Lugares sagrados de Jerusalém viram Disneylândia de Jesus

Título original: Disneylândia de Jesus

por Luiz Felipe Pondé para Folha

"Locais religiosos sempre
atraíram todo tipo de heistéria"
O mundo acabou. Não viaje. Assista a filmes em casa ou vá para cidades sem graça do interior. O mundo foi tomado por um tipo de praga que não tem solução: os gafanhotos do sucesso da indústria do turismo.

O horror começa nos aeroportos, que, graças ao terrorismo fundamentalista islâmico, ficaram ainda piores com seus sistemas de segurança infernais. Esse mesmo terrorismo fundamentalista que faz as "cheerleaders" dos movimentos sociais sentirem "frisson" de prazer na espinha.

Uma grande figura do mercado de análise de comportamento me disse recentemente que, em poucos anos, só os pobres (de espírito?) viajarão.

Tenho mais certeza disso do que da aritmética de 2 + 2 = 4. Aeroportos serão o último lugar onde você vai querer ser visto. Gostar de viajar hoje pode ser um forte indício de que você não tem muita imaginação ou opção na vida.

Veja, por exemplo, o que aconteceu com os lugares sagrados de Jerusalém. Aquilo virou uma Disneylândia de Jesus. Imagino que, dentro de alguns anos, teremos atores fracassados do Terceiro Mundo vestidos de Judas-Patetas, Maria-Branca de Neve, Tio Pôncio-Patinhas, Pedro-Duck e, é claro, Mickey-Jesus-Mouse.

Locais religiosos sempre atraíram todo tipo de histeria. A proximidade com ela pode fazer você duvidar da existência de Deus.

Ateus são fichinha em comparação à histeria religiosa como argumento contra a viabilidade de um Deus bom e generoso. Nesse caso, a náusea faz de você um ateu.

Às vezes, tristemente, a diferença entre visitas belas a locais sagrados parece ser apenas o número maior ou menor de nossos semelhantes crentes em Deus.

Ou, dito de outra forma, o inferno é um lugar onde tem muita gente em surto místico.

Jesus deve ter uma paciência de Jó, com seus fiéis cheios de máquinas digitais e filmadoras chinesas querendo devassar a intimidade de sua mãe e de seus discípulos mortos já há tantos séculos.

Aliás, estou seguro de que, em breve, Jesus será "made in China", "at last". Se assim acontecer, terão razão aqueles que afirmavam ter sido ele um Messias "fake"?

Pessoalmente, torço para que Jesus sobreviva a essa "nova paixão", por obra da qual ressuscitar deverá ser algo como um show de efeitos especiais feitos por computação gráfica barata. Os fiéis pós-modernos deram um novo significado à expressão nietzschiana "Deus está morto". Nesse caso, Deus virou batata chips de free shop.

No início dos anos 90, ainda era possível ir à catedral de Córdoba, na Espanha, e experimentar sua beleza moura. Já em meados dos anos 2000, ela era um terreno baldio para as invasões de gafanhotos.

Hoje, estive (escrevo dias antes de você ler esta coluna) na igreja da Agonia, em Jerusalém, conhecida também como igreja de Gethsêmani, local onde Jesus teria suado sangue antes de ser preso. Um belíssimo local.

Em seguida, alguns passos descendo a ladeira do monte das Oliveiras (onde fica Gethsêmani), fui a outro local, maravilhoso, que não vou dizer qual é porque espero que ninguém fique sabendo; assim, quem sabe, esse lugar ainda durará algum tempo antes de virar mais um Hopi Hari de Jesus com seu ruído de famílias de classe média em excursões místicas.

É importante dizer que já fui a esses locais inúmeras vezes e que, portanto, tive o desprazer de ver Jerusalém virar uma cidade devastada pela horda de tarados com máquinas digitais e filmadoras chinesas. Além de suas camisetas com slogans pela paz mundial.

Depois da destruição de Jerusalém pelos romanos por volta do ano 70 d.C., vemos agora a infestação da cidade santa pelos histéricos pentecostais e seus berros em nome do Espírito Santo.

Além, é claro, dos judeus ortodoxos obsessivos mal-educados e dos muçulmanos fanáticos com seu grito bárbaro "Allah Akbar" (Deus é grande). A população secular de Jerusalém é cada vez mais oprimida pelos homens de preto da ortodoxia judaica.

Alguns desses são mesmo contra o Estado de Israel, porque só o Messias pode reconstruir o "verdadeiro Estado judeu". Acho que deveriam ser todos despachados para o Irã. Enfim, um filme de horror estrelado por fanáticos, batatas e patetas.

Aeroportos, aviões, hotéis e museus agora parecem liquidações de lojas
janeiro de 2010





Artigos de Luiz Felipe Pondé.


