Pastor continua a explorar filha com a omissão das autoridades

Para Alani, não
 existe Estatuto
 da Criança
O MP (Ministério Público) de São Paulo informou recentemente que ia notificar as emissoras Record e SBT por explorar imagens de crianças portadoras de deficiências. No ano passado, o Ministério Público do Trabalho acusou a SBT de explorar o trabalho infantil, de Maísa, então com 6 anos. Hoje, a menina apresenta um programa para crianças, e não mais aparece no do Sílvio Santos, destinado a adultos. 

Até agora, Alani, 6, não mereceu a mesma atenção das autoridades, e ela continua sendo explorada como milagreira pelo seu pai, o pastor Adauto Santos, da Igreja Pentecostal dos Milagres, da periferia do Rio de Janeiro. O pastor leva a filha aos cultos desde quando ela tinha um ano. Aos três, a menina começou a ser usada para fazer milagres. [ver vídeo abaixo].

A igreja fez um site para “missionarinha Alani” onde diz que quando “ela louva ou toca [as pessoas] como suas mãos, o sobrenatural tem acontecido: paralíticos andam e cancerosos e aidéticos são curados”.  Do lado de fora da igreja, há fotos da menina com as mãos estendidas e cartazes nos quais supostos deficientes estão se livrando de muletas e de cadeiras de roda.

O pastor Santos admitiu ao jornalista Roberto Cabrini, do programa Conexão Repórter, do SBT, que a filha tem atraído ultimamente mais fiéis para a igreja e que as ofertas têm aumentado, “mas não muito”.

Também entrevistada pelo Cabrini, a menina disse tudo o que o seu pai gostaria que ela dissesse. Falou que acredita ter o poder de cura, que gosta do que faz, que não deixa de frequentar a escola, que faz a lição de casa direitinho etc.

Ela falou que na escola – cursa o primeiro ano do ensino fundamental – se relaciona normalmente com as amiguinhas, com naturalidade, de igual para igual.

Mas antes de o programa Conexão Repórter ir ao ar na semana passada, Época publicou que Alani é  tratada na escola como a “menina superpoderosa”, numa alusão ao desenho animado de três meninas irmãs com poderes extraordinários.

Sandra, a mãe de Alani, disse ao programa do SBT que é uma alegria ter uma filha que recebeu de Jesus o dom de fazer milagre, deixando entendido que não se opõe à participação da menina nos cultos.

Contudo, pela reportagem da Época, em uma determinada época ela chegou a pedir a Santos que mantivesse a menina longe da igreja, o que ocorreu por três anos. Mas o pastor acabou trazendo-a de volta, reforçando o suposto dom de milagre da filha.

Santos costuma contar a história de que Alani começou a fazer milagre já no útero da mãe, que teria se livrado de miomas graças ao poder das mãozinhas da menina. De acordo com a revista, o pastor disse que, quando sua mulher estava grávida de Alani, as pessoas, ao tocar na barriga dela, “sentiam coisas estranhas” e "começavam a chorar".

A psicóloga Rose Araujo não tem dúvida de que a menina foi condicionada pelo pai a agir como milagreira. Ela disse que a Alani pode ter traumas quando der conta de que não possui dom algum ou ao tentar provar  pelo resto da vida que de fato é uma pessoa com poderes divinos.

No site da  igreja, há em vídeos depoimentos de pessoas que afirmam que obtiveram cura por intermédio da Alani. Se esses vídeos forem levados a sério, Alani já proporcionou mais milagres do que Jesus no decorrer de todo o Novo Testamento. Os "curados", como ocorre em outras igrejas evangélicas, são pessoas pobres que não conseguem cuidar  de suas doenças pelo sistema de saúde governamental, o SUS, e muito menos comprar remédios.

Em seu programa, Cabrini mostrou um rapaz que, ao ser tocado pelas mãos da menina, acreditou estar curado de um câncer que, segundo os médicos, tinha se espalhado pelo corpo dele. “Quem me curou foi Jesus por intermédio de Alani”, afirmou o rapaz, que foi abraçado por parentes emocionados. Dias depois, ele morreu.

Para casos como esse, Santos recorre ao argumento que todos os pastores usam: só se curam as pessoas que têm fé o bastante. Ou seja, o rapaz não obteve a cura por culpa dele mesmo.

A própria Alani parece não ter tanta fé, se é que se pode exigir tal coisa de uma criança, porque, quando brinca com suas bonecas, ela as cura não com o toque de suas mãozinhas milagrosas, mas com injeções e remédios.  A menina disse que quando crescer quer ser médica e talvez porque deseja curar de verdade as pessoas.

O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) protege crianças como a Maísa, mas não como Alani, porque as autoridades temem ser acusadas de discriminação religiosa. 

Por isso Alani corre o risco de não ter salvação.

Com informação do Conexão Repórter, Época e do site da Igreja Pentecostal dos Milagres. 

Pais não deveriam impor uma religião aos filhos, afirma Dawkins
julho de 2009

Comentários

  1. Muito interessante a reportagem. Posso publicar no blog deusilusao? Lá falamos de religião, ateísmo, ciência e curiosidades...abração

    ResponderExcluir
  2. A reprodução de texto deste blog é livre, desde que acompanhada do crédito e do link para cá.

    ResponderExcluir
  3. Esta é boa: agora criança de três anos, que foi o caso da Alani, tem discernimento para se oferecer como voluntária.

    Ela foi "voluntária" porque um espertalhão, o seu pai, assim quis.

    Infelizmente, as autoridades responsáveis pela aplicação do ECA não estão atentas para "detalhes" como esse.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Sr Paulo. O tal de 4ª legião, Hagnus e Agnaldo é o mesmo cara. Ele é crente e costuma comentar em site ateu..Só panfleta e não acrescenta nada. Não consegue discutir e responder as incoerências religiosas, apenas é crente "xiita" e pronto. Não entende muito de ciência e acha que tudo está na bíblia..Só pra ter uma idéia de quem é....abração

    ResponderExcluir
  6. Entendi, Saracura. O cara é um troll. Aqui, ele não azucrina mais.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado Paulo por divulgar o evangelho, quando Deus ordena até o diabo tem que obedecer, os adpetos de satanás são os que mais divulgam o evangelho não sabendo que quanto maior a critica mais cresce o evangelho, continue assim com seu lider.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  8. já comentei aqui que é uma pena este país não ter uma lei que puna com muitos anos de cadeia esses exploradores da boa fé alheia .esse pastor bem que poderia pegar pelo menos uns 40 anos de cadeia ,pra aprender a nunca mais explorar a propria filha.

    ResponderExcluir
  9. José Fernando de Araujo4 de novembro de 2010 08:58

    Concordo em termos com a reportagem, que é muito boa por sinal. Não acredito ser possivel mensurar até que ponto retirar essa fé dessas pessoas é melhor do que mante-la. Acho que é um fenomeno mais social(falta de estrutura no geral) do que religioso(crença no divino). Todos aqueles que criticam, e com razão, tem condições de toda ordem para não precisar deste tipo de crença. A quem apelar quando não se tem mais nada ? nem as minimas condições de interpretar o que ocorre conosco e a nossa volta? Repito , não concordo com esse visão fanática do mundo, mas acho um pouco simples condena-la, e as pessoas que a aderem, apenas com base na nossa visão, que é oriunda de um meio com condições para poder criticar. Talvez nunca tenhamos ficado desesperadamente desamparados e sem referencia a ponto de acreditar em coisas que não são explicadas pela razão ou pelas religiões mais tradicionais.

    Abraço e parabéns pela saudável discussão

    ResponderExcluir
  10. O religioso é ser humano carente de conhecimento e cultura que baseia todas as suas necessidades em um amigo invisível para conseguir suportar o sofrimento da realidade da existência na no planeta Terra, drogando-se de esperança crendo em algo que nunca acontecerá.

    ResponderExcluir
  11. Paulo Roberto Lopes sou Cristão e primo pelo o que é certo. Com relação á menina de 06 anos eu ví uma reportagem em que ela orou por duas pessoas e estas se disseram curadas, contudo depois que a equipe de TV da emissora que fez a reportagem levou estas pessoas ao médico para exames ficou constatdo de que não estavam curadas. O pai dela foi inquerido sobre o que poderia ter dado errado e não soube responder com clareza ficando em maus lençois. Creio firmemente de que Jesus cura, mais creio que devemos nos certificar de que não seremos envergonhados na presença de todos porque isso e ruim para o evangelho. Deve-se orar e pedir a pessoa que vá ao médico e apresente exames de antes e depois, e nunca na frente de uma equipe de TV. A não ser que o milagre seja indiscutível. E quanto a ela trabalhar para Jesus, sabemos que Jesus só teve contato com adultos com 12 anos.Não se deve explorar uma criança ela deve ir a escola, brincar e viver como criança. Ir a igreja somente 3 dias na semana. Se possível faça algo por ela denuncie. um abraço

    ResponderExcluir
  12. Paulo Roberto Lopes, sou cristão mais não apoio crentes sem sebedoria. Desejo que esta menina não seja explorada. Jesus foi batizado com trinta anos. E logo a seguir a mãe dele Maria pediu que ele resolvesse um problema de falta de vinho em um casamento, ao que ele respondeu: "O que tenho contigo mulher? Ainda não Chegou a minha hora." Vemos aqui que até Jesus teve a hora de começar o seu ministério. Um abraço Fernando seu servo.

    ResponderExcluir
  13. Esse pastor é um indecoroso.Um charlatão que usa a própria filha.

    ResponderExcluir
  14. Essa última do PauLopes foi de lascar...

    Quer dizer que os índios matarem um menino com síndrome de Down ou torturarem uma criança com formigueiro é mais perdoável que "lucrar com a ignorância alheia"...

    O cara já perdeu a noção, não tem hierarquia de valores.

    ResponderExcluir
  15. Realmente é uma vergonha esse caso que é ignorado completamente por aqueles que deveriam primar pelo bem estar da criança, eu tenho pena da pobre inocente que um dia vai crescer e entender o que esta acontecendo.

    É ainda mais lamentável o crime estar acontecendo com o incentivo dos próprios pais realmente para mim pode ser comparável ao crime de abuso sexual, talvez seja ainda mais grave pois a os danos psicológicos são TALVES IRREVERSIVEIS.

    ResponderExcluir
  16. Não tem perdão para uma estupidez arbitrária e perversa como essa usar uma criança para explorar a fé das pessoas traumatizando a própria criança.Seguramente ficará sequelada.

    ResponderExcluir
  17. Divulgando o evangelho nada .Ele divulga é a sacanagem desenfreada e despudorada que são essas seitas crentes e que ocorre nessas igrejitas evangélicas XIITAS.

    ResponderExcluir
  18. EI LEVEM ESSA MILAGROSA PRA RESSUCITAR OS MORTOS DO REALENGO!!!!

    HIPOCRITASSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  19. Isto está me cheirando perseguição religiosa ou coisa parecida.O que a gente vê de crianças sendo explorada literalmente por aí e ninguém comenta nada,no máximo se ouve "Ah,o que se há de fazer né?É Brasil mesmo!"É só prestarmos melhor atenção ao redor quando saímos para as ruas.Imprensa hipócrita!!!

    ResponderExcluir
  20. Seu Paulo Lopes,o senhor tem sorte de viver numa época e em um país em que a maioria tem acesso a um meio de informação(internet)e liberdade de escrever o que quizer,principalmente mostrar que se é possível ser hipócrita educadamente.

    ResponderExcluir
  21. Ei, anônimo das 10:28: só por que existem "por aí" muitas crianças exploradas não se deve falar da exploração da Alani?

    Ora, que bobagem. Isto sim é que é hipocrisia.

    ResponderExcluir
  22. Anônimo das 10:36: eu desfruto da liberdade de expressão não por ter sorte, mas porque lutei por isso.

    Saí às ruas contra a ditadura militar, protestei, lutei pelo meu e pelo seu direito de livre opinião.

    Liberdade de expressão, meu caro, não é uma questão do acaso, de sorte, mas de conquista.

    Se você não entende isso, é natural que não entenda outras coisas, incluindo a exploração religiosa.

    ResponderExcluir
  23. O pai é um hipócrita! Aumentou um pouco, mas não muito. (sobre as ofertas)
    E está cometendo um violento atentado contra a consciência dessa criança, que não faz a mínima idéia do que seja ser "missionária" e tampouco dos objetivos dos supostos milagres realizados por ela. Não tem idéia da dimensão dos ideais que Cristo tentou passar para as pessoas, posto que sempre buscou o anonimato a cada milagre realizado nas narrativas bíblicas, é só ler a bíblia e observar o quanto esses supostos milagreiros andam na contra-mão daquele a quem eles afirmam servirem, a saber Jesus Cristo.

    Para esse senhor que é o pai da Alani penso que um bom par de algemas e uma boa temporada numa cela refrescariam sua consciência...

    ResponderExcluir
  24. Eu sou evangélico, e discordo peremptoriamente da forma como o pai dessa criança a tem USADO e EXPLORADO. É um "irmão" mau caráter! Se bem que, o Apóstolo Paulo escreveu que gente assim, sequer deveria ser saudada, quantos mais chamada de irmão.

    ResponderExcluir
  25. Paulo Roberto Lopes,

    Gostaria que tivesse dispensado o mesmo tratamento dado aqui ao anônimo mal educado, "4ª Legião da fé", também ao Anônimo que por várias vezes me agrediu descabidamente nesse espaço, o qual mesmo como minhas reclamações, não foi moderado pelo senhor.

    ResponderExcluir
  26. explorar crianças é errado!

    mas vejo tanta criança esquecida no farol,vendendo e o pai ou familiar fica a espreita e ninguém liga,só porque a midia mostrou esta criança,porque não aumentar o foco?
    tem crianças em situações piores e não vejo lei nenhuma e nem autoridade fazendo nada.

    tudo pelo marketing.

    ResponderExcluir
  27. "Em seu programa, Cabrini mostrou um rapaz que, ao ser tocado pelas mãos da menina, acreditou estar curado de um câncer que, segundo os médicos, tinha se espalhado pelo corpo dele. “Quem me curou foi Jesus por intermédio de Alani”, afirmou o rapaz, que foi abraçado por parentes emocionados. Dias depois, ele morreu."

    Não teve fé $uficiente... ¬¬

    ResponderExcluir
  28. Levei minha mulher neste culto por acreditar que essa menina tinha o dom de cura e ao final do culto minha mulher disse estar curada de mioma. Tenho os documentos que comprovam o mioma no (útero) agora vou mandá-la fazer os exames para comprovar a cura divina. A cirurgia etava marcada para fevereiro e acredito que a vaga será reservada para outro doente que não teve a oportunidade de participar deste culto. Sou militar (Suboficial)tenho plano de saúde da aeronáutica e dinheiro para fazer o tratamento de minha mulher em hospital. Espero que não sintam ofendidos mais leiam a Bíblia e chegarão a conclusão de que tudo é possível ao que crê. meu telefone 3091-0409 (21).

    ResponderExcluir
  29. São tantos os crimes de exploração de menores por parte da igreja, que encheria um cartório inteiro

    ResponderExcluir
  30. Eu acho que você não devia se importar com a vida dela e sim com a sua vida
    As coisas que acontece dentro da igreja deve ficar dentro da igreja
    Isso é cultura e ela tem um dom de Deus, um chamado e uma missão a cumprir
    Bom seria que nossas crianças fizesse do que essa menina ta fazendo
    pois se assim fosse não teria tantos jovens e crianças perdidos no mundo da
    criminalidade e da prostituição.

    Eu acho que vcs tem mais com o que se importar, pois falar mau de crente é realmente repugnante

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site