Austrália acusa de pedofilia cardeal que assessora o papa



A Polícia da Austrália acusou o cardeal George Pell (foto abaixo) de “crimes históricos” de pedofilia.

Principal assessor financeiro do papa Francisco, Pell é a mais alta autoridade do Vaticano sob acusação de ter cometido uma série de abusos sexuais a menores de idade.

Quando foi chamado para o Vaticano, o cardeal já sofria suspeita de ser um predador sexual.

Shane Patton, da polícia do Estado australiano de Victoria, informou que Pell foi intimado a comparecer em um tribunal em meados de julho de 2017 para responder a acusações de supostas vítimas.

O cardeal nega ter praticado qualquer tipo de abuso, mas em 2016 admitiu ter cometido “enormes erros” ao permitir que padres estuprassem crianças.

Estima-se que as denúncias de abuso atinjam 7% do clero australiano, o que é um índice elevado.

O caso Pell coloca Francisco em uma situação constrangedora, porque o papa vem repetindo que a Igreja passou a adotar tolerância zero com os sacerdotes pedófilos.


Envio de correção



Papa mente ao dizer que combate a pedofilia