Comentários

  1. Ja estive em Jerusalem uma vez, e foi por volta do comeco dos anos 90.

    Ainda nao tinham tantos turistas como é hoje, era bem mais comportado, mais tranquilo, mais tradicional.

    Hoje, virou uma baderna infernal.

    Os piores sao os evangelicos com as suas gritarias, pregacoes, frenesis de loucura, etc. Meu primo que mora la, diz que os evangelicos sao bem mal-vistos em Israel. Sao pessoas desagradaveis que ninguem tem prazer em estar na presenca deles.

    Tirando Jerusalem, o resto de Israel esta mais tranquilo.

    ResponderExcluir
  2. Tudo o que foi escrito sobre Jerusalém vale para Aparecida do Norte.

    ResponderExcluir
  3. Finalmente, um texto do filósofo que me deu prazer ao ler. O mundo está acabando e culminará em uma imensa periferia metropolitana governada por fundamentalistas de todas as intolerâncias ideológicas.

    ResponderExcluir
  4. mimimi de um egoista, sou parente de Judeu, o que o turismo rende de dividendos pra Israel nao é brincadeira, entao nao acredito que os Judeus que sempre gostaram de dinheiro ache ruim isso, só os ortodoxos que sao ranzinzas por natureza.e outra o Irã , se nao fosse governado por loucos, seria uma prazer em visita-lo, apesar de saber que sua vontade é marxista, e quer ver é os religiosos mortos.se a economia do nosso país ta bom, entao que vao a Jerusalem.

    ResponderExcluir
  5. @Izaque Bastos

    Quanta besteira em um só texto . Para começar,o Irã sequer é comunista,na verdade é "democrático"(se não fosse a influência de uma peçinha chamada religião,seria um lugar interessante p/ visitar e provavelmente não iria ficar espalhando por aí que quer destroçar Israel e que quer eliminar os 'infiéis'). A unica esperança no Oriente Médio é separar religião do estado,ou do contrário,veremos algum maluco explodir uma ogiva nuclear por lá .

    ResponderExcluir
  6. Que o lugar pode estar horrível com essa superlotação, tudo bem, eu concordo. agora a questão é a seguinte: quem mereçe visitar esses lugares? eu? você? pessoas "civilizadas"? o mundo é público, meu caro. todos que estão ali tem todo o direito de estar ali.

    ResponderExcluir
  7. não para o pondé... uma vez ele fez uma comparação entre faculdade pública e um bom vinho. Você nao vai me dizer que acha que o povo merece brioches, vai?
    ironizando ou não, essa ideia não é nova nos textos do pondé

    ResponderExcluir
  8. Citação de Izaque Bastos:
    mimimi de um egoista, sou parente de Judeu, o que o turismo rende de dividendos pra Israel nao é brincadeira, entao nao acredito que os Judeus que sempre gostaram de dinheiro ache ruim isso, só os ortodoxos que sao ranzinzas por natureza.e outra o Irã , se nao fosse governado por loucos, seria uma prazer em visita-lo, apesar de saber que sua vontade é marxista,...

    Não meu chapa, comunismo é liberdade e não degeneração fundamentalista religiosa aliada ao estado, ou seja, estado teocrácico. Nada tem a ver com marxismo, pois está longe de ser dito marxista.

    e quer ver é os religiosos mortos.se a economia do nosso país ta bom, entao que vao a Jerusalem.

    Se nosso país fosse de primeiro mundo, nem saíria daqui. Mas como desemprego está com altas taxas, não seria uma má-idéia mudar de país, mas não seria Israel uma das minhas escolhas, pois além de um conflitos de décadas (ocasionado por uma má-divisão de terras e outros fatores agravantes), também é um estado teocrácico, paradoxalmente o ensino religioso lá não é essa porcaria que tem no Brasil, até passa longe, igualmente não é como nos países vizinhos.
    31/10/11 19:45

    ResponderExcluir
  9. O Irã é "democrático"??? @Izaque Bastos onde vc aprendeu isso??

    Esteve na lua nesses dias? Então vai umaas atualizações pra vc:
    http://wil-santos.blogspot.com/p/noticias_27.html
    http://www.portasabertas.org.br/noticias/

    ResponderExcluir
  10. "Eu lhes apresento o último homem!" Preâmbulo de Assim Falava Zaratustra ("Bigode"). Sim esta é realmente a raça do último homem (Oposto do Super-homem nitzscheano)?

    ResponderExcluir
  11. bem a Disneylândia brasileira é a igreja universal do reino do Edir Macedo e fica bem perto da sua casa!

    ResponderExcluir
  12. Pelo que vejo na TV, Israel parece um lugar horrível, onde só tem pedra, areia e fanáticos religiosos.Uma verdadeira merda!

    ResponderExcluir
  13. Gostaria que o Pondé nos indica-se a direção que o mundo deveria tomar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário