Pular para o conteúdo principal

Padre Marcelo diz não gostar de gatos porque eles são traiçoeiros


Igreja Católica
já foi perseguida
de gatos

Em missa para mais de dez mil fiéis e com transmissão pela TV, o padre Marcelo disse no começo de outubro de 2011 que gosta de cachorro, mas não de gato porque se trata de um bicho traiçoeiro. O padre tem três cachorro e foi mordido pelo vira-lata de sua mãe.

Organizações não governamentais e pessoas protetoras de animais estão exigindo do padre uma retratação para o que entendem que foi um preconceito contra o felino.

Juliana Bussab, da ong "Adote Um Gatinho", por exemplo, disse que o padre deveria evitar esse tipo de comentário porque é uma pessoa formadora de opinião.

Disse que, quando pessoas públicas dizem esse tipo de coisa, o número de adoção de gato cai. “É a fala de um padre católico em um país católico. É claro que isso tem peso.” A ong já conseguiu adoção para 4 mil gatos.


Por intermédio de sua assessoria, o padre falou ao Jornal da Tarde, de São Paulo, que a sua afirmação foi “uma brincadeira” e que não vai mais se manifestar sobre o caso.

Para a epidemiologista Angela Bellegarde, “não foi brincadeira de maneira alguma”, [porque] “ele deixou claro o seu preconceito”.

A psicóloga Thelma Nóbrega Resende disse que o padre Marcelo “deveria procurar conhecer melhor a natureza do gato, antes de dizer um absurdo que só vai condená-lo ao abandono.” Ele tem dez gatos.

Na Idade Média, a Igreja Católica foi perseguidora de gatos. O papa Gregório IX afirmou na bula Voz in Roma que o gato preto era diabólico, com “a cor do mal e da vergonha”.

Na Inquisição, muitas pessoas foram mortas sob tortura após confessar que veneravam o demônio na figura de um gato preto.


Magia negra deixa 40 gatos sem coração e cabeça em cemitério

Ministro de Israel quer deportar gatos de rua por razão religiosa




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Avelino Bego disse…
Ele blasfema contra Bastet!
Sou dono de 4 gatos. Dois machos (Oliver e Luke) e duas fêmeas (Safira e Nina). São muito dóceis e gostam de carinho. Isso é preconceito, padre, fala sério!
LEGIÃO disse…
Marcelo foi educado para discriminar. Ensinaram a ele que:

+ Mulheres devem ouvir em silêncio (se calar);
+ Negros (descendentes de Caim), não tem alma;
+ Homossexuais devem ser reprimidos;
+ O Povo deve ser conduzido como animais de pasto (rebanho), etc.

A esta altura dos acontecimentos, não me espantaria se Marcelo tivesse sido traído por um "gato"!

Miaaaaaauuuuuu!
Anônimo disse…
ALYNES2

Eu não sei o que aconteceu, não consigo mais entrar na minha conta, mas isso não vai impedir de comentar.
EU AMO GATOS, justamente por acharem eles criaturas traiçoeiras eu fiquei muito feliz de ter criado esses felinos. Todos os gatos que eu tive foram muito leais para mim e eram ótimas companhia (o que significa que os criei muito bem) Já estou pensando em ter mais, meu ultimo se foi a quase três meses T.T
Eles são tão FOFOSs2

ALYNES2
Adoro gatos! Tenho uma paixão que remonta gerações, mas acho exagero cobrarem uma retratação do padre.
Claudio Tavares disse…
Ele pode até gostar de cachorros, mas parece que não é correspondido:
http://www.youtube.com/watch?v=gbQxJPKpmzQ
Douglas disse…
Que chatice. Tanto da parte do padre quanto das ONGs.
Avelino Bego disse…
Na verdade o problema com gatos é que eles não nos obedecem e bem, isso é ruim pra alguém ligado à igrejas...
Anônimo disse…
"Na Idade Média, a Igreja Católica foi perseguidora de gatos. O papa Gregório IX afirmou na bula Voz in Roma que o gato preto era diabólico, com 'a cor do mal e da vergonha'."

É impressionante!, como começo a achar que muitas das tais bulas papais são criações de pessoas mal-intencionadas.

Não encontrei em nenhum lugar essa tal bula Voz in Roma.

E para que não pensem que sou um troll, gostaria de saber onde encontro essa bula Voz in Roma.

Gosto de ler antes de comentar.
Paulo Lopes disse…
A bula é conhecida também por "Licet ad capiendos". Para começar a encontrar alguma informação, entre no Google, coloque o nome da bula seguida da palavra "gato" e tecle enter.
Ed disse…
Que país chato esse o nosso
Avelino Bego disse…
Douglas disse...
Que chatice. Tanto da parte do padre quanto das ONGs. [+1]
Anônimo disse…
Na revista Galileu, achei:

Já na era cristã, a Inquisição veio para pôr um fim na paz entre humanos, gatos e divindades. "O bichano só começou a ser visto de forma negativa a partir do cristianismo, na Idade Média. Essa ligação maligna foi feita justamente porque era um animal atribuído aos deuses pagãos. Com a Inquisição, tudo que não era da religião católica era do mal e deveria ser queimado na fogueira", afirma Brancaglion. Profissões que tinham qualquer ligação com o gato também foram condenadas. As parteiras, por exemplo, usavam a deusa Bastet como símbolo e, por isso, foram tachadas de bruxas. No século 13, a perseguição foi ainda maior.

Com a promulgação de bulas nas quais condenava os gatos, especialmente os de cor preta, associado ao satanismo, o papa Gregório IX determinou a exterminação de centenas de felinos.
Fabiane Vinente disse…
Os gatos mandaram avisar que também não gostam do Padre Marcelo, que consideram um animal feio e sem-graça.
Anônimo disse…
Que ridiculo,é a opinião do padre.Só porque ele não seguiu o panfleto do POLITICAMENTE CORRETO ,ESTÁ ERRADO?afff
Marcos Vinicius disse…
Não simpatizo nem um pouco com esse padre, mas essa onda de "correção política" já está passando dos limites... Agora se é obrigado a gostar de tudo?
Se eu falar que cachorro é um bicho babaca que come o próprio vômito vão me processar?
Eu poderia estar ofendido com o comentário dele porque sempre preferi gatos como animais de estimação, mas simplesmente não consigo ver a relevância do comentário.
Carlos B. disse…
Eu nunca entendi porque as pessoas chamam gatos de traiçoeiros. Em qual parte do comportamento dos gatos as pessoas vêm isso?

Acho que o maior problema é as pessoas confundirem gato com cachorro. Se você espera que um gato se comporte como um cachorro, não tenha gatos. Gatos e cachorros são completamente diferentes, especialmente a comunicação. Se quiser ter esses felinos em casa procure saber como funciona a comunicação e a forma de vida deles.

Agora, quanto ao discurso do padreco, foi típico dele, que é um fanfarrão, diz coisinhas que faz com que o povão se identifique com ele - afinal, o povão parece achar exatamente isso dos gatos, que são traiçoeiros, que dá azar, que agoura, que vê espíritos, que tem sete vidas, que tudo quanto é idiotice.
Acho que é nesse momento que dizem que o cara tem carisma!
A.S disse…
Ele estava se referindo ao Fábio de Melo sacaram? O padre não gosta de gatos pq lembra o seu companheiro. kkkkkkkkkkkkkkk
Anônimo disse…
Reparem nisso, quem nao gosta de cachorro nao da enfase a isso,mas quem não gosta de gato se vangloria alardeando sua burrice.Faz questão de anunciar que não gosta.
Cognite Tute disse…
Os gatos mandaram avisar que também não gostam do Padre Marcelo, que consideram um animal feio e sem-graça. (2)

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.:-)

Cognite Tute
Anônimo disse…
Porra, que frescura!
Não gostar de gatos é uma forma de preconceito?
EU tenho preconceito com certos insetos e aracnídeos também! Por que não alertar uma ONG defensora dos animais?

Eu acho gatos muito chatos! Se eu fosse uma pessoa pública seria preso por uma afirmação dessas?
Anônimo disse…
Qual o problema com os gatos?
Anônimo disse…
Isso tudo porque o tal padre Marcelo deu só uma opinião pesoal que não gosta de gatos!

Que coisa ridícula!
Anônimo disse…
Paulo, será que não está errado essa informação sobre a bula "Licet ad capiendos"?

A única coisa que encontrei falando de gatos é a "Vox in Rama" (talvez ai etá a confussão feita por um dos comentaristas).

A tal bula "Vox in Rama" diz que o diabo aparece em forma de gatos pretos, gansos, patos, e em formas medonhas; tudo isso em reuniões (segundo a bula) satânicas.
Paulo Lopes disse…
É possível que sim, leitor das 02:32. Gregório IX emitiu duas bulas, e não uma, diferentemente, portanto, do que informei. A satanização dos gatos pretos talvez esteja mesmo na Voz in Roma, cuja íntegra ainda não achei.
Israel Chaves disse…
O problema não é o sujeito não gostar, é falar o que não sabe para pessoas ignorantes que vão aceitar como verdade absoluta cada palavra que ele disser. Um padre famoso diz isso e no dia seguinte há uma onda de envenenamentos de gatos, causados por católicos fanáticos aos gatos de seus vizinhos. Sim, acontece. Como já havia comentado em uma matéria anterior, perdi muitos gatos envenenados porque morava perto de uma Assembléia de Deus e o pastor de lá demonizava gatos.

Esse ódio estúpido é resultado de ignorância completa, e a religião costuma piorar a situação. O que as pessoas precisam é ter um mínimo de noção de biologia (ponto fraco dos cristãos) para saber os motivos de cada comportamento de um gato.
Gatos, diferente de cachorros e humanos, são animais solitários. Na natureza eles não formam sociedades como as nossas e a dos lobos, por exemplo. Caçam sozinhos, vivem sozinhos e só se encontram para acasalar, diferente de nós e dos cachorros, que dependemos da proteção do grupo e nos ajudamos mutuamente. É por isso que cães costumam ser mascotes mais populares, eles são muito parecidos conosco nesse sentido. Eles são bons em trabalhar em equipe, aceitam hierarquia e podem ser altruístas. Gatos, não. Não porque sejam malvados, traiçoeiros, egoístas e tudo o que dizem seus odiadores. Isso é a biologia do gato, ele não evoluiu para agir em equipe.
Gatos domésticos com o passar dos tempos aprenderam que ganham coisas dos humanos (comida, abrigo, segurança, carinho, etc) e por isso aceitam se associar a eles. E apesar de se apegarem as donos, nunca se apegarão tanto quanto um cachorro ou outra pessoa. Isso não quer dizer que ele seja falso ou nada assim. O que as pessoas não entendem é que o cérebro de um animal funciona completamente diferente do humano. O gato não planeja "se aproveitar" das pessoas, ele não tem consciência de estar sendo interesseiro. Não existe maldade nisso. É a mesma coisa que considerar assassinos os carnívoros que matam para se alimentar. Não interessa se o filhote de gazela é bonitinho, o leão que o estraçalhou não fez isso por maldade, fez para se alimentar, e ninguém pode ter raiva dele por isso. A lombriga que cresce na sua barriga não faz isso só para te sacanear. Esse é o jeito que ela vive, ela não planeja entrar no intestino de uma pessoa só para vê-la sofrendo, por maldade.
O maior erro das pessoas é querer atribuir características humanas a animais (o que é natural). Gatos não são pessoas, portanto não podem ser julgados como uma.
Israel Chaves disse…
O mesmo vale para qualquer animal doméstico. Geralmente as pessoas passam a tratar seus mascotes como pequenas pessoas peludas e com isso acabam deturpando a realidade, achando que o animal teve intenções que não teve, que tem desejos que não tem, que tem opiniões sendo que ele não é capaz de formar uma.
Quantas vezes já não se viu pessoas que acham que o seu cachorro tem valores como vaidade, e por isso ficam comprando roupinhas caras para ele, por exemplo? É lógico que o cachorro não faz a menor idéia de que a roupa é de qualidade, que é cara ou que ele está bonito. Se estiver aquecido, é o que importa para ele. Da mesma forma que ele não faz idéia de que tem um perfil no FaceBook, não faz idéia de para que diabos servem todos aqueles lacinhos e unhas pintadas. E ele não se importa com isso. O que faz o cachorro feliz não é isso; é correr na grama, brincar com seu dono, ser... Um cachorro. Toda a palhaçada humana que colocam nele não o torna feliz, torna o dono feliz por achar que está tornando o cachorro feliz. Tudo é só para alimentar o ego do dono, mas não tem nenhum efeito sobre o animal.
Os donos costumam humanizar demais seus animais, o que não é errado. O errado é esquecer que a maior parte do que eles pensam que o seu animal pensa, está só na sua cabeça. A relação entre espécies muito diferentes é complicada porque cada uma tenta se comunicar do seu jeito. Cachorros brincam de morder porque é o que eles fazem com outros cachorros, humanos acham que seus animais têm determinados valores porque eles os têm, gatos agem sozinhos porque é assim que eles são, eles não têm conceitos de equipe.
Mas como humanos, como os pensantes da relação, devemos saber separar o que é a nossa vontade e o que é a realidade, e já que os animais não podem aprender a nossa linguagem, nós devemos aprender a deles.
Então, o primeiro passo é parar com essa palhaçada de que gatos são isso e aquilo. Eles seriam se fossem humanos, mas não são. Então deve-se parar de tentar julgá-los por crimes que não cometeram.
Anônimo disse…
Israel Chaves, eu acho que voc~e está exagerando!

Você por exemplo não gosta do cristianismo, mas como sei que é sua opinião, sei que tenho que respeitá-la.

No caso desse padre não é a mesma situação?

Você pode alegar que Marcelo ROssi sendo famoso pode influênciar a massa a segui-lo: Um famoso ateu que faz apologia do ateísmo diante das câmeras não está então na mesma situação então?
Anônimo disse…
Mas os ateus não envenenam, ou matam os teístas!como costuma acontecer com os gatos.
Israel Chaves disse…
Anônimo das 10:39

Existe diferença entre expressar uma opinião e influenciar pessoas com ela (caso de líderes religiosos) para que se cause o mal. Tenho certeza de que você concorda que um formador de opinião não pode falar coisas como, por exemplo, de que apóia o nazismo, ou que não se deve ter amizade com negros, ou que gays não são seres humanos. Não é uma questão de liberdade de expressão, é bom senso.
Mas é a opinião do sujeito, por que ele não pode expressar?
Porque se essa opinião pode influenciar alguém a machucar outro alguém, deve-se ter cuidado com o que se diz e a responsabilidade dos danos causados também são do sujeito que "expressou a opinião" e ativou o gatilho para que um terceiro tivesse uma atitude prejudicial a alguém, que talvez não tivesse se não houvesse ouvido essa opinião.
E sobre o seu "apologia ao ateísmo", com isso você quer dizer que ateísmo é algo prejudicial e que não deve ser dito, certo? Que influenciar uma pessoa a pensar por si mesma, a raciocinar, é causar danos a ela?
Bem, isso só mostra o seu nível de entendimento das coisas. Não é de admirar que não tenha visto nada de errado em demonizar uma espécie que não tem nada a ver com as loucuras de humanos supersticiosos.
Anônimo disse…
Israel Chaves, o tal padre deu não deu só a opinião dele de que não gostava de gatos?


O tal padre em sua opinião por acaso mandou matar gatos por que não gosta desses bichos?

Me desculpe, mas estão claramente distorcendo a opinião pessoal do tal padre e fazendo disso uma polêmica desnecessária.

Se o tal padre tivesse dito que os gatos devem ser abandonados, mortos, perseguidos por serem (segundo o tal padre) traiçoeiros, ai sim deveria haver uma manifestação.

A situação está tão absurda, que até parece que o dono desse sitio está incentivando (será de próposito?) a que assinem o abaixo-assinado com uma pessoa que deu apenas uma opinião pessoal.

E volto com o meu comentário anterior:

Pessoas famosas ateias que publicamente incentivam o ateísmo não entram também nesses exemplos que o senhor mencionou?
Israel Chaves disse…
Entenda de uma vez por todas: O que ele faz é incentivar preconceito. Qualquer preconceito é ruim. Não é preciso que ele deliberadamente mande os seguidores fazerem alguma coisa; eles farão qualquer coisa que ele disser só para fazerem igual o seu ídolo, e você sabe disso. Estamos falando de pessoas ignorantes, não pessoas com capacidade e discernimento. O que ele disse, por si só, realmente não é nada demais. Mas a ignorância de seus seguidores fará com que eles distorçam um comentário e isso os levará a atitudes que causarão danos a animais inocentes. E não é pessimismo de minha parte, isso acontece, já vi milhares de vezes gente envenenar gatos porque "o pastor disse que são do demônio" e coisas do tipo.
E quanto mais você tenta distorcer o assunto, mais ignorante prova que é ao dizer absurdos como que falar sobre ateísmo causa danos (Ou pelo menos, foi o que foi o que deu a entender).
Charles disse…
Sou ateu, sou esquerda, gosto de cachorros e não gosto de gatos...mas essa conversa toda é muito chata e sem sentido, estão fazendo tempestade em copo d'água.
Anônimo disse…
Como assim, o padre não vai mais tocar no assunto? Tem de se retratar e urgente!
Anônimo disse…
Israel, só proque o tal padre deu uma opinião pessoal de que não gosta de gatos ele está incentivando o preconceito?


Eu não sou nenhum pouco admirador do Marcelo Rossi, e gosto de gatos, mas em nenhum momento fiquei chateado com a opinião desse padre.

Me desculpe Israel: mas dizer que muitos admiradores desse padre irão, ao escutar o Marcelo Rossi falar que não gosta de gato! começar a não gostar de gatos também é pura idiotice.
Anônimo disse…
As pessoas que são ateus e não ateus também não gostam de gatos e em conversas com amigos falam isso abertamente, também terão que de agora em diante ter de se retratarem?
Israel Chaves disse…
Ninguém sequer sabe o que significa o termo "formador de opinião" e muito menos tem noção de que estamos falando sobre católicos ignorantes e não de pessoas, certo?
Anônimo disse…
Israel, podemso dizer que você quer ser um formador de opinião?
Elisa Maia disse…
Poxa, preconceito contra os gatos é tanto que a maioria das pessoas não vê nada demais numa figura pública expressar isso abertamente... :( Engraçado que, mesmo as ONGs afirmando que o número de adoções diminui, mesmo a gente vendo como os gatos são maltratados por aí, continuam achando pouca coisa um líder religioso chamar gato de traiçoeiro... :(
Avelino Bego disse…
Ateus não matam teísta, mas trolls morrem de fome.

Não os alimente!
Palhaçada Total disse…
PQP!

Chororô sobre suposto "preconceito" contra gatos!

Exigindo "retratação"!

(Entendi; práxis ateísta: pra atacar um cristão, vale tudo.)

Ou a palhaçada é séria, pois agora não se pode não gostar de gatos?

E na sequência, o que mais vão inventar?

Vão gritar "gatofobia não!"?

Vão também querer proibir os cachorros de terem "preconceito" contra gatos?

E "preconceito" contra cobra, aranha, escorpião eu posso ter? Ou tá proibido também?

A palhaçada politicamente correta não tem fim.
Israel Chaves disse…
Troll disse: A palhaçada politicamente correta não tem fim.

Não é questão de politicamente correto. É questão de que um ato aparentemente inocente (e eu tenho quase certeza de que é inocente mesmo, e o padre Marcelo não estava sugerindo um genocídio de gatos) pode (e vai) ser mal-interpretado por fiéis burros. Por isso é preciso se ter muito cuidado com cada palavra que se fala para pessoas ignorantes.
Você não pode, ao ser uma figura respeitada cuja opinião é ouvida sem questionamento, dizer algo que possa levar a causar danos a inocentes. Por exemplo, mesmo que odeie estrangeiros, não pode fazer com que sua opinião influencie pessoas a discriminarem esses estrangeiros. E nesse caso é pior, pois os gatos não serão discriminados; serão envenenados.
Mas você deve ser da mesma turma daquela menina que queria afogar os nordestinos quando a Dilma ganhou, certo? Porque a atitude dela e do padre foram muito parecidas em certos termos.
Quem não vê nada de errado é porque simplesmente não liga que gatos sejam mortos.
Anônimo disse…
Israel Chaves, por favor deixe de incoerência!


Você já está misturando assuntos que não tem nada haver.

Você quando chama os cristão de burro você então não estaria incentivando um ódio contra os cristãos?

Seu raciocinio é esquisito!
Anônimo disse…
Não,anônimo o raciocínio de Israel está correto.É,como ele disse; em certos termos parecidas as atitudes do padre e da estudante.Você é quem mistura as coisas ou finge não entender.Outra coisa,gatofobia ou felinofobia assim como caninofobia existem.Gayzista é que não existe em nenhum dicionário.
Anônimo disse…
Anônimo, então os cristãos tem todo o direito de processar os ateus radicais. Perseguição e preconceito religioso existe também no dicionário e também está na nossa constituição.
Anônimo disse…
Bobalhão! Não tem experiência de vida suficiente pra não falar esse tipo de bobagem em público??? E se eu dissesse: ”gosto de todo o tipo de gente menos dos padres, eca” O que vc acharia? Você é criatura de Deus como os gatinhos.
Alenônimo disse…
Vocês falando aí do Papa Gregório IX e de como começaram a matar gatos, só esqueceram de mencionar que gatos são predadores de ratos e que ratos eram o principal vetor da Peste Negra.

Ou seja, começaram a matar os gatos, os ratos perderam um predador, se multiplicaram e, como as condições sanitárias na Idade Média não eram lá essas coisas, todo mundo começou a pegar a Peste Negra. Tudo por culpa da Igreja Católica.
Anônimo disse…
Anônimo de 15:28, se voc~e falasse isso seria preso por perseguição religiosa. Está na constituição.

Assim como o Israel Chaves pode muito bem ser processado por ofender os cristãos.

Tem muitos ateus aqui que não perceberam que eles podem serr procesados por coisas que eles mesmos apoiam.

Já existe leis punindo ataques contra animais e também pessoas.

Você está sendo é infantil.
Anônimo disse…
Malafaia ou Bolsonaro(também) podem ser processados por ofender os homossexuais mesmo sem lei específica de criminalização da homofobia,mas se alguém sugerir que isso é passível de ocorrer face à constituição vão falar que seria um absurdo completo que vão desde de discriminação(e ninguém deveria discriminar ninguém a despeito de nada) e preconceito ou intolerância religiosa contra grupos cristãos a ditadura,império,nação gay ou homossexualização[gayzificação ou boiolização] do grossão da população via ONU e outros desatinos piores.Quanta incoerência.
Anônimo disse…
Além da velha desculpa do tolhimento da liberdade de expressão.Uma remenda falácia do espantalho.
Anônimo disse…
*Uma remenda(um remendo)de falácia do espantalho*
Ricardo disse…
Eu não gosto de baratas e escorpiões, embora eles também façam parte da cadeia biológica e devem ter lá alguma função, seja qual for. Será preconceito de minha parte? Será que eles também são representados pelas ONGs protetoras dos animais? Afinal de contas eles SÃO animais.
Anônimo disse…
RIDÍCULO todo esse caso. Nosso mundo está ficando politicamente corretinho a ponto de que falar que não gosta de gatos é considerado preconceito?! Pós-conceito! É uma generalização formada a partir de experiência, não um julgamento irracional, como costuma ser o preconceito.
Então agora todos precisam gostar de todas as características de todos os seres? Todo comportamento deve agradar-me em tudo? Digo: não gosto de fumantes porque a fumaça me incomoda. Qual parte disso é preconceito? Se os fumantes são pessoas que generalizadamente fumam, e o fumo me irrita, então posso dizer com toda razão que os fumantes me incomodam.
Quanto à questão de que ele é uma pessoa formadora de opinião, só lamento mesmo que existam pessoas realmente infelizes, burras e mal-orientadas que levam suas vidas ouvindo e seguindo opiniões sem questionamento. Problema delas se elas interpretam mal alguma coisa e saem por aí queimando gatinhos. Ninguém fez esse tipo de escolha por elas.
Anônimo disse…
A sociedade está cada vez mais histérica.....

Tudo grita! Preconceito contra tudo!

Daqui a pouco todos andarão de esparadrap na boca, porque tem sempre um idiota ambulante que se ofende. Psicóloga falando da psique do gato? Show!
Anônimo disse…
Dizer que o padre é babaca, é uma redundância. E realmente dizer que não gosta do bichano em rede pública pra milhões de telespectadores ignorantes, carentes de sabedoria, acarreta um mal terrível, como ondas de envenamentos e chacinas de gato. Parece até piada, pena que não é.
Anônimo disse…
Ah os padres católicos...sempre mandando mensagens de alegria e união.
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Paulo Lopes disse…
O blog deleta comentários escritos só com letras maiúsculas.
Anônimo disse…
QDO EU ERA PEQUENA MEU VIZINHO E AVÓ, AMBOS CATÓLICOS, ME DISSERAM QUE JESUS TEVE SEDE E O GATO MIJOU NO COPO E DEU-LHE; JÁ O CACHORRO DEU-LHE ÁGUA. ELES CRIAM PIAMENTE NISSO. MESMO SENDO PEQUENA ACHEI ISSO UM ABSURDO E PARA MIM CATÓLICISMO E ESTUPIDEZ SE TORNARAM SINÔNIMOS. HOJE EM DIA SEI QUE ESTUPIDEZ FAZ PARTE DA MAIORIA DAS RELIGIOES
Anônimo disse…
Vejam só como é o preconceito, mesmo o homem tendo sido mordido por cachorro ainda acha que o gato é o traiçoeiro. Isso funciona com todo o tipo de preconceito, a realidade é interpretada e até ignorada para confirmar uma idéia preconcebida.
Anônimo disse…
Deixe de ser simplista. A única coisa que você consegue argumentar com o exemplo da mordida do cachorro é que ser mordido é razão para não gostar do animal. Mesmo assim, pode-se ser mordido e ainda preferir cachorros sobre gatos, por uma razão qualquer a critério do opinador (pode-se pensar que os cachorros são mais carinhosos e agradáveis que gatos. Isso basta para fundamentar uma opinião)

Essa panelinha das ONGs é uma escrotidão sem tamanho. Agora, sempre que eu matar uma barata aqui em casa, virão os frufrus protetorezinhos do meio-ambiente me acusar de "preconceito" contra as baratas?
Anônimo disse…
Traçoira são as autoridades católicas em que em nome de uma falsa santidade, obriga o ser humano a ser celibatário. VIVA LOS GATOS.
Anônimo disse…
Que bosta, quer dizer que daqui em diante, se entrar um rato sujo e transmissor de doenças ou uma onça nós somos obrigados a dizer "ah, não, eu sou politicamente correto e tenho que amar todos os bichinhos" então você deixa o bicho comer a todos, até você e pronto? Legal, agora vou fazer uma ONG aos bois, porcos porque eu vou morrer de fome virar um desnutrido e por isso serei politicamente correto.
Anônimo disse…
Minha ONG vai ser em proteção à todos os bichinhos comestíveis. Frase de protesto: "Não deixem os animaizinhos morrerem... em mãos de cozinheiros ruins. Apenas em chefs, e cozinheiros bons! Façam os bois mal passados!"
E agora, não vou mais matar baratas e insetos, ou eles atazanarão Jesus e Deus no céuzinho bonitinho.
DU0 disse…
Traiçoeiro é quem ganha a vida ameaçando os outros com condenação ao inferno.
Anônimo disse…
Traiçoeira são os gatos e as ongs!
Bel Alves disse…
Se ele dissesse que não gosta de gatos, eu não veria nada demais. É uma questão de preferência; eu, por exemplo, não gosto de cachorros. No entanto, não vou na TV dizer que cachorros são traiçoeiros, ou perigosos, que podem morder, matar, etc.

Uma coisa é dizer que tem preferência por determinado animal, outra coisa bem diferente é alimentar ideias pré-concebidas sobre determinado animal (por quanto tempo e com quantos gatos o padre Marcelo conviveu para dizer que eles são traiçoeiros?)

E, francamente, se "liberdade de expressão" existe, deve ser direito de todos, e não apenas do padre Marcelo. Portanto, se ele tem o direito de dizer que os gatos são traiçoeiros, então tanto as ONGs quanto qualquer outra pessoa tem todo direito de dizer que ele é um imbecil por dizer uma patacoada dessas.

Eu acho incrível como algumas pessoas, quando não gostam de uma crítica, dizem que é "coisa de politicamente correto" e invocam a "liberdade de expressão", como se esse direito coubesse apenas a quem falou a besteira, mas não para os que se incomodaram com o dito.
Anônimo disse…
Mas isso é politicamente corretinho. Liberdade de expressão existe, mas as ONGs são politicamente corretas. Mas eu concordo com você.
Anônimo disse…
Nada de politicamente correto.O padre falou besteira.Uma besteira sem tamanho e sem necessidade.Os gatos são excelentes pets e se ele não gosta não precisa ir à televisão falar isso.PONTO.
Anônimo disse…
Olha aí gente! Até para os gatos sobrou preconceito da época da inquisição. De fato, um padre jovem, com umas rugas aparecendo, mas com mentalidade da idade média, mas naquele período as pessoas não tinham gatos?
Fabiano disse…
O problema não é o padre não gostar de gatos. O problema é tratar-se claramente de algo baseado em conceitos retrógrados e que já prejudicaram muitos animais.

Como uma pessoa pública, é irresponsabilidade propagar tais conceitos.
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse…
Esta porcaria desta "bostalog" é completamente parcial! Apagaram meus posts anteriores pq continham palavrões. Porém, lá em cima tem uma pessoa que escreve o texto todo em letras maiúsculas, sendo proibido pelo dono do blog, e mesmo assim deixam...

Vai levar a sério isto??
Anônimo disse…
acho que...
isso ñ é certo!!
eles são filhos de DEUS!
eles sofrem,amam,se divertem,comem,dormem...
enfim..
são como nos.merecem cuidado,amor,atencao!!
Anônimo disse…
Marcos Vinicius disse... (E eu concordo com esse trecho em gênero, número e grau)

" ...mas essa onda de "correção política" já está passando dos limites... Agora se é obrigado a gostar de tudo?
Se eu falar que cachorro é um bicho babaca que come o próprio vômito vão me processar?
Eu poderia estar ofendido com o comentário dele porque sempre preferi gatos como animais de estimação, mas simplesmente não consigo ver a relevância do comentário."

Fala sério!
Não se pode mais brincar com nada?!
A que ponto chegou a babaquice do "politicamente correto!!!
MinhaKynha disse…
Em se tratando de um padre que representa uma Igreja já falida e que vê a cada dia aumentar desconfiança de seus seguidores com tantos escândalos, tantos casos absurdos de abusos por parte de seus pretensos lideres..o que o padre em questão disse é realmente fantástico!

Ainda mais quando a Igreja que representa "
Na Idade Média, a Igreja Católica foi perseguidora de gatos. O papa Gregório IX afirmou na bula Voz in Roma que o gato preto era diabólico, com “a cor do mal e da vergonha”.

Tem também uma coisa que me deixou atônita, como é que um padre que gosta só de Cãezinhos - não tenho nada contra, até os amo- pode dizer uma coisa dessas sobre os bichanos se "O padre tem três cachorro e foi mordido pelo vira-lata de sua mãe."

É pra morrer de rir...kkkk
Anônimo disse…
não gosto de gatos
Anônimo disse…
É porque o gato não feito um abestalhado abanando o rabo p/ o dono a todo momento. o Gato é individualista, quando te pede carinho não só por causa de ração ele vem peeeddir carinho mesmo, fica ali por hoooras no seu colo sem fins de interesses!!
Mesquita disse…
Todos nós temos as nossas preferências, particularmente prefiro gatos a cães.. Acontece
que o Padre é uma personalidade pública e a opinião dele interfeeere na decisão do povo que o segue! (muuitos na ignorância por sinal), o gato já é discriminado por ele não ser baba ovo que nem o cão, e o padre ainda dá essa mancada?? ele tem o direito de não gostar, mas por favor!!! guarde a opinião p/ te padre(é mais inteligente da sua parte).
Anônimo disse…
Concordo com vc ,pq todo mundo odeia gatos!! Eu tbem tenho uma gata chamada Nina!O povo ama os retardados dos cachorros!!
Anônimo disse…
Olá, boa tarde!

Para quem não sabe... os animais também representam Deus através de mensagens. Como por exemplo, temos no Apocalipse muitos animais, como leopardos, leões, etc. Cada um animal têm um significado, isto é, uma mensagem para os humanos. Assim, podemos saber que animal nenhum tem ligação com o Diabo não... Isso a meu ver, o Diabo não existe. Logicamente, os animais são mensageiros de Deus porque eles têm um instinto dócil ou agressivo, já de natureza -, assim como todos nós humanos.
Anônimo disse…
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHH CALABOCA Cachorro não tem pré conceito nenhum idiota. CACHORRO NÃO PENSA O IMBECIL!!!!!!!!!!!!!!! BANDO DE BURRO, nem sabe o significado de preconceito e ficam falando.
Anônimo disse…
ah que bom, parabéns por expressar sua opinião com tantos argumentos convincentes.
Mariane disse…
Tem muitas pessoas que não gostam de gatos porque eles são seres independentes e que tem amor próprio. Não são submissos, ao contrário dos cachorros.

As pessoas querem ver rabos serem abanados, orelhas abaixadas quando falam mais alto e o gato, felizmente, não faz nada disso! Não cede aos caprichos do homem, pois tem personalidade e como qualquer ser vivo, vontades próprias. Daí vem o preconceito e a fama de traiçoeiro.

Quanto mais eu conheço a humanidade, mais eu gosto dos gatos! Eles não são falsos e não tentam agradar ninguém.

É através destes projetos de gente que se conhece a ignorância da igreja católica.
Keli disse…
Odeio gatos! O padre está certo e no direito dele. Ongs chatas. Ninguém é obrigado a gostar de gatos. Se ele falasse ratos ou baratas, ninguém se pronunciaria contra.
Carlos disse…
Na verdade os gatos não nasceram para serem domesticados, eles têm identidade própria.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Escola Estadual Igreja Evangélica muda de nome e deixa de afrontar o Estado laico

Marceneiro exigia obediência bíblica de filhas para estuprá-las

Moças afirmam que o pai usava a Bíblia para persuadi-las Duas jovens — uma de 16 anos e outra de 18 — de Cariacica (ES) acusam o seu pai, um marceneiro, de abusar sexualmente delas com o argumento de que a Bíblia exige dos filhos obediência aos pais, que é uma lei de Deus. Vários trechos bíblicos se referem a essa obediência, como em Colossenses 3:20: “Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor". Cariacica tem mais de 340 mil habitantes e fica a 15 km de Vitória. A mulher do marceneiro o denunciou à polícia, e ele negou a violência. Mas as jovens relataram em detalhes os abusos que vinham ocorrendo havia seis meses. Inicialmente, uma não sabia que a outra era vítima de igual violência. Os relatos das jovens são parecidos entre si. O estupro se dava na casa deles, no segundo andar, geralmente após o marceneiro lembrar que a Bíblia diz que os filhos têm de fazer tudo que os pais mandam. A mãe ficou sabendo da violência no sábado, dia 1

