MP-PI investiga Defensoria por promover cerimônia religiosa



O MP-PI (Ministério Público do Estado do Piauí) está investigando a Defensoria Pública do Estado por ela ter promovido cerimônia religiosa ao final de 2016, de acordo com denúncia feita pela Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos).

No dia 16 de dezembro de 2016, a Defensoria promoveu uma missa em uma de suas dependências a título de confraternização de Natal.

Conforme notificou este site na época, compareceram à cerimônia católica vários servidores, incluindo a defensora pública geral, Francisca Hildeth Leal Evangelista Nunes (foto abaixo), prestigiando, assim, a afronta ao Estado laico brasileiro.

O site do governo do Estado do Piauí noticiou a cerimônia, publicando inclusive fotos. Mas a página com a informação foi deletada.

Até agora Francisca Nunes não deu uma satisfação à opinião pública.

Quem está cuidando da investigação é Myrian Lago, da Promotoria da Cidadania e Direitos Humanos, do MP.

Defensora Francisca é
 inimiga do Estado laico 

Com informação do GP1 e deste site e foto de divulgação.

Envio de correção



Religiosos não entendem que Estado laico beneficia a todos