EUA condenam casal que orou em vez de levar filho ao médico

A Justiça de Oregon City, no Estado de Oregon (EUA), condenou ontem (29) por homicídio Dale e Shannon Hickman, ambos com 26 anos, por não ter levado seu filho recém-nascido a um hospital, preferindo orar para que ele se curasse. A sentença será anunciada até o final de outubro. Até lá, eles permanecerão em liberdade.

Ambos são da Seguidores de Cristo, que é uma igreja cujos fiéis têm um histórico de rejeitar a medicina porque acreditam na cura pela fé. Cinco outros devotos já foram condenados pelo mesmo motivo.

Casal é da igreja Seguidores de Cristo
O MP (Ministério Público) acusou os dois de homicídio porque oraram e passaram óleo ungido em Davi, o filho que nasceu com problemas respiratórios por ter infecção bacteriana e pulmões subdesenvolvidos.

Shannon não procurou ter um acompanhamento pré-natal porque essa seria a orientação da igreja. Ela teve o parto na casa de uma parente dois meses antes do previsto.

Shannon disse ter pensado em ligar para a emergência, mas o seu marido pediu que não o fizesse porque ele “estava rezando”. Para o MP, contudo, o casal sempre achou que o filho seria curado pela fé em Jesus.

Médicos ouvidos pela Justiça afirmaram que, se Davi tivesse tido atendimento médico, a chance de sobrevivência seria de 99%.

Mark Cogan, advogado de defesa, disse não haver evidências de que o bebê seria salvo se tivesse sido socorrido por médicos. Disse que os seus clientes são vítimas de perseguição religiosa.

Shannon afirmou que não se sente culpada porque a morte de seu filho decorreu da “vontade de Deus”.

Para homicídio, a pena em Oregon é de no mínimo seis anos de prisão. Mas como existe uma atenuante para casos envolvendo crenças religiosas, o casal deverá ficar preso por 18 meses no máximo, além de pagar multa de US$ 250 mil (R$ 464 mil).

Com informação das agências.

Nos EUA, cura pela fé faz pentecostais liderarem mortalidade infantil.
setembro de 2011

Milagrentos.   Fanatismo religioso. 

Comentários

Anônimo disse…
Idiotas existem.
o pior é ter atenuante por eles serem idiotas.
Anônimo disse…
Eu vim para que todos tenham vida e vida com abundância FAIL kkk
Anônimo disse…
Bem que podiam fazer isso tambem com as testemunhas de Jeová que negarem transfusão de sangue para seus proprios filhos . Terei um pouco mais de esperança na Justiça Brasileira caso isso aconteça.
John Constantine disse…
Orar é o mesmo que fazer ABSOLUTAMENTE nada.
Douglas disse…
" Disse que os seus clientes são vítimas de perseguição religiosa."

Tá, senta lá advocláudia. E reza pro estado não pagar seu salário em orações e bem-dizeres.
AlyneS2 disse…
Foi a vontade de Deus?
Izaque Bastos disse…
isso é a mais pura ignorancia, em que parte da biblia Deus manda alguem deixar de procurar um medico?nenhuma, ate um dos escritores sagrados era medico, Lucas , ele que cuidava do apostolo Paulo nas prisoes, entao, isso é falta de discernimento e conhecimento biblico.

devemos avaliar todas as coisas e reter as boas EF cap 6.
Israel Chaves disse…
Tem que ser presos mesmo.
O absurdo é ter atenuante para casos envolvendo crenças religiosas. Isso é só medinho do governo de enfrentar religiões, aí arrumaram essa para agradar aos crentes e assim evitar que se unam contra o governo a favor dos criminosos. Por que diabos um cara que mata por fanatismo tem que ficar menos tempo preso que um cara que mata por qualquer outro motivo? Ridículo.
Caruê disse…
Defender as orações em detrimento do atendimento médico devia ser crime, é um ato tão daninho quanto defender o nazismo ou o linchamento de gays.
Izaque Bastos disse…
devemos orar, sem deixar de procurar um medico, pois oraçao é uma suplica, e faz bem a quem esta ouvindo, mostra que alguem alem de levar ao medico,esta preocupado e buscando sua melhora a qualquer custo, se nao faz mal,que que tem!
Israel Chaves disse…
Nesse caso, fez mal.
Yuri disse…
Quer dizer q se eu fosse um satanista americano e saísse matando criancinhas e velhinhas eu iria cumprir pena branda por ser religioso?
Israel Chaves disse…
Não, porque quem julgaria seu caso não seria da mesma religião que você, assim como você não teria a simpatia do povo que o veria como uma boa alma por ter fé.
Aleatório disse…
@Caruê não entendi a sua relação. Você poderia explicar melhor.
Caruê disse…
O pastor e a Igreja deviam ser responsabilizados por defender a oração em detrimento do atendimento médico.
Vamos a alguns exemplos um nazista que faça um blog defendendo o espancamento de negros, gays e judeus. Esta a incentivar um crime e deve ser punido.
Uma Igreja ou um pastor que defenda a cura espiritual em detrimento da medicina esta defendendo a negligencia médica que quando referente a um menor é crime.
Anônimo disse…
Parece que não são apenas os seres a favor do aborto que deixam crianças morrerem.
Cognite Tute disse…
Anonimo: "Parece que não são apenas os seres a favor do aborto que deixam crianças morrerem."

Não sei se é apenas "provocação", mas pessoas a favor do aborto, ou melhor, a favor da descriminalização do ato de abortar, também não deixam crianças morrerem.

Óvulos, mesmo fecundados, não são crianças, mórulas não são crianças, embriões não são crianças. Sementes não são árvores, ovos não são galinhas, etc.

Podem "vir a ser", mas qualquer célula humana "pode vir a ser", como na clonagem.

Podem vir a ser mais de uma pessoas, como em gêmeos, pessoas ligadas, como em xifopagos, ou nenhuma pessoa, como teratomas. DNA humano, tecido humano, células humanas, órgãos humanos, mas não seres humanos.

Faça um experimento mental: um incêndio no laboratório em que você trabalha, uma creche na ala esquerda, com um bebê, e uma geladeira na ala direita, com centenas de mórulas e embriões, que "podem vir a ser" bebês e seres humanos plenos.

Você só tem tempo de correr para uma das alas, e deve decidir se salva o bebê, na ala esquerda, ou as centenas de embriões, na ala direita. O que você faz? Quem escolhe salvar?

Um bebê real, ser humano pleno, ou centenas de embriões? Deixaria um bebê queimar no fogo, para salvar os embriões?

E se fossem 100 bebês na ala direita, e 1 bebê na ala esquerda, a quem salvaria?

Acho que qualquer um consegue entender isso.

Cognite Tute
Estudande Biblico disse…
Recorrendo a Deus através da oração e Deus não atendendo, isso é um exemplo de greve divina.
Anônimo disse…
Cognite tute
Não sei então em que parte do comentário eu errei
Anônimo disse…
Ha, desculpe
meu comentário realmente foi uma provocação
Cognite Tute disse…
Anonimo: "Ha, desculpe meu comentário realmente foi uma provocação"

Estou pronto a pedir desculpas, se essa não foi sua intenção. O problema é que como foi colocada sua afirmação (um tanto curta inclusive) não pude identificar o sentido que pretendeu dar a ela.

Veja:

Parece que não são apenas os seres a favor do aborto que deixam crianças morrerem."

Como assim? Pelo que pude entender, existem pessoas que deixam crianças morrer, e algumas dessas pessoas são a favor do aborto (talvez por serem a favor, deixam crianças morrerem?).

E, pelo que diz, não são apenas elas. Mas não diz quem mais deixa as crianças morrerem.

Como é uma confusão comum de anti-abortistas, entre óvulos e crianças, e a morte de mórulas e bebês, me pareceu que era mais um ataque sem sentido a descriminalização do aborto, usando uma forma de apelo a emoção (criancinhas mortas).

Se não é isso, pedirei desculpas. Mas precisa explicar melhor o que quis dizer com sua mensagem.

Cognite Tute
Anônimo disse…
Bem essas pessoas que acreditam que abortar é cometer assassinato rsrsrs apenas disse na fala delas
Em questão de aborto, apenas a inexistência de uma possível vida
Cognite Tute disse…
Anonimo: "Bem essas pessoas que acreditam que abortar é cometer assassinato rsrsrs apenas disse na fala delas
Em questão de aborto, apenas a inexistência de uma possível vida"


Sendo assim, peço desculpas..:-/ E concordo com você, apenas não havia entendido o sentido de sua frase.

Sim, muitas pessoas, sem explicar exatamente porque, consideram aborto igual a assassinato. E a questão como sendo uma 'vida humana", um ser humano, e não apenas "vida", sendo que qualquer célula viva, bem, está viva..:-)

O dilema do incêndio no laboratório é bom para esclarecer isso. Se é assassinato, também é a morte de 200 embriões ou mórulas ou óvulos nas placas de Petri, e a escolha é clara, deixar um bebê morrer, e salvar 200 embriões.

Se a escolha, moral, ética, é salvar o bebê do incêndio, que JÁ é um ser humano, mesmo a a custa de deixar "morrer" 200 embriões, então a coisa é bem diferente.

Eu nunca encontrei um defensor da criminalização do aborto, um defensor da "vida humana" no óvulo, que conseguisse responder a essa questão, porque salvaria o bebê, e não 200 óvulos fecundados.

Já recebi elucubrações, ofensas, uma diversidade de tertúlias flácidas para adormecer bovinos, mas nunca uma resposta razoável.

Se me permite uma sugestão, escolha um nickname, não precisa ser seu nome. Apenas algo que o identifique nas mensagens, fica mais fácil de conversar dessa forma.

Cognite Tute
Anônimo disse…
Já escolhi
Reflexo

Minha irmã abortou quando tinha 18 ( hoje ela tem 22 )ela não se arrepende pois sabe que não conseguiria dar uma vida de boas condições para o bebê, mesmo assim sei que ela sofreu muito porém Foi a decisão dela e acho que mais ninguém deveria opinar sobre isso.
Cognite Tute disse…
Reflexo: "Minha irmã abortou quando tinha 18 ( hoje ela tem 22 )ela não se arrepende pois sabe que não conseguiria dar uma vida de boas condições para o bebê, mesmo assim sei que ela sofreu muito porém Foi a decisão dela e acho que mais ninguém deveria opinar sobre isso."

Esse é um ponto importante, Reflexo, sempre distorcido e usado de forma falaciosa pelos "a favor da vida" e contra quem apoia a descriminalização do aborto.

Ninguém é "contra a vida". Somos, todos, a favor deste, e todos querem o melhor, querem que não seja necessário um aborto, que mais e melhores métodos contraceptivos sejam criados e aplicados, etc.

Também não "gostamos" de aborto. Apenas não pensamos que seja algo que justifique penalizar as mulheres se for necessário abortar. O direito, a vida, a mulher, um ser humano pleno, é superior a células de qualquer tipo.

Além disso é uma tremenda hipocrisia, pois assim como sua irmã, centenas de milhares de pessoas fazem aborto, a maioria delas católicas (o que é de se esperar em um pais de maioria católica), levadas por maridos, irmãos, etc, que igualmente religiosos, só entendem a necessidade quando o problema é com a vida deles.

Ninguém tem o direito de usar a vida de outra pessoa, não importa o motivo. Se nem um ser humano pleno pode usar o corpo de uma mulher, mesmo que isso seja uma questão de vida ou morte, sem seu conhecimento, porque uma célula, uma mórula, poderia, teria esse direito?

Cognite Tute
Anônimo disse…
Concordo. As pessoas que julgam não são capazes de sentir-se em quem está sendo julgado, lógico não são elas que cuidarão dessas crianças. Elas sentem-se bem apenas por pensarem que estão salvando vidas.
Anônimo disse…
ass: reflexo
Anônimo disse…
Orar é MUITO PIOR do que não fazer nada. Se vc não faz nada, ao menos não atrapalha. Orar é atrapalhar para não fazer nada.

Não tem como religião sobreviver por muito tempo, até os EUA que são um grande país fanático são obrigados a punir a religiosidade para que haja alguma justiça e impedir que o país se torne um caos.
Marcos disse…
Segue o link de um documentário pró-vida sobre aborto. na minha opinião ele mereceria um post.

http://www.youtube.com/watch?v=uMhAg3VwTGI&feature=player_embedded