Por que temos de ser uma espécie assim tão infeliz?

Título original: Cadastro Thanatos

por Luiz Felipe Pondé para Folha

Certa vez, como nos conta Gustav Janouch, em seu livro "Conversações com Kafka", ele reclamou que não estava entendendo nada que Kafka falava (os dois tinham o hábito de conversar caminhando por Praga).

Kafka teria respondido algo assim: "Hoje estou tão pessimista que deve ser a misericórdia de Deus que está protegendo você. Pois, se me entendesse, sendo você ainda muito jovem, o que estou dizendo lhe destruiria".

Será que Deus vai protegê-lo hoje, caro leitor?

Você é daquele tipo de pessoa que pensa no que come todos os dias? Conta calorias? Parabéns se você for, porque ganhará desconto no seguro saúde.

Muita gente acha que Aldous Huxley, em seu livro "Admirável Mundo Novo", se enganou, porque o mundo não marchou em direção a regimes totalitários.

Eu acho que ele acertou em tudo, inclusive na possibilidade de governos totalitários. Veja o caso da China. Se as pessoas tiverem comida e iPads elas estarão dispostas a abrir mão de tudo, mesmo dessa bobagem chamada democracia. Pisarão em qualquer cabeça por um iPad, como antes pisavam por qualquer outra bobagem.

É isso que as "cheerleaders" dos saques em Londres (essa farra das redes sociais) não entendem. Além do problema do governo centralizador, o equívoco em achar que Huxley errou está em não perceber que a chave do controle das vidas não está em formas centralizadoras de governo, mas em não percebermos que somos nós mesmos que pedimos controle sobre nossas vidas em troca de formas variadas de felicidade e segurança.

O que Huxley entendeu, e nós, não, é que a ganância pela felicidade (a saúde total é apenas uma de suas formas mais bregas) nos levaria ao admirável mundo novo.

Meu Deus, por que temos de ser uma espécie assim tão infeliz? Por um lado, a vida é dura o bastante para querermos (com razão) ser felizes, mas, por outro lado, a busca pela felicidade nos faz de gado alegre. Escolha maldita: ser infeliz, morrer jovem ou virar gado e ter uma dieta balanceada. E para tal, estaremos dispostos a ter fiscais de nossos hábitos cotidianos de saúde em nossas cozinhas.

Nessas horas, sinto o pessimismo tomar conta de mim como um líquido negro e viscoso a entrar pela minha boca e pelo meu nariz, fazendo-me engasgar. Vejo o mundo como um parque zoológico de pessoas sorridentes e saudáveis, todas felizes em ter um "retorno" financeiro em troca de abrir suas casas e suas vidas para profissionais de "qualidade de vida" avaliarem suas refeições diárias.

Você ouve o interfone tocar? É ela, a avaliadora de sua qualidade de vida. Sorria e acima de tudo tenha em mãos as provas de que colabora com a sua própria saúde. Não seja um inimigo de sua própria felicidade fisiológica. Seja pró-ativo.

Imagino alguém bonito, simpático, espiritualizado, provavelmente um budista light, checando os nutrientes na alimentação da sua família. Talvez você possa agendar a visita via internet -afinal hoje em dia ninguém tem tempo pra nada, não é?

Imagine o número de empregos para as novas xamãs do mundo, as nutricionistas...

Se, desde cedo, você tomar as decisões alimentícias corretas para seus filhos, provavelmente a apólice de seguro saúde deles sairá bem mais em conta. Meus olhos se enchem de lágrimas ao perceber como o mundo melhora a cada passo.

A lógica de fundo é que ninguém racional quer morrer cedo, logo, só uma pessoa irracional, contraproducente, antissocial e, por fim, passível de alguma forma de punição, seria capaz de não ver isso tudo como um passo justo para "agregar valor" a nossa vida.

Aliás, uma pessoa assim, intratável, talvez, devesse num futuro próximo ser multada, porque ela não só onera os custos de seguro saúde da família como os da empresa de seguro saúde e, por fim, os do próprio Estado. Quem sabe devêssemos "evoluir" para a proibição de contas bancárias, crédito ao consumidor ou mesmo passaporte?

Quem sabe o Ministério da Saúde poderia criar um cadastro de pessoas inadimplentes em cuidados com a própria qualidade de vida. O nome poderia ser CTH (Cadastro Thanatos).

"Sem 'abusar' da comida, bebida, sexo, não vale a pena viver muito"
julho de 2010 

Artigos de Luiz Felipe Pondé.

Comentários

  1. Pondé e a fermentação de Chopp Enhauer, nota-se perfeitamente a semelhança!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chopp Enhauer. Isso machucou meu cérebro de tantas formas diferentes...

      Excluir
  2. Pondé é a reencarnação de Schopenhauer, nota -se perfeitamente a semelhança!

    ResponderExcluir
  3. Gosto de quando o Pondé é assim, bem rock'n'roll. Sinto falta dos roqueiros que usavam heroína, maconha e álcool como bem entendessem e trepavam feito loucos. Hoje em dia nós temos ASSEXUADOS CARETAS como os Jonas Brothers, Justin Bieber, entre outros.

    Viva o rock'n'roll alcoolátra e inconsequente!

    ResponderExcluir
  4. Homenagem a Amy Winehouse?

    ResponderExcluir
  5. Engraçado como que sempre há um 'outro', como que, mesmo tentando ser o mais includente possível, a gente acaba criando um outro'. Por exemplo, no projeto moderno de civilização, tudo o que não se encaixasse nesse conceito, 'homem', já estava na categoria de animal. Logo, estaria de fora, podendo ser um corpo matável, descartável, essas coisas.
    O 'outro', com essa agenda contemporânea de saúde e felicidade, devem ser justamente os 'malditos'. Quantos poetas que se encaixam nessa categoria que se ensinam nas aulas de Literatura de hoje. Aliás, há aulas de literatura? De Literatura mesmo?

    ResponderExcluir
  6. Concordo que parte das pessoas se comportam como carneirinhos para ter direito a uma refeição equilibrada no fim do dia, como recompensa, mas, a despeito disso, acho que o Pondé tem problemas com colesterol, glicose, fígado etc...

    Mais uma coisa. Achei péssima a seguinte parte do texto: "Será que Deus vai protegê-lo hoje, caro leitor?" Será que ele queria nos chocar com algo???????

    ResponderExcluir
  7. O problema desses textos do Pondé é que, sendo jornalísticos, sua linguagem (e abordagem também, nem precisaria dizer) é voltada para a pura informação, para o senso comum. Não é voltado para o conhecimento.

    Assim, é de se esperar uma certa 'subestimação' do leitor, por parte do Pondé. E penso que isso venha mais por causa de questões contratuais, essas coisas.

    Em suma, mais uma merda que vem de Organizações Globo, Folha e congêneres. Filosofia de boteco.

    ResponderExcluir
  8. Ah desculpem. Troquem informação por opinião. Troquei as bolas.

    ResponderExcluir
  9. Não gosto de falar por falar. Gosto, se possível, passar algo de positivo. Por isso não me aterei ao comer ou não comer especificamente. A não ser pelo "Será que Deus vai protegê-lo hoje, caro leitor?" Pelo que sei Deus não deve ser tentado. Se a pessoa come feito um louco és um glutão. E pode se tornar um obeso mórbido, e aí Deus não realizará um milagre. Porque isso é tentar a Deus da mesma forma que alguém passa em local sabidamente perigoso achando que mesmo sendo inconsequente Deus o protegerá. Agora com respeito a felicidade, muitos dizem, quanto mas melhor, para não ser parcial, nesta classe se enquadram as Teologias da prosperidade que dizem, nunca se satisfaçam, queiram sempre mais(aí esta o pecado). Com isso a pessoa vive a perseguir as riquezas e se torna infeliz, pois nunca se satisfaz. Vejam, "Aquele que confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem. Provérbios 11:28"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Cristão" num blog como esse. Sinceramente, pra que vocês continuam vindo aqui?

      O meu argumento é sempre o mesmo: o cristianismo prega uma filosofia conformista, onde se evita prazeres aqui (ou pecados, para a Bíblia) e se tem uma vida infeliz e conformada com a opressão enquanto se espera por um pós-vida. Isso não tem nada de positivo.

