Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

domingo, 29 de abril de 2012

Pregação de químico contra evolução preocupa cientistas

Marcos Eberlin
O bioquímico evangélico Eberlin diz
que  teoria da evolução é falácia
Um grupo de cientistas enviou em março uma carta à ABC (Academia Brasileira de Ciência) manifestando “preocupação com a tentativa de popularização de ideias retrógradas que afrontam o método científico”.

Trata-se de uma referência ao bioquímico evangélico Marcos Eberlin (foto), da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que também é membro da academia.

O bioquímico tem se destacado pelas suas pesquisas sobre uma técnica para medir massas e composição de moléculas e pelas palestras onde critica a teoria da evolução, de Charles Darwin (1809-1882), com a afirmação de que a ciência tem produzido cada vez mais dados indicativos de que existe uma mente inteligente por detrás de toda a criação.

Eberlin defende a ideia do design inteligente segundo a qual não houve na Terra evolução da vida, que é, no seu entendimento, uma obra de Deus. “'Não aceito a evolução porque as evidências químicas que tenho falam contra ela”, disse ele ao jornal “O Estado de S.Paulo”. “[A teoria da evolução] é uma falácia”.

Em uma entrevista à TV da Universidade Presbiteriana Mackenzie (ver trecho abaixo), ele lamentou o fato de os cientistas estarem tentando enterrar Deus, embora, disse, os pais da ciência acreditassem em uma força divina. Falou que isso mudou em 1859, ano em que a teoria de Darwin foi aceita pela comunidade científica.

Para os cientistas que se queixaram à ABC sem citar o nome do colega, Eberlin mistura ciência com religião ao divulgar “conceitos sem fundamentação científica por pesquisadores de reconhecido saber em outras áreas da ciência”.

Para reforçar o ensino da teoria de Darwin, evitando que se propaguem ideias anticientíficas como a do criacionismo, cinco cientistas estão propondo à USP a criação de um núcleo de apoio à pesquisa sobre educação, divulgação e epistemologia da evolução biológica.

Esses cientistas são: Nelio Bizzo (Faculdade de Educação da USP) Mario de Pinna (Museu de Zoologia da USP), Paulo Sano (Departamento de Botânica da USP), Maria Isabel Landim(também do Museu de Zoologia), e Acácio Pagan (Departamento de Biociências da Universidade Federal, de Sergipe).

Na proposta, eles afirmam estar alarmados com as “manifestações de membros da comunidade científica se posicionando publicamente a favor da perspectiva criacionista, distorcendo fatos para questionar a validade científica da evolução biológica”.

Para eles, esses “polemistas” estão recorrendo a supostas credenciais científicas com o objetivo de influenciar os currículos escolares.

"Cientistas estão tentando enterrar Deus"

video


Com informação do Estadão e do site do Eberlin.

No MT, colégio adventista ensina dilúvio em aula de história.
abril de 2012

Ciência vai ganhar da religião, afirma Stephen Hawking.
junho de 2010

Ciência versus religião.    Evolução e criacionismo.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...