Santo Daime não cura drogado, alerta psiquiatra

O chá pode piorar a saúde do dependente.
O que pode ocorrer
é uma droga
substituir outra
Embora existam pessoas que afirmam ter se livrado das drogas graças ao Santo Daime, esse chá nunca deve ser usado como alternativa de tratamento de dependência química.

O alerta é do psiquiatra Ronaldo Laranjeira, do departamento de dependência química da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria).

O que pode ocorrer, segundo ele, é a substituição de uma droga pelo Santo Daime, que é também um alucinógeo e pode causar surtos em pessoas predispostas a transtornos mentais, entre outras consequências.

Outra possibilidade é que o viciado passe a depender  do chá sem conseguir largar das demais drogas.

Esse parece ter sido o caso de Carlos Eduardo Sunfeld, o Cadu, 24, assassino confesso do cartunista e daimista Glauco Villas-Boas, 53, e o seu filho Raoni.

Cadu tinha procurado a igreja de Glauco, a Céu de Maria, para se curar da dependência, mas ele piorou. No dia dos crimes, o jovem estava bem “chapado”, conforme relato da Bia, mulher de Glauco.

Parentes do jovem afirmaram ao G1 que a “cabeça” de Cadu piorou quando ele passou a frequentar a Céu de Maria.

É o que dá sentido a uma frase do rapaz a jornalistas depois de ter sido preso. A frase que ele teria dito a Glauco ou pesado no momento do crime é esta: “'Você fodeu com a minha vida, demorou, vou foder com a sua também.' Aí atirei nele."

Carlos Augusto, 22, disse que Cadu, seu irmão, fumava maconha de vez em quando sem que  apresentasse transtornos.

“Os problemas que ele teve foram com o Santo Daime, que mexe com o cérebro. Tomava todo dia. Num réveillon ele surtou. Teve taquicardia e desmaiou. Precisei socorrê-lo.”

O Santo Daime produz efeitos colaterais parecidos com o do LSD: superexcitação, miragens, transe, medo progressivo, pânico e surtos psicóticos.

O psiquiatra Laranjeira disse à Rádio Bandeirantes que o governo foi advertido dos males do Daime.

Mas, mesmo assim, o Conad (Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas) legalizou no dia 26 de janeiro  o uso do chá em rituais religiosos.

No dia 31 de janeiro, Alexandre Viana da Silva, 18, morreu afogado em uma lagoa na região metropolitana de Belém (Pará), após passar a noite em um ritual do Santo Daime.

Aparentemente o chá fez com que o jovem acreditasse que ele sabia nadar.

-------- Busca neste site