E as alunas violentadas da USP? Devem pedir ajuda a Foucault?

Título original: Geração Capitão Planeta

por Luiz Felipe Pondé para Folha

Você se lembra do desenho "Capitão Planeta"? Nele um grupo de jovens de várias etnias (brancos, negros, amarelos, vermelhos, enfim, todas as "cores do arco-íris") defendia o planeta.

Acho que "Capitão Planeta" deveria ser o patrono dos "novos jovens" que invadiram Wall Street , o Viaduto do Chá e a USP. Estes, então, são ridículos, se acham acima da lei e não querem polícia no campus. Como ficam as alunas violentadas? Devem pedir ajuda para o fantasma de Foucault?

Muito professor-cheerleader é culpado por isso quando fala de "jovens que lutam por um mundo melhor".

Este "mundo melhor" é o que eles têm na cabeça e que implica sempre eliminar quem não concorda com eles (o movimento estudantil sempre foi extremamente autoritário).

E não existe "o jovem", jovens são múltiplos e muitos não concordam com os baderneiros que invadiram a Faculdade de Filosofia da USP.

Quando você tem 12 anos, um desenho como esse "emociona". Depois dos 18 anos, se você ainda acredita "no mundo do Capitão Planeta", é porque não fez os passos naturais do amadurecimento mental.

A diferença entre eles e a última geração revolucionária de fato (Fidel Castro e Che Guevara) é que enquanto "los hermanos" de Cuba, enfrentaram inimigos à bala, essa moçadinha, que acha que "todas as diferenças podem conviver lado a lado" (até a primeira briga de ciúme entre dois caras pela menina mais gostosa do grupo, aliás, coisa rara nesse meio), ao primeiro tiro correria para casa para brincar com o seu iPad.

A mídia ideológica, cansada do marasmo desde maio de 1968 (aquela "revolução francesa" dos estudantes entediados que acabou numa noite gostosa de queijos e vinhos), abraçou esses "movimentos" como um novo "partido mundial dos jovens".

Engraçado como gente (os "jovens") que não paga suas contas (papai as paga ou alguma instituição) acha que pode "resolver" o mundo.

Para provar a piada, basta lembrar que Wall Street é um reduto do Partido Democrata americano, logo, do Obama, o "Messias avatar" dessa moçada, fato que a maioria desses "invasores" do templo capitalista não sabe.

Esta "invasão" de Wall Street foi uma modinha das grandes cidades da costa americana, assim como seus desfiles de moda, seus chefs de cozinha étnica e seu gosto por clássicos da literatura somali, sem os quais o mundo não seria a mesma coisa...

A "invasão" marca o descontentamento de desempregados e a irritação com os ganhos dos bancos nos últimos anos em meio à crise.

No caso dos EUA, ninguém deu ouvidos a eles na "América profunda". A mídia tentou fazer deles representantes da América porque a maior parte da mídia é "Capitão Planeta".

Um objeto fetiche desses caras é a Primavera Árabe. Assim como o restante desses movimentos dos últimos meses, todos diferentes entre si, o árabe pode ter diferenças importantes internas ao próprio mundo árabe.

Peguemos a "secular" Tunísia como exemplo. Berço da "Primavera Árabe", conforme muitos previram, ela deu a primeira vitória das urnas a um partido islâmico (como queríamos demonstrar... Aliás, ao contrário do que a geração de intelectuais "Capitão Planeta" dizia sobre "não haver risco de os islamitas ganharem as eleições"). Islamita é o nome técnico para fundamentalismo islâmico político e/ou "militar".

Apesar de o partido em questão, Nahda, jurar que abandonará suas propostas fundamentalistas (ele era ilegal durante a ditadura "secular" da Tunísia justamente por ser fanático), veremos se suas juras serão verdadeiras.

Especialistas esperam que esses islamitas, quando chegarem ao poder, usem como modelo o partido islâmico moderado da Turquia.

Na Turquia, índices como a presença de mulheres nos quadros funcionais do governo diminuíram significativamente nos anos em que o islamismo moderado turco tem estado no poder. Isso significa uma "islamização" da máquina administrativa. Islamitas tratam as mulheres como animais de estimação.

Ocidentais que não conhecem o Oriente Médio pensam que a maioria da população lá é do tipo "paz, amor e viva a diferença". Pura ignorância.

'Corretinho' é marca de mediocridade, que é enturmada e anda em bando.
outubro de 2011

Artigos de Luiz Felipe Pondé.

Comentários

  1. Que texto mais doudo. Primeiro o cara fala de polícia nas universidades, depois vai à Wall Street e finaliza falando do tratamento dos muçulmanos às mulheres.

    Enfim, o mais engraçado desses universitários que são contra a polícia no campus é que eles dizem ser contra a "repressão". Como se um professor estivesse falando de Marx na sala e os policiais fossem entrar dando borrachada...

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, o que acontece é que esses caras que foram para as 'barricadas', nos anos 60, se tornaram professores universitários, não conseguiram mudar suas cabeças, ficaram defasados, e põem facisticamente essas ideias em seus alunos.
    O aluno de universidade pública, como é o meu caso, tem que enfiar esse monte de merda na cabeça, por que, senão, fica sem nota.
    O negócio tá tão feio que, só pra vocês terem uma ideia, o fóssil do professor de LEtras da UERJ, Luiz Costa Lima, fez outro dia um texto, elogiando o lançamento (re- re- re-, na verdade), do livro Romance Histórico, da múmia do Lukacs.
    Depois não reclamem de nem a USP aparecer entre as 200 maiores universidades do mundo.

    ResponderExcluir
  3. E olha que tem gente lá que já o compara ao Pinochet, se você discorda das suas ideias.

    ResponderExcluir
  4. Um texto lamentável, não apenas pela visão saudosista e pessimista mais sobretudo pela desordem do texto.

    ResponderExcluir
  5. Um bando de filhinhos de papai que só querem fumar maconha e encher a cara sem a presença da policia,

    ResponderExcluir
  6. Um texto muito mal escrito, que pela falta de coerencia entre os diversos assuntos relacionados expoe clara cegueira ideológica.

    Gente conservadora como você costuma incorrer sempre no mesmo erro, que é colocar qualquer pessoa que luta contra ALGO na ordem vigente como se fosse farinha do mesmo saco.

    Não se engane meu amigo...

    Esse tipo de gente que é a favor de policia dar porrada em cidadão honesto que quer usar o espaço publico pra se espressar realmente costuma ser automaticamente a favor da proibição do aborto e da maconha, costuma ser leitor de VEJA ou ESTADO, costuma ser contra qq mudança na ordem vigente e no status quo onde cresceu. Vocês são uma raça bem comum, bem fácil de identificar.

    Infelizmente são uma classe filosoficamente bem pobre. O UNICO filosofo que voces possuem é o patético PONDE, o tipo de palhaço que diz ter voltado a "acreditar em Deus" pois considera o ateismo filosoficamente "menos interessante".

    Mas não há necessáriamente uma ligação entre as pessoas que ocuparam WALL STREET e o VALE DO ANHANGABAU (e mais 900 cidades do mundo aliás)e o movimento da USP. Pelo contrário amigo, existem entre os ocupantes de Wall Street, entre os Indignados da Espanha, etc, centenas de milhares de jovens de DIREITA. O movimento está longe de ser uma "revolução socialista" do tipo que sua raça se mija quando ouve falar.

    É um movimento contra os abusos do sistema financeiro atual. Contra a subordinação do estado às corporações e multinacionais, e à corrupção e subsequente impacto terível no planeta que essa subordinação provoca.

    Ou seja, só alguém muito desinformado mesmo para ser contra esse movimento.

    Enfim, continue sentado em sua poltrona, em um provavelmente confortável apartamento em algum lugar do Brasil, usufruindo desse status quo falso e aceitando tomar enrabada diariamente de meia duzia de poderosos sentados sobre nossas cabeças. Não precisamos de pessoas como você no novo mundo que estamos criando.

    Passar bem

    ResponderExcluir
  7. Pondé acha o discurso dos marxistas "demodé" e autoritário; os jovens rebeldes, farsantes e superficiais; o islamismo, bárbaro e atrasado. Ora, onde estaria então a direção? A direção é essa mesma que está posta quando nascemos? No consumo progressivo e predatório do capitalismo; nos jovens conformistas que só querem ter um bom emprego com um bom salário para poder consumir bastante; no catolicismo que apazígua tanto a vida dos que conseguem sucesso como os que não? Pergunto, de novo, onde está a direção? Parece haver uma certa saturação no ar. A vida em sociedade que buscava os revolucionários de antigamente é inviável, a vida que a sociedade global nos oferece nos deprime, a vida que se desvela para o futuro aparenta ser catastrófica. Ora, então se as razões dos jovens ingleses, de Wall Street, da Primavera de Praga e também da USP aparentam ser inconsistentes, certamente, sua origem não é e sua insatisfação também não. Essa sociedade não serve para eles, nem para nós, porque suas promessas revelaram-se mentirosas; seus objetivos, uma armadilha; sua satisfação, impossível. Todos nós guardamos um espaço de caos sufocado dentro da gente. Em tempos de desespero a energia que temos para sufocá-lo torna-se insuficiente. Parece que esse Caos está dando notícias.

    ResponderExcluir
  8. Engraçado como gente (os "jovens")
    que não paga suas contas (papai as
    paga ou alguma instituição) acha
    que pode "resolver" o mundo.
    Para provar a piada, basta lembrar
    que Wall Street é um reduto do
    Partido democrata americano,

    Kakaka parece que ponde consegue fritar a mente de alguns ou diria de muitos,

    ResponderExcluir
  9. Gosto dos textos do Pondé, mas esse deixou a desejar, mas meus caros, volte ao título e verifque a fonte novamente, Luiz Felipe Pondé para a Folha...não preciso dizer mais nada...

    ResponderExcluir
  10. Esse texto parece o 'Samba do afrodescendente com problema mentais', dá até pra pinçar algumas frases e afirmações interessantes, mas a conclusão do filósofo, eu diria que é 'nada a ver'.

    ResponderExcluir
  11. Como um texto pode ser reacionário, machista e anti-islã ao mesmo tempo? Pondé ensina e mal. Lamentável a publicação pelo Paulo Lopes.

    ResponderExcluir
  12. Nao entendo pessoas como essa Badona, logo acima, que questionam o Paulopes...Lamentável é o seu comentário...Não gosta do Pondé, não leia, a regra é simples...

    O texto de hj foi uma porcaria, como em outra vezes, mas gosto de ler, nem que seja para dizer que foi uma porcaria...

    Vai ler Paulo Coelho vai...

    ResponderExcluir
  13. Ele devia estar "emaconhado" quando escreveu um texto que fala mal de um monte de coisa mas não tem uma linha de pensamento clara =x

    ResponderExcluir
  14. Não importa o que esta quadrilha de desocupados que ocupa a USP diga. Todos sabem que o que eles querem é fumar maconha. Não tem verdadeiramente um debate ideologico nisto, a questão ideologica que eles colocaram e só um disfarce para que esse grupo de toxicomanos utilize espaço público para cometer crimes.

    ResponderExcluir
  15. Desculpe Pondé, mas nunca li tanta merda junta na minha vida. Falando assim, até me deu vontade de virar maconheiro da USP. Ok, sou a favor da PM na USP e tal, sou contra as manifestações, mas Pondé é o tipo de cara que é rebelde só por ser. Não consegui extrair um único argumento que prestasse daí.

    ResponderExcluir
  16. Que críticos vocês! Quase Shakespeares, hein?

    O texto está evidentemente confuso, uma brain storm sofrida. Traz, todavia, pontos interessantes, como o revolucionarismo de sofá que impregna as universidades. Dá um iPad para esse povo e vê se eles não ficam calminhos, calminhos...

    E criticar o paulopes por publicar? Faça-me o favor. Vá brincar de construir e desconstruir Lego com Foucault.

    ResponderExcluir
  17. Os textos do Pondé quase sempre são confusos e mal articulados, bem como suas entrevistas. Embora eu concorde com muitas de suas ideias, como neste texto, elas sempre acabam ficando mal amarradas, parecendo que ele escreve de última hora e, pior, por obrigação.
    Só não entendi o último parágrafo. Nenhum Ocidental considera o Oriente Médio uma terra de "paz e amor", muito pelo contrário. Basta ler os noticiários diariamente. De onde ele tirou essa maldita ideia, eu não sei. Talvez seja fruto de se escrever em cima do prazo e por obrigação, como eu disse...

    ResponderExcluir
  18. Sou um leitor preciso desse blog e descordo quando alguns reclamam dos textos que são publicados do Pondé, acho que ele é sensacionalista e conservador por outro lado, o acho inteligente porém, seus textos ultimamente tem sido confusos sendo que, ele escreve para a folha (a esses meios de comunicação de massa) sendo assim forte viés sobre a população, sou contra essa oculpação dos estudantes da USP acho que é sem um ideário concreto por que em detrimento compromete a segurança dos demais,(QUEREM USUFRUIR DA MACONHA SEM SER PERTURBADOS) concorda? E legalização da maconha e do aborto como sitaram aí em cima, me poupe num país como Brasil não dá, não adianta tentar ter uma ideologia sem estudar os fatos reais,na prática isso só acontece em país de 1° mundo a exemplo da Holanda o país mais liberal do mundo, isso no nosso país viraria banalida, pois grande parte da população não dispõe de EDUCAÇÃO. E ao Ricardo aí a cima, amigo Oriente Médio é marcado por conflitos de primeiramente Território e religião, não é mesmo um lugar de paz e amor.

    ResponderExcluir
  19. Vai continuar DEScordando, que a moçada não tá a fim de ir desoCULPANDO...Vai escrever errado assim no raio que te parta!

    ResponderExcluir
  20. Bom, Pondé critica a esquerda, ataca os ateus, detona com o islã, fala mal dos politicamente-corretos...só aí já consegue muitos aplausos, desta vez ele juntou tudo num mesmo texto e como disse o Ricardo faltou amarração, ou uma linha que ligasse todos temas, também fiquei com a impressão que ele escreveu às pressas, sei lá, só o leio aqui mesmo.

    ResponderExcluir
  21. Pessoal, não vamos a tais extremos. O Pondé é cria da USP. Sabe bem como a banda toca lá, não é de hoje!

    ResponderExcluir
  22. Amigos eu realmente não acredito que vcs. Não saibam o real motivo desse motim. Ora! Todos nós sabemos que a policia prejudica o maconhódromo dentro da USP, aqui na UFMA também tem um, a diferença é que os maconheiros da USP se tornaram tão refinados na arte, que conseguem identificar onde a maconha foi produzida a partir do cheiro, se boliviana, paraguaia, ou paraense, isso tudo de olhos vendados, pois se tornaram exímios apreciadores da Cannabis sativa, e a policia por perto prejudica o negocio lucrativo do trafico e também seus fumadores fedorentos maltrapilhos e megalomaníacos, também tem o crack que é droga de pobre burro e se a cocaína e o “bec” para os íntimos fossem realmente proibidos o pessoal do curso de filosofia história e medicina ficariam muito muitooo chateados, pois eles são os maiores gourmets nos consumo dessas drogas e por isso mesmo protestam contra a policia no campos, se a policia sair vai ser preciso descarregar um caminhão de maconha para refrescar as idéias e comemorar a vitoria da imbecilidade...

    ResponderExcluir
  23. Um anônimo disse: "Todos sabem que o que eles querem é fumar maconha."

    Ninguém tenta esconder isso, queremos fumar maconha. Como quem quiser pode tomar alcool, ou um anti depressivo qualquer.

    ResponderExcluir
  24. O texto é bem amarrado para quem pensa em um tema congruente, as motivações mais básicas estão entrelaçadas, tanto nas invasões, quanto na visão equivocada que esses jovens têm do oriental, que tratam suas mulheres como pets. Pondé mais uma vez, brilhantemente, amarra suas idéias a um fio condutor tão inusitado quanto surpreendente. Um filósofo que entende sua época.

    ResponderExcluir
  25. Paulo, não entendo como artigos deste neocon, um Olavo de Carvalho mais moderninho, são divulgados neste bom site que é o seu. É contraditório, ele defende a mentalidade religiosa, contra a razão. Pelo menos você deveria respeitar o direito de contraditório e publicar artigos que defendam o movimento Ocupe Wall Street, que mostrem que o movimento estudantil é baseado em assembléias e eleições para centros acadêmicos e DCEs. Que defendam a estatização do sistema financeiro, etc...

    ResponderExcluir
  26. ...

    Céus!!!

    Critiquem o Pondé, mas não assassinem o Português!

    .

    ResponderExcluir
  27. Gauche disse:

    "Ninguém tenta esconder isso, queremos fumar maconha. Como quem quiser pode tomar alcool, ou um anti depressivo qualquer."

    A diferença é que: quando quero tomar alcool faço isso no boteco e quando quero antidepressivos os tomo em casa. Faculdade é para estudar e não para fomentar o trafico de drogas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí.Mas aposto que,para os "jovens revolucionários" sua lógica não faz nenhum sentido.

      Excluir
  28. @aninômo das 10:50, esse é o blog pessoal do paulo, ele não tem que postar os dois lados de uma questão ou coisa assim porque aqui é o reduto onde ele relaxa do trabalho.

    Contudo, ele acaba transformando em posts os melhores textos que são colocados nos comentários :3

    Fica a sugestão de você escrever um texto que demonstra esse outro lado do movimento estudantil.

