Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Brasil se dobra ao Vaticano e limita direitos da mulher

arcebispo Francis Chullikat
Arcebispo é o representante do
do Vaticano no encontro
O Brasil se dobrou ao Vaticano e substituiu hoje (19) no projeto de texto final da Rio+20, na questão sobre autonomia da mulher para decidir quando ter filho, a expressão “direitos reprodutivos” por “saúde reprodutiva”.

Beatriz Galli, da ong Ipas, que trata dos direitos reprodutivos da mulher, disse que a diplomacia brasileira tinha feito um acordo para que a expressão constasse no documento.

O texto manteve as referências da Declaração de Pequim (1995) que estabelecem a igualdade de gênero e dos direitos sexuais femininos.

O arcebispo Francis Chullikat (foto), representante do Vaticano no encontro, também pressionou os redatores para essas referências não constassem do texto.

Representantes do movimento feministas vão tentar introduzir a expressão “direitos reprodutivos” na versão final do texto. O Vaticano conta com o apoio de países como de Chile, Honduras, Nicarágua, Egito, República Dominicana, Rússia e Costa Rica.

Bolívia, Peru, México, Uruguai, Canadá, Islândia e EUA são favoráveis à primeira versão do texto, quanto à autonomia das mulheres.

Com informação das agências. 

Religiões avançam às custas da saúde da mulher, afirma Marta
junho de 2012

Acordo entre Brasil e Vaticano concede privilégios à Igreja Católica
por Débora Diniz em março de 2011

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...