não decidi ainda) depois de ter retirados os órgãos que estiverem em condições para serem doados.

    ResponderExcluir
  13. Também prefiro ser cremado. E o mais breve possível, sem velório, sem ritos, uma reunião no máximo para a família e amigos se ajudarem e demonstrarem afeto para com quem sofre.

    Se possível, uma festa pela vida, boa vida, que eu tive a sorte de ter.

    E só.

    E que nenhum padre, pastor ou charlatão apareça para falar bobagens!

    Cognite Tute

    ResponderExcluir
  14. DEVEMOS NOS AMAR SEMPRE INDIFERENTE SE SOMOS EVANGÉLICOS OU CATÓLICOS,É COMO DISSE JESUS "AMAI VOS UNS AOS OUTROS"

    ResponderExcluir
  15. Esse é um verdadeiro padre do diabo. É um amante do dinheiro, um segregacionista vil.

    Os crentes deveriam estudar formas de retribuir-lhe o favor!

    ResponderExcluir
  16. JÁ AVISEI LÁ EM CASA QUE QUERO SER CREMADO...


    Não adianta nada. Quem vai pagar a cremação? A família no máximo faz uma vaquinha pra conseguir pelo menos o enterro...Deixe pago antecipadamente. E faça a ação declaratória, em cartório e depois homologada por Juiz e entregue a alguém de sua confiança. Aí sim, a cremação paga, e o documento fiscal provando, e a ordem judicial...Todos terão que respeitar a decisão que foi autônoma e reconhecida. Caso contrário, do IML mesmo (e a Lei obriga que todos que morrem sejam necropsiados) você já seguirá pra terrinha...ou vala comum.
    Agora, se tiver pago a cremação e o documento oficial provando a sua decisão, na mão de pessoa de sua confiança, e homologado por Juiz...Nem pai, nem mãe, nem o Presidente da República mudará sua vontade.

    ResponderExcluir
  17. Uma vez que os cemitérios são uma franquia católica como enterrar pessoas de outras religiões? Eu vou mandar minhas cinzas para o Japão para que seja feito um diamante. Quero ver quem vai jogar um diamante fora...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site