Evangélico antitecnologia prende filho por uso de celular

Johan Knelsen ficou preso
seis semanas em uma caixa
David Knelsen prendeu seu filho Johan (foto), de 21 anos, em uma apertada caixa de madeira por ele ter sido flagrado usando um celular. O rapaz ficou ali por seis semanas, até que um vizinho chamasse a polícia.

“Eu comia e dormia aqui”, disse o rapaz ao ser solto. “Fiz tudo aqui.” Na caixa havia garrafas cheias de urina.

Knelsen, um canadense radicado em Santa Cruz (Bolívia), é evangélico menonita, uma religião que faz uma leitura literal da Bíblia e por isso, entre outras coisas, condena o uso da tecnologia por acreditar que se trata de obra do Satanás.

No caso Johan, houve o agravante de que teria furtado três galinhas.

O pai disse à polícia que o filho sofre de transtorno mental, mas aparentemente, pelas imagens da Reuters (ver abaixo), o rapaz é normal.

O movimento cristão religioso menonita surgiu na Holanda em 1496. Seu fundador foi Menno Simons. Houve entre os menonitas muitos atritos e eles se dividiram em várias seitas. Costumam vivem em colônias.

No Brasil, há menonitas desde 1930 -- muitos deles eram então de origem russa. A religião possui templos sobretudo no sul do pais. Aqui, somente uma minoria procura evitar a tecnologia, tanto que a igreja está na internet.

Pai encaixota filho


Com informação da Reuters, entre outras agências.