Santo Sudário de Turim foi pintado por italiano em 1315, aponta estudo


Estudioso diz ter
 encontra no sudário
 a marca do pintor
do jornal português Público

O Santo Sudário de Turim, um dos objetos mais venerados do Cristianismo, foi na verdade um trabalho do pintor italiano pré-renascentista Giotto. Esta é a conclusão de um estudo do artista italiano Luciano Buso.

O pano de linho puro, de 4 metros e 36 centímetros de comprimento por 1 metro e 10 centímetros de largura, que alguns afirmam ter sido utilizado para envolver o corpo de Jesus Cristo após sua crucificação, tem sido alvo de várias teorias, sendo até hoje um dos trabalhos mais misteriosos do mundo.

Luciano Buso, pintor e restaurador de arte, analisou exaustivamente e ao pormenor o Sudário de Turim através de várias fotografias oficiais cedidas pelas arquidioceses de Turim e garante ter encontrado a marca de Giotto no lenço. O italiano explica que a peça tem a marca de Giotto, presente em muitos dos seus trabalhos, garantindo ter verificado a presença do número 15 em várias partes do Santo Sudário, significando que a obra terá sido criada em 1315.

De acordo com a investigação, a peça está também assinada, mas assim como o número 15, nunca ninguém conseguiu ler porque Giotto terá usado uma técnica de escrita oculta que os pintores costumavam usar naquela época como marca indelével da autenticidade das suas obras.


São várias as teorias que existem em torno do Santo Sudário de Turim. Não existe acordo sobre a verdadeira origem da peça, nem mesmo se terá coberto o corpo de Cristo.

Em 1898, foram feitos os primeiros testes para se provar que o pano realmente serviu esse fim, depois de um fotógrafo de Turim ter feito uma foto do manto e, na revelação, ter descoberto que os negativos mostravam o corpo e o rosto de um homem crucificado. Em 1989, o Sudário foi submetido a um teste específico de carbono em três laboratórios diferentes, onde se chegou à conclusão que o pano de linho foi criado cerca de 1300 anos depois da morte de Jesus, entre 1260 e 1390.

Luciano Buso utiliza estes testes para provar que a sua teoria se enquadra no período de criação da peça e acrescenta que não acredita que Giotto não tivesse assinado claramente o trabalho para enganar as pessoas. “Ele não estava a tentar fingir nada, o que é claro tendo em conta que ele assinou ‘Giotto 15’, para autenticar o seu próprio trabalho”, disse ao The Independent o italiano.

Esta nova investigação também já está a gerar uma grande onda de controvérsia e criticas na Itália e nos meios religiosos. Os críticos acham que a teoria de Buso não faz sentido porque a Sudário de Turim não tem o padrão de Giotto.

Em 2010, o Sudário de Turim foi exposto ao público na Catedral de Turim, atraindo cerca de dois milhões de visitantes e peregrinos.


Santo Sudário de Turim prova que fake news existe há muito tempo

Seis inconsistências na construção do mito Jesus

Festa do nascimento de Jesus vem de antigos ritos pagãos




Onde Jesus apareceu após a ressurreição? Há contradições

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Anônimo disse…
SOU ATEU mas acredito que o SUDARIO DE TURIM é verdadeiro....Há relatos históricos de uma reliquia antiga [ mais antiga que as reliquias católicas falsas com finalidade fraudulenta]chamada de MANDYLION DE EDESSA , que seria um manto que recobriu Jesus no seculo 4 e 5.....portanto muuuito anterior ao seculo 13-14 que acreditam que o Sudario foi feito por um falsario medieval....?

Acontece que o sudario foi retecido em varias partes e o TESTE DE CARBONO 14 executado pode ter sido de amostra colhida....

Teriam que que ter colhida amostras em diversas partes do sudario pra ter certeza e não so uma pontinha como foi feito....


E tem mais ? O tecido se caso for mesmo real , não prova em nada que JESUS era filho de Deus.......até porque essa lenda foi criada nos concilios bem depois da morte de Jesus...
Anônimo disse…
Correção : Relatos do Mandylion de Edessa , foram colhidos no seculo 3, 4 , 5 e depois , e não Jesus foi coberto pelo manto nessas datas...ok
Anônimo disse…
É só olhar para perceber que é um desenho bi-dimensional, se fosse algo que foi enrrolado em uma cabeça teria uma distorção grande que resultaria em uma imagem desforme nada parecida com um rosto perfeito.
Anônimo disse…
O cara acredita no sudário e diz que é.... ateu. rs, rs, rs.
Anônimo disse…
O Sudario de Turim ja foi refutado ha muito tempo atras, haja visto que nenhum estudo ou pesquisa atestou que fosse autentico.
Anônimo disse…
Gostaria de saber se o pesquisador Luciano Buso tem alguma fé reliogiosa ou se é ateu.

Se ele for ateu, é claro que a pesquisa será influenciada pelo seu ateísmo.
Nathan disse…
nusss.... essa notícia é velha eim!
isso não é notícia. rs!
Anônimo disse…
Anônimo disse...
O cara acredita no sudário e diz que é.... ateu. rs, rs, rs.
08/06/11 14:12

RESPOSTA :

Ser atéu é não acreditar em DIVINDADES...posso muito bem acreditar que existiu JESUS um um homem simples judeu que viveu no seculo 1.....um ser humano e nao um ser divino, inventado pela ICAR....nos 3 seculos seguintes...
Anônimo disse…
Quanta INCREDULIDADE.
Anônimo disse…
Quem disse que o Sudário de Turim já foi refutado?

Pelo amor de Deus, pesquisem um pouco antes de postarem comentários idiotas na internet!

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sud%C3%A1rio_de_Turim
http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk
Anônimo disse…
alouuuuuueee vc se baseia no WIKIPEDIA???? qualquer um pode alimentar esse site...
fonte não confiável!
Anônimo disse…
Pelas pesquisas da Nasa foi dito que o desenho é feito como uma reação nuclear e em três D. Não sendo possível ser feito por seres humanos nem nos tempos antigos nem hoje, 2011. Jonas
potialves@ig.com.br
Anônimo disse…
Toda denominação religiosa tem um cientista trabalhando na NASA.
Conclusão:
A Nasa da emprego para muita, mas muita gente.
Walter Cruz disse…
Provar que o sudário não foi falsificado não é o mesmo que provar que a imagem do corpo em questão era de Jesus. E provar que a imagem do sudário realmente era do corpo de Jesus não é o mesmo que provar que ele era o filho de deus. Na minha opinião, não faz diferença se é real ou não. Pra mim, isso não vai provar que o corpo enrolado no pano era de algum filho do "deus todo poderoso". No máximo provaria que ele serviu para enrolar o corpo de um mero mortal num passado distante. E só.
Marcello Nogueira disse…
Uma coisa é certa, a mensagem que Jesus Cristo deixou para a humanidade é tão forte e verdadeira que transcende a questão de acreditar ou não em um determinado segmento religioso.
Sendo homem ou divino, Jesus Cristo mudou a história da humanidade.
Anônimo disse…
Vç esta parecendo Sao Tomé, precisa ver pra crer
Anônimo disse…
Sequer se sabe se Jesus existiu e tanto drama por um tecido? Ser crente deste tipo é o mais baixo que se pode chegar na vida né?
Anônimo disse…
Acreditar que uma reliquia pode ser verdadeira e um homem como jesus pode ter vivido não te torna cristão. O que te torna cristão é acreditar que Jesus foi algo a mais do que um homem apenas e que nós temos um amigo imaginario vivendo num palacio de nuvens.
Sou Ateu disse…
Os testes de carbono já desmistificaram o manto há muito tempo. Não há dúvida que é do final do século treze ou começo do quatorze. Franceses demonstraram anos atrás que a técnica utilizada para pintar o manto era comum nessa época. E agora mais uma evidência coloca ele nessa época.
Como podem ainda ter dúvida? Só o teste de carbono quatorze já é porca mais que suficiente.
Amuro-san disse…
aqui um vídeo do documentário, e não é pintura e sim fotografia
https://www.youtube.com/watch?v=wjenuuDpWao
Nevellin disse…
Yeah... o resultado do teste de carbono 14 também é influenciado pelo ateísmo dos pesquisadores né? Genial.
Então provavelmente teríamos que ter um 'pesquisador cristão' para pesquisar a história da religião, pois se fosse uma pessoa de outra religião, ela poderia 'influenciar' nos resultados...

Pôxa cara, vc é realmente genial, me dá um autógrafo?
Rapha disse…
É uma fotografia tirada por Leonardo da Vinci feita em duas partes, a primeira de um corpo mutilado e a segunda da cabeça para pegar melhores detalhes do rosto. Ele usou o corpo de um cadáver e o rosto provavelmente é o seu próprio. A intenção dele não era fazer um "sudário de Cristo" e sim de Jacques de Molay, Grão-Mestre da ordem dos Templários que foi torturado durante anos pela igreja católica, incluindo crucificação e todas as outras coisas que Jesus teria sofrido.

-------- Busca neste site