    ResponderExcluir
  29. Bem amigo algum eventual erro de português aqui não a menor diferença, contanto que a argumentação esteja embasada, isso não é um texto normalizado e se você é um profissional da área deixe para corrigir seus alunos, que aliás acho que aqui não tem nenhum! E por falar nisso professor de português só leva cacete do governo é tudo diminuto até o salário, assina seu “Creison”

    ResponderExcluir
  30. não me parece que Pondé seja um idiota, me parece sim que Pondé esta errado em bater nos autores que criticam a sociedade: foucault,marx etc... me parece que alunos querem defender seu direito de fumar maconha? também não é digno fumar escondido no campus da faculdade e fazer tudo isso por causa de um direito privado, marx e foucault não parecem servir para isso e nem concordariam com isso. no caso também nao gosto da polícia e sociologicamente minha cor da pele não contribui para isso, sou negro. me parece agora que vcs paulistas chegaram em um ponto de caos social e disputas de grupos em nome da humanidade. colocando todo o mundo numa discussão sem tamanho. se bem que preciso de mais informações para discutir o caso ...moro em porto alegre

    ResponderExcluir
  31. Igorius, o mulla que deve ser seu ídolo é que passa bem. Elle e seus familiares...Aliás vc tb deve estar passando muito bem, pois sua sua esquerda capitalista e corruPTa está plenamente no poder!
    Até

    ResponderExcluir
  32. O texto do Pondé tem consistência, os temas abordados tem correlação, ou querem os UNIVERSITÁRIOS texto tipo "IVO VIU A UVA"?

    ...ou talvez seja comprometimento de neurônios devido ao abuso da canabis.

    Zéca

    ResponderExcluir
  33. Isso se chama "dois pesos e duas medidas". Quando um aluno é assaltado, ou uma aluna violentada, chama-se a polícia, afinal quem chamar numa hora dessas? O Batman? Agora, querer que eles fiquem indiferentes ao uso de drogas ilícitas é pedir demais. Eles estão apenas cumprindo com a obrigação deles. Podem espernear, ranger os dentes, dizer que na Holanda é diferente, blablabla... Mas enquanto a maconha for proibida AQUI no Brasil, a polícia tem, sim, a obrigação de reprimir o uso. Se eles não o fizerem estarão sendo negligentes com suas obrigações. Será que é tão difídil entender essa situação?

    ResponderExcluir
  34. Gente...Leiam mais.... e comentem menos, talvez?

    O texto é atual, complexo, e visionário... Para entendê-lo é preciso uma certa bagagem. E não serve se ela for composta apenas de dinossauros. É preciso uma bagagem atual, contemporânea, de gente que sabe do que os grandes pensadores de HOJE estão falando.
    Para entender e acompanhar conexões geniais do Pondé e preciso gostar de pensar.

    Se há uma crítica possível ao texto, ou mesmo ao próprio Pondé, é que ele não é tão didático... Sendo assim, e lidando com temas polêmicos, a a grande massa medíocre fica ouriçadíssima com a possibilidade de apontar erros nas lacunas que são deixadas para dedução óbvia e lógica do leitor informado.

    Sem informação nem capacidade de fazer deduções lógicas e analíticas, os mediocres ficam meio perdidos mesmo e culpam o texto, claro. E então, veem nisso uma oportunidade de se achar importante e inteligente, claro, agarram com todas as forças. Escrevendo textos não pagos e mal escritos em caixas de comentarios.

    Estou eu aqui, sendo inclusive contraditória, e escrevendo meu texto mal escrito (não, não sou escritora nem quero ser) só para tentar colocar uma espécie de dúvida quanto a si próprio em vocês... Porque tentar ler os comentários aqui foi desesperador!!! Gente, não façam a gente ter tanta vergonha alheia! Se não tem o que falar fica quieto e vai ler.

    ResponderExcluir
  35. Eu gosto dos textos provocativos do Pondé. Mas hei de concordar que esse está deveras esquisito. Cheguei a pensar que fosse uma brincadeira do Paulo Lopes. Bem, todo mundo tem seu momento esquizofrênico, o Pondé devia estar meio de fogo ou não conferiu o texto. O movimento estudantil mostra sua falência. Sou professor universitário e não vejo manifestações de alunos pedindo mais livros, melhora nas salas de aula ou coisa que realmente importe. Querem saber de escarafunchas políticas apenas. Fazem assembléias para discutir sobre a discussão proposta sobre a discussão do que foi referendado na discussão discutida na discussão anterior. Saõ cachorros corendo atrás do rabo. Não têm causas ou temas que importam à sociedade. Defendem seus interesses apenas, como o vago conceito de livre pensamento. Tradução: livre vadiagem, uso de drogas e benefícios sociais, na forma de cotas ou bolsas. Não os vejo pleitear nada que se refira desenvolvimento tecnológico, urbano ou ecológico (a não ser quando procuram defender um ninho de canarinho do dedo-manco). Os estudantes que participam de DCEs são na maioria vadios, não gostam de estudar e afrontam aqueles que discordam das suas idéias (idéias?) e objetivos (como fumar maconha e obter benefícios sociais). Assim, os bons alunos acabam alijados dos DCEs, predominando as serpentes, crias de professores canalhas. Nem falarei da UNE, que se preocupa em puxar o saco do governo (pois ganha uma cacetada de dinheiro do mesmo, em forma de patrocínios) e em ganhar dinhairo emitindo carteira de estudante. Depois os caras pegam a carteira de estudante pra ver teatro do Zé Celso ou ir ao cinema assitir Velozes e furiosos. Furioso estou eu, raios!

    ResponderExcluir
  36. Anônima nervosinha e culta das 13:42,

    Leia o comentário do professor Luciano logo após o seu e procure ficar quietinha com toda sua bagagem cultural. Pra quê se rebaixar e fazer comentários em um blog de gente tão analfabeta, não é mesmo?

    ResponderExcluir
  37. Cara anônima das 13:42, desqualificar os outros, chamando-os de medíocres, despreparados, burros e etc não faz de nós mais inteligentes, nem prova, demonstra ou mede nossa inteligência; sempre aparece um medíocre novo tentando mostrar-se mais sábio que os demais,pautar o que deve ser dito e o que não pode...esse blog é espaço de livre expressão e pensamento, mas sinta-se a vontade,como diria meu pai, pode entrar sem vergonha...aqui ninguém se melindra, nem os 'recalcados' e 'invejosos' detratores de monsieur Pondé, nem seus 'inteligentes' seguidores.

    ResponderExcluir
  38. Se for para "brigar" por uma causa, que essa seja congruente, eu as vezes me pergunto quando vamos ter um movimento como os dos "caras pintadas"? Tive esse colapso de esperança no dia 12/09/2011 (dia das criaças por sinal) quando brasileiros de todos os estados foram as ruas protestar contra a corrupção, nossa o "capitão planeta" existe mesmo! Eu também gosto muito dos textos do Pondé o acho porvocativo, inteligente e crítico mas, esse texto sem nexos (FORTES), vamos esperar pelo próximo, com certeza será melhor!

    ResponderExcluir
  39. Luciano, "Não os vejo pleitear nada que se refira desenvolvimento tecnológico, urbano ou ecológico (a não ser quando procuram defender um ninho de canarinho do dedo-manco)."

    Pois é quando os estudantes se organizam para ir contra o novo código florestal, são recebidos na porrada, como sempre. Mas é mais fácil dizer que estes estudantes são um bando de drogados e vagabundos.

    ResponderExcluir
  40. Gauche, a intenção não foi menosprezar quem luta por causas que benficiam à todos. A crítica foi dirigida aos radicais que lutam por causa própria. Existe sim uma minoria, infelizmente minoria, com boas causas.

    ResponderExcluir
  41. Migueloso
    Os alunos da UFMA vão se solidarizar com os nobres colegas da USP e mandar uma tonelada de baseado para acalmar todo mundo já que a briga é pq. a policia ta atrapalhando a venda de maconha no campos como diria o velho índios "essa tribo é violenta de mais"

    ResponderExcluir
  42. O Pondé escreveu esse texto pq teme muito que o "mundo se torne melhor", claro! qualquer progresso social, faria sua obra intelectual perder todo sentido. Por isso ele combate com tanto rancor as manifestações que estão ocorrendo.

    ResponderExcluir
  43. Pondé por gentileza me responda uma pergunta.
    Você, filosofo que tem credibilidade na mídia atual, se uma revolução não for inicada dessa maneira, me diga então de que forma deve ser?. Se não for assim, como? Se não agora, quando?
    Me responda: não estamos querendo ser corretos, mesmo porque os problemas são amplos. Mas como sua leitora esperava iludidamente mais de você enquanto pensador. te convido a subir um nivel e apresentar as soluções. Pois entendo que pensar e filosofar já deixou de ser primordial. Salvo você que ganha dinheiro expressando os seus. Todos os outros tornam os seus pensamentos em atitudes. Lamentos.

