Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Rio tem gari pai de santo para recolher material de macumba

Borges disse que garis evangélicos
 têm medo de tocar nas oferendas
A Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), do Rio, designou um gari que é pai de santo para recolher imagens, velas, galinhas, cachaça, farofa e outras oferendas de rituais de religiões de afro-descentes realizados na floresta do Alto da Boa Vista. 

O babalorixá Alexandre Borges (foto), 29, contou que já era funcionário da Comlurb quando foi escalado para trabalhar naquele local frequentado por adeptos de umbanda e candomblé.

“Contaram ao meu chefe que sou pai de santo e ele perguntou se eu gostaria de fazer esse serviço”, disse. “Alguns garis, principalmente os evangélicos, têm medo de pôr a mão em pratos e alguidares.”

Borges se incumbe da limpeza da floresta já há dois anos. Ele disse ao jornal Extra que, em respeito às entidades espirituais, segue alguns procedimentos.

“Para retirar as oferendas eu me abaixo e peço licença em voz alta”, disse. "Quando vejo a comida de um orixá, peço "agô" (perdão), coloco a tigela no saco de lixo e o deixo num canto para o caminhão levar". Falou que "o difícil é limpar padê (farofa de dendê), que voa no gramado.”

Ele não desmancha “trabalho”. “Quando ainda há velas acesas espero até o dia seguinte porque a oferenda está muito fresca.”

Afirmou que a maioria dos garis resiste em limpar a floresta por causa principalmente dos trabalhos de feitiçaria. “Vejo fotos, nomes e bonecos espetados com agulhas”, disse. “Não desfaço o trabalho de ninguém [porque] quem faz o mal vai arcar com as consequências.”

O babalorixá disse que, mesmo com todas as cautelas que toma, se submete a um ebó (descarrego) a cada seis meses para se garantir.

Com informação e foto do Extra.





Desembargador de Tocantis usa de magia negra contra colegas
fevereiro de 2011

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...