Filhos de ateus vão para biblioteca no horário do ensino religioso

por Dimitri do Valle, da Folha

Os pais de dois alunos de Pranchita, no interior do Paraná, fizeram um acordo com a direção da escola pública onde os filhos estudam para que eles deixassem de frequentar as aulas de religião.

A professora Eliane Lambert Junkes, 26, e o marido, o caminhoneiro Alberi Junkes, 40, são ateus e defendem o direito de os gêmeos, de sete anos de idade, não serem "doutrinados" sobre a existência de Deus.

A mãe de Marco Antônio e João Antônio não admite que as aulas de ensino religioso comecem com uma oração nem que Deus seja tratado como uma entidade real e superior, que zela pela humanidade e tem poderes para julgar as ações dos homens.

O acordo foi feito no ano passado -as crianças foram às aulas por quase três anos- e permitiu que, nesse horário, os meninos frequentem a biblioteca. Eliane diz que a decisão foi amigável.

"Não quero que eles sejam doutrinados a crer. Ninguém precisa ser bom na vida porque tem alguém superior olhando. As pessoas devem ser boas porque isso é correto", afirma a professora.

Eliane acredita que os filhos, quando amadurecerem, poderão adquirir conhecimento suficiente para decidir qual papel a religião terá em suas vidas.

"Quando eles crescerem, teremos condições de conversar melhor", diz.

A mãe dos garotos afirma que, se as aulas tivessem outro tipo de abordagem, como a história das religiões, não se oporia ao aprendizado.

"A história das religiões é importante para contar o processo de formação do homem. Jamais vou privar meus filhos do conhecimento, mas não é o que acontecia na escola", afirma.

Procurado pela Folha, o diretor da Escola Municipal Márcia Canzi Malacarne, Everaldo Canzi, declarou que não daria entrevista por telefone porque considera o tema "complexo e amplo".

Ele negou, no entanto, que as aulas tenham o objetivo de "doutrinar" os alunos a crer e disse que a "diversidade das crianças é respeitada".

Pesquisa revela que metade das escolas tem ensino religioso
fevereiro de 2011

Religião no Estado laico   > Ateísmo.   > Posts deste mês.

Comentários

  1. Sabe, eu concordo com o posicionamento destes pais. Toda diversidade deve ser respeitada, qualquer religião e também a falta desta. Confesso que também me cansava ter que fazer uma oração no início das aulas obrigatoriamente (nunca fui afeita a regras), apresar de acreditar em Deus e ter pais católicos.

    Interessante questão para pais e educadores.
    Linkando no C0nt4s V3rbai5...

    Grande abraço e parabéns pela grande utilidade desde espaço.

    ResponderExcluir
  2. Por que ninguém pergunta ao pai dessas crianças:
    "Por que é correto ser bom? O que é 'ser bom'? O que é 'correto'?"

    Aí o cara teria que se virar para explicar isso sem recorrer à existência de Deus.

    Vocês hoje usufruem de uma cultura e uma sociedade onde há direitos humanos e que quase não escapou de resultar num inferno islâmico/pagão - só que agora estupidamente tentam jogar fora a influência Judaico-Cristã que permitiu isso.

    Continuem a cuspir pra cima que o cuspe vai cair na sua própria cara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fosse essa porcaria de influência judaico-cristã pra quem você baba ovo, provavelmente hoje seríamos "primeiro mundo". Suas religiões só trouxeram mais dor e preconceito ao mundo. Isso fora a hipocrisia: querem dar uma de "donos da moral, da bondade" mas a História bem outra coisa.

      Excluir
    2. Inferno islamico- pagão, o cristianismo entrou destruindo tudo livros templos historia,e nos deixando na idade das trevas. estamos 500 anos atrasados por causa dos cristãos e sua podridão o paganismo nunca deveria ter sido abolido, hoje seriamos muito mais humanos.

      Excluir
    3. Então quer dizer que a única coisa que te impede de sair por aí estuprando ou matando é o fato de crer num deus? UFA! to começando a achar que religião no fim das contas não é uma má ideia --'

      Excluir
  3. Anônimo, ser bom pode ser uma caracteristica evolutiva. Porque as mães cuidam de seus filhos? É evolutivo! Se não possuissem o impulso maternal de cuidar de seus filhos, eles não sobreviveriam para passar seus genes á proxima geração. Essa mãe não deixaria descendentes, e assim, não passaria a diante seus genes para "cuidado parental", que nela é traduzido por desleicho!

    Nâo precisamos evocar a vontade divina para explicar a bondade. Se for o caso então teremos que explicar porque Deus é bom. Porque ele não preferiria a maldade? Quem criou Deus, Deus veio do nada e se criou sozinho? Nossa moral evolui e a moral divina? Ora, caia na real!

    ResponderExcluir
  4. Fernando, caia você na real! Sua objeção é tão burra que me espanta.

    Você acha que repetir feito um papagaio "é evolutivo" explica alguma coisa?

    Mas que ateísmo bocó! O mundo já produziu ateus mais inteligentes e cultos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ver, repetir feito papagaio que tudo é vontade de um ente supremo que nunca ninguém viu, sentiu, cheirou, etc. explique mais pra você... Repetem tanto essa asneira que até acreditam nela, que tinha dinossauro na arca do velho bebum Noé, que uma serpente falava pelos cotovelos, que a mulher veio da costela do homem, etc.

      Excluir
  5. Se eu tiver filhos, eles também não vão assistir aulas de religião.

    ResponderExcluir
  6. "Toma vergonha!", o maior troll do Paulopes.
    Mas repetir que Deus/Cristo é a resposta também não é ser papagaio?

    ResponderExcluir
  7. Religiosos idiotas acham que os direitos humamos originaram da religião deles e demonizam outras religiões.
    Que patético.
    Estudem sobre a Revolução Francesa, se ao menos saibam o que é livro de história.

    ResponderExcluir
  8. Ah, a Revolução Francesa foi tão boa, mas tão boazinha: começou libertando a bandidagem da cadeia, matou um monte de gente indiscriminadamente, gerou genocídio na guerra da Vendéia e no final terminou em imperialismo... que beleza de resultado, hein?

    Como você acha que a Revolução Francesa fez avançar os direitos humanos?
    FOI COM A GUILHOTINA, SUA ANTA?

    Vai aprender História, ignorante.

    ResponderExcluir
  9. Essas religiões patéticas de líderes patifes criam um ambiente hostil contra os que por eles são demonizados.Eles dizem existir o espírito demoníaco do homossexual então deve haver o do hétero também.RÍDICULO;falam em caridade mas não a praticam.O estado de uma pessoa adicta em religião é muito mais destruídora,perigosa e degradante do que o vício por crack e cocaína.
    Os crentes são pessoas extremamente bipolares,posuem duas caras e dupla personalidade.Mostram a melhor,afável e a mais amável e dócil para falar do amor do seu deus porém a mais cruel,desumana e separatista na hora de falar de enfermos.Condenam ao que chamam de aberração,espíritos malefícos e demoníacos e pecadores.Todos conhecem pelo menos um cristão crente ou beato católico com imagem de falso e hipócrita.Condenador e moralista.

    ResponderExcluir
  10. "Ah, o Cristianismo foi tão bom, mas tão bonzinho: começou seduzindo os escravos dos senhores, silenciou pensadores e opositores, matou um monte de gente indiscriminadamente, gerou genocídio nas Guerras Santas e no final terminou em Periodo das Trevas... que beleza de resultado, hein?

    Como você acha que o Cristianismo fez avançar os direitos humanos?
    FOI COM A FOGUEIRA E ESPADA, SUA ANTA?"

    Vai aprender História VOCÊ, ignorante. A Revolução Francesa não foi um mar de rosas, mas desencadeou uma libertação da opressão que foi a Idade Média, a separação de igreja x estado e o lançamento de leis civis mais humanas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha seu anonimo se aqui tivesse um curtir, eu curtia falou tudo.

      Excluir
  11. O título deveria ser outro: "FiLHOS DE ATEUS SÃO MANDADOS PARA BiBLiOTECA NO HORÁRiO DE ENSiNO RELiGiOSO". Curioso que ninguem fala que isso é fundamentalismo... Desculpem o termo, mas essa mãe é mais uma palhaça dessa láia de gente que adora aparecer!No entanto ela terá que resignar sua "celebridade" apenas nesse blog. Sente-se pena das pobres crianças...

    ResponderExcluir
  12. Anônimo-ignorante-que-não-sabe-nada-de-História, a revolução francesa não desencadeou PORCARIA NENHUMA de libertação. O que houve foi perseguição, terror e diminuição das liberdades.

    A PORCARIA da revolução francesa instituiu, entre outras barbaridades, a conscrição (serviço militar obrigatório). Que bela "lei civil mais humana"...

    A separação da igreja e estado começou com a Reforma Protestante.

    A revolução francesa, pelo contrário, aumentou o poder dos políticos sobre todo o mundo - mil vezes pior do que até a Igreja Católica com todos seus defeitos tinha tentado.

    FAÇA O SEU DEVER DE CASA E VAI APRENDER HISTÓRIA!

    A característica mais marcante desses ateuzinhos aborrecentes é a total ignorância sobre os assuntos dos quais opinam - NÃO SABEM ABSOLUTAMENTE NADA!

    ResponderExcluir
  13. Quem hoje em dia tem conhecimentos mais elementares de história já sabe que a revolução francesa foi uma mancha sangrenta na história da humanidade. Só para terem idéia, já os malfadados "direitos do homem" quando foram elaborados nessa época de terror, foram inicialmente escritos(PASMEM!) em um pergaminho feito de pele humana. Convenhamos, dizer que a revolução francesa "desencadeou uma libertação da opressão" é de uma estultice abismal...

    ResponderExcluir
  14. A Revolução Francesa teve uma faceta boa e outra ruim. E reduzi-la a apenas uma faceta -- não importa qual -- é pobreza de argumentação.

    ResponderExcluir
  15. "Só para terem idéia, já os malfadados "direitos do homem" quando foram elaborados nessa época de terror, foram inicialmente escritos(PASMEM!) em um pergaminho feito de pele humana. "
    Me faltam palavras para discutir história com alguns fundamentalistas religiosos aqui... daqui a pouco vão pregar o revisionismo histórico e que não houve campos de concentração na Alemanha.
    Deprimente.
    PS: Sou Católico, mas sei ler um livro de história.

    ResponderExcluir
  16. http://pt.wikipedia.org/wiki/Direitos_humanos
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Declara%C3%A7%C3%A3o_dos_Direitos_do_Homem_e_do_Cidad%C3%A3o

    Aqui, colega teísta "caçador de ateus".

    ResponderExcluir
  17. Esses links do Wikipedia só confirmam o que eu disse, caramba! Putz, não sabem nem ler e interpretar um texto...

    O artigo já começa dizendo: "A ideia de direitos humanos tem origem no conceito filosófico de direitos naturais que seriam atribuídos por Deus..."

    Será que não dá para o cérebro de vocês ateus pegarem no tranco?

    Além disso, essa declaração dos direitos do homem e do cidadão foi elaborada pelo Marquês de Lafayette, que apoiava e participara da independência americana. Essa declaração, portanto, foi inspirada na Revolução Americana, que não teve nada de anti-religioso.

    Além disso, ela fora apresentada ANTES da revolução francesa, ateu ignorante e presunçoso!

    Não apenas a revolução francesa não teve absolutamente PORCARIA NENHUMA a ver com a declaração de direitos humanos, seu autor foi chamado de TRAIDOR pelos figurões da revolução Danton e Robespierre.

    Então vão estudar e parar de falar do que não conhecem, PALPITEIROS ATEUS!

    E me agradeçam por essas aulas elementares e gratuitas de História.

    ResponderExcluir
  18. Uau... tantas falácias... então tá.
    O Senhor é a verdade e a justiça. Direitos humanos são os direitos que estão corrompendo a humanidade, o cristianismo é superior a leis humanas... ateus imundos blá blá blá
    mimimi.

    ResponderExcluir
  19. A separação entre Igreja e Estado começou com a Reforma Protestante?

    Certo, então, recordemos: Lutero, monge peidão, glutão, beberrão e foda-ruim, sentindo-se dolorosamente rejeitado nas surubas vaticanas, quando por ocasião de sua peregrinação a Roma; como todo ressentido brocha, resolveu fundar uma nova Igreja, separada de Roma...
    O Estado alemão, que o apoiou, uniu-se à nova Igreja, a Luterana, até há pouco Oficial e Estatal.
    Não houve separação nenhuma.
    Na Inglaterra foi a mesmíssima coisa.
    Henrique VIII para dar vazão ao seu priapismo e incontestável mania de assédio às irmãs Bolena, uma após a outra tornadas esposas, como autêntico Barbazul...fundou a Anglicana.
    Separada de Roma, mas Igrejinha e Estado unidozinhos em Westminster.
    Não separou nada.
    Quem separou de fato Estado e Igreja foi a guerra, entre protestantes e católicos, que nenhum dos dois lados, como até hoje, de pacíficos NÃO TÊM NADA...e o Estado, pra se PROTEGER CONTRA O SECTARISMO FANÁTICO E HOMICIDA DOS DOIS LADOS, teve que se laicizar pra poder administrar a coi$a nostra, fora das guerras de religião....
    Você pode ser catolico saber ler um livro,
    mas de história não entende coisa nenhuma.
    Quanto à Revolução Francesa, você como discípulo do Orlando Fedelho, não tem mesmo o que argumentar.

    ResponderExcluir
  20. Se eu souber que um filho meu foi obrigado a orar, rezar ou qualquer outro movimento baseado em contos de fadas eu simplesmente processaria a escola.
    Com certeza eu também não era o único a sair das aulas de ensino religioso e ir para o pátio esperar as aulas de ensino fundamental começar.

    Era só o que faltava já imaginaram se um dia a moda de ser católico se torna a moda de ser anticristo? Vão ensinar que tipo de lixo nas escolas, bem eu com certeza não vou esperar até este dia chegar.

    ResponderExcluir
  21. Pelo que estou lendo aí em cima, parece que quem está tendo que ter aulas de ensino religioso, "moral" religiosa, bondade, etc, são aqueles que estão defendendo o ensino religioso. Parecem não ter argumentos plausíveis e saem descendo o cepo.

    ResponderExcluir
  22. Concordo com os pais. Não são ateia, mas se tivesse filhos em idade escolar, também seria terminantemente contra assistirem às aulas. Se acaso tivesse esse objetivo para meus filhos, ou os matricularia numa escola religiosa, ou numa escola dominical da religião de minha escolha.

    ResponderExcluir
  23. Desculpe o erro aí em cima:
    "(...)Não SOU ateia(...)".

    ResponderExcluir
  24. Aos que crticam o cristianismo:

    Não quero me posicionar contra ou a favor de nada, e também respeito a opinião de todos.

    Favor consultem a Encicoplédia Britânica, vejam o que aconteceu com o cristianismo. Os cristãos não se envolviam na política e até 180 D.C. todos da Guarda Pretóriana que aceitaram o cristianismo abandonaram o exército (este era o melhor emprego que alguém podia conseguir naquela época, se não quise-se ingressar na política). Entretanto, no ano 325 D.C, O imperador Constantino resolveu unificar as religiões do Império Romano e rotulou com o nome de Cristianismo, a fé Universal (Católica). Podemos concluir que o cristianismo pregado por Cristo e pelos apóstolos têm se perdido desde então. A proibição das pessoas em possuir uma Bíblia prejudicou muito a disseminação do verdadeiro Cristianismo por séculos.

    Bom, espero ter contribuído positivamente

    ResponderExcluir
  25. Essa mãe vai ser atéia até a filha dela ter que usar uma burca. Esses ateus ficam falando mal do cristianismo (que ajudou a construir a civilização ocidental) e não enxergam que o islamismo avança a passos largos sobre uma Europa atéia e desmemoriada, que renega sua própria história, apegando-se com uma fúria cega e estúpida a erros que foram fundamentais para ensinar ao povo, aos governos e a própria Igreja o que NÃO se deve fazer. Contudo, vê-se claramente para onde “caminha a humanidade”, baseada em valores não cristãos. Alguém sabe explicar o que é aquilo no Oriente Médio? Que valores são aqueles? E os valores hindus? E os indianos? E os tribais? E os étnicos africanos? São bons para eles e péssimos para nós e a recíproca é verdadeira. Agora, entre aquelas religiões e/ou culturas e a nossa ocidental, qual delas é mais humana? Com a qual as futuras gerações terão de conviver? Continuem com esse discurso e vejam aonde é que vão parar.

    (São Mateus 12,25) Jesus, porém, penetrando nos seus pensamentos, disse: Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir.

    (São Lucas 11,17) Penetrando nos seus pensamentos, disse-lhes Jesus: Todo o reino dividido contra si mesmo será destruído e seus edifícios cairão uns sobre os outros.

    ResponderExcluir
  26. Eu concordo com a idéia de que ninguém precisa ser dessa ou daquela religião para ser uma pessoa boa.

    Aliás...

    Ninguém precisa acreditar em Deus para saber que a justiça é melhor que a injustiça.
    Ninguém precisa acreditar em Deus para saber que o ammor é superior ao ódio.
    Ninguém precisa acreditar em Deus para saber que o carinho pode ser melhor do que a indiferença.
    Ninguém precisa acreditar em Deus para saber que a vida pode ser muito bem usufruida sem religião.

    ResponderExcluir
  27. alo masson voces sao vazios e frustrados por dentro suas casas é cheia do espirito da morte mais ainda a chance porque jesus é o rei daquele que voces prestam culto aquele que voce presta culto se ajoelha pra cristo entao aceite ele como unico e suficiente salvador caso contrario é lago de fogo jesus rei dos reis senhor dos senhores

    ResponderExcluir
  28. Como seria bom se o país tivesse muitos e muitos casais como esse...

    ResponderExcluir

Postar um comentário