Pular para o conteúdo principal

Por que dormimos tanto? O que já se sabe é que o sono ajuda a manter a saúde mental

Novos estudos confirmam que o sono é fundamental para a memória, reduzindo as possibilidades de ocorrer o Alzheimer


Dan Denis 
pesquisador do departamento de sociologia da Universidade de York, Inglaterra 

The Conversationl
plataforma de informação produzida por acadêmicos e jornalistas

Os cientistas vêm tentando explicar por que passamos tanto tempo dormindo desde, pelo menos, os gregos antigos, mas determinar as funções exatas do sono tem se mostrado difícil.

Na última década, houve um aumento do interesse de pesquisadores pela natureza e função do sono. Novos modelos experimentais, juntamente a avanços na tecnologia e nas técnicas analíticas, estão nos proporcionando uma visão mais profunda do cérebro adormecido. Aqui estão algumas das maiores descobertas recentes na ciência do sono.

1. Sabemos mais sobre o sonho lúcido

O estudo neurocientífico do sonho não está mais à margem, agora se tornou popular.

Em um estudo de 2017, pesquisadores dos EUA acordaram seus participantes em intervalos regulares durante a noite e perguntaram a eles o que estava passando por suas mentes antes de despertarem. 

Às vezes, os participantes não conseguiam se lembrar de nenhum sonho. A equipe do estudo então analisou o que estava acontecendo no cérebro do participante momentos antes de acordar.

A lembrança do conteúdo do sonho pelos participantes estava associada ao aumento da atividade na “zona quente posterior”, uma área do cérebro intimamente ligada à percepção consciente. Os pesquisadores puderam prever a presença ou ausência de experiências de sonho monitorando essa zona em tempo real.

Outro desenvolvimento empolgante no estudo dos sonhos é a pesquisa sobre sonhos lúcidos, nos quais você está ciente de que está sonhando

Um estudo de 2021 estabeleceu comunicação bidirecional entre um sonhador e um pesquisador. Nesse experimento, os participantes sinalizaram ao pesquisador que estavam sonhando ao mover os olhos em um padrão pré-acordado.

O pesquisador leu problemas de matemática (quanto é oito menos seis?). O sonhador podia responder a essa pergunta com movimentos dos olhos. Os sonhadores foram precisos, indicando terem acesso a funções cognitivas de alto nível. 

Os pesquisadores usaram a polissonografia, que monitora as funções corporais, como a respiração e a atividade cerebral durante o sono, para confirmar que os participantes estavam dormindo.

Essas descobertas deixaram os pesquisadores de sonhos entusiasmados com o futuro do “sonho interativo”, como a prática de uma habilidade ou a solução de um problema em nossos sonhos.

2. Nosso cérebro repete memórias enquanto dormimos

Este ano marca o centenário da primeira demonstração de que o sono melhora nossa memória. Uma revisão de 2023 de pesquisas recentes mostrou que as memórias formadas durante o dia são reativadas enquanto estamos dormindo.

Os pesquisadores descobriram isso usando técnicas de aprendizado de máquina para “decodificar” o conteúdo do cérebro adormecido.


Vinte e seis anos. Isso
é aproximadamente 
quanto de nossas
vidas passamos
dormindo. E há bons
motivos para isso



Um estudo de 2021 descobriu que o treinamento de algoritmos para distinguir entre diferentes memórias enquanto estamos acordados torna possível ver os mesmos padrões neurais reaparecerem no cérebro adormecido. 

Um estudo diferente, também em 2021, descobriu que, quanto mais vezes esses padrões reaparecem durante o sono, maior o benefício para a memória.

Em outras abordagens, os cientistas conseguiram reativar determinadas memórias ao reproduzir sons associados à memória em questão enquanto o participante estava dormindo. 

Uma metanálise de 2020 de 91 experimentos constatou que, quando a memória dos participantes foi testada após o sono, eles se lembraram mais dos estímulos cujos sons foram reproduzidos durante o sono em comparação com os estímulos de controle, cujos sons não foram reproduzidos.

