Polícia prende padre suspeito de acariciar genitália de criança

padre Marco Túlio Simonini
Padre disse que 
estava "brincado"
A Polícia Civil de Londrina (Paraná) prendeu no domingo (6) à noite o padre Marco Túlio Simonini (foto), 51, por acariciar a genitália de uma menina de 7 anos em um clube de campo da região.

O padre foi detido por seguranças até que a polícia chegasse. Parentes da menina e frequentadores do clube ameaçaram agredi-lo.

Simonini disse que estava apenas “brincando” com a menina na  piscina. Ele é padre do Clero Diocesano da Arquidiocese de Londrina, onde mora. Foi ordenado em setembro de 2001.

O padre Rafael Solano, reitor do seminário da arquidiocese, disse que lamenta o abuso e que Simonini terá de responder à Justiça pelo seu comportamento.

A polícia autuou o padre em flagrante por estupro de vulnerável. Se for condenado, ele poderá pegar pena de reclusão de oito a 15 anos.

Inocentado - atualização em 7 de abril de 2012

Em abril de 2012, Simonini foi absolvido pela juíza Zilda Romero por falta de prova. Walter Bittar, advogado do padre, disse que a sentença da juíza levou em consideração a precipitação das denúncias e o preconceito contra o sacerdote.

Além disso, ele afirmou, alguns das 21 testemunhas entraram em contradição entre si. "Tem algumas testemunhas que disseram que o padre mexia nas partes íntimas da criança na parte funda da piscina, mas a piscina é plana."

Com informação das agências.

Vítimas de pedofilia denunciam papa por crimes contra a humanidade.
setembro de 2011

Casos de padre pedófilo.