Pular para o conteúdo principal

Instituto confirma que 2023 foi o ano mais quente da série histórica no Brasil

Dos 12 meses do ano passado, nove tiveram médias de temperatura acima da média histórica, com destaque para setembro


Ana Cristina Campos
jornalista

Agência Brasil

empresa financiada pelo governo brasileiro

O ano de 2023 é o mais quente da história do planeta e também foi o mais quente da série histórica do Brasil. A média das temperaturas no país ficou em 24,92 graus Celsius (ºC) — sendo 0,69 °C acima da média histórica de 1991/2020, que é 24,23 °C. No ano anterior, em 2022, a média anual foi de 24,07 ºC, 0,16 ºC abaixo da média histórica.

Aquecimento acima da média
das águas do Oceano Pacífico
Equatorial submeteu o Brasil
a onda de calor

Segundo levantamento do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), dos 12 meses do ano de 2023, nove tiveram médias mensais de temperatura acima da média histórica, com destaque para setembro, que apresentou o maior desvio (diferença entre o valor registrado e a média histórica) desde 1961, com 1,6 ºC acima da climatologia de 1991/2020 (média histórica).

Ao longo do ano, o Brasil enfrentou nove episódios de onda de calor, reflexo dos impactos do fenômeno El Niño (aquecimento acima da média das águas do Oceano Pacífico Equatorial), que tende a favorecer o aumento da temperatura em várias regiões do planeta. 

Além disso, segundo o Inmet, outros fatores têm contribuído para a ocorrência de eventos cada vez mais extremos, como o aumento da temperatura global da superfície terrestre e dos oceanos.

Após análise dos desvios de temperaturas médias anuais do Brasil desde 1961 a 2023, o Inmet verificou uma tendência de aumento estatisticamente significativo das temperaturas ao longo dos anos, que pode estar associada à mudança no clima em decorrência da elevação da temperatura global e mudanças ambientais locais.

As temperaturas mais elevadas foram observadas no sul do Pará, Mato Grosso, sul de Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, áreas de Minas Gerais, Goiás, Bahia, Pernambuco e Ceará.

Temperatura global

Conforme a versão provisória do Estado Global do Clima 2023, publicada pela OMM, em 30 de novembro de 2023, a temperatura média da superfície global ficou 1,4°C acima da média histórica de 1850/1900, até outubro do ano passado.

Com este valor, o ano de 2023 já é considerado o mais quente em 174 anos de medições meteorológicas, superando os anos de 2016, com 1,29°C acima da média, e 2020, com 1,27°C acima da média.

Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus, da União Europeia, confirmou que 2023 foi o mais quente registrado no planeta e provavelmente o mais quente nos últimos 100 mil anos.

Com informação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

• Mudanças climáticas preocupam 8 em cada 10 brasileiros, revela pesquisa

• Aquecimento anormal agrava seca na Amazônia e mata cem botos em três dias

• Ateus se preocupam muito mais com o aquecimento global que religiosos

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Cientistas brasileiros e mexicanos descobrem pequena espécie de morcego

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Um em cada 4 brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto, mostra IBGE

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Quatro séculos tentando provar a existência de Deus. E fica cada vez mais difícil

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Igrejas católicas alemãs estão sendo derrubadas. É a demolição da própria religião

Padre autor do mosaico de Aparecida é acusado de invocar a Trindade para ter sexo a três

Ministro 'terrivelmente' evangélico decide que financiar monumento religioso é constitucional