Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

......................................................................................

sexta-feira, 27 de março de 2015

Nos EUA, 1 'desigrejado' a cada 4 é ateu ou agnóstico, diz pesquisa

Em apenas duas décadas,
houve uma drástica mudança
no perfil dos céticos
Pesquisa do norte-americano Grupo Barna, instituto cujos propósitos se concentram em questões cristãs, levantou o perfil das pessoas que não frequentam nenhuma igreja, os “desigrejados”, confirmando tendências que têm feito arrepiar os cabelos de pastores.

Esse segmento dos "desigrejados" encontra-se em expansão e já representa 25% da população de adultos dos Estados Unidos.

O Barna verificou que a cada quatro sem igreja 1 é cético (ateu ou agnóstico). Ou seja, o cético representa um quarto dos todos os “desigrejados”.

A pesquisa comparou os sem igreja de 1993 com os de 2013, chegando às conclusões abaixo.

1Caiu a idade média dos céticos. Há 20 anos, 18% deles tinham menos de 30 anos. Hoje eles representam 34% — ou seja, quase que dobrou. Já a quantidade de céticos com 65 anos ou acima dessa idade caiu drasticamente, e hoje representa apenas 7% desse segmento. Esses dados mostram que a população americana caminha a passos largos para a consolidação do secularismo.

2  – Céticos têm mais tempo de escola. A pesquisa mostrou que os ateus e agnósticos de hoje têm mais estudo formal. Há duas décadas, um terço deles tinha diploma universitário. Hoje, metade do grupo já passou por uma escola de nível superior.

3  – Há mais mulheres céticas. O fato novo revelado pela pesquisa é que de 1993 para cá milhões de mulheres migraram para o grupo dos céticos. Naquele ano, elas representavam apenas 16% do grupo, mas atualmente a participação delas é de 43%. Ou seja, o triplo. Tais porcentagens comparativas não significam que diminui no grupo o número de homens, mas que houve um crescimento mais rápido do de mulheres.

4Houve diversificação. Há 20 anos, os brancos representam 80% dos céticos dos Estados Unidos. Em 2013, em percentual caiu para 74%. O Barna apurou que essa mudança se deve, em grande parte, aos imigrantes hispânicos e asiáticos e a seus filhos que estão aderindo ao ceticismo. Isso ocorre principalmente com os americanos de origem asiática, que é o grupo demográfico étnico menos cristãos dos Estados Unidos. Já a adesão de hispânicos e de negros é menos expressiva.

5  –  Os céticos estão mais bem distribuídos. Nos anos de 1990, os ateus e céticos se concentram no Nordeste e Oeste dos Estados Unidos. Hoje, eles se encontram em todas as regiões.

Para analistas da pesquisa, os três principais fatores que têm levado religiosos a se tornarem em céticos são 1) rejeição à Bíblia, 2) falta de confiança na igreja de sua religião, e 3) transformação cultural a favor de uma visão de mundo secular.

Para dois terços dos céticos, a Bíblia é apenas um livro de histórias escritas por pessoas cuja sabedoria é igual a de outros autores de autoajuda.

Apesar da antipatia ou indiferença que têm pela Bíblia, seis em cada dez céticos possuem em casa pelo menos um exemplo do livro dos cristãos.

Para a maioria dos céticos, a frequência a uma igreja não é enriquecedora, a não ser quando se trata de ajudar os pobres da comunidade.

No mais, para eles, as igrejas são lideradas por pessoas que não merecem confiança, porque pregam contra o casamento gay e contra a liberdade de as mulheres serem donas de seu próprio corpo, além de misturar crenças religiosas com política.

Com informação do Grupo Barna.





Pastor pede de novo que ateus saiam dos Estados Unidos


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...