Revista satírica francesa publica biografia de Maomé

Revista imprimiu 80 mil exemplares
da edição sobre a vida de Maomé
A revista satírica francesa Charlie Hebdo lançou ontem (2) a biografia em quadrinhos do profeta Maomé. Cada exemplar custa 3 euros (cerca de R$ 8) de uma edição de 80 mil cópias, 10 mil a mais que a tiragem normal da publicação.

Os muçulmanos consideram ofensa qualquer representação de Maomé.

Em novembro de 2011, o escritório da revista em Paris foi  atingido por uma bomba molotov por ter publicado Maomé dizendo: “Cem chicotadas se você não morrer de rir”.

A revista não se intimidou com o atentado e em setembro de 2012 publicou em sua capa Maomé em uma cadeira de rodas sendo empurrado por um judeu ortodoxo, e ambos estão dizendo: “Não ria!”

Stéphane Charbonnier, editor e desenhista da revista cujo  pseudônimo é "Charb”, disse que quem quiser se chocar com a biografia não vai se decepcionar. Mas ele garantiu que os quadrinhos contêm os “preceitos de pureza” da lei islâmica.

Disse que teve a ideia de desenhar a biografia em 2006, quando um jornal dinamarquês publicou caricaturas de Maomé, desencadeando uma onda de protestos em vários países de cultura muçulmana. "Antes de rirmos de um personagem, devemos conhecê-lo", disse. "Sabemos muito da vida de Jesus, e nada sobra a de Maomé."



A biografia faz menção a Abdula e Amina, pais do profeta, a Meca (local de nascimento de Maomé), a infância e adolescência do personagem e às guerras santas. 

Zineb, coautora da biografia, afirma no prefácio que se trata de um trabalho “muito sério”, com base em fontes islâmicas.

cartoom de Maomé
Em 2011, a revista mostrou Maomé e o
 cartunista Charb se beijando na boca  
Com informação das agências.

Revista Charlie Hebdo desenha Maomé em cadeira de rodas

setembro de 2012

Religião contra livre expressão.    Casos de fanatismo islâmico.