Rafael Pereira da Silva, vítima do atirador do Realengo

Rafael Pereira da Silva (foto), 14, foi o primeiro ou o segundo a ser assassinado por Wellington Menezes de Oliveira. O atirador mirou preferencialmente nas meninas -- dez delas foram mortas. Rafael foi uma das duas exceções. A foto ao lado é da carteirinha do transporte escolar. Era estudante do 7º ano. Ele foi adotado com poucos anos de vida. Cinco anos depois, a mulher que o adotou morreu, mas antes pediu ao seu genro, o instalador de som Carlos Maurício Pinto, 38, que cuidasse dele.

O corpo de Rafael foi sepultado no começo da tarde de sexta-feira (8) no cemitério Jardim da Saudade, na Zona Oeste do Rio. Amigos dele participaram do cortejo com faixas pedindo seguranças nas escolas. Algumas pessoas passaram mal e tiveram de ser atendidas por médicos.

VOLTA DA IRMÃ - atualização em 19 de abril de 2011

Nesta teça-feira, Carlos Maurício Pinto, pai de Rafael, levou a sua filha Ana Beatriz, 12, de volta à Tasso da Silva. A menina não estava querendo retornar à escola. "Minha filha tem um futuro pela frente", disse. "A vida continua e eu vim dar um incentivo para ela."

> Perfil no Orkut do Rafael.

Vítimas do atirador da escola do Realengo

Caso do atirador do Realengo.