    ResponderExcluir
  44. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  45. Esse povo que fica reclamando dos alunos la na USP não sabem ao menos 1/3 do que realmente está acontecendo...
    E aos ignorantes desinformados deixo claro aqui que a luta já nem é mais por causa desse lance da maconha, então parem de assistir globo e record, pra poder pensar um pouco e dizer algo coerente...
    Quem deveria apanhar é esse povo que fica reclamando dos alunos lá, mas na hora de fazerem algo para mudar as coisas, não fazem nadaa!
    Reclamar é fácil, eu quero ver é ter a coragem de ir e fazer o que eles fizeram! Senti como se estivéssemos numa ditadura, mais de 400 policiais contra 70 estudantes que estavam dormindo!

    Só digo uma coisa, parem de se basear nos textos e matérias publicadas por essas mídias corporativistas... se vocês não sabem o que dizer é melhor ficarem quietos...

    Ps: o texto está uma lixo!

    ResponderExcluir
  46. uuiiiiiiiiiiiiii olha o que o J0hanssen disse “eu quero ver é ter a coragem de ir e fazer o que eles fizeram” realmente J0hanssen vc. tem toda razão aliás aqueles baderneiros todos tem razão, depredam a reitoria promovendo saques e vandalismo em massa e fazendo terrorismo psicológico contra o governo, logo vcs que se consideram exemplo de civilidade
    Migueloso
    para o país. Bem e quanto à policia ela usou o mesmo terrorismo psicológico que vcs. usaram na hora de arrombar o portão da reitoria e saquear parte do prédio , além do mais todos aqueles megalomaníacos deveriam ser expulsos da USP, viva à polícia, “polícia para que precisa de policia” e vcs. os (70) precisam muito dela no sentido mais infame da palavra

    ResponderExcluir
  47. Hahaha...

    Pondé, divertido como nunca, babaca como sempre!

    ResponderExcluir
  48. Será que os setenta desocupados toxicomanos não serão expulsos!?!?!

    ResponderExcluir
  49. Gostaria de lembrar aos desocupados da USP que quando um pai de familia é morto em um sinaleiro por algum drogado querendo dinheiro pra comprar droga, a culpa é deles que fomentam o crime.

    ResponderExcluir
  50. Proponho que algum historiador, ou jornalista, acompanhe a vida dos 70 heróis da USP. Daqui a 10 anos mais de 50% deles continuarão, como agora, a viver da mesada dos pais.
    Os que estiverem sobrevivendo por conta própria estarão no movimento sindical ou ocupando cargos por indicação de algum partido de esquerda (motivo maior de seu MOVIMENTO). Muitos já terão sucumbido pelo uso de drogas.

    Zeca.

    ResponderExcluir
  51. Ao Johanssen: os tais 70 da reitoria são baderneiros. Não são heróis lutando contra a ditadura. Você não sabe, rapazinho, o que foram os anos negros. Vá ler um pouco de história pra saber que nem protestar se podia. Os baderneiros da USP puderam e exerceram o direito do protesto, mas excederam os limites ao descumprir decisão do próprio DCE e ignorar desocupação da reitoria, que estava ILEGALMENTE sob domínio dos baderneiros, muitos maconheiros declarados. Além do mais, você vê coaregem em vadios que depredam bem público, colocam a culpa na polícia e, além de tudo, usam máscaras para não serem reconhecidos? Seus heróis não sustentam uma causa válida, cara-pálida.

    ResponderExcluir
  52. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  53. O discurso do "igorius" mostra bem o perfil da galera que invadiu a USP. Não aceitam opiniões contrárias, no mínimo deve ser fã da KGB, do Fidel e do Kim Jon Il.

    ResponderExcluir
  54. O senhor passa muito mal da cabeça. Ou seria recalque?

    Ricardo

    ResponderExcluir
  55. Igorius falou tudo , esse a revolução não será televisionada no maximo teremos mais posts super desinformados como este.

