Todo mundo que crê salvar o mundo é autoritário, afirma Pondé

Título original: A demagogia verde dos salvadores

por Luiz Felipe Pondé para Folha

Uma coisa que sempre me chama a atenção é a vocação autoritária dos verdes em geral, assim como seu caráter ideológico travestido de evidência científica "inquestionável." Não é para menos uma vez que são movidos pela crença de que estão salvando o mundo. Todo mundo que crer salvar o mundo é autoritário.

Claro que devemos nos preocupar com o meio ambiente. Essa é uma ideia já antiga. Machado de Assis no seu maravilhoso "Dom Casmurro", através de seu narrador Bentinho, já falava de pessoas inteligentes que iam jantar em sua casa na sua infância e falavam que os polos estavam derretendo...

Pessoas que se julgam salvadoras do mundo são basicamente de dois tipos: ou são autoritárias ou são infantis. Na tribo verde existem os dois tipos, e como crianças são naturalmente autoritárias, não há muita saída: as duas características se encontram com frequência na mesma pessoa. Um dos desafios da cultura verde é se livrar desse mau hábito. Até agora, me parece uma tarefa impossível.

Falemos do infantilismo. É comum ideólogos verdes (que dizem falar em nome da ciência, essa senhora, coitada, tão abusada em nossos dias e que todo mundo diz frequentar seu circulo mais íntimo), falarem coisas absurdas e ninguém percebe seu absurdo. Quer ver um exemplo?

Uma dos impasses da humanidade é o fato de que sua população cresce e todo mundo quer ser feliz, comer bem e ter uma vida confortável. Todo mundo quer ser "americano" ou "alemão", no sentido de viver altos padrões de qualidade de vida. A questão sempre é: quem paga a conta? Em termos ambientais, de onde virão tais recursos? Como servir a todo mundo sem explorar a natureza? Não dá. Não adianta esquisitos de todos os tipos acharem que seus hábitos de alimentação, praticados em cozinhas orgânicas, salvarão a humanidade.

Verdes demagógicos, intelectuais "profetas" e políticos marqueteiros são personagens que adoram prometer o impossível. Eles dizem que dá pra fazer da vida uma festa de bem-estar e deixar as plantinhas e os animaizinhos em paz. Este é o absurdo.

O intelectual americano Thomas Sowell em seu maravilhoso "Intellectuals and Society" (no Brasil, publicado pela É Realizações) desvenda a mágica por detrás de absurdos como este de dizer que vai dar para todo mundo ser feliz sem machucar nada nem ninguém: quem diz absurdos como este fica bem na fita, se autopromove (já que a democracia é o regime da mentira de massa por excelência) e ganha muito dinheiro no mercado "do bem".

Que Deus proteja o planeta da demagogia verde.

Cultura dominada pela ideia de felicidade é cultura de frouxos.
dezembro de 2011

Artigos do Pondé.

Comentários

  1. Umas das coisas que me dão muito prazer e plantar arvores. Uma das coisas que mais me entristecem e revoltam e ve-las vandalizadas de maneira sistemica. Conclui que os humanos são incompativeis com a natureza. Somos indolentes e hipocritas. Piores predadores do planeta.

    ResponderExcluir
  2. Péssimo texto! Conservador ao extremo, diz que a democracia é "regime de mentira de massa por excelência" e ainda termina pedindo a Deus. Argumentos fracos (quando há). Verborragia direitista.
    Quanto a serem autoritários os que dizem querer salvar o mundo, isso é, em parte, verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Pondé é tão ruim assim, por que vocês se dão ao trabalho de lê-lo?????
      Caramba, que gente louca para mostrar inteligência onde não existe....

      Excluir
  3. Pelo menos foi um dos poucos artigos dele que ele não ficou citando um monte de autores e pessoas e não falando nada (puro engodo).

    Mas o artigo, como de costume, é péssimo. Ele só ataca quem ele chama de “verde demagogo”, e não acrescenta nada para fundamentar sua conclusão. Na própria lógica dele, ele seria um autoritário infantil! E pendendo mais para o infantil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você fez questão de lê-lo, certo???? Ahã...

      Excluir
  4. Quem é o débil mental que assina o artigo ? é o famoso zé-prego ?
    Tirando os maconheiros do movimento verde, a maioria das coisas ditas é verdadeira: produzimos lixo em demasia, desperdiçamos muita energia e danificamos de forma inútil e infantil o meio ambiente.
    Uma agricultura planejada em conjunto possibilitaria o uso racional das áreas agricultáveis evitando o acelerado processo de desertificação em terras antes férteis.
    Plantas de aproveitamento de energia solar localizadas nos desertos também possibilitariam um uso muito mais racional desse recurso além de contribuírem para uma diminuição dos gases gerados pelos motores a combustão.
    O dinheiro queimado em guerras estúpidas ( qual não é ?) poderia e deveria ser usado em educação e melhoria das condições de vida em países mais atrasados e não seria doação, pelo contrário: criaria mais mercado para as nações ricas e em desenvolvimento e também possibilitaria, como efeito indireto, uma redução da taxa de natalidade nos países pobres. Outro benefício para a humanidade.
    Então, autor crentóde do ridículo artigo, cadê o erro dos verdes ? quem é a figura infantil ? Para de rezar e aprenda a pensar, asno cristão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E voce autoritário e já com a receita do bolo decidiu avacalhar com o filosofo acima por uma questão de...vamos ver.... hummmmm... vontade infantil??? Of course, my dear....

      Excluir
  5. Todo mundo que crê salvar o mundo é autoritário.

    É o caso dos ateístas militantes que querem salvar a humanidade livrando-a da religião malvada, dos cultuadores do deus "Estado laico" salvador, dos que querem salvar salvar o mundo do "preconceito" e da "ignorância", etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Update:

      "Pessoas que se julgam salvadoras do mundo são basicamente de dois tipos: ou são autoritárias ou são infantis." (Pondé)

      Ou são as duas coisas juntas.

      É o caso dos ateístas militantes que querem salvar a humanidade, livrando-a da religião malvada. É o caso dos cultuadores do deus "Estado laico" salvador, dos que se acham iluminados e aptos a salvar o mundo do "preconceito" e da "ignorância", etc.

      Excluir
    2. engraçado achava q jesus era o salvador do mundo! tá explicado porque o fã clube fanático dele é o que é: ..."autoritário"...

      Excluir
    3. Esqueceu que Jesus, cristiainismo, tudo isso já era?

      Quem se dedica a salvar o mundo agora são os ateus iluminados.

      Excluir
    4. para o "Anônimo15 de junho de 2012 18:57"

      Espero q vc ñ seja cristão, se for ...you're doing it wrong...

      "Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus" Mateus 10:33

      Excluir
    5. Você não se cansa de generalizar não, crentelho?

      Excluir
    6. Não entendo porque tanta preocupação com ateus. Se uma pessoa acredita ela acretita e pronto; e deveria ficar feliz com isso.Mas alguns comentários aqui parecem expressar um sentimento de intraquilhidade a ponto de agredir a forma de pensar de outras pessoas. Será que os argumentos dos ateus estão abalando tanto a fé das pessoas assim. Será que estamos vivendo um momento em que as pessoas perderam a propria segurança de suas convicções?

      Excluir
    7. Um troll (...)designa uma pessoa cujo comportamento tende sistematicamente a desestabilizar uma discussão, provocar e enfurecer as pessoas envolvidas nelas. O termo surgiu na Usenet, derivado da expressão trolling for suckers (lançando a isca para os trouxas), identificado e atribuído ao(s) causador(es) das sistemáticas flamewars
      (...)
      Há várias sistemáticas desenvolvidas por trolls para atuar num fórum de Internet, entre elas:
      (...)
      Induzir a baixar o nível: alguns trolls testam a paciência dos interlocutores, induzem e persuadem a pessoa a perder o bom senso na discussão e apelar para baixaria e xingamentos. Com isso, o troll "queima o filme", consegue que a pessoa se auto-difame na comunidade por ter descido a um nível tão baixo.
      (...)
      Repetição de falácias: outro método usado que induz ao cansaço, aqui o troll repete seu conjunto de falácias até que leve seu interlocutor à exaustão, alegando depois ter vencido a discussão após o abandono do oponente.


      Fonte: Wikipédia

      O texto do leitor pode ser promovido a post. Comentário escrito só com letras maiúsculas e trollagem serão deletados.

      Fonte: Paulopes

      Excluir
    8. Resumo:

      "Troll" é quem te desagrada e contraria suas verdadezinhas, atrapalhando o "debate" onde só se pode concordar.

      Excluir
    9. Induzir, testar a paciência como? fazendo perguntas?

      Excluir
  6. Já li alguns textos desse Pondé e devo dizer que não simpatizo com o modo como ele aborda os temas, ele sempre fala de um modo grosseiro e reducionista, ignora aspctos importantes e acaba emitindo suas opiniões narcisistas que fariam inveja a muitos Diogos Mainards da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E por que voce continua lendo-os????? Get a life...

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. É impressionante que um cara que estampe sua ignorância sobre a questão ambiental, de forma tão clara e sucinta, seja enviado da Folha para a Rio +20.

    Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2012/06/todo-mundo-que-crer-salvar-o-mundo-e.html#ixzz1xsxUWvy4
    Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.

    ResponderExcluir
  9. Não sei por que, sempre confundi "Pondé" com "Pangaré". Nada pessoal, of course.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu J Tadeu com Jota Deu rsrsrs

      Excluir
    2. E continua dando patada.... get a life, JT! Vai estudar e saber debater a altura! Que chatos...

      Excluir
  10. Senhor Pondé,


    Permita-me respeitosamente discordar. Creio que todas essa conversa e debates sobre a atitudes ecológicas e a sociedade de consumo esteja lhe cansando, a ponto de seu texto dizer que são ideias velhas.

    Há bem pouco tempo, pessoas diziam o mesmo dos defensores do fim da escravidão, sobre o direito dos negros, sobre o voto das mulheres; que homossexuais eram doentes e precisavam de tratamento, e que ateus eram sinônimos de comunistas e comiam criancinhas.

    A mudança de mentalidade não é feita de cordialidades e discursos pedindo licença ao status quo dominante para que aceite nossos argumentos sem contrariedade.

    Todo a mudança de mentalidade custa tempo. Do mesmo modo que se anseio ter qualidade de vida, porque não fazer isso de modo sustentável, ou será que essa palavra e uma abstração intelectual!?


    A propósito. Meu condomínio faz coleta seletiva, usamos lâmpadas econômicas, nossa conta caiu em consumo de energia e água. Sou chato sim!!!!

    Cordialmente

    ResponderExcluir
  11. O texto de facto é fraco, Pondé recicla ideias antigas já surradas, no entanto a democracia realmente é um "regime de mentira de massa por excelência".

    ResponderExcluir
  12. Ainda não saquei qual é do Pondé. Não sei se ele realmente pensa todas essas besteiras, exageradas diga-se de passagem, ou se só gosta de ser do contra.

    O que ele sofreu na infância pra ser assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quantos anos de estudo filosófico voce tem mesmo????

      Excluir
  13. Me parece que o filósofo Luiz Felipe Pondé tenta ocupar o posto de intelectual de direita que ficou vago desde as mortes de Paulo Francis e José Guilherme Merchior. Sem o talento para a escrita de Francis nem a ampla cultura de Merchior, Pondé tateia em busca de idéias e estilo. Seus textos não têm qualidade literária e as idéias neles expostas soam confusas. É como se o que está escrito fosse um fragmento do que ele realmente pensa e que viveria apenas num discurso interior que não chega ao papel ao qual temos acesso. Sem embargo muitas vezes ele toca temas interessantes e não desprovido de razão.O caso do infantilismo preservacionista salta aos olhos e também seu viés autoritário. As contradições abundam quando se aborda o tema e hoje em dia contestar qualquer bobagem que tenha o rótulo de salvação do planeta é correr o risco de ser tratado como um conservador direitista. Quem o faz é acusado de conciliar com a UDR e querer desmatar e poluir. Certos termos como uso racional da energia nos leva a crer que quem os pronuncia é racional, mas quando nos enteramos de sua visão do que é racional temos vontade de chamar o psiquiatra. Pouca gente séria está envolvida com a preservação. Quase todo o espaço de debate é ocupado por desinformados e catastrofistas profissionais e todos estão seguros de seu papel messiânico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom comentário!
      Parabéns pela lucidez.

      Excluir
  14. Horrível esse texto. Pondé escreve muito melhor e é muito mais inteligente do que esse texto demonstra.

    ResponderExcluir
  15. Que texto podre... Perdi alguns minutos da minha vida lendo asneiras...

    ResponderExcluir
  16. Eu não sou reacionário, mas concordo com esse texto. Acredito que o homem, antes de pensar qualquer solução para seus problemas, deve pensar na sua relação com a Terra.
    Todas as respostas que o homem dá à sua situação no planeta esquece dessa relação umbilical, da qual não pode se apartar. A tendência é que vivamos em um mundo cada vez mais construído e reconfigurado por nós mesmos.
    O projeto liberal só nos trouxe guerras e desgraças, enganou a todos nós, e transformou nossa cultura em um caldo raso e superficial, um verdadeiro rame-rame, que foi o que os responsáveis por essa nossa 'felicidade' fizeram.
    E agora, que o mundo caia em nossas cabeças.

    ResponderExcluir
  17. um desserviço esse artigo, ainda que aja críticas a serem feitas aos pseudos salvadores da natureza, os chamados "verdes", nesse texto ela se encontra vazia sem fundamentos concretos, além de que, a critica que se faz à relação com a ciência demonstra uma grande falta de estudo das teorias atuais de mudança de paradigma, que elencam um grande desperdiço de conhecimento cultural pela ciência como parâmetro social, e que sugere um caminho inverso para a sustentabilidade do planeta, existe sem dúvida nenhuma, um grande risco nessa luta verde, o risco de adequarmos um sistema de consumo falido para torná-lo sustentável no contexto atual, enquanto deveríamos de fato nos adequarmos a um novo sistema sustentável de vida social, isso é o chamado dilema dos "erres", nos encontramos entre o "erre" da Reforma e o "erre" da Revolução, e fazer uma crítica esvaziada a toda uma frente de luta dentro de um momento histórico de mudança de paradigma é no mínimo um ato de irresponsabilidade, e coloca em risco as possibilidades de êxito do "erre" da Revolução Sustentável, e isso fica claro dentro da principal fonte de parâmetro trazida no texto, onde afirma que não é possível a quantidade de pessoas no mundo viverem com os recursos atuais do planeta na plenitude de suas felicidade, ignorando que nesse sistema capital fundado no consumo desfreado, de fato não se pode ter esperanças (erre da reforma), por outro lado, na insignificância da existência de cada ser humano em seu egocentrismo no contexto planetário, o texto ignora que as frentes de revolução sustentável defendem que devemos ir além desse pragmatismo verde, e assumirmos uma postura de mudança cultural de hábitos, até mesmo no conceito do que seria a felicidade dentro da sociedade, o que nos vende a publicidade? ou que nos supre as necessidades? por isso, por viver essa mudança paradigmal no cotidiano das lutas de base, deixo aqui expresso meu contraponto a esse texto lamentável !

    ResponderExcluir
  18. Pondé baila com pedras nas mãos...
    bode.cleriston@gmail.com

    ResponderExcluir
  19. Dane somos conquistadores, queremos comer bem, e ter conforto e sem explorar a natureza e impossivel, e dane se a natureza a mesma natureza que faz a borboleta tb faz os virus, falam da natureza como se fosse uma pessoa com sentimentos, esses esquerdistas sao dramaticos e precisam de pretextos para salvar o mundo e obter poder, como diz o ponde essas pessoas traem a esposa mas reciclam lixo e se acham mais eticas por isso, ponde mandandando a real e pondo o dedo na ferida de novo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário