Tenente do Exército chora e tenta culpar seus subordinados

tenente_choro
Andrade disse que previa
apenas um 'castigo' aos jovens

Em seu depoimento ontem à Justiça, o tenente do Exército Vinicíus Ghidetti Moraes Andrade (foto) chorou quando fez referência a sua família. A TV mostrou a cena. Deve ter sido constrangedor para os oficiais durões da Aman (Academia das Agulhas Negras), onde Andrade passou por rígido treinamento para, entre outras coisas, agüentar todas as possíveis pressões.

Mas homem chorar, seja ou não fardado, não é vergonha.

Vergonha mesmo foi a tentativa de o tenente colocar a culpa em seus subordinados por ele ter entregue  três jovens da favela do Morro da Providência a traficantes da favela do Morro da Mineira, no Rio. Um dia depois, os corpos dos três jovens foram encontrados em um lixão da Baixada Fluminense com  47 tiros.

O tenente disse ao juiz Marcello Granado, da 7ª Vara Criminal Federal, que sofreu pressão dos subordinados para dar os jovens aos traficantes como um “presentinho”.

O tenente disse ao juiz que não esperava que houvesse o assassinato dos três jovens, mas apenas um “castigo” por eles terem desacatado a tropa, como se os traficantes, além de serem solidários para com o Exército, fossem do tipo de puxar as orelhas ou dar três coques na cabeça de seus desafetos.

Quando ele e o seu grupo detiveram os três jovens – e há testemunhos de que estes apanharam --, o capitão de plantão determinou a liberação dos rapazes. Mas tenente Andrade, segundo o testemunho de um soldado, teria dito que “estava cagando para o capitão”. E deu no que deu.

Consta que o Alto Comando ficou desolado com o estrago que o episódio tem feito à imagem do Exército.
Seria o caso de se concluir que Exército que tem oficial assim, tão mal formado, não precisa de inimigos.

ATUALIZAÇÃO
Diante do juiz, o tenente Ghidetti chorou, mas quando entregou os três rapazes aos traficantes ele riu, e não foi só uma vez, foram duas. É o que consta no depoimento que o soldado Rafael Costa Sá prestou ao juiz nesta sexta (4). O tenente riu ao colocar os jovens no carro que os transportaria à favela do Morro da Mineira e quando os entregou aos bandidos, dizendo o seguinte: "'Tá' aqui um presentinho para vocês".  O soldado Sá é um dos 11 dos militares indiciados pela morte dos rapazes. A informação é da Folha Online.
Acompanhe o caso.

Comentários

  1. Excelente matéria.
    Que vergonha pro exército.
    A mídia não deve perdoar ninguém.
    Fatos como estes tem que ser divulgados mesmo até a exaustão.

    ResponderExcluir
  2. Também sou militar e achei um total despreparo do tenente , onde se viu se é ele o militar mais graduado no ato dos acontecimentos , quem comanda e traz para si todas as responsabilidades é o próprio , agora não concordo de maneira alguma com esta mulecagem e os subordinados foram coniventes , pois ordem ilegal não se cumpre!!

    ResponderExcluir
  3. Achei maravilhosa a pergunta do juiz ao oficial, quando o tenetente afirma que pediu para os bandidos apenas darem um susto nos três jovens. Que absurdo, acho que eles ainda pensam que mandam em alguam coisa.

    ResponderExcluir
  4. O exército acha mais interessante ter em seus quadros um tipo como esse ao invés do militar que, por haver se declarado homossexual, foi perseguido até a exaustão. Instituição que se mostra cada vez mais inadequada a nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  5. Chora não por remorso do ocorrido, mas sim, pelo simples fato de se ver no centro da responsabilidade pela morte dos três jovens.

    A postura dele é a mesma de sua instituição, débil e incoerente, incapaz de gerir ou atuar na segurança pública. Lugar de exército é dentro de quartel, lá eles podem brincar em seu mundo imaginário onde até os traficantes lhe obedecem.

    ResponderExcluir
  6. Sou militar graduado da FAB e estou estupefato com o ocorrido. Agora, não tenho dúvidas todos irão querer tirar o corpo fora. Muito boa a inquirição do juiz para o tenente sobre o que teria levado o oficial a imaginar que os traficantes aplicariam apenas um corretivo nos garotos: "Se os traficantes não respeitam nem o Estado, como o Sr. acha que eles o respeitariam".
    Um abraço! E que Deus tenha misericórdia desses militares porque o Judiciário vai vir com tudo.

    ResponderExcluir
  7. ...sou militar e acho que uma das maiores virtudes do homem é quando ele reconhece seus erros e assume a responsabilidades,,,,está faltando isso para o ten. do exército, não adinta jagar a culpa nos seus subordinados,,,,,acabou com a sua carreira e de muitos pais de familia

    ResponderExcluir
  8. Ele lá estava para servir de palhaço nas mãos de obras politicas de pessoas que só aparecem no meio de eleições.
    Eo capitão?porque não fiscalizou a atitude de seu comandado?

    ResponderExcluir
  9. BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO.........PODE ACONTECER QQ COISA COM O TENENTE (UNS DOISANOS DE CADEIA E TAL) MAS OS MANES QUE FOLGAARAM MORRERAM.VIRARAM PRESUNTOVISKI. PAU.

    ResponderExcluir
  10. Pois é: pela lógica do "bandido bom é bandido morto", o tenente não deveria estar vivo. Porque ele mostrou que também é bandido, um transgressor da lei, e, o que é pior, recebendo salário (soldo) pago pelos cofres públicos.

    ResponderExcluir
  11. QUANDO O EXERCITO SAI DE SUA FUNÇÃO AJUDA O POVO, NO COMBATE A DENGUE, NOS LUGARES MAS REMOTOS DO BRASIL NINGUEM FALA, QUANDO UM POLITICO É PEGO COM DINHEIRO PUBLICO NA CUECA NINGUE FALA, PO UM QUE ERRO NÃO PODE MANCHA TODA UM INSTITUIÇÕA CHAMADA EXERCITO BRASILEIRO QUE ACIMA DE TUDO É BRASIL

    ResponderExcluir
  12. O dono deste blog Paulo Lopes é uma pessoa desinformada ou quer se passar por isto. Os cursos de formação de oficiais, sargentos e cabos, são excelentes. O problema não está na instituição, quando este bloguista diz que "mal formado". Isto é coisa pessoal deste tenente, é o carater dele que fez ele agir desta maneira, o exercito, a academia que o formou não tem nada a ver com isto. Ele não foi orientado pelos seus superiores para fazer esta besteira. Paulo Lopes, antes de falar pense primeiro.

    ResponderExcluir
  13. Eu concordo com a punição deste tenente e de todos que erram, ate para mostrar que mesmo os oficiais que erram (feio) são punidos e o que restar devem demostrar que são dignos de suas patentes.

    ResponderExcluir
  14. Cara bandido Bom e bandido morto. ele fez mais do que o certo ele naum mato. Agora esse tenente e um cagao. Ele deveria pelo menos assumir o que fez e nao da uma de moleque querendo culpar seus subordinados e depois chorando. Ele pra min nao e homen.

    ResponderExcluir
  15. eu concordo com plenamente com a punição deste tenente e de todos que erram, ate para mostrar que mesmo os oficiais que erram (feio) são punidos e o que restar devem demostrar que são dignos de suas patentes. essa e a minha oponiao .

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Até parece que aqueles 3 eram anjinhos que pairavam pela noite, buscando a quem abençoar.

    Está certo, uma coisa não justifica a outra mas deixemos de ser alienados e vamos parar de dar atenção à esses blogueiros que se escondem atrás de um monitor e nunca cingiram os lombos de responsabilidades que podem redundar em vida ou morte. Estes não deveriam ter sequer o direito de opinar (principalmente com esse sensacionalismo ridículo) sobre tais questões.

    Vista você, escritor, uma farda, empunhe um fuzil, suje-se de lama e sangue. Sim, de lama e sangue tanto daqueles que ameaçam a nossa soberania, quanto daqueles que cerram conosco fileiras.

    Certamente que há um ponto de equlíbrio e justiça dentro dessa questão. Porém, duro é ter que "ouvir" o questionamento de ignorantes, repito ignorantes como esse tal de Paulo Lopes, de acordo com sua ótica desprovida de experiências.

    Você não passa de mais um, capaz de criticar e incapaz de fazer.

    Sou militar, sou Oficial e nem por isso digo que este Capitão agiu corretamente. Não, meu corporativismo não é maior do que a verdade.

    Mas você, Paulo Lopes, você não é nada além de um crítico.

    E se algum dia, suas decisões forem capazes de traçar destinos, se suas ordens forem capazes de fazer com que fiéis homens vão de encontro à morte juntamente com você, sim quando este dia chegar pense muito antes de falar e principalmente de escrever.

    Do contrário, enquanto você só for capaz de fazer o que faz (escrever) engula suas pobre e amargas críticas.

    ResponderExcluir
  18. Vocês da midia são todos um bando de jornalistas vagabundos, que passaram o tempo todo fumando maconha na faculdade...só quem tá na AMAN ou é oficial formado na AMAN sabe o que se passa lá...

    Esses "garotos" eram 3 vagabundos!morreram tarde.

    E quem quiser falar merda pra mim tá aí meu twitter @douglaslaurindo

    ResponderExcluir
  19. ninguém merece como castigo a morte, e não interessa o que se passa dentro da AMAN, ninguém tem o direito de tirar a vida de pessoas, e sim quem merecia estar no caixão era esse tenente bandido, essa raça nunca vai mudar todos são iguais, com seus trajes acham que são dono do mundo, cambada de pilantras desonestos.

    ResponderExcluir
  20. Lamentável.

    Uma história com vários culpados. Uns tiveram a pena de morte, mesmo fora dos termos da lei. Outros acabaram com suas carreiras.

    O problema não está no Exército, mas sim nas entranhas da nossa sociedade, onde a lei de Gerson prevalece acima de tudo. Inclusive este mesmo Exército muito contribuiu para o nosso país, mesmo com o investimento quase que inexistente por parte do Governo. É injusto culpar a instituição pelo desvio de caráter desses indivíduos (incluindo aqui os subalternos).

    Nesta terra onde o malandro se gaba por ter arrumado um jeitinho e se dado bem, infelizmente acontecem coisas desse tipo.Paciência... A lição a História já nos ensinou e vai continuar ensinando.

    ResponderExcluir
  21. Durante o treinamento militar, quem é o inimigo? Se o inimigo for vírus, bactéria, o treinamento são as vacinas.
    Se o inimigo é o mosquito da dengue, o treinamento é dar tapa no mosquito. Para derrotar o inimigo é necessário matar o inimigo.

    ResponderExcluir
  22. Desistente do curso20 de junho de 2012 14:28

    "O tenente disse ao juiz Marcello Granado, da 7ª Vara Criminal Federal, que sofreu pressão dos subordinados para dar os jovens aos traficantes como um “presentinho”."

    Quer dizer que nesse caso os subordinados pressionaram o superior e o superior não aguentou a pressão.

    ResponderExcluir
  23. Desistente do curso20 de junho de 2012 14:41

    "O tenente disse ao juiz que não esperava que houvesse o assassinato dos três jovens, mas apenas um “castigo” por eles terem desacatado a tropa,..."

    Será que pra ser admitido na AMAN, ele imaginou as respostas dos testes e acertou na sorte?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desistente do curso20 de junho de 2012 14:44

      Pode ser, questões de múltipla de escolha são como os números da megasena, alguém pode acertar na sorte.

      Excluir
  24. e tem mais. essa foto ilustra uma fabula onde narra a perseguicao de um oficial crente e seu incrivel deus imaginario ligando o motor de um carro que nao tem motor (isso mesmo...com essa criatividade toda). eh de lascar!!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário