Não existe sacrifício de animais nos rituais do Candomblé

por Eduardo Pereira Odùdúwa

Sacrifício? Onde está ele? Até onde eu saiba (e sou do Candomblé faz muito tempo), todos os animais utilizados no culto servem de alimento para a comunidade que vai prestigiar a festa, sem discriminação. Inclusive muitos evangélicos sem ter comida em casa costumam chegar de mansinho ou mandar seus filhos buscar dessa comida na hora da distribuição.

Se é para proibir, então vamos proibir o sacrifício dos bois e porcos que são mortos a pauladas nas fazendas e matadouros.

Vamos proibir o sacrifício dos frangos que passam trinta dias sem dormir, comendo ininterruptamente nas granjas.

Vamos proibir o sacrifício dos peixes que são arrancados brutalmente de seu habitat e morrem por falta de oxigênio fora d'água.

Vamos proibir ainda o sacrifício dos cães e gatos que vivem nas ruas entregues à própria sorte, sendo mal tratados.

E, por último, devemos proibir mesmo é o sacrifício dos mendigos (hoje "moradores de rua") que vivem humilhados e discriminados pela sociedade.

Morre a cadela mutilada durante ritual de magia negra.
agosto de 2010

Casos de violência contra animal.      Posts de leitor.

Comentários

Anônimo disse…
é disso que sempre falo, nenhum infeliz desses deputados nao apresenta um projeto de lei que favoreça os dalets brasileiros, mas projetos de leis idiotas como esses e de uniao gays eles brigam que nem o capeta.
Elisa Maia disse…
Eu sou super a favor de regulações rígidas para evitar o sofrimento desnecessário de animais.
Douglas disse…
Se os animais são usados para consumo e são abatidos de maneira rápida (sem torturar a criatura) não vejo problemas. Mas o texto deixa uma brecha:
"todos os animais utilizados no culto servem de alimento para a comunidade". Se "utilizados" = "mortos por motivos religiosos", então, sim, há sacrifício religioso, não importando se são usados posteriormente para consumo.
Mas como esses animais são utilizados? Se são mortos segundo regras do culto, quais são as regras? Porque? (Não é uma afronta, quero mesmo saber).
Não poderiam apenas abater os bichos para consumo da comunidade e pronto?
miss m disse…
Há sacrifrício para o ritual, mas depois ele é preparado para comer. E sim, é abatido de forma "normal" não se "tortura" o animal.Não há regras específicas para o abate no culto no sentido de tortura.Até onde eu saiba, mas não sou da religião, mas tenho amigos que sim, e eu sempre perguntei mujito as coisas para eles.
miss m disse…
Obs:Inclusive, tem vertentes que nem isso faz. Não dá para generalizar. Fulano coloca todas as religiões afro no mesmo saco, e não é assim!Varia de cada terreiro, varia de cada vertente...
Anônimo disse…
Se sacrificam o animal para exú, iemanjá ou quem quer que seja e depois o comem, qual é o problema?

Acho errado fazer despachos, que são aquelas galinhas mortas que todos nós já vimos em alguma encruzilhada.
ddragoonss disse…
Exatamente miss m, confundir Umbanda com Candomblé é igual a chamar chinês de japonês, ou dizer que porto-riquenho é mexicano, ou confundir católico com protestante.
Há sacrifícios sim, principalmente em trabalhos, os famosos "despachos" em que normalmente se matam galinhas, usa-se o sangue para molhar a oferenda (as vezes banha-se aquele que pede o trabalho) e o corpo do animal é colocado juntamente com as outras oferendas, para depois ser devidamente "despachado" em algum lugar, geralmente esquinas e encruzilhadas. Isso sem falar em outros animais sacrificados como jabutis, galinhas d'angola, cabras e até mesmo bois, em que usa-se nominalmente a cabeça e (no caso do boi) por uma obviedade o corpo é aproveitado.
Vejam bem, se é aproveitado o que sobra do sacrificio, e não o inverso (o trabalho é feito com o que se sobra do banquete).
E sim, umbanda, quibanda e candomblé são religiões diferentes, mas basicamente tem todas mesma raiz e sofreram o mesmo sincretismo.
Douglas disse…
Ao Anônimo:
Estou fugindo um pouco da questão da utilidade do sacrifício após o evento ocorrer. Minha questão quando perguntei das "regras" (por falta de palavra melhor), é a razão do sacrifício. Um tanto ingênuo da minha parte, mas me parece que outras vertentes de mesma raiz tratam das mesmas questões sem a prática do sacrifício.
Anônimo disse…
mas projetos de leis idiotas como esses e de uniao gays eles brigam que nem o capeta.




Direitos humanos é lei idiota agora? Enfim, não é a discussão do tópico. Só acho que quem compara animais abatidos em matadouros (com tiro de ar comprimido na cabeça e que mata na hora) aprovado pela vigilância sanitária com animais degolados no fundo de quintal com o propósito de ver o animal sofrer até morrer não merece o mínimo de atenção.

Ainda há quem pense que os humanos são a espécie mais importante da Terra. Maldita bíblia!
Anônimo disse…
Acho que na Holanda essa lei não teve tanta rejeição. É assim que se compara o nível de cultura entre duas populações.
ddragoonss disse…
Anonimo das 22:47, "Direitos humanos é lei idiota agora?"
Como é que é? Mas heim?
"Direitos humanos"... para outros animais? Como assim?
Acho que você não entendeu toda a hermenêutica altamente 'complexa' do termo "direitos HUMANOS".

E por falar nesse terminho que você não compreendeu bem:
"Esses direitos são a liberdade, a propriedade, a segurança e a RESISTÊNCIA À OPRESSÃO."
"Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular."
ddragoonss disse…
E seguindo os comentários desse povo aqui, aqui, do próprio titio Hitler em pessoa e de MUITOS outros "pro-animais"(principalmente do PETA e outras organizações), realmente o senhor não deveria falar de "direitos humanos", o que esses "amantes dos animais" menos pensam são em humanos, entre deixar vivo um humano ou um filhote de cachorro(ou gato) fofinho, sei que esse povo escolheria a segunda opção sem pensar duas vezes.

Eu tenho é medo.

Sou e continuarei sendo a favor da plena liberdade e da não-violência para humanos, para homo sapiens. Uma questão de "egoismo"?
Sem duvida, mas acho melhor do que preferir uma especie por ser "fofinha" ou "cuti-cuti"(ninguém se importa com a morte das lampreias, de aranhas ou dos aye-aye); ainda acho melhor do que matar, ferir a liberdade e maltratar humanos para salvar outros animais como certos "eco-ambientalistas" fazem.
Alenônimo disse…
Matar animal para comer, de preferência minimizando seu sofrimento = OK

Matar um animal para comer, deixando ele sangrar até a morte enquanto você reza ou algo equivalente = ERRADO

Matar um animal só pra fazer um ritual religioso = MUITO ERRADO

Não é difícil entender essa lógica, eu espero. Se o Candomblé faz o primeiro e a Umbanda faz o segundo e/ou o terceiro, não vejo como a lei deveria trazer prejuízos para o Candomblé. A Umbanda que se foda, se for o caso.

Talvez a lei deveria focar mais no animal e no seu uso do que na descrição "por motivos religiosos". Eu definitivamente não me importo se a morte do animal ocorrer por motivos religiosos mas de uma maneira humanizada, minimizando a dor e fazendo de maneira rápida, como esperamos que façam os pecuaristas.

Percebam que, mais do que a Umbanda, uma lei dessas afeta principalmente os judeus e os muçulmanos. Eles é que gostam de matar animal e vê-lo estribuchando enquanto fazem uma rezinha. Evitem carnes kosher e halal.

Eu até gostaria de dizer que acho errado matar animais e ponto final, mas minha dieta onívora ainda requer sacrifícios. Mal posso esperar para substituir animais por carnes sintéticas. Como um bloco de tofu inteiro se ele tiver sabor e consistência de uma bisteca. Se tiver as proteínas sem aquela gordura, melhor ainda. Duvido que a indústria pecuária veja isso com bons olhos. =P
Alenônimo disse…
Ficou faltando um pedacinho do meu texto. Ah, deixa pra lá. :P
Warner disse…
Religião que envolve o sacrificio de algum inocente, a troco de que ? Os Deuses precisam de sangue ? Quem precisa de sangue são os humanos.De preferencia dos outros e dos que não podem se defender. Se vai comer o bicho, que coma. Envolvelo em nossas crendices sem fundamento e de uma inutilidade absurda. Só vale para os que obtem vantagens pecuniarias.
Anônimo disse…
Nos comentários dele, até está certo. Pois todos estes maltratos existem com os animais que comemos.
Mas quanto aos rituais ele está por fora, pois existem sim rituais com sacrifícios de animais, frango, coelho, bode e outros. E na feitiçaria e Satanismo existem rituais com sacrifícios humanos de todas as idades , com requintes de cruéldade.
Jonas potialves@ig.com.br
Anônimo disse…
vc precisa andar por ai e vera a macumbaiada repleta de animais.

