Professor sugere república de ateus para conter intolerância



O professor Renato Lessa (foto), titular de teoria política da UFF (Universidade Federal Fluminense),  escreveu um artigo dizendo que “uma república de ateus é não só viável, mas pode ser uma condição necessária” para garantir a laicidade do Estado e proteger a sociedade da intolerância religiosa.

Renato Lessa
Para Lessa, ateísmo
colocaria as crenças
no mesmo patamar
“Trata-se de uma tese que pode chocar o leitor, pela aparente ausência de espiritualidade, mas pode ser interpretada de modo inverso: a garantia de incolumidade diante do que creio só pode ser dada se sou protegido da intolerância promovida por outras crenças”, disse ele em artigo no jornal O Estado de S.Paulo.

“Só pode fornecer tal garantia [contra a intolerância] um Estado indiferente a todas as crenças e, neste sentido, desespiritualizado”, acrescentou.

Após citar o ensaísta francês Michel de Montaigne (1533-1592), entre outros, como sendo um dos primeiros a denunciar o horror da religião de Estado, Lessa se mostrou preocupado com a pregação conservadora da Frente Parlamentar Evangélica e seu poder crescente no governo, por intermédio da coalização partidária que acabou de garantir um ministério ao senador e pastor Marcelo Crivella, da Igreja Universal.

“A unção ministerial do senador Crivella, para além do que possui de autoevidente, é portadora de presságios ainda mais preocupantes do que o usual.”, escreveu. “Se associada a episódios recorrentes da ação da liga evangélica na política nacional, sugere ameaça à república laica.”

A ideia de uma república de ateus é polêmica. Além de ser rechaçada por parte dos próprios céticos, ela causa arrepios nos líderes religiosos porque eles entendem que esse regime de governo é contra as crenças. Na definição de Lessa, contudo, uma república descrente não seria “contra” as religiões, mas “indiferente”.

Quando se fala de governo liderado por ateus, religiosos e políticos de direita sempre lembram, entre outros, o regime ditatorial soviético, principalmente na época de Stalin, que matou milhões de opositores.

Essa é outra polêmica, porque se trata de uma argumentação equivocada ou de má-fé, porque nenhum ditador matou em nome do ateísmo, independentemente de sua cor ideológica, mas tendo como bandeira o socialismo, no caso de Stalin, ou seu projeto pessoal de poder.

Talvez Lessa esteja superestimando o poder da direita evangélica. Ou não. De qualquer maneira, ele fez uma pergunta para a qual a sociedade terá de dar uma resposta, que definirá o rumo do país:  “É razoável que crenças particulares constituam base para legislação e políticas públicas?”



Criação do Partido Nacional Ateu divide céticos dos Estados Unidos

Comentários

  1. República de ateus haverá no fogo do inferno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil...até lá esta cheio de Crentes!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Quem em breve irá para o céu: Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, Edir Marcedo, Joseph Ratzinger, Casal Renascer, (inclua seu religioso aqui)

      Quem já está no Inferno: Bob Marley, Janis Joplin, Freddie Mercury, Christopher Hitchens, Albert Einstein (inclua qualquer um que afronte a religião aqui)

      Excluir
    4. Uma república de ateus é o que o "professor" Renato Lessa implora?

      Boa idéia!

      Pode ser Cuba, Coréia do Norte, ou qualquer inferno, digo, paraíso, parecido.

      Boa viagem, Renato Lessa.

      Excluir
    5. Qerido Deus se:
      "Quem em breve irá para o céu: Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, Edir Marcedo, Joseph Ratzinger, Casal Renascer, (inclua seu religioso aqui)"
      como indicado pelo AnônimoMar 5, 2012 08:48 AM, sinceramente, eu prefiro ir para o meio do inferno.

      Excluir
    6. O ateu que, orgulhosamente, tentou colocar Bob Marley, Janis Joplin, Freddie Mercury e Albert Einstein no inferno, por "afrontarem a religião", viajou na maionese e falou besteira, tentando reunir celebridades em torno de sua causa.

      Nenhum desses citados se dedicava a "afrontar a religião", como os ateístas militantes gostam de desperdiçar suas efêmeras vidas fazendo.

      Bob Marley, por exemplo, era um artista extremamente religioso, como qualquer um que conheça alguma coisa de sua obra sabe.

      Excluir
    7. Quero ir para o inferno... Deus me livre ter de voltar a conviver em um mesmo espaço com todos esses cafetões religiosos... o inferno será mais ético e civilizado...

      Excluir
    8. Estado laico não é estado ateu.E como o ateísmo também é uma crença, não pode constituir base para legislação e políticas públicas.

      Excluir
    9. Rafastv

      Em primeiro lugar, ateísmo não é uma crença.

      Etimologia básica: ateísmo vem do adjetivo grego atheos onde o prefixo a significa "ausência, falta, negação" e o sufixo theos significa "deus". Traduzindo ao pé da letra, atheos significa "sem deus". Portando, ateísmo é a falta, ausência de crença em divindades ou descrença (onde o prefixo des é um prefixo de negação/ausência) em deuses.


      E em segundo lugar: nós já sabemos que estado laico não é a mesma coisa que estado ateu. Estado laico é onde há separação entre estado e religiões e onde nenhuma religião tem preferência em detrimento das outras e é exatamente isso que nós ateus defendemos: o laicismo do estado. Que crença religiosa e a falta dela sejam direitos individuais que não devem jamais ser impostas à ninguém.

      Ninguém aqui quer constituir a legislação e políticas públicas com base no ateísmo. Não somos nós que:

      - colocamos símbolos de apenas uma religião em prédios públicos;
      - inventam projetos de leis absurdos baseados puramente numa crença religiosa;
      - usa dinheiro público para custear passeatas para Jesus, colocação de placas falando que "Tal cidade pertence à Jesus"
      - que usamos sessões no plenário pra orar e fazer pregações religiosas;
      - somos contra direitos humanos e civis só pq estes são contra os dogmas obsoletos pregados por uma determinada religião;
      - achamos que somos acima da lei e da constituição "pq pertencemos à maioria";
      - que acha que liberdade de credo religioso "só vale pra minha religião e o resto que se dane";
      - agimos como crianças mimadas com complexo de vítima, alegando "opressão religiosa", "censura religiosa", "perseguição religiosa" quando outras religiões exercem o mesmo direito de credo garantido pela constituição que os cristãos têm;
      - impedem outras pessoas de exercerem a crença de sua escolha;
      - achamos que temos o privilégio de mandar e desmandar e que desejamos monopolizar o país praticamente inteiro;
      - etc. (a lista é longa)

      Resumindo: são alguns cristãos (leia-se a bancada evangélica no congresso)que quer à todo custo basear a legislação e políticas públicas na religião.

      Excluir
    10. Resposta objetiva e bem elaborada. Parabéns! Fico abismado com os absurdos que leio por aqui, a falta de conhecimento geral é mesmo alarmante. A ideia de um estado ateu, ou seja, indiferente às religiões, me parece bem plausível.

      Excluir
    11. Não tera não idiota.Inferno não existe isso foi so uma forma que inventaram pra manter pessoas medrosas como você,presa em crendices ,esse local não foi mencionado no velho testamento muitos teologos afirmam que a palavra inferno foi mal traduzidade.Pra mim não foi mal traduzida fizeram de proposito,tranformaram uma palavra que falava em sepultura pra inferno.Ele tomou força no novo testamento quando as pessoas ja não aceditavam mais nesse negocio de volta de cristo,arrebatamento etc.. então precisavam de algo pra manter o povo no cabresto, usaram uma historia que ja existia no meio de religiões pagã.Copiaram a lenda mudaram algumas coisas,acrescentaram o diabo e seus soldados caidos do ceu,e hoje temos esse inferno inventado pelo homem.como a biblia foi muito copiada por monges,a mando de reis,ou por pessoas ligadas a autoridades,tudo que era interessante pra mante o povo submisso foi usada.Coisas foram acrescentada,ate aquela passagem que diz que não se pode tira nem acrescentar nada na biblia,que pode se punido se fazer,foi colocada na biblia porque esse era o costume de quem a copiava beneficiando quem tinha mandado copiar,então foi uma forma que o copista da epoca encontrou para proteger,aquele que foi beneficiado quando ele copiou impedindo assim que outros mudace alguma coisa,a biblia que você tem nas mãos,não e a versão original. Agora pessoas como você morre de medo desse lugar imaginario,cheio de fogo com pessoas sendo atormentadas dia e noite,enquanto outros gozam de uma vida maravilhosa no paraiso,onde serão levados os obedientes das leis de deus,outro lugar imaginario.esse controle que o homem quer ter sobre outros homens,é antigo e inventa o que for preciso pra alcançar seus objetivos.

      Excluir
    12. se inferno existir ne meu querido

      Excluir
    13. Sempre assim, você vê um bando de mongóis pré-históricos quando o assunto é ateísmo, certos imbecis mal sabem escrever, quem dirá diferenciar uma pessoa que não acredita em inferno e céu, de uma que reza para um Deus que nunca viu, sem provas cientificas e sem argumento algum que não seja a palavra Deus ou a bíblia insignificantemente que segue.

      Excluir
  2. Minha única sugestão seria mudar para uma república secular, onde haveria espaço também para macumbeiros, umbandistas, espíritas, budistas, pessoal GLBT, e qualquer um que se sinta ameaçado por evanjegues e pentecostelhos. Apenas religioso não prosélitos serão bem-vindos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Apenas religioso não prosélitos serão bem-vindos"

      Que lindo!

      Na seu paraíso secular, pode-se até ter religião mas não se pode falar (fazer "proselitismo") dela!

      Que maravilha, um paraíso amordaçado!

      Nota importante: Ateístas e gays poderão continuar fazendo seu proselitismo à vontade, claro.

      Excluir
    2. Ô troll, sabe qual o nível de proselitismo religioso no Brasil?

      - Oi, boa tarde, posso falar de Jesus para você?
      - Não quero, valeu.
      - VAI PRO INFERNO!

      Isso é totalmente descartável. Não gosta? Problema é seu, agora engula teu vômito homofóbico e hipócrita e deixa de ser mediocre. Não queremos compartilhar da tua imbecilidade.

      Excluir
    3. Besteirada, mentira e vitimismo ateísta safado.

      O Luan pinta um mentiroso retrato do "proselitismo" religioso, como se a maioria dos religiosos saíssem xingando e atacando os outros por aí.

      Pelo que se pode observar nos comentários do militante ateu furioso, o cara realmente gosta de projetar nos outros o que ele é, e acusar os alvos de seu ódio de fazerem o que ele tanto faz.

      Excluir
    4. "engula teu vômito homofóbico e hipócrita e deixa de ser mediocre. Não queremos compartilhar da tua imbecilidade."

      Ofensivos são os religiosos né? Huram... sei...

      Excluir
    5. Anônimo (Mar 5, 2012 07:33 PM)

      >> "Besteirada, mentira e vitimismo ateísta safado."

      Não é não, caro Anônimo. Eu mesma já fui alvo - algumas vezes - da grosseria, falta de educação e chiliques de evangélicos e testemunhas de jeová na porta da minha casa por dizer - educadamente - que não estava interessada em ouvir a palavra de deus e/ou por falar que sou atéia.

      Isso pq vc tb não viu minha prima que é evangélica fanática elevada à milésima potência me tratar como se fosse a pior criatura da face da Terra só pq não compartilho das crenças dela.

      Excluir
    6. Gente chata, atacando os outros para tentar convencê-los de sua "verdade", tem pra todo lado.

      Entre os ateus tem muita gente dona da verdade, agressiva e estúpida assim.

      Excluir
  3. A coisa toda seria simples se as pessoas eleitas respeitassem a constituição independente de crença religiosa. Simples assim. Mas porque é que isto não acontece? Porque essas pessoas não são punidas?

    ResponderExcluir
  4. Realmente não se deve governar baseado em convicções religiosas mais sim no bem estar de todos e jamais oprimir o direito de liberdade e escolha de cada cidadão. Mesmo porque não temos só uma religião mais diversas delas e o brasil é um país de todos. Esta banda podre de governo chamada bancada evangélica só faz expor seu fanatismo religioso e intolerância.

    ResponderExcluir
  5. “É razoável que crenças particulares constituam base para legislação e políticas públicas?”

    Absolutamente não.

    Um república de ateus não é algo que me agrada, e eu sou ateu. A política não deve se envolver ou ser confundida pelas crenças religiosas. Essas devem ser respeitadas e é importante que sejam dadas a elas a liberdade que sempre tiveram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ateus não tem crença... logo podem muito bem sobreviver a um estado laico... o problema é o golpismo religioso e a fraude da bancada evangélica, que além de tudo é anti-bíblica...

      Excluir
  6. Só laica pra mim já tá bom, mas pra ser garantida tem que ter ateus no meio tb. Já vimos o que os evangélicos e outros governadores estão fazendo com nossos impostos.

    ResponderExcluir
  7. A presidenta do Brasil é ateia, embora ela não diga. FHC, era ateu, e foi presidente do Brasil. Vê-se que os ateus já estiveram e estão na política.

    ResponderExcluir
  8. Mesmo que nossa presidenta seja atéia, ela tem "escancarado as pernas" para a bancada evangélica.
    Então de que adianta ter uma atéia no poder, com medo de epitar os religiosos ou, pior, que ainda não saiu do armario.

    Ter dado um ministério para os evangélicos, mesmo um inexpressivo, como o da pesca e ter colocado lá uma pessoa que nunca pescou, a não ser durante discurssos enfadonhos, deixa cláro a posição que tal bancada ocupa e mostra o medo da nossa presidente em enfrenta-los.

    Não sei se o Brasil tem alguma chance ainda, no futuro, de ser um pais laico, visto que os evangélicos tem se fortificado cada vez mais e, com certeza, nas proximas eleições, poderão ser maioria no congresso.

    Enquanto os nossos governantes correrem, apenas e tão somente, atras de votos, nunca teremos uma governo do povo, pelo povo e para o povo.

    ResponderExcluir
  9. Ateocracia, é mole?5 de março de 2012 20:47

    "Para Lessa, um regime ateísta colocaria todas as crenças no mesmo patamar"

    Que mentira cabeluda!

    Se o regime é ateísta, então ele já tem uma "crença oficial" (e obviamente a ser privilegiada pelo poder): o ateísmo.

    E tenderia a reprimir todas as outras.

    E também é óbvio que é isso mesmo que o professor ateísta xiita deseja mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só tem um detalhe que você esqueceu ou fingiu que esqueceu, filhinho.

      Ateísmo não é crença, é falta delas.

      Estude, por favor, pra não chegar aqui e falar merda.

      Excluir
    2. Tava demorando um ateu fanático vir berrar a mentirosa defesa padrão: "ateísmo não é crença!".

      Haha!

      Excluir
    3. E com quais argumentos Senhora Crente (só pode ser a Senhora Crente), você diz que o ateísmo é uma crença?

      Excluir
    4. Ahahaha, careca é cor de cabelo!

      Excluir
    5. Baphomet,

      Claro que o ateísmo é uma crença! Nós acreditamos na Chaleira Voadora, no Monstro Espaguete Voador e no Unicórnio Invisível Cor-de-Rosa, isso sem falar no dragãozinho que temos na nossa garagem...hehehehehehe

      Excluir
    6. Neguinho que ACREDITA que Deus não existe tem uma crença. Chama-se ateísmo.

      Excluir
    7. Hum... sim... esse é seu argumento. De fato, muito interessante!

      Mas, sim, há uma discução muito forte entre os ateus sobre essa visão, há ateus que creem na inexistência de deus, e os que não acrditam em deus, qual a diferença?
      Uns acreditam ser uma crença outros não.

      Particularmente, eu já ouvi as duas hipóteses, e fico em uma mastubação psicológica não gozando de ideia. Sim, fico em cima do muro. Estava esperando argumentos mas...

      Excluir
    8. @Anônimo (Mar 7, 2012 12:03 AM)

      Ateísmo é uma crença da mesma forma que jogar purrinha é um esporte.

      Inexistência é a falta de existência de algo. No fim das contas se trata de descrença. Tanto faz se o ateu "acredita na inexistência de deuses", "não acredita na existência de deuses", "falta crer na existência de deuses", "desacredita na existência de deuses". É tudo variante da mesma coisa: da falta de crença na existência de deuses.

      Olha como é ridículo seu argumento: vc não acredita em duendes ou acredita na inexistência de duendes, portanto "aduendismo" é uma crença. (levando em consideração que o prefixo a significa "ausência, negação, falta"...)hehehe

      Excluir
    9. Ateocracia, é mole?___ Ateus não tem crença... portanto não são concorrentes dos religiosos em qualquer investida golpista contra o direito de exercer o credo das pessoas... fica tranquilo... e pare para observar a anti-bíblica bancada evangélica... aquilo sim é tendencioso...

      Excluir
  10. Destruir igrejas e matar religiosos não foi "em nome do ateísmo".
    Professorzinho desataulizado.
    Mas a república que ele quer já existe, é só exolher : cuba, vietna, china.
    Mas tem um preço: liberdade zero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Destruir igrejas e matar religiosos nunca foi em nome do ateísmo. Vocês crentelhos é que adoram deturpar o que era feito em nome de ideologias comunistas. Tire o interesse politico da jogada e vá ver se alguem ia matar crentes.

      Excluir
    2. Destruir igrejas e matar religiosos em nome de uma ideologia ateísta e materialista: é o que faziam os comunistas ateus.

      E é o que outros ateus ainda estão loucos para fazer.

      Excluir
    3. Então me diga, sabichão. Aponte apenas UM tipo de regime ateísta e materialista que destruiu igrejas e matou cristãos. SÓ UM!

      Deixa de ser imbecil!

      Excluir
    4. "Aponte apenas UM tipo de regime ateísta e materialista que destruiu igrejas e matou cristãos. SÓ UM!"

      Que tal o regime ateísta materialista comunista, implantado em vários países?

      Excluir
    5. O comunismo matou em nome do próprio comunismo, e não em nome do ateísmo, procure aprender mais sobre os comunistas.

      Excluir
    6. O comunismo ateísta matou em nome do comunismo ateísta.

      Portanto, matou em nome do ateísmo, embutido e fundamental em sua visão de mundo.

      Não adianta ficarem tentando se isentar dos crimes ateístas.

      Excluir
    7. Concluímos que você não sabe nada sobre o comunismo.

      Excluir
    8. Anônimo___ Está a passar atestado de estúpido... não existiu partido comunista ateu... o que Baphomet disse é verídico... comunistas assim como os religiosos desde sempre, matam e destroem por seus ideais religiosos e comunistas...

      Excluir
    9. A esses quadrúpedes, puxadores de carroça que falam de "comunismo ateísta": Stalin, seus otários, NUNCA FOI ATEU! Afinal, que espécie de ateu tem capela particular para orar todo dia? Basta procurar o vídeo "Stalin, ateu?" no YT. E a igreja ortodoxa russa SEMPRE ditou as regras por lá, a ponto de ter tanta influência no regime stalinista que foi a única igreja russa do período. Não à toa, diz-se que Stalin aplicou na sua forma de governo a política de delações que aprendeu em seus tempos de monastério. NUNCA houve um regime ateu, larguem de sere burros e ficar passando vergonha. Já regime teocrático genocida, nós podemos enumerar alguns. Querem começar por onde? O poder da igreja sobre os governos na Inquisição? Irã? O "convênio" Santa-Sé/Nazi-fascismo? Evangelização genocida dos indígenas americanos, com o aval das coroas espanhola/portuguesa?! Só escolher...

      Ruggero

      Excluir
  11. E na tal república o que ele sugere fazer com os domingos? ¬¬

    Manter abraçado com a legislação trabalhista como conseguiu a ICAR ( e não só no Brasil) ou o dia consagrado ao descanso seria de escolha acertada entre empregadores e empregados, públicos ou privados?
    Ou manteria como está pra não dar trabalho mexer em calendários e demais rotinas que adotm semana de 7 dias tendo o domingo como marco para dizer que os dias seguintes seriam úteis?

    Pois é...tirar a religião do Estado dá trabalho, mexe com status quo. Mudar nomes pode: Pérsia virou Irã, Arábia ganhou Saudita(nome de mandatários), capital do Brasil saiu do Rio e foi láaaaaa pra onde o vento faz a curva, os escravos foram libertos( tradição milenar e até acampanda pela Bíblia e derivados), etc. Tudo mudança de paradigmas, de tradição etc. Mas mexer na hegemonia do santo domingo nada? hummmm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma medida necessária na ATEOCRACIA paradisíaca pregada pelo Lessa e outros iluminados como ele seria eliminar o Natal, a Páscoa e outras datas religiosas, e decretar como feriados as datas de aniversário do Richard Dawkins, do Christopher Hitchens e outros ateus salvadores da humanidade.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Querido, há séculos que Natal e Páscoa não são datas religiosas. As pessoas, no fundo, nem ligam mais pro significado religioso! Páscoa é pra comer chocolate e Natal é pra matar e comer um peru junto a família.

      Aliás, as duas datas tem origem pagã, sabia disso?

      Excluir
    4. E dia de São Richard Dawkins será para celebrar a salvação da humanidade das garras das religiões malvadas.

      Excluir
    5. Exatamente Luan... as datas pagãs camufladas no cristianismo não servem hoje para outra coisa senão promover o consumo predatório... e todas elas são palco para banquetes sangrentos com cadáveres de animais no centro da mesa para comemorar morte e vida Severina de Jesus...

      Excluir
  12. O que me desagrada, realmente, nas posições dos apologistas religiosos, é a reprodução de lugares-comuns sem qualquer senso crítico. Assim é que vivem a martelar a ideia equivocada de que "comunistas ateus perpetraram atos hediondos", querendo fazer crer que o ateísmo leva à prática de atos imorais. Outro ainda fala em "liberdade zero" em sociedades de regime socialista/comunista, como Cuba, Vietnã e China e quer nos fazer crer que isso se deva ao fato de em tais países o ateísmo predominar, esquecendo-se que "a liberdade zero" nada tem que ver com ateísmo e sim com a ideologia do regime adotado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeitos ignorantes... é assim que vejo os fanáticos e desequilibrados religiosos...

      Excluir
  13. Os cristãos querem matar todo mundo que não é cristão porque o livro deles prega isto ,que só os cristãos vão viver ,então por isso tendo oportunidade e poder eles vão matar todo mundo que não quiser ser cristão. Por isso eu desejo pra eles o mesmo que o eles e o livro sagrado deles deseja pra mim.

    ResponderExcluir
  14. jc podia voltar agora e arrebatar todos esses crentelhos daqui, esse blog ia ficar uma maravilha(brinquei).

    ResponderExcluir
  15. Pessoas nunca se entendem, pois a opinião de um tem q sempre prevalecer à do outro. Não tem solução isso. Pode ser república ateísta, panteísta, corintiana ou pagodeira. Nunca vai dar certo. A não ser que as pessoas deixem de ser... pessoas.

    ResponderExcluir
  16. É justamente isso: porque somos pessoas falamos, dialogamos, debatemos, defendemos nossos pontos de vista, buscamos acordo, produzimos divergências, impasses e isso é indispensável para o avanço de nossos conhecimentos, isso é indispensável a uma sociedade que se pretende democrática. Atendo-me ao domínio de posições ateístas e teístas que é este espaço, opiniões não servem à argumentação, pois que elas são juízos baseados numa crença de que algo seja verdadeiro, sem contar contudo com um exame crítico, com justificativas teóricas que a sustente. Opiniões são sempre juízos ancorados no ponto de vista subjetivo; carecem de profundidade, pois podem ser omitidas sem que quem o faça disponha de muito conhecimento sobre o assunto. Opiniões são juízos superficiais sobre um tema. O debate aqui busca um sentido de verdade. Se estimássemos qual dos dois discursos está mais próximo da verdade, deveríamos reconhecer, após um exame cuidadoso dos argumentos, que é o discurso ateísta. O discurso religioso é um discurso fantasioso, por excelência, ideológico, contraditório, ilógico, que, apesar da retórica a favor dos miseráveis e oprimidos, está a serviço dos segmentos dominantes, visto que, ocultando a verdade aos membros das classes populares, inculcando-lhes valores envenenados, tornando-os desacreditados da ciência, do valor dos seres humanos como seres capazes de avançar no conhecimento do mundo em que vive, como seres de razão capazes de pensar sobre suas misérias e enfrentá-las, capazes de aperfeiçoar a moral, a ética, capazes de discutir com vistas a encontrar soluções racionais para os seus problemas, contribui para mantê-los oprimidos, conformados, incapazes de atuar com vistas à sua emancipação. Em suma, ainda hoje as grandes religiões estão ao lado do Poder instituído, em todo o mundo.

    ResponderExcluir
  17. Mais seriam só ateus ligados ao PT, mensaleiros, sindicalistas entre outras pérolas?

    ResponderExcluir
  18. De qualquer maneira, ele fez uma pergunta para a qual a sociedade terá de dar uma resposta, que definirá o rumo do país: “É razoável que crenças particulares constituam base para legislação e políticas públicas?”

    Mas isso que está acontecendo: crenças particulares estão tomando conta da legislação e políticas públicas, sem contar que além de nos sujeitar aos evangélicos e seus lobos pastores, o brasil está uma merda.

    ResponderExcluir
  19. República Ateia não acho que seria a solução à intolerância, porque forçaria as pessoas a não acreditar....e forçar algo a outros é o que já acontece atualmente. Acho que o melhor caminho é defender o laicismo, sempre. Separar igreja de estado, e não impor a crença ou descrença de um grupo aos demais.

    ResponderExcluir
  20. Muito babaca todas as discussões que li aqui. Eu sou ateu, mas às vezes me dá ódio certos ateus com seu militantismo babaca, assim como me dá ódio o proselitismo de alguns religiosos.
    Falando da matéria, concordo com a república ateia, mas eu não concordo com o nome. Tudo bem, seria ótimo termos um governo pró-ateísmo, mas acho que as outras religiões não iam gostar de estar numa república ateísta. Eu falaria de uma república contemporânea, onde não existem barreiras para a escolha ou não de religiões. Se eu fosse um teísta, eu acharia um tanto quanto estranho viver num país ateísta.

    ResponderExcluir
  21. Eu naun intindi oq ele foalo> nâo acredito na existencia de deus logo nao acredito em deus.Como isso pode ser crença?

    ResponderExcluir
  22. http://www.daviroballo.blogspot.com.br/2013/02/a-onda-fundamentalista.html


    Assistindo a entrevista de Silas Malafaia no programa “De frente com Gabi”, conclui que estamos correndo o sério risco de futuramente perdermos o nosso direito de ir e vir, principalmente ao que concerne a liberdade religiosa. Estamos a dois passos de nos tornarmos um país fundamentalista, onde aquele que não concordar com as aberrações profanas pelos lideres religiosos serão apedrejados em praça pública. A crescente participação política de pessoas ligadas e eleitas pelas seitas e organizações religiosas, tanto no senado como na câmara já nos dá um sinal de alerta. Essa onda crescente está atrelada a manipulação de lideres religiosos sem escrúpulos, -e diga-se, conhecedores das lacunas existentes na alma humana-, e sua ascensão como manipulador da fé, pois, esses profissionais da fé estão arrebanhando multidões desnorteadas pelas exigências dos novos tempos, para os quais nossa psique não está preparada. Eles, os manipuladores descobriram que essas dores da alma aliviam-se nas catarses coletivas entre gritos e linguagens infantis indecifráveis, guardadas há muito no inconsciente.

    ResponderExcluir
  23. eu estou com medo desses crentes religiosos mas, nao posso nem vou retroceder um passo afinal estou amaparado pela Constituição Federal em seu Art. 19 (Laicidade) e sendo assim, vamos fazer valer oque de fato deve valer.Pastor homofóbico deve e sera sim denunciado em todo seu enunciado, corrupção?? idem, falcatruas, conxavos, desvios.. VAMOS DENUNCIAR , "kd a senha do cartao?" picareta oportunista desprezivel homofóbico esse Pastô Infeliciano.

    ResponderExcluir
  24. Amen irmãos eu apoio 100% essa causa.

    HATERS gonna hate! Keep working!

    ResponderExcluir

Postar um comentário