A pesquisa também demonstrou que o sono fortalece a memória para os aspectos mais importantes de uma experiência, reestrutura nossas memórias para formar narrativas mais coesas e nos ajuda a encontrar soluções para problemas em que estamos presos. A ciência está mostrando que dormir realmente ajuda.

3. O sono mantém nossa mente saudável

Todos sabemos que a falta de sono nos faz sentir mal.

Estudos laboratoriais de privação de sono, em que os pesquisadores mantêm os participantes acordados durante toda a noite, foram combinados com exames cerebrais de ressonância magnética funcional para traçar um quadro detalhado do cérebro privado de sono. Esses estudos mostraram que a falta de sono interrompe gravemente a conectividade entre diferentes redes cerebrais. 

Essas alterações incluem um colapso da conectividade entre as regiões cerebrais responsáveis pelo controle cognitivo e uma amplificação das regiões envolvidas no processamento de ameaças e emoções.

As novas memórias
são emparelhadas
com sons individuais.
Durante o sono, os sons
são reproduzidos,
reativando a
representação
neural da memória


A consequência disso é que o cérebro privado de sono é pior em aprender novas informações, pior em regular as emoções e incapaz de suprimir pensamentos intrusivos.

A perda de sono pode até diminuir a probabilidade de uma pessoa ajudar outras. Essas descobertas podem explicar por que a má qualidade do sono é tão onipresente na saúde mental precária.

4. O sono nos protege contra doenças neurodegenerativas

Embora naturalmente durmamos menos à medida que envelhecemos, evidências crescentes sugerem que problemas de sono no início da vida aumentam o risco de demência.

O acúmulo de beta-amiloide (β-amiloide), um produto residual metabólico, é um dos mecanismos subjacentes à doença de Alzheimer. 

Recentemente, tornou-se evidente que o sono profundo e sem perturbações é bom para eliminar essas toxinas do cérebro. A privação do sono aumenta a taxa de acúmulo de β-amiloide em partes do cérebro envolvidas na memória, como o hipocampo

Um estudo longitudinal publicado em 2020 constatou que os problemas de sono estavam associados a uma taxa mais alta de acúmulo de β-amiloide em um acompanhamento quatro anos depois

Em um estudo diferente, publicado em 2022, os parâmetros do sono previram a taxa de declínio cognitivo dos participantes nos dois anos seguintes.

5. Podemos projetar o sono

A boa notícia é que a pesquisa está desenvolvendo tratamentos para obter uma noite de sono melhor e aumentar seus benefícios.

Por exemplo, a Sociedade Europeia de Pesquisa do Sono e a Academia Americana de Medicina do Sono recomendam a terapia cognitivo-comportamental para insônia (TCC-I).

A TCC-I funciona por meio da identificação de pensamentos, sentimentos e comportamentos que contribuem para a insônia, que podem ser modificados para ajudar a promover o sono.

Em 2022, um aplicativo de TCC-I tornou-se a primeira terapia digital recomendada pelo National Institute for Health and Care Excellence da Inglaterra para tratamento no NHS (o SUS britânico).

Essas intervenções também podem melhorar outros aspectos de nossas vidas. Uma meta-análise de 2021 de 65 ensaios clínicos constatou que a melhora do sono por meio da TCC-I reduziu os sintomas de depressão, ansiedade, ruminação e estresse.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

BC muda cédulas do real, mas mantém 'Deus seja Louvado'

Louvação fere o Estado laico determinado pela Constituição  O Banco Central alterou as cédulas de R$ 10 e R$ 20, “limpou” o visual e acrescentou elementos de segurança, mas manteve a expressão inconstitucional “Deus seja Louvado”.  As novas cédulas, que fazem parte da segunda família do real, começaram a entrar em circulação no dia 23. Desde 2011, o Ministério Público Federal em São Paulo está pedindo ao Banco Central a retirada da frase das cédulas, porque ela é inconstitucional. A laicidade determinada pela Constituição de 1988 impede que o Estado abone qualquer tipo de mensagem religiosa. No governo, quanto à responsabilidade pela manutenção da frase, há um empurra-empurra. O Banco Central afirma que a questão é da alçada do CMN (Conselho Monetário Nacional), e este, composto por um colegiado, não se manifesta. Em junho deste ano, o ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que a referência a Deus no dinheiro é inconcebível em um Estado moderno, cuja

Nova espécie de ave descoberta na Caatinga tem origem em variações do São Francisco

Responda cristão: Deus criou as estrelas antes ou depois da Terra?

