Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

sábado, 11 de agosto de 2012

Papas praticavam pedofilia desde o Renascimento, diz livro

Título soa como
 panfletário, mas
 conteúdo é sério
Título original: Livro do sociólogo Claudio Rendina vasculha bastidores da Igreja Católica

por José Maria Mayrinka
para Estadão

Soberba, avareza, luxúria e pedofilia, os itens enumerados na capa de Os Pecados do Vaticano [Gryphus, 353 págs., R$ 49,90], são apenas uma amostra dos escândalos que Claudio Rendina, escritor, poeta e historiador descreve em 352 páginas, com lupa de pesquisador e experiência de vaticanista. Lançada em 2009, a obra vendeu 30 mil exemplares em um mês. Não só pelo apelo do título e pelo conteúdo do índice — sete capítulos e apêndice —, mas também pela ficha bibliográfica do autor.

Rendina escreveu, anteriormente, outros livros na mesma linha, entre eles Cardeais e Cortesãs, História dos Segredos do Vaticano e A Vida Secreta dos Papas, sempre com muito sucesso. É um autor que incomoda o Vaticano, mas não deixa de ser respeitado.
Com base em documentos e citações fidedignas, Rendina descreve tramoias financeiras, aventuras sexuais, crimes de homicídio e massacres institucionais praticados por autoridades da Igreja.

Os escândalos vêm desde os primeiros séculos, multiplicam-se na Idade Média e avançam até os tempos modernos. No caso da pedofilia, por exemplo, que incrimina cardeais e papas da época do Renascimento, as denúncias chegam até os dias de hoje.

Ao tratar de assassinatos de pontífices no passado, o autor registra a suspeita de que João Paulo I teria sido envenenado em 1978 numa suposta queima de arquivo. O título do novo livro de Rendina soa um tanto panfletário - o conteúdo, porém, é sério.





Livro conta a vida sexual de papas: pedofilia, incesto e zoofilia
setembro de 2010


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...