    ResponderExcluir
  56. Foi impossível ler o texto, os posts e me manter calada. Parece ser uma briga de xiitas X xiitas.
    Sou pobre, não tive condições de fazer cursinho, estudei em colégio ruim, e precisei ir trabalhar antes de iniciar a graduação. Passei necessidade, depois de ser achatada e sair da classe média para a pobre.
    Sou aluna de comunicação social, porque o trabalho me conduziu a este caminho. Sempre quis estudar história, sair pelo mundo de "mochileira", ver, sentir, ouvir e provar outras realidades. Mas a minha já era mais do que suficiente!
    A realidade do nosso "sistema" é deprimente? Sim!
    Mas os textos a cima só me levam a crer que o que buscamos é, foi e sempre será utópico.Condições normais de temperatura e pressão já mais existirão. A vida não é empírica.
    Parece que, em algum momento, todos somos ativistas de sofá ou rebeldes sem causa.
    Aos patrícios: Continuem a tomar suas pílulas!
    Aos pobres: Vamos dormir, porque amanhã é dia de branco!
    Esperança, luta, ideais, é para quem tem tempo para desperdiçar... Infelizmente, é como penso hoje.
    Desculpem se eu não procurei palavras que demonstrassem eloquência, pois como todos vocês, não passo de um monte de células amblantes querendo se sentir "lida".

    ResponderExcluir
  57. tema extremamente polemico....os que desistem de sonhar com um mundo melhor, mais justo e igualitario, mais livre, sujeitam-se a dura injustica do sitema capitalista (totalmente darwiniano - selecao natural, a lei dos mais forte) e se entrincheiram no discurso conservador do "so respeito quem tambem se rendeu ao sistema e paga suas proprias contas" (essa posicao tem suas razoes)....por outro lado, os que ainda se apegam a esperanca de um mundo melhor e tentam heroicamente nao se render ao sistema e lutar por mais justica e igualdade tambem tem suas razoes, embora tenham essa tendencia de achar que podem encostar na solidariedade alheia (e nao pagar suas proprias contas)...so pra ter tempo pra lutar contra o cruel sistema....

    sou contra a opressao do sistema capitalista, acredito que e possivel sim lutar para combater suas injusticas, porem nao creio que esse tipo de estrategia de combate (lutar contra a policia, pra poder fumar maconha na universidade seja acertada e eficiente)

    precisariamos de estrategias muito mais dificieis e inteligentes do que essa para melhorar o mundo...

    sugestao: atuacao politica seria, por meio de partidos honestos e realmente comprometidos com a ideologia socialista e humanista....(mas nesse pais marcado tao profundamente pela corrupcao e desosnetidade, supostos partidos politicos assim, ja se demonstraram decepcionantes, vg, PT, UNE ETC...)

    pessoas que se julgam honestas sequer cogitam de entrar para a politica, por considera-la suja (ou por medo de se corromperem por ela)....entao, como se diz no seriado mexicano Chapolim Colorado: e agora, quem podera nos ajudar...

    seria Deus....kkkk

    nao vejo esperanca no fim do tunel...a corrupcao, a injustica capitalista e darwiniana sao o unico kaos possivel nessa existencia terrena, que talvez seja a unica coisa mesmo de que podemos desfrutar....

    alguem ai pode me convencer de que, sim, ainda ha esperanca...(eu adoraria)

    oh...que terror!!!

    ResponderExcluir
  58. Acho um absurdo ver tanta baderna, tanto protesto e tanta oposição a presença de policiais na faculdade, enquanto na minha ja foram feitos muitos pedidos de policiamento, os vagabundos tomam o local, pra chegar no meu carro e ir embora tenho que aguentar aquela catinga de maconha.
    Trabalho o dia todo, faço faculdade a noite, saio de lá 22:15.
    Agora me digam, é justo, depois da maratona diária eu ainda ter que sentir essa carniça que a maconha solta e ficar olhando pra todos os lados o tempo todo com medo de assalto/sequestro só porque tem alguns VAGABUNDOS que não querem a polícia lá? E olha que sou homem, tem muitas mulheres la tbm que passam por isso, eae? Será que o ''beckzin'' vale a segurança delas e de todos os outros?

    Tentam justificar falando que o álcool e cigarro são lícitos, quero deixar claro que o cigarro e o alcool são igualmente odiáveis, a diferença é que a maconha é proibida e eles tem que ficar se escondendo pra fumar.

    E fica o meu apelo: Se querem fumar maconha/cigarro, beber, cheirar, etc... vão pra casa ou pra qulquer lugar que isso seja aceitável, NA FACULDADE NÃO PORRA!

    ResponderExcluir
  59. Mais uma vez o Pondé destilando seu conservadorismo e direitismo, do alto de seu título de doutor!
    Tá escrevendo para o Jornal certo!

    ResponderExcluir
  60. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário