Livro sobre a não crucificação de Cristo vira best-seller

Livro foi 
traduzido para 
30 idiomas
Rafael – um agente secreto do Vaticano – é enviado a Londres para saber se de fato um milionário israelita possui um misterioso evangelho que contém um segredo já sabido pelo papa Bento 16, mas cuja revelação poderá abalar o cristianismo: Jesus Cristo não foi crucificado.

Essa é em resumo a história do livro “Mentira Sagrada” do escritor Luís Miguel Rocha que já foi traduzido para 30 idiomas, destacando-se na lista dos mais vendidos do The New York Times. Trata-se do primeiro livro de um escritor português a aparecer nessa lista do jornal americano.

O agnóstico Rocha disse que recorreu à ficção para contar uma verdade, a do Jesus Cristo histórico. Ele sustenta, no livro, que Jesus, além de não ter sido crucificado, nem sequer esteve no monte das Oliveiras. Pelo relato bíblico, o local teria sido onde Cristo foi preso e torturado, após a última ceia.

Em Portugal, representantes da Igreja Católica têm desmerecido o livro, como era de se esperar, mas a versão de que Cristo não foi crucificado é antiga e faz parte da história não oficial do cristianismo. A novidade do livro é que Rocha consegue contar essa versão de maneira envolvente, a exemplo de O Código Da Vinci , do americano Dan Brown.

Lançado em abril, "Mentira Sagrada" já vendeu mais de meio milhão de exemplares. 

Você está preparado para saber a verdade?


Com informação das agências.

Trecho do livro.   Mais sobre Jesus.





Não há nenhum relato da época de Jesus sobre sua existência
junho de 2011