CBF proíbe culto na concentração da Seleção Brasileira

Sanchez disse que quem 
quiser que reze no quarto
Andres Sanchez (foto), diretor de seleções da CBF, disse que não permitirá a celebração de cultos nas concentrações da Seleção Brasileira. “Quem quiser, que reze no quarto.”

Ele afirmou não ser contra a religião, mas entende que, no caso, os cultos não têm nenhuma importância. “[Além disso], o que não pode é eu ser católico e te obrigar a ser católico”, disse em entrevista ao portal UOL.

No quarto, disse, o jogador pode fazer o quiser. Para ele, o que interfere nas concentrações agora não é tanto a religião, mas o uso da internet pelos jogadores.

Lembrou que já houve época em o problema era a presença de mulheres na concentração. “Depois, vieram as cartas e em seguida a religião.”

As declarações de Sanchez são um aviso para os jogadores evangélicos e os pastores que vinham impondo sua religiosidade à seleção.

Leão afirma que jogador evangélico culpa Deus quando perde pênaltis
novembro de 2011

Religião nos esportes.    Religião no Estado laico.

13 comentários