Herdeiros do legado de padre devasso perdem poder de decisão

por Jesús Bastante, do site Religión Digital

Novo golpe de efeito da Santa Sé contra os dirigentes de confiança de Marcial Maciel. A Santa Sé, por meio do delegado pontifício, cardeal Velasio de Paolis, dispôs a criação de uma "comissão central" que irá revisar e reformar as Constituições da Legionários de Cristo. Na equipe de trabalho, que foi aprovada pelo Vaticano, não estão incluídos nem Álvaro Corcuera (foto) nem Luis Garza (foto), afastados da tomada de decisões de futuro da instituição e cujo futuro à frente da congregação está cada vez mais incerto.

Corcuera e Garza
Segundo a nota oficial emitida pela Legionários de Cristo, a comissão que irá revisar as Constituições – e que se deterá especialmente sobre o quarto voto, a confidencialidade e o obscurantismo existentes até hoje na ordem – será presidida pelo próprio De Paolis e também será formada pelos seus quatro conselheiros pessoais (o jesuíta Gianfranco Ghirlanda e o josefino Agostino Montan. Ficam de fora Ricardo Blázquez – ocupado com o Regnum Christi –, e o legionário Brian Farrell), e quatro sacerdotes legionários (Roberto Aspe Hinojosa, Anthony Bannon, José García Sentandreu,Gabriel Sotres).

O trabalho, segunda as indicações da Santa Sé, irá girar em torno dessa comissão, que irá revisar as normativas da congregação, e cujos resultados serão enviados a todos os legionários. "Prevê-se que esse processo, que irá envolver todos os legionários de Cristo, irá durar vários anos", afirma a nota, que admite que "o processo irá concluir com um capítulo geral ordinário que examinará as modificações propostas e as apresentará à Santa Sé para sua aprovação".

Durante as próximas semanas, a comissão central irá projetar a metodologia de trabalho e irá elaborar os primeiros esquemas temáticos para fomentar a reflexão individual e comunitária na congregação. (Tradução de Moisés Sbardelotto para o IHU).

> Pedófilo, ladrão e drogado. Esse foi o criador da Legionários de Cristo.
do jornal mexicano do La Vanguardia em agosto de 2010

> Caso do padre Marcial Maciel, o devasso.

Comentários

Anônimo disse…
Que beleza essas adjetivações e substantivações.
Pedófilo,ladrão e drogado.