Evangélico, chefão do tráfico no Rio manda fechar igrejas católicas

Ministro do STF critica a frase ‘Deus seja louvado’ do real

Marco Aurélio lembrou  que somente no  império  a religião era obrigatória  O ministro Marco Aurélio (foto), 65, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que não consegue conceber “que nas notas de moedas do real nós tenhamos ‘Deus seja louvado’”, porque isso fere a laicidade do Estado. Em uma entrevista ao UOL, lembrou que na argumentação de seu voto favorável à descriminalização do aborto de fetos anencéfalos, em abril, ressaltou que o Brasil não está mais no império, “quando a religião católica era obrigatória e o imperador era obrigado a observá-la”. “ Como outro exemplo de incompatibilidade com o Estado laico ele citou o crucifixo do plenário do STF. “Devíamos ter só o brasão da República.” Aurélio elogiou a decisão do Tribunal de Justiça gaúcho pela retirada do crucifixo de todas as suas dependências, o que demonstra, segundo ele, que o Rio Grande do Sul é um Estado que “está sempre à frente em questões políticas”. Celso de Mello, outro ministro do Supremo, já

Intel deixa de ajudar escoteiros que discriminam gays e ateus

Arcebispo afirma que vida dos descrentes não tem sentido

Para Battisti, o sentido da vida está no sobrenatural  O arcebispo Anuar Battisti (foto), 59, de Maringá (PR), escreveu um artigo onde aborda um tema recorrente por parte de religiosos, o de que não há sentido na vida dos descrentes em Deus. “Este ambiente de descrença, misturado com ateísmo, leva a pessoa a viver no deserto da vida sem gosto, sem rumo, vagando em busca de um sentido”, escreveu dom Battisti no artigo publicado no Diário.com. “A ausência de Deus cria na alma humana um vazio de sentidos que leva ao desespero, à negação de tudo o que diz respeito ao sobrenatural”, acrescentou. A americana Paula Kirby, consultora de organizações seculares, escreveu recentemente no Washington Post que quem precisa de Deus para que a sua vida tenha um significado é porque a sua família e amigos, em tese, não têm nenhum valor. O que, obviamente, é um absurdo. Ninguém precisa de Deus, por exemplo, para amar seus filhos. Kirby argumentou que é o cristianismo que tenta tirar todo

Médico acusado de abuso passa seu primeiro aniversário na prisão

Roger Abdelmassih (reprodução acima), médico acusado de violentar pelo menos 56 pacientes, completou hoje (3) 66 anos de idade na cela 101 do pavilhão 2 da Penitenciária de Tremembé (SP). Foi o seu primeiro aniversário no cárcere. Filho de libaneses, ele nasceu em 1943 em São João da Boa Vista, cidade paulista hoje com 84 mil habitantes que fica a 223 km da capital. Até ser preso preventivamente no dia 17 de agosto, o especialista em reprodução humana assistida tinha prestígio entre os ricos e famosos, como Roberto Carlos, Hebe Camargo, Pelé e Gugu, que compareciam a eventos promovidos por ele. Neste sábado, a companhia de Abdelmassih não é tão rica nem famosa e, agora como o próprio médico, não passaria em um teste de popularidade. Ele convive em sua cela com um acusado de tráfico de drogas, um ex-delegado, um ex-agente da Polícia Federal e um ex-investigador da Polícia Civil. Em 15 metros quadrados, os quatros dispõem de três beliches, um vaso sanitário, uma pia, um ch

PSC radicaliza ao dar apoio a Feliciano, afirma Wyllys

por Ivan Richard da Agência Brasil Deputado disse que resposta também será a radicalização O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na foto, criticou a decisão do PSC de manter o pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorais da Câmara. Para Wyllys, o acirramento dos ânimos por parte do PSC pode provocar ainda mais confusão nas sessões da comissão. Feliciano é acusado por de ter feito afirmações homofóbicas, como a de que a "Aids é câncer gay", e racistas. “Não falo em nome do movimento [LGBT], mas, se um lado radicaliza, o outro tende a radicalizar. Se o PSC radicaliza e não ouve a voz dos movimentos socais, das redes sociais, o pedido para que esse homem saia da presidência, se a tendência é radicalizar e não dar ouvidos, é lógico que o movimento radicalize do outro. Isso não é bom para a Câmara, para o Legislativo, para o PSC, nem para o país”, disse Wyllys. Wyllys afirmou que as lideranças do PSC estão “confundindo” as criticas ao

Nobel da Academia Pontifícia diz a bispos que a evolução é fato

por Telmo Pievani , do Corriere della Sera Arber acredita que fé e ciência são compatíveis O presidente da Academia Pontifícia das Ciências, Werner Arber  (foto), biólogo prêmio Nobel de Medicina em 1978, proferiu, no dia 12 de outubro passado, uma conferência sobre as relações entre ciência e fé, apresentada ao pontífice e aos membros do Sínodo dos Bispos, na qual ilustrou com clareza as bases da explicação evolucionista contemporânea. O texto na íntegra está disponível no site da Academia . No contexto de uma reflexão "sobre as mútuas relações e compatibilidades entre o conhecimento científico e os conteúdos fundamentais da fé", Arber escolheu como exemplo de aquisições científicas essenciais a evolução do universo e a evolução da vida sobre a Terra, como "fatos científicos estavelmente verificados". O microbiologista da Universidade de Basel, que sucedeu a Nicola Cabibbo no fim de 2010, explicou ainda que as variações genéticas espontâneas e a seleção