acho q deviam deixar os macumbeiros quietos, pois o brasil é livre.
Anônimo disse…
ddragoonss, você é analfabeto funcional? Eu vou repetir o que eu disse e espero que dessa vez você entenda:

"'mas projetos de LEIS IDIOTAS como esses e de UNIÃO GAY eles brigam que nem o capeta.'



Direitos humanos é lei idiota agora? ENFIM, ESSE NÃO É O ASSUNTO DO TÓPICO."


Dê ênfase no que está escrito em letra maiúscula, se mesmo assim você teve dificuldade.


Prefiro nem comentar o resto para evitar a fadiga.
Renata D'Omolu disse…
Pessoal o sangue nada mais é do que nossa essência... A molécula sanguinea formada...pronto temos uma vida, nós do candomblé não damos aos Deuses a comida para comer e sim a essencia da vida, para trocarmos forças naturais de humanos para Orixá (natureza) e receber de Orixá (energia) para humanos... O que fica lá como simbologia é a cabeça e as patas e qdo tem as asas do animal... O restante limpamos, preparamos com um Bom tempeiro e comemos...
Sobre o que o rapaz acima falou de galinhas INTEIRAS na encruza... Bem isso não faz parte do Candomblé... Isso infelizmente é coisa de gente marmoteira...
E por favor pessoal não comparem umbanda que tem cento e poucos anos com o Candomblé que é uma religião milenar (APROXIMADAMENTE 6 MIL ANOS)COMPROVADA POR ESTUDIOSOS MUNDIAIS QUE NADA TEM A VER COM A RELIGIÃO.
Infelizmente gente ruim tem em toda religião... Portanto não generalizem algo que não conhecem e se quiserem conhecer e provar um belo banquete feito no Candomblé... Avisem... Estão convidados!
Anônimo disse…
De boas, não sei se é o candomblé, mas se passar nas esquinas aqui da região onde moro o que mais se vê são as tradicionais oferendas com galos e outros animais mortos. Já vi até cachorro.
LEGIÃO disse…
Deuses são monstros que se alimentam de inocentes.
LEGIÃO disse…
Entregar-se à morte é suicídio.

Jesus, o Cristo, entregou-se à morte.

Logo, Jesus suicidou-se.
Anônimo disse…
De qualquer forma, sou contra todo e qualquer sacrifício de animais, seja ritualístico ou "produção". Ambos são abomináveis!
Anônimo disse…
Tenho uma curiosidade, alguém sabe me informar qual o valor do sacrifício no ritual?
Anônimo disse…
http://www.paulopes.com.br/2011/10/afro-brasileiro-critica-proposta-para.html

Então né, tem gente que é contra a proibição do sacrifício, portanto, existe sim.
Anônimo disse…
Tem que proibir mesmo esse bando de macumbeiro da porra
Invocam o capeta e só se fodem, continuem assim acabando com a vida otários!!!
Outro dia cheguei perto de uma menina e ela era candomblé tava fedendo vela e galinha queimada!
Como alguem pode gostar disso
sauhuhashuashuashuahuahuahus
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
My Michelle disse…
Disse tudo!! Continue com toda essa iluminação que você vai longe! Um abraço!
PRISCILA FRANÇA disse…
Oi Miss m, a tortura depende do seguimento do candomblé. No jeje não há tortura, mas existe outro seguimento, que não vou citar para evitar polêmica, em que o pescoço do frango, por exemplo e arrastado num chão áspero até que ele morra. Esse tipo de abate, com certeza, deve ser evitado.

-------- Busca neste site --------


------------------- HOME ------------------