Crivella leva pastor em jato da FAB para evento evangélico

Viagem do pastor Acosta custou
R$ 3.500 aos contribuintes
Na viagem que fez no dia 5 de Brasília a Campo Grande (MS) com um jatinho da FAB, o ministro Marcelo Crivella, da Pesca, deu carona ao pastor Wilton Acosta (foto), presidente da Fenasp (Fórum Cristão Nacional de Ação Social e Político).

Crivella viajou para entregar escavadeiras hidráulicas a 13 municípios e, extraoficialmente, participar de um encontro com pastores e parlamentares evangélicos durante um café da manhã em Cuiabá (MT).

Acosta usou o jatinho como convidado especial para participar desse encontro. Se tivesse de pagar pela viagem em uma companhia comercial, ele teria desembolsado entre R$ 2.400 e R$ 3.500. Essa conta foi paga pelos contribuintes.

Pelo decreto presidencial 4.244/2002, só podem usar jatinhos da FAB autoridades como presidente e vice-presidente da República, ministros de governo, ministros da Justiça e parlamentares. Além disso, a laicidade do Estado brasileiro impede qualquer tipo de financiamento de atividades religiosas.

Um vídeo mostra que Acosta foi o primeiro a desembargar em Campo Grande, seguido por uma assessora do ministério, pelo deputado federal petista Vander Loubet (autor da emenda que liberou a verba para a compra das escavadeiras) e por Crivella. Eles foram recebidos pelo governador André Puccineli (PMDB).

O encontro de evangélicos ocorreu em um templo da Igreja Mundial e foi aberto por uma oração de Crivella. Acosta foi um dos oradores. Ele pregou a união dos "irmãos" na defesa dos bons costumes e pediu mobilização contra a liberação de aborto de bebês anencéfalos. O pastor voltou a se encontrar com Crivella na hora da volta, na base aérea da FAB.

A assessoria de Crivella informou que o ministro convidou Acosta para a viagem porque Mato Grosso do Sul é o Estado natal do pastor. Acosta disse que em Campo Grande discutiu com lideranças políticas a atuação da Fenasp.

Crivella é pastor licenciado a Igreja Universal do Reino de Deus. Ao assumir a pasta, a primeira coisa que disse foi que não entende nada de pesca.

Mordomia oficial para o pastor


Com informação do Ariquemes Online.





março de 2012

julho de 2011


Comentários

  1. É evidente que está errado. Enquanto ministro, o Crivela, pode utilizar esses aviões. Agora como pastor, não. Isso fere a laicidade do Estado.

    A falta de seriedade de nossas autoridades é de dar nojo.

    ResponderExcluir
  2. Ok, acho que todos concordamos que não se deve utilizar o jato para financiar nada religioso, e eu também acho que o ministro cometeu um erro, por saber que ele não foi inocente nessa situação específica. É bem óbvio que o interesse dele era o tal encontro com seus amigos crentes e não a entrega das escavadeiras.

    Mas, hipoteticamente falando, se o ministro (não necessariamente esse, qualquer um) estivesse indo para um determinado lugar para fazer algo oficial e lícito de acordo com as leis, seria contra a lei ele dar carona a alguém? Contanto que ele não desvie a rota do avião, levar uma pessoa a mais não representa uso de verba pública, já que o avião já estava indo para aquele lugar mesmo.
    Não sei como a lei funciona nesse caso, então surgiu a dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi seu questionamento Israel. Mas pensa o seguinte:

      Se todo ministro abrir as cadeiras vagas de todos os voos que eles pegam pra qualquer lugar, pra pessoas que "já estavam indo pra la mesmo", como que fica? Ainda acha que tem dúvida se é errado?

      E se acontecesse um acidente?

      E se nós estendermos o exemplo pra qualquer outro meio de transporte destinado a fins profissionais, como viaturas, motos, helicópteros, etc?

      Fato é: É inadmissível dar "carona" pra alguém num transporte destinado exclusivamente para funcionários em exercício da função.

      Abraço!

      Excluir
    2. Tenho planos de conhecer algumas capitais brasileiras. Acho que vou pedir carona em viagens de avião de ministros. Será que eles vão me dar, Israel?

      Excluir
    3. Ah sim, isso é bem lógico, eu também pensaria isso. Não foi essa a questão que levantei. Não falo de lógica, falo de leis - que nem sempre são tão óbvias ou lógicas quanto parecem/deveriam. A minha questão é o que está especificado ou não na constituição, porque uma brecha como essa que levantei poderia ser usada como desculpa por políticos que gostam de dar caronas a amigos.
      O que me falta é o conhecimento da lei que diz o que é crime ou não nesse caso específico.

      Excluir
    4. Eu penso igual, quer dizer, um assento a mais ocupado não faz diferença alguma...

      Excluir
    5. Não é questão de fazer diferença ou não, é questão de se pode ou não, de acordo com a lei. Se a lei diz que não pode, então é crime. Mas como eu disse acima, eu não sei o que diz a lei sobre essa situação.

      Excluir
    6. Talvez não esteja explicito na lei que o deputado não pode levar ninguém a mais. Deveria ter algo assim: "Só podem usar jatinhos da FAB autoridades como presidente e vice-presidente da República, ministros de governo, ministros da Justiça e parlamentares. Não podendo os mesmos, levar ninguém a mais"

      Se isso não tiver na lei, é uma das inúmeras brechas nas leis do Brasil!!!

      Excluir
  3. O nome disse é patrimonialismo. O Ministro não deu carona apenas porque ele era pastor, ele deu carona por acreditar que como o avião é seu ele pode dar carona e que não há mal nenhum nisso. Trata a coisa pública como privada. Quantos carros oficiais vemos parados às portas de escola, em consultórios médicos, nas garagens privadas? Dar carona num jatinho é tão ruim quanto levar os filhos para a escola de carro oficial ou mandar o motorista pegar as comprar do supermercado. A questão é que aquilo está ali para servir às pessoas que estão a serviço do estado e não como uma benesse para uso pessoal. Mas infelizmente esse tipo de atitude está enraizada no serviço público e não é privilégio dos políticos e comissionados. Trabalho numa empresa estatal e aqui tudo é de alguém, mesmo que tudo seja público.

    ResponderExcluir
  4. Entendi seu questionamento Israel. Mas pensa o seguinte:

    Se todo ministro abrir as cadeiras vagas de todos os voos que eles pegam pra qualquer lugar, pra pessoas que "já estavam indo pra la mesmo", como que fica? Ainda acha que tem dúvida se é errado?

    E se acontecesse um acidente?

    E se nós estendermos o exemplo pra qualquer outro meio de transporte destinado a fins profissionais, como viaturas, motos, helicópteros, etc?

    Fato é: É inadmissível dar "carona" pra alguém num transporte destinado exclusivamente para funcionários em exercício da função.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Tenho planos de conhecer algumas capitais brasileiras. Acho que vou pedir carona em viagens de avião de ministros. Será que eles vão me dar, Israel?

    ResponderExcluir
  6. Está na cara que o encontro de evangélicos foi realizado para coincidir com a viagem do ministro. Talvez a própria assessoria de Crivella tenha participado de sua organização. Pelo jeito, Crivella tem duas agendas: uma oficial, como ministro, e outra extraoficial, como pastor.

    ResponderExcluir
  7. Evangelicos.

    Esperava o que ? Pode-se esperar tudo vindo deles. Nao estao comprometidos com a moral e etica.

    Crivella deve ser intimado a repor aos cofres publicos a importancia gasta em carregar o lixo nos avioes do FAB. E o lixo deve ser processado e impedido por lei de usar recursos publicos.

    ResponderExcluir
  8. Não tenho muito que comentar, a não ser que sinto nojo, repúdio meu dinheiro, nosso dinheiro.Para tudo Brasil ta perdido, nesta horas ninguém lembra de dizer que é pecado tal malandragem.

    ResponderExcluir
  9. Tá cada dia mais difícil, viu? Dá nojo mesmo, por que demonstra como esses políticos tratam o bem público.

    ResponderExcluir
  10. Agora vocês estão começando a entender porque lá no oriente médio eles resolvem tudo na base do AK47 e trinitrotolueno.

    ResponderExcluir
  11. Improbidade administrativa eh o.nome disso

    ResponderExcluir
  12. Caramba, só ignorantes por aqui mesmo, eu já peguei um monte de carona com aviões da FAB, o nome disso é CAN e não tem nenhuma ilegalidade nisso. Vão se informar direito pra depois pararem de falar besteiras por aqui. A maioria dos políticos e comandantes, se tem disponibilidade na aeronave, permitem a carona. Aff! Isso aqui tá parecendo mais perseguição religiosa do que um espaço de reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você explicou então, mestre da inteligência.

      Excluir
    2. E "Afffff", seus ateus revoltados. Só faltou dizer isso.

      Excluir
    3. Mestre da inteligência não, só achava que as pessoas por aqui tinham pelo menos um mínimo de senso para pesquisar e não ficar abrindo a boca para externar seus ódios por aqui. E por acaso não quis afrontar ateu nenhum, pensava que o ateísmo levaria à reflexão para se evitar perseguições de qualquer espécie, como espera Dawkins, infelizmente não é o que vejo aqui. Mas quem disse que ateísmo é sinônimo de inteligência né!

      Excluir
    4. Esse sistema que o Anômimo inteligente falou, existe mesmo, qualquer cidadão pode utilizar, basta agendar e/ou se adequar aos vôos da FAB, porém nesse caso, tratando-se de quem se trata, sou capaz de apostar que o ministro fez maior camaradagem com seu 'irmão', usando nosso dinheiro.

      Excluir
    5. Bruce, não tem nada de estar usando nosso dinheiro!!!!! "Carona" autorizada não vai tornar mais cara a viagem que a aeronave já ia fazer. Caramba, é difícil de entenderem alguma coisa por aqui hein! Estou vendo que quando se tem uma mente fechada para alguma coisa, parece que nem fazem questão para reconhecer nada que não seja do mesmo conceito ideológico.

      Excluir
    6. Sério mesmo, Anônimo. Você acha que o ilustre pastor viajou pelo CAN? Porque aí todo mundo que usar jatinhos da FAB indevidamente (de acordo com o decreto presidencial citado na matéria), pode dizer que se valeu do CAN. Que fácil.
      E como você sabe que foi pelo CAN? Onde está essa informação? Ou todos que viajam junto de políticos em jatinho da FAB estão automaticamente inscritos?

      Excluir
  13. Boa noite, corroborando a informação do Anônimo Apr 10, 2012 03:03 PM, sou militar da Aeronáutica e esse procedimento descrito realmente não tem nada de anormal. Existe realmente o serviço do Correio Aéreo Nacional - CAN, que oferece gratuitamente "caronas", qualquer informação, procure uma Unidade da Aeronáutica ou se informe através dos telefones: (0xx21)2138-6619
    (0xx21)2138-6620

    ResponderExcluir
  14. Quer dizer que qualquer um pode viajar nos aviões da FAB?

    Não é o que parece:

    http://www.istoe.com.br/reportagens/1701_NO+GOVERNO+NAO+TEM+CAOS+AEREO

    http://www.fab.mil.br/portal/capa/index.php?datan=27/02/2010&page=mostra_notimpol

    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2010/02/27/interna_cidadesdf,176232/index.shtml

    http://www.aereo.jor.br/2011/07/13/voce-quer-uma-carona-em-algum-aviao-da-fab/

    ResponderExcluir
  15. o curioso disso é que essas pessoas não da uma moeda pra igreja,mas se acha no direito de falar alguma coisa, os menbros da igreja que deveria falar não falam nada.

    ResponderExcluir
  16. 1) As pessoas não dão dinheiro pras igrejas, mas pagam MUITOS impostos.

    2)Porque os membros das igrejas deveriam falar alguma coisa se os seus pastores é que são benficiados? Aliás, deveriam viajar e fazer seus 'encontros' com o que arrecadam de dízimos e não com recursos públicos.

    ResponderExcluir
  17. Se é legal o tal CAN. Não há pecado nem do Crivella e nem do Pastor Acosta. A questão é conhecer as pessoas certas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, gente da sua laia não considera ladroagem pecado.

      Excluir
  18. Prioridades para viajar nos aviões da FAB

    (1) Saúde / Internação

    (2) Militares da FAB a serviço

    (3) Saúde (consulta ou tratamento)

    (4) Concedida pelo comandante do VI Comar

    (5) Militares da ativa da FAB em férias, núpcias, luto, licença especial ou licença do serviço com a apresentação de boletins

    (6) Militares da FAB e seus dependentes que o acompanhem

    (7) Dependentes de militares do FAB da ativa e da reserva

    (8) Militares da Marinha, Exército a serviço, mediante solicitação do comandante da Organização Militar

    (9) Militares das Forças auxiliares (Polícia Militar e Corpo de Bombeiros) a serviço, mediante autorização do comandante da Organização Militar

    (10) Afastamento temporário de militares da Marinha e Exército da ativa e da reserva e seus dependentes que os acompanhem

    (11) Militares das Forças auxiliares e seus dependentes que os acompanhem

    (12) Servidores Civis da FAB e seus dependentes que os acompanhem

    (13) Concedida aos civis em geral

    Acho que carona para ir a encontros evangélicos não está na lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o mané,esse teu carona ai esta errado. o Ministro Crivella fez um convite ao Pastor para participar de sua comitiva. O ministro CONVIDOU... e pela lista ai que voce mesmo colocou o dito "pastor" está contemplado na lista de prioridade.. no item 13!!! ele é um civil...

      a mas ja esotu entendendo o que ta pegando...o motivo de tudo isso é pq ele é Pastor Evangelico!!! to começando a entender!!! ai ai cada um...

      Excluir
  19. Este senhor Ministro da Pesca (tsc) me dá nojo. Sem comentários... O povo tem que protestar contra isso.

    ResponderExcluir
  20. Não gosto do Sr. Crivella nem o que ele representa , não concordo com dízimos e a palhaçada que a maioria dos "pastores" "bispos" "apóstolos" e outros fazem em suas "igrejas" , mas nesse caso não vejo mal algum ; o pastor pegou uma carona a convite do Ministro , não utilizou dinheiro público , apenas ocupou um lugar na aeronave que estaria vago. O Ministro cumpriu a sua obrigação governamental , passou pela Igreja e fez um discurso ou sei lá o que e foi embora levando de volta o caronista . Nada a ver , deve ter coisa muito feia acontecendo dentro do governo e nós não tomamos conhecimento , isso não é nada .

    ResponderExcluir

Postar um comentário