Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Regulamento do Concurso de Fotos Que Estado laico é este?

Livro "Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas"
O autor da melhor foto 
ganhará o livro "Por que
 as pessoas acreditam
 em coisas estranhas",
de Michael Shermer
1 - O participante terá de enviar foto para paulopes.weblog@gmail.com que mostre desrespeito ao Estado laico brasileiro e consequentemente à Constituição Federal. Valem flagrantes de símbolos religiosos ou expressões de crenças em espaço público, como escolas, assembleias, câmaras municipais, hospitais municipais e estaduais, praças, ruas e rodovias.

2 - A foto deverá ter qualidade para publicação e o seu envio automaticamente concede autorização para uso no blog e em redes sociais.

3 - Cada participante pode mandar quantas fotos quiser, cabendo ao editor do blog a decisão sobre qual ou quais publicar.

4 - O participante terá de informar o local e a cidade de onde a foto foi tirada. Se não quiser que seu nome seja publicado, terá de avisar no e-mail e criar um nickname. O e-mail não será divulgado.

5 - Foto que já tenha saído na internet poderá ser publicada a título de informação, mas quem a enviar não concorrerá ao prêmio.

6 - O editor escolherá o autor da melhor foto. O prêmio será o livro “Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas – Pseudociência, Supertições e Outras Confusões de Nossos Tempos” (384 págs, R$ 65, JSN Editora), de Michael Shermer.

7 - O concurso termina no dia 30 de setembro.

Independentemente do concurso em si, a ideia é reunir fotos que mostrem a banalização do desrespeito ao Estado laico. A expectativa do blog é contar com a colaboração de quem tem apreço pela laicidade, sem a qual a democracia se torna inviável. #EstadoLaicoJá.

Por que as pessoas acreditam em Coisas Estranhas
resenha da editora JSN do livro de Shermer 

Poucos podem falar com mais autoridade pessoal das crenças humanas do que Michael Shermer. Ele conta que se tornou cético depois de uma odisseia de dez anos pelo mundo da saúde alternativa e das terapias para melhorar a aptidão física.

Em seu livro, Shermer aborda sob uma ótica estritamente científica temas como a negação do Holocausto, o criacionismo, as experiências de quase morte e a paranormalidade. Segundo ele, nada supera o método científico, que envolve a obtenção de dados para formular e testar as explicações dos fenômenos naturais, desenvolvido inicialmente nos séculos XVI e XVII.

Para Shermer, as pessoas acreditam em coisas estranhas porque faz parte da natureza humana procurar padrões, conexões de eventos, mesmo onde na verdade não existe nada.

Seu livro serve como uma bússola ajudando a navegar pelo “frequentemente confuso desfile de afirmações e crenças que nos são apresentadas como histórias e padrões que fazem sentido”. Mas, acima de tudo, o autor demonstra que o cético não é um cínico nem um niilista. “O ceticismo é uma abordagem provisória das afirmações, é a aplicação da razão a todas as ideias”, diz.

 “O ceticismo é um método, não uma posição. Os céticos não entram numa investigação fechados à possibilidade de que o fenômeno seja real ou a afirmação seja verdadeira. Quando dizemos que somos céticos, queremos dizer que precisamos ver evidências concretas antes de acreditar.”

Quem acredita em divindades gosta de ser enganado, diz Shermer
janeiro de 2012

Dogmas de fé não podem influenciar decisões de Estado, afirma Mello.
abril de 2012

Religião no Estado laico.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...