Livro conta em 300 páginas histórias de papas das quais poucos sabem

A física moderna sugere que o tempo não avança, é apenas uma ilusão

Bento 16 associa união homossexual ao ateísmo

Papa passou a falar em "antropologia de fundo ateu" O papa Bento 16 (na caricatura) voltou, neste sábado (19), a criticar a união entre pessoas do mesmo sexo, e, desta vez, associou-a ao ateísmo. Ele disse que a teoria do gênero é “uma antropologia de fundo ateu”. Por essa teoria, a identidade sexual é uma construção da educação e meio ambiente, não sendo, portanto, determinada por diferenças genéticas. A referência do papa ao ateísmo soa forçada, porque muitos descrentes costumam afirmar que eles apenas não acreditam em divindades, não se podendo a priori se inferir nada mais deles além disso. Durante um encontro com católicos de diversos países, Bento 16 disse que os “cristãos devem dizer ‘não’ à teoria do gênero, e ‘sim’ à aliança entre homens e mulheres no casamento”. Afirmou que a Igreja defende a “dignidade e beleza do casamento” e não aceita “certas filosofias, como a do gênero, uma vez que a reciprocidade entre homens e mulheres é uma expressão da bel

Ateus americanos recorrem à Justiça na 'guerra ao Natal'

Xuxa pede mobilização contra o 'monstro' Marco Feliciano

Pela primeira vez a apresentadora se envolve em uma polêmica A apresentadora da Rede Globo Xuxa (foto) afirmou em sua página no Facebook que o pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP), o novo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, não é “um religioso, é um monstro”. Sem citar o nome de Feliciano, ela ficou indignada ao ler que “esse deputado disse que negros, aidéticos e homossexuais não têm alma”. “Vamos fazer alguma coisa! Em nome de Deus, ele não pode ter poder.” É a primeira vez que Xuxa pede mobilização de seus fãs em uma questão polêmica. Amiga do padre Marcelo Rossi, ela é católica praticante. No Facebook, em seu desabafo, escreveu sete vezes a palavra "Deus" e argumentou que todos sabem que ela respeita todas as religiões. A apresentadora também se mostrou abalada ao saber que Feliciano, durante uma pregação, pediu a senha do cartão bancário de um fiel. “O que é isso, meu povo?” “Essa pessoa não pode ser presidente da C

Em vídeo, Malafaia pede voto para Serra e critica Universal e Lula

Malafaia disse que Lula está fazendo papel de "cabo eleitoral ridículo" A seis dias das eleições, o pastor Silas Malafaia (foto), da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, gravou um vídeo de 8 minutos [ver abaixo] pedindo votos para o candidato à prefeitura de São Paulo José Serra (PSDB) e criticou a Igreja Universal e o ex-presidente José Inácio Lula da Silva. Malafaia começou criticando o preconceito que, segundo ele, existe contra pastor que emite opinião sobre política, o mesmo não ocorrendo com outros cidadãos, como operários, sindicalistas, médicos e filósofos. O que não pode, afirmou, é a Igreja, como instituição, se posicionar politicamente. “A Igreja é de Jesus.” Ele falou que tinha de se manifestar agora porque quem for para o segundo turno, se José Serra ou se Fernando Haddad, é quase certeza que será eleito, porque Celso Russomanno está caindo nas pesquisas por causa do apoio que tem recebido da Igreja Universal. Afirmou que apoia Serra na expectativa de