Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

domingo, 22 de setembro de 2013

Filme 'Abrace um ateu' mostra que descrente não é bicho-papão

Sylvia Broeck
Broeckx mostra que ateus
 são pessoas comuns,  como o
vizinho de qualquer americano
A belga Sylvia Broeckx (foto), 35, radicada na Inglaterra, produziu o documentário “Abrace um ateu” (tradução literal) com o propósito de mostrar aos americanos que o ateísmo e os ateus não são os bichos-papões, muito deferente, portanto, do que os líderes religiosos pregam e do que pode parecer a muita gente.

Ela resolveu fazer o filme porque ficou sensibilizada com alguns casos de admoestação a ateus nos Estados Unidos, principalmente aos adolescentes Jessica Ahlquist e Damon Fowler, que foram alvo da fúria de cristãos porque se opuseram às orações impostas na escola (pública) de cada um deles.

Ambos sofreram ameaça de morte, e a família de Fowler o expulsou de casa.

O filme de 90 minutos — o primeiro longa de Broeckx — foi apresentado no Festival Anual de Filmes Ateus de San Francisco (EUA). Agora a cineasta vai inscrever o filme em outros festivais, com a expectativa de que uma rede de TV americana se interesse por ele.

O documentário apresenta entrevistas de ateus de Estados americanos como Texas, Illinois, Kentucky e Pensilvânia. São pessoas comuns, não ateus que militam em organizações e, por isso, têm certa visibilidade nas TVs a cabo.

Cada um deles conta como é marginalizado pela sociedade e até pela família por não acreditarem em Deus.

“Eu sempre tive a convicção de que a América foi fundada sobre a liberdade de religião”, disse. “Mas tive um choque quando descobri que, diferentemente em relação à Europa, ser ateu na América pode ser um grande problema.”

Broeckx obteve o dinheiro para promover o filme por intermédio de um site pelo qual as pessoas fazem doações para empreendimento envolvendo uma causa.

Em 53 dias ela obteve US$ 27.000. Um único doador (um cineasta) doou US$ 10.000.

Ela disse que o seu documentário mostra que os ateus são pessoas como qualquer outra. “Minha intenção foi colocar um rosto no ateísmo, e esse rosto pode ser do vizinho de quem assistir o documentário, de seus amigos, dos colegas de trabalho que são descrentes sem que eles revelem isso.”

Dave Fitzgerald, organizador do festival, disse que o documentário de Broeckx é “maravilhoso” porque lida com a realidade, com coisas reais.n“Seus temas não são caricatura. Ela mostra que as pessoas comuns sempre têm algo de extraordinário para dizer.”

No caso do “Abrace um Ateu”, a cineasta, disse Fitzgerald, aborda a moralidade, o relacionamento com a família, o sofrimento e a morte do ponto de vista de quem não acredita no sobrenatural.

Com informação do Washington Post e agências.





Cristãos xingam aluna que obteve decisão contra oração
janeiro de 2012
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...