Lei religiosa condena menina a chibatadas; ela sangra e morre

da BBC Brasil

Uma adolescente de 14 anos que morreu após ter recebido 80 chibatadas em Bangladesh sangrou até a morte, de acordo com os médicos que realizaram exumação de seu corpo.

Hena Begum
Corpo de Hena tinha
ossos quebrados
Os médicos do Hospital da Universidade de Medicina de Daca, capital do país, encontraram fraturas múltiplas no corpo de Hena Begum (foto), de acordo com declarações à BBC do vice-procurador-geral do país.

"Foram encontradas fraturas múltiplas. A menina morreu devido ao sangramento", disse Altaf Hossain ao Serviço Bengalês da BBC.

A Suprema Corte bengalesa deu a ordem para a exumação e também para que o corpo da jovem fosse levado para a capital, depois de a primeira autópsia não ter observado ferimentos em Hena.

A adolescente recebeu 80 chibatadas em janeiro como punição por ter tido um relacionamento com um primo que era casado. Hena morreu no hospital, seis dias depois da punição.

O caso gerou indignação em Bangladesh e em outros países. A polícia abriu uma investigação, e os médicos que fizeram os exames iniciais foram convocados para explicar suas conclusões na Suprema Corte na quinta-feira.

A sentença de Hena Begum foi decretada por um tribunal religioso do vilarejo de Chamta no distrito de Shariatpur, sudoeste de Bangladesh, a 90 quilômetros de Daca.

Ela foi acusada de ter mantido relação sexual com seu primo de 40 anos de idade, Mahbub Khan, que era casado. Ele também foi condenado a cem chibatadas, mas conseguiu fugir. Foi capturado nesta quarta-feira, perto de Daca.

Segundo correspondentes, ele poderá ser acusado de estupro ou até mesmo de assassinato se a Justiça considerar que as ações dele levaram à morte de sua prima.

Hena desmaiou enquanto recebia as chicotadas e chegou a ser levada para um hospital local, mas não resistiu aos ferimentos.

O caso provocou protestos de moradores de Shariatpur. Segundo relatos na imprensa bengalesa, Hena, na verdade, teria sido raptada e estuprada pelo primo e os moradores do vilarejo teriam ouvido gritos de socorro da adolescente.

O imã (clérigo muçulmano) Mofiz Uddin, responsável pela fatwah (sentença) contra Hena, e outras três pessoas foram presas.

A Suprema Corte de Bangladesh entrou no caso depois de a imprensa local ter noticiado que houve uma tentativa deliberada de encobrir o episódio em Shariatpur.

Este é o segundo caso relatado de morte ligada a punições realizadas em nome da sharia (legislação sagrada islâmica) desde que essas punições foram proibidas no país em 2010 pela Suprema Corte.

Em dezembro, uma mulher de 40 anos morreu no distrito de Rajshari, depois de receber punição parecida à de Hena, por um suposto caso extraconjugal com o enteado.

Cerca de 90% dos 160 milhões de habitantes de Bangladesh são muçulmanos, dos quais a maior parte segue uma versão moderada do Islã.





Vídeo mostra talibãs apedrejando até a morte casal acusado de adultério
janeiro de 2011

Fanatismo islâmico     Intolerância religiosa


Comentários

Lucio Ferro disse…
Eis ai um belo exemplo de tolerância e amor ao próximo que só as religiões podem proporcionar. Que lindo espetáculo é a justiça divina sendo aplicada pelos digníssimos representantes de deus na terra.
Anônimo disse…
Vale lembrar que segundo os muçulmanos o alcorão[biblia islamica] foi ditada por ALAH [DEUS]...e que as leis [sharias] tem de ser seguidas ao pé da letra....traduzindo

UMA RELIGIÃO IMBECIL que é mais retrograda que a mente de um NEANDERTAL....
Obstinação disse…
As mulheres deveriam nascer com porte de arma, liberada para usar principalmente dentro de casa ^^
Anônimo disse…
Ainda bem que cristãos não levam seu livro sagrado a sério...
Anônimo disse…
e os americanos,querem esta religião horrivel.
Johannes Mendel Cartesius disse…
Este é mais um fato lamentável que ocorre com as mulheres no mundo, principalmente mulheres islâmicas. O que é mais cruel neste caso, é que, segundo o texto, a imprensa local informa que a menina foi vítima de sequestro e estupro, cometido pelo marido da prima da garota. Inclusive os moradores do vilarejo escutaram os gritos de socorro da garota, e este fato nem foi considerado no "tribunal" da sharia.
Na minha opinião sincera, não acho que este caso esteja ligado necessariamente à religião. Cada país e cada povo tem suas tradições e costumes enraizados na cultura, que por sua vez, é moldada através do tempo e de contextos sociais existentes na história.
Bangladesh é um dos países mais pobres do mundo, seu IDH (índice de desenvolvimento humano, que vai de 0,0 a 1,0) é de 0,547, o que coloca o país no 140º lugar entre 177 países. Analfabetismo atinge 56,9% da população. Expectativa de vida média: 60,25 anos (57,57 anos homem; 63,03 anos mulher). Taxa de mortalidade infantil: 59,02 óbitos / mil nascidos vivos. (Brasil: 21,17 / mil).
Com uma situação social tão precária, não é de se admirar que haja um enorme vácuo sócio-cultural que é preenchido pela ignorância. A IGNORÂNCIA, esta sim é a verdadeira fonte de todas as atrocidades humanas.
Pense bem, todas as formas de preconceito são baseadas na ignorância. A ignorância é quem dá espaço a superstições, ao medo, ao ódio e a violência religiosa. A ignorância da população foi peça chave na instauração de regimes totalitários cruéis, como o nazismo, o fascismo e o comunismo. Mesmo hoje, a defesa destes três regimes é baseada na ignorância.
No caso de Bangladesh, a combinação histórica de longos conflitos religiosos violentos (islâmicos-hindus) e situação social precária, principalmente na área de educação pública, acaba resultando em ignorância da população, que por sua vez resulta em violência, tanto política quanto religiosa.
CONDIÇÃO SOCIAL PRECÁRIA + IGNORÂNCIA = VIOLÊNCIA RELIGIOSA.
Anônimo disse…
Gente, isso foi abuso de menor e a menina pagou o pato. Conheço caso de uma libanesa que foi abusada pelo tio qdo pequena. Ela foi casada pela família e o marido não acreditou nela, batia na coitada direto.
Anônimo disse…
A cada dia que passa,o mundo toma nojo desta religião satânica que escraviza as pessoas matam e torturam em nome de um Deus podre,e depois destas barbaridades eles querem ser amados por onde passam,graças a Deus que o mundo tem conhecido através da midia mundial estas barbaridades,a verdadeira justiça seria condenar a morte esses assassinos que tem cometido esses crimes em nome de uma religião hipócrita,será que o VERDADEIRO DEUS DA JUSTIÇA atenderia as rezas desta cambada só pelo simples fato de 3 ou mais vezes por dia colocarem a cara no chão e o rabo para cima?é lógico que não,e tais atos covardes e ediondos não tem nada a ver com Deus mais sim com o diabo!!!
Anônimo disse…
Assim como o cristianismo fez na idade média, então segundo você também ja foi satânico os católicos?
Anônimo disse…
Nossa, então uma criança é seduzida ou estuprada " sabe-se lá o que" por um cara de 40 anos e apanha até morrer. Que ser humano injusto que vergonha de ser gente!
Anônimo disse…
O pior é quando você ver alguém dizendo que o islã não é violento e prega o amor e a paz kkkkkkkkkkkk. Piada sem graça essa. Seria a mesma coisa se os cristão começarem a ler a bíblia e segui-la letra por letra o países ocidentais seriam muito mais violentos.

Vitor Hugo.
Anônimo disse…
Sim amigo você só esqueceu de uma coisa as religiões são a representação da ignorância o islã começou no século 5 ou 6 se não me engano e naquela época eles agiam dessa forma não só muçulmanos como cristãos, judeus , hindus,etc. A antiguidade era violenta pois era um tempo de ignorância. Desse modo a raiz cultural deles é de ignorância. Junta a religião da idade média mais falta de educação e cultura dá nisso estupidez humana nível extremo. Ou seja a religião é sim responsável por isso pois os impede de evoluir pois que iria contra a palavra de "deus".

Vitor Hugo.
Mauro Bartolomeu disse…
Os caras matam a menina a chibatadas e quem pode ser condenado por homicídio é o primo q teve relações com ela! Bastante coerente!
Anônimo disse…
Eu e uma clava com pregos na ponta queríamos uns 20 minutos com esse verme, vagabundo, crápula desse imã Mofiz Uddin. Covarde desgraçado, bicha enrustida (não confundir com os homossexuais em geral, a maioria digna de respeito) que, pelo visto, odeia mulheres. É lamentável que tanta gente siga ordens e orientações de um lixo desses. Devia sufocar até a morte com a tralha maldita do Alcorão enfiada em sua garganta imunda.
Anônimo disse…
Na hora de fazer sacanagem ela queria, agora sofreu as conseqüências dos seus atos.