Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

domingo, 21 de abril de 2013

Evangélicos são mais atuantes nas assembleias que católicos

Cada vez mais a pregação evangélica
esta contaminando o discurso político 
Embora a maioria da população dos Estados brasileiros seja católica, são os deputados evangélicos que se destacam nas assembleias legislativas, entre os que atuam de acordo com sua religião.

Em todos os Estados há deputados evangélicos militantes. Em contrapartida, em 13 assembleias não há nenhum deputado católico que se pauta influenciado diretamente pela sua religião. O levantamento — sem critérios científicos — foi feito pelo "Estado de S.Paulo".

Somente no Rio Grande do Norte e Paraíba há a mesma proporção de deputados evangélicos e católicos militantes: 4% e 1%, respectivamente.

Na Assembleia do Estado mais católico, o Piauí, não há nenhum deputado que milita de acordo com essa fé. Já os evangélicos engajados representam 6% dos deputados.

Nas chamadas “bancadas evangélicas” de todos os Estados, são os deputados pentecostais — da Assembleia de Deus, a Igreja Universal do Reino de Deus e a do Evangelho Quadrangular — que mais introduzem suas convicções religiosas e morais na agenda das discussões.

Esses militantes religiosos nas Assembleias têm potencial de crescimento, tendo em vista que ainda não atingiram o percentual da população que correspondem aos evangélicos.

Entre os Estados mais populosos e ricos, o Rio de Janeiro se destaca. Sua população tem 29% de evangélicos, de acordo com o Censo de 2010, e sua Assembleia, 21%. São Paulo tem 24% de evangélicos e a sua Assembleia, 11%

Na região Norte, a representatividade dos evangélicos é maior. No Acre, por exemplo, a bancada evangélica corresponde a 33% da Assembleia. O percentual é o mesmo da população evangélica do Estado. Amapá está em segundo lugar, com 25% de deputados evangélicos, para uma população de 28% dessa vertente do cristianismo.

Rondônia tem 17% de deputados evangélicos, e Pará, 12%. Mato Grosso do Sul, Paraná, Distrito Federal, Goiás e Espírito Santo também se destacam.

A força dos evangélicos nas assembleias tem sido potencializada pelos acordos que eles eventualmente fazem com outros grupos de deputados, a exemplo do que ocorre na Câmara dos Deputados.





Fonte: Estado de S.Paulo

Verdades absolutas da religião são incompatíveis com a política
por Marcelo Semer em abril de 2013

Religião na política   Estatística das religiões no Brasil


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...