      Excluir
  10. Cristão Arcaico versão xp ou cristão moderno Versão Windows Seven 32 ou 64 bits?

    ResponderExcluir
  11. Eu só gostaria de uma coisa nesse momento? Olhar uma foto da mulher do Pondé, ou ela pessoalmente, ou sei lá a foto de uma possível amante. Tudo bem que dietas, regimes, qualidade de vida como fim último, não é uma forma interessante nem inteligente de viver a vida diante de tantos prazeres. Porém é preciso entender que viver mais, ter curvas para agradar esses homens apaixonados por corpo e inteligência tem um preço. E esse preço todos sabemos qual é.
    Ah, gostaria de lembrar que não sou uma maníaca por qualidade de vida.

    ResponderExcluir
  12. Esse Pondé está para a Filosofia da mesma forma que Paulo Coelho está para a Literatura. O distinto transita entre o delírio e o lugar-comum, e comete o pior dos erros: tenta ensinar pessoas a viver.

    É por isso que eu desprezo Paulo Coelho e aprecio Clarice Lispector - porque ela jamais ensejou dar "conselhos" aos leitores dela (ainda que circule por aí uma infinidade de textos apócrifos errônea e grotescamente atribuídos a ela). Da mesma forma, Luis Fernando Verissimo jamais cometeu essa estupidez (ainda que seja outro que sofre com textos ridículos colocados na boca dele).

    Na verdade nenhum escritor decente e sensato na história da humanidade almejou ter uma "fórmula" de felicidade aplicável a todas as pessoas do planeta (ou mesmo de seu país/região). Só os boçais têm essa pretensão.

    Esse texto do Pondé parece uma crônica da Martha Medeiros. Martha é uma cronista/poetisa aqui de Porto Alegre. Como poetisa ela capta com inegável talento a alma feminina e constrói bons versos em seus livros. Como cronista no jornal Zero Hora, ela resvala em lugares-comuns e superficialidades típicas de uma mulher cujas preocupações se alternam entre questões estéticas e shopping centers.

    Outro dia eu chamei atenção para o fato de que Pondé escreve estritamente para o universo onde vive - a classe média. Isso fica evidente nos conceitos que ele emprega e nas causas que ele defende (ou combate).

    Agora o "filósofo" anuncia aos menos atentos:

    Se, desde cedo, você tomar as decisões alimentícias corretas para seus filhos, provavelmente a apólice de seguro saúde deles sairá bem mais em conta.

    Ora, "apólice de seguro saúde"? Ainda que queira se referir a um plano de saúde privado simples, quantas pessoas Pondé imagina que têm isso no Brasil?

    O problema da classe média, ou melhor, do pensamento médio-classista (porque nem todos da classe média vivem numa redoma), é que uma parcela significativa de seus representantes desconhece solemente a realidade social da maior parte dos brasileiros.

    E mesmo desconhecendo, mesmo vivendo em ambientes assépticos e gabinetes refrigerados, mesmo alimentando um saber acadêmico equidistante da realidade prática, eles ainda têm a incrível pretensão de traduzir as questões sociais do nosso país (e às vezes até de outras nações, como Pondé fez semana passada em relação aos conflitos na Inglaterra).

    Pondé julga ser um alienista, mas não passa de um alienado.

    ResponderExcluir
  13. Pondé acredita mesmo que vivemos em um 'Admirável Mundo Novo' ou faz isso só para nos irritar? Esse projeto de 'saúde e felicidade' sem criticidade ainda é muito bom perto do que ainda o mundo respira: Guerras, fome e mudanças climáticas. Eu não sei em que mundo ele vive, mas para sermos assim tão 'clean' e chatos como no texto seria até uma boa.

    ResponderExcluir
  14. E a classe média não pode falar dela mesma??

    E não há no texto desconhecimento da realidade social do país.

    Pq esse "projeto de saúde e felicidade" é incutido ao pobre através de forte propaganda(vide Globo repórter por exemplo) e muito pouco de prático é feito.

    Ou seja,o pobre apenas deseja isso sem poder ter,ou tendo muito pouco.

    E na verdade o ponto do texto não é esse,o ponto do texto é "viva e morra como bem desejar,ninguém tem o direito de decidir isso por vc".

    ResponderExcluir
  15. Cada um é o que é, não é comendo e bebendo que um ser qualquer deixa de ser e se satisfaz em vida. a os que comem pouco, os que comem muito e os que comem nada. e a vida é assim distribuida uns comem muito dela, outros comem pouca ou são desnutridos.

    ResponderExcluir
  16. Então, Pondé, há mesmo uma espécie de "Contrato Social"... Rousseau tinha razão, então?

    ResponderExcluir
  17. Um Anonimo disse: "Em suma, mais uma merda que vem de Organizações Globo, Folha e congêneres. Filosofia de boteco."

    Discordo: o que vem de tais entidades é justamente o discurso autoritário "pró-alimentação-saudável-e- seguro saúde mais econômico-com saúde pública mais equilibrada" contra o qual escreveu esta coluna, nosso Pondé.

    Outro Anonimo replicou dizendo: "Pq esse "projeto de saúde e felicidade" é incutido ao pobre através de forte propaganda(vide Globo repórter por exemplo) e muito pouco de prático é feito.

    Ou seja,o pobre apenas deseja isso sem poder ter,ou tendo muito pouco.

    E na verdade o ponto do texto não é esse,o ponto do texto é "viva e morra como bem desejar,ninguém tem o direito de decidir isso por vc"."

    Com tal réplica concordo em gênero, número e grau!

    E sublinho também o seguinte feliz comentário: "Gosto de quando o Pondé é assim, bem rock'n'roll. Sinto falta dos roqueiros que usavam heroína, maconha e álcool como bem entendessem e trepavam feito loucos. Hoje em dia nós temos ASSEXUADOS CARETAS como os Jonas Brothers, Justin Bieber, entre outros.

    Viva o rock'n'roll alcoolátra e inconsequente!"

    Mas, observo que não gosto de qualquer tipo de rock, mas tão-somente dos mais toscos e barulhentos: punk, metal e grunge. Grunge é foda!!!

    ResponderExcluir
  18. é o kaos!!! com k mesmo...KAOS!!!

    ResponderExcluir
  19. Não parece o Pondé. Estou acostumado com a provocação mais acintosa, aqui foi reflexivo demais. Estranho até. A serotonina devia estar baixa. Mas bom texto como sempre, sem ser chato como 99% dos filósofos, que escrevem hermeticamente pra si mesmos ou sua turma da universidade (turma de uns 3 gatos pingados metidos a intelectuais incompreendidos).

    ResponderExcluir
  20. Essas bobagens de ditadura da alimentação correta, do culto ao corpo, etc e tal, que tanto os pessimistas falam e denunciam como ameaça à democracia, simplesmente não existe!!!

    Saia às ruas e verá: todos estão acima do peso, com suas barriguinhas à mostra; lanchonetes tipo "Heart Attack Grill" estão sempre lotadas (sendo um dos melhores negócios de franquias no Brasil); os gordos "sem vergonha", nas pizzarias, pedem aquela ultra gordurosa pizza com coca zero ...Crianças, segundo pesquisas recentes, estão cada vez mais sedentárias e obesas.

    Por isso: não entendo a revolta de Pondé...

    Os cultistas do corpo e da alimentação são os modelos de televisão e revista. Primeiro, por que ganham a vida com seu corpo; segundo, esse ganha-pão se dá por que os gordinhos e gordinhas os elegem (os modelos) como objeto de desejo. Só isso!!!

    ResponderExcluir
  21. Os esquerdistas da classe média que odeia a classe média e odeiam todos que fazem sucesso sem seguir as cartilhas deles - como o Paulo Coelho - não conseguem nem entender a ironia de Pondé ao recomendar "as decisões alimentícias corretas para seus filhos". Pensando bem, seria pedir demais.

    ResponderExcluir
  22. Sem abusar de comida, bebida e sexo não vale a pena viver muito... se a vida se resumisse à possibilidade de abusar desses ítens, eu não ia querer viver nada.

    ResponderExcluir

Postar um comentário