Lojas de Rondônia só contratam evangélicos e cobra dízimo


Uma rede de lojas de eletrodomésticos de Porto Velho, Rondônia, só contrata funcionários que sejam evangélicos e do salário deles desconta 10% do dízimo para, segundo ela, uma igreja da cidade. A informação é do Estadão do Norte, que não publicou o nome da rede nem o da igreja.

De acordo com trabalhadores ouvidos pelo jornal, as lojas da rede não contratam católicos, e os evangélicos têm de concordar com o desconto do dízimo em folha de pagamento, se quiserem manter o emprego.

Um trabalhador disse que uma das primeiras perguntas feitas na entrevista de contratação é sobre a religião do candidato. “Essa pergunta se tornou frequente nos últimos meses.”

Ele afirmou que, embora tenha bom currículo, deixou de ser contratado em duas lojas por ser católico.

Trabalhadores desempregados confirmaram a denúncia. “Eles [gerentes de loja] nos chamam pelo currículo e na hora da entrevista esquecem a experiência. Eu posso ser melhor que o outro candidato, mas, por ser católico, não consigo emprego”, disse um deles.

Um funcionário de uma loja teria admitido a um candidato que não poderia contratá-lo porque a orientação da rede é para que sejam admitidos somente evangélicos.

Um desempregado afirmou que os empresários evangélicos estão, aos poucos, dominando o comércio de Porto Velho, e ele teme que a discriminação contra os trabalhadores católicos aumente.

Com informação do Estadão de Norte.





Escola Adventista desconta dízimo do salário de seus funcionários.
dezembro de 2011

Assembleia de Deus cobra ‘dízimo’ de participantes de rede social.
março de 2011

Comentários

  1. absurdo!!!
    agora imaginem se acontecer como foi noticiado aqui a uns dias atrás que o brasil poderá se tornar uma população de maioria evangélica segundo pesquisas
    será um pesadelo para ateus e pessoas que não farão parte das denominações, sem contar que será uma grande máfia cristã de corrupção, desvio de dinheiro,lavagem de dinheiro e controle mental nessas pessoas que se tornarão zumbis treinados a perseguir e discriminar/pressionar quem não for um "deles"

    ResponderExcluir
  2. Se o Brasil se tornar um país Evangélico eu fujo pro Paraguai, mesmo que eu seja mendigo lá.

    ResponderExcluir
  3. Para serem honestos, deveriam também vender apenas para evangélicos, mas o dinheiro dos outros acho que eles não dispensam.

    ResponderExcluir
  4. Após vários orçamentos, fiz compras em uma vidraçaria (box, armário, guarda-corpo, porta, espelho) para três apartamentos. A primeira entrega ocorreu contendo falhas irreversíveis com constantes idas e vindas e má vontade no atendimento, enfim; amadorismo total. Não atendem ao telefone e até se escondem no fundo da loja. Quase toda a equipe, desde o proprietário, é evangélica e pratica a mentira descarada quando são questionados sobre as irregularidades envolvendo a qualidade dos serviços prestados.

    ResponderExcluir
  5. Quem manda ser trouxa ???

    ResponderExcluir
  6. Em Porto Alegre já tinha notado em algumas lojas de miudezas que a loja é de crentes e os funcionários também são, mas na minha inocência pensei que fosse mera afinidade...agora, reter parte do salário é safadeza pura, mais uma aliás, desses religiosos.

    Wander

    ResponderExcluir
  7. Reter 10% do salário dos caras assim na moral não é ilegal não?

    ResponderExcluir
  8. Por favor, peço a todos que foram rejeitados na oferta de emprego, assim como demitidos dessa rede de lojas, que ingressem com uma ação contra essa loja!!!
    Isso é imoral e INCONSTITUCIONAL!!
    Façam valer seus direitos, não deixem isso crescer!

    ResponderExcluir
  9. porque ninguem divulga o nome da loja..... quando eu fui buscar emprego no magazine luiza a alguns anos, antes da entrevista descobri que o gerente era evangelico, e quando ele me pergunto que religiao eu pentencia disse que era evangelica pra nao perder o emprego, mais frequentava na verdade o espiritismo, mas depois que estava ja trabalhando e conquistado meu espaco, cheguei no gerente e falei a verdade, ele sorri e disse, crente, espirita ou nao, isto ja nao importava, o que era importante para ele era minha competencia. C laro que ele dependia de metas, e precisava de bons funcionario para ajuda lo.
    Acredito que esta rede de loja nao deve ser de grande porte, por que a maior rede do pais é de um judeu, a casas bahia, e ele so que saber de ganhar dinheiro...inclusive a maioria dos funcionarios desta rede são evangelica.
    boa sorte pra que precisa de um emprego...

    ResponderExcluir
  10. Pessoal acredito que é por causa da dor de cabeça que dá funcionario catolico,espirita e a todos que não tem temor à DEUS.É muita falta,licença médica forjada,doença pelos vicios do alcool, fumo, é muito afastamento causado pela vida desregrada....

    ResponderExcluir
  11. Anõnimo do comment anterior.Quem pode garantir que funcionários evangélicos não são desregrados.

    ResponderExcluir
  12. que religiao voçe é? : satanista fffffffffffffffuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    ResponderExcluir
  13. fale nome de loja, que não entro nela

    ResponderExcluir
  14. E se o candidato for ateu, o que acontece? hehehe

    ResponderExcluir
  15. Nada mais elementar que uma prova: que fundamentalismo cristão e trabalhismo não combinam. Denunciem essa loja, não só por recusar profissionais qualificados, bem como por retirar parte do pagamento dos funcionários para fins privados. Quem dera que isso fosse denunciado ao ministério do trabalho.

    ResponderExcluir
  16. Essa rede de lojas está errada em descontar Dízimo em folha de pagamento. Pois o Dízimo é algo sagrado e uma ordenança de Deus que deve ser obedecida e praticada pelas pessoas que creêm na palavra de Deus e sabem que o Dízimo é uma oportunidade de sermos mais abençoados por Deus, visto que somos obedientes á sua palavra e cremos no milagre da multiplicação. Porém o erro dessa rede de lojas, está em qurer forçar a barra, obrigar as pessoas sejam elas evangélicas ou não a pagarem de forma obrigada o Dízimo quanto este deve ser voluntário. Se o fiel não pagar o Dízimo ele irar prestar contas com Deus. Mas ninguém nem nenhuma igreja ou pessoa tem direito de cobrar nem obrigar qualquer pessoa que seja a pagar Dízimo. Porém para aqueles entregam sua vida ao Senhor Jesus creêm na sua palavra como está escrita na Bíblia: "Tazei todos os Dízimos à Csa do Senhor para que haja mantimento na Minha Casa e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se Eu não vos abrir as janelas dos Céus e não derramar sobre vós bênçãos sem medida."
    Quem não dar o Dízimo rouba a Deus, conforme a própria palavra de Deus: Pode um homem roubar de Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam: “Como é que te roubamos?” Nos dízimos e nas ofertas. Malaquias 3:8.

    ResponderExcluir
  17. Dar ou não dar o Dízimo, é uma questão de fé. Quem dar é abençoado, quem não dar é amaldiçoado, visto que está pecando por desobediência contra Deus (Está roubando o que é de Deus). Quem não dar o Dízimo só vive na miséria: desempregado, passando necessidades, cheio de dívidas ou quando tem emprego e até as vezes ganha algum bom dinheiro, mas o devorador (satanás), leva tudo embora com gastos em doenças, remédios, depressão, acidentes, vícios, drogas, acidentes e todas as outras sortes de maldições para aquela pessoa infiel, visto que ela não obedece a Deus, então fica sem a proteção de Deus e daí o devorador (satanás) terá livre permissão para bagunçar a sua vida do jeito que quiser. Mas aos que são fiéis a Deus, o Senhor mesmo diz na sua palavra: Nunca vi um justo desamparado nem sua descendência a mendigar o pão. A palavra de Deus também diz: É dando que se recebe.

    Dízimo se você dar é abençoado, se você não dar, é amaldiçoado por Deus, nada na sua vida dá certo quando você é infiel a Deus.

    Que Deus abençoe a todos ilumine a mente de cada um para que possam enchergar e entender que servir a Deus é fiel a ele é a melhor coisa que existe. Pois quanto aos infiéis, estão vulneráveis e sujeitos a cair nas ciladas de satanás.

    Servir a Deus é bem melhor pessoal.

    Jesus disse: Vinde a mim todos vós que estás cansandos e oprimidos e Eu vos aliviarei, poi o Meu fardo é leve e o meu julgo é suave.

    ResponderExcluir
  18. Eu não dou nada de dízimo para seres invisíveis imaginarios, não sirvo a Deus que não existe e acho uma chatice inútel pregações inúteis como uma que vi nessa página, mas vamos ao que interessa.
    Na entrevista de emprego também fui questionado sobre religião, disse que não seguia nada, e fui contratado.
    Já trabalhei em uma empresa onde um funcionário daqueles bem folgados, disse ter se convertido a Adventista do Sétimo Dia após anos trabalhando na empresa. Acontece que todos trabalhavam aos sábados, mas ele queria privilégio e ganhou um belo chute no traseiro. Nada contra a opção religiosa de ninguém, mas ou segue o ritmo do empregador ou a religião. Talvez esse seja o motivo da pergunta sobre religião na entrevista, e nesse caso acho justo.

    ResponderExcluir
  19. Brasil. Futuro Talibã Gospel Tupiniquim.

    ResponderExcluir

Postar um comentário


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato