Pular para o conteúdo principal

Bispos chilenos pedem perdão pelo abuso de crianças por padres

A Assembleia da Conferência Episcopal do Chile, a CNBB de lá, emitiu nota pedindo perdão pelos padres pedófilos. “Oferecemos-lhes [às vítimas] humildemente nossa petição de perdão, o apoio que possamos dar-lhes, além de nossa oração”, diz.

A nota afirma, também, que “reconhecemos que nem sempre reagimos com prontidão e eficácia ante as denúncias”. Talvez o correto fosse dizer que a hierarquia da igreja, até determinado momento, nunca procurou conter os padres tarados.

O caso do padre Fernando Karadima dá uma ideia do quanto a Igreja Católica do Chile Chile -- a exemplo de outros países – foi conivente com os abusadores de crianças.

Apesar de ter sido denunciado em 1984, o pároco do Sagrado Coração de El Bosque se manteve impune, sob a proteção do cardeal Francisco Javier Errázuriz, entre outros. Atualmente "detido" em um convento,  Karadima está proibido de entrar em contato com fiéis.

A nota dos bispos chilenos informa que foram tomadas medidas para “impedir que tais situações voltem a ocorrer”.

Com informação da ALC e do arquivo deste blog.

abril de 2011

Comentários

Anônimo disse…
E quem pede perdão pelos bispos?

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Santuário de Aparecida inaugura mosaicos de padre suspeito de abuso sexual

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa