Líder da bancada evangélica é réu em ação de estelionato



O novo presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado Hidekazu Takayama (PSC-PR), na foto abaixo, é réu em ação penal que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal). Como parlamentar, ele desfruta do foro privilegiado.

Desde 2011, o Ministério Público acusa Takayama de desviar verbas públicas por intermédio de contratação de 12 funcionários comissionados para prestar serviços particulares, de 1999 a 2003, quando exerceu mandato de deputado estadual.

Para o MP, o evangélico é autor de crimes contra a ordem tributária, estelionato e peculato.

O ministro Dias Toffoli, relator do inquérito, ouviu as pessoas contratadas por Takayama, e elas confirmaram ter trabalhado em tarefas que nada tinham a ver com o serviço público.

Takayama diz ser inocente.

Ele é pastor da Assembleia de Deus Cristo Vive, no Paraná.

Na presidência da bancada evangélica, substituiu o deputado João Campos (PRB-GO).

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Takayama disse que a sua prioridade como líder da bancada evangélica é defender a família tradicional, o que exclui os casais homossexuais.

Ele não aceita "Adão casado com Evo ou Eva com Ada".

Mas, para Takayama, pode haver roubo de cofres públicos, considerando que ele venha a ser condenado pelo STF.

Takayma é pastor
Com informação do STF e de outras fontes e foto de divulgação.

Envio de correção.



Congresso não pode ter bancada religiosa, diz procuradora