Edição de revista satírica alemã terá capa com caricatura de Maomé

Já saiu na internet
um esboço da capa
 
A edição de outubro da revista satírica alemã Titanic retratará em sua capa Maomé com um longo punhal erguido ameaçadoramente ao lado de Bettina, mulher do ex-presidente alemão Christian Wulff, que renunciou em fevereiro sob a acusação de tráfico de influência.

A versão digital do jornal Financial Times Deutschland publicou um esboço da capa. Nela, há a manchete “Ocidente em revolução: Bettina Wulff roda um filme sobre Maomé".

Titanic é a segunda revista europeia nos últimos dias a desafiar os fundamentalistas muçulmanos que têm reagido com violência à postagem no Youtube do filme anti-islã Innocence of Muslims ("A Inocência dos Muçulmanos"), com saldo de dezenas de mortes. A primeira foi a francesa Charlie Hebdo. Para os muçulmanos, qualquer representação de Maomé é uma blasfêmia.

Revista já comparou
religiões com pênis;
o menor é islamismo
Leo Fischer, diretor da Titanic, disse que a revista, ao publicar uma caricatura do profeta, pretende fazer “uma advertência contra filmes ofensivos mal feitos, mas principalmente contra celebridades ultrapassadas que querem se beneficiar da crítica barata contra o Islã".

Fischer disse que não republicará as caricaturas da Charlie Hebdo porque as considera grosseiras e sem graça. Em 2006, Titanic reproduziu as caricaturas de Maomé do jornal dinamarquês Jullands-Posten, que provocou protesto na época em vários países. Em 2006, ela satirizou as religiões, comparando-as com quatro pênis de diferentes tamanhos — o menor deles representava o islamismo.

Em agosto deste ano, a revista satirizou os vazamentos de informações do Vaticano ao publicar uma capa onde aparece o papa Bento 16 com a roupa manchada por dois “vazamentos”: um urinário e outro diarreico.

Titanic detectou dois novos "vazamentos" no Vaticano
Com informação das agências.

Charge mostra Maomé nu; e França fecha embaixadas em 20 países.
setembro de 2012

Ridiculizar religião deveria ser crime de blasfêmia, diz arcebispo.
agosto de 2012

Religião contra